EnglishPortugueseSpanish
DICAS PRÁTICAS: Obrigatoriedade de visto para Brasileiros
Postado por Estela T em setembro 2, 2016 Editado em março 31, 2019
dicas-vistos

 

Saiba quais são os países com Obrigatoriedade de visto para Brasileiros e mais algumas informações muito importantes:

  1. Afeganistão = exige vacinação contra a poliomielite até um ano antes da viagem (A Embaixada do Afeganistão no Brasil informou que decidiu encerrar temporariamente as atividades da Embaixada em Brasília no dia 21 de dezembro de 2015.) Os aeroportos afegãos adotam medidas rigorosas de segurança e inspeção. Recomenda-se ter sempre à mão cópia impressa das passagens aéreas, para assegurar a entrada nos terminais. Produtos a base de carne suína são estritamente proibidos no país e podem ser confiscados pelas autoridades aeroportuárias. Além disso, agentes de alfândega podem confiscar bebidas alcoólicas, material religioso e medicamentos sem receita.  O porte de produtos pornográficos pode levar à prisão turistas estrangeiros.
  2. Arábia Saudita = consulado localizado em Brasília. Acima de 16.000 US, deve ser declarado tanto para entrada quanto para saída. Para obter o visto, uma vez autorizado, o cidadão brasileiro deverá contatar a Embaixada saudita em Brasília, localizada no endereço SHIS QL 10 Conjunto 09, Casa 20, telephone 061-248-3525, 61- 2483523 ou 061-2484954; facsímile 61-2482905; correio eletrônico bremb@mofa.gov.sa. Uma vez no país, cabe assinalar que a Arábia Saudita exige o visto de saída (“Exit Permit” ou “Ta’shira Al-Khuruj”), a ser solicitado pelo anfitrião. É proibida a entrada no país de material pornográfico, bebidas alcóolicas, material de insulto ao Islã, drogas, carne de porco, o que poderá ensejar em prisão seguida de deportação.
  3. Argélia = consulado localizado em Brasília. Tudo em moeda estrangeira deve ser declarado na entrada e Dinar Argelinos não podem ser levados para fora do país. Devem ser declarados na Alfândega, no momento da entrada no país, câmaras fotográficas ou de vídeo, computadores portáteis e joias pessoais. A Alfândega pode exigir, tanto dos turistas como dos viajantes a negócios ou a título oficial, uma autorização para a importação temporária de certos tipos de equipamento técnico (tais como câmaras de filmar, “walkie-talkies”, equipamentos de GPS, etc).
  4. Angola = O Consulado fica em Brasília, mas dá para pedir o visto via site oficial. O país não emite vistos na chegada ao país, e cidadãos brasileiros que viajem sem o visto em seus passaportes não poderão entrar em território angolano. É exigido comprovante de vacina contra febre amarela. Valores superiores a USD 10.000 devem ser declarados tanto na entrada quanto na saída.
  5. Austrália = Exige vacinação contra febre amarela, passaporte com validade de pelo menos seis meses, entre outros. O país possui restrição com pessoas soro positivas.
  6. Azerbaijãoconsulado localizado em Brasília. Todas as moedas estrangeiras devem ser declaras e há restrição de saída com valores superiores a US%50.000. Sítio: www.azembassy.org.br e E-mail: consular@azembassy.org.br (consular)     
  7. Bangladesh = Embaixada localizada em Brasília. Recomenda-se vacinação contra hepatite A e febra tifóide a todos os viajantes. Na entrada, valores maiores que US$5.000 devem ser declarado e na saída os valores de 2.000 Taka ou equivalente também deverão ser declarados. E-mail: bdoot.brasilia@gmail.combdoot.brasilia@mofa.gov.bd
  8. Bareine (Bahrein) = não há consulados ou embaixadas no Brasil. Pessoas com HIV/AIDS podem sofrer restrições à entrada. O Bahrein não permite que indivíduos com AIDS vivam no país. Exames médicos são requeridos para visitantes de longo prazo e residentes. Indivíduos com AIDS no Bahrein podem ser deportados.
  9. Benin = Embaixada em Brasília e consulado honorário no Rio de Janeiro. É exigido comprovante de vacina contra febre amarela
  10. Brunei = não há consulados ou embaixadas no Brasil. Alguns requisitos são exigidos do viajante para a entrada no país: Certificado internacional de vacina contra a febre amarela, sem o qual é barrada a entrada, ficando o viajante em quarentena no aeroporto e arcando com os custos de eventual hospedagem forçada; Bilhete válido de retorno ou saída de Brunei; Passaporte válido por pelo menos 6 (seis) meses (como em todos os casos). Para sair do país, é preciso pagar taxa de partida no aeroporto. Apenas dinheiro em espécie (dólar de Brunei ou de Cingapura) é aceito. Vistos de trânsito de 72h podem ser obtidos na chegada ao país.
  11. Burkina Faso = embaixada em Brasília e consulado honorário em São Paulo, e-mail: amburkinabras@burkina.org.br    . Necessário certificado de vacina contra febre amarela que tenha sido aplicada há pelo menos 14 dias antes da viagem.
  12. Burundirepresentação localizado em Brasília. É necessário o comprovante de vacina contra Febre Amarela que tenha sido aplicada há pelo menos 14 dias antes da viagem. A partir de 2010, o Governo de Burundi suspendeu a obtenção de vistos em aeroportos e outros pontos de entrada do país, razão pela qual deve-se obter visto unicamente antes da viagem ao Burundi.
  13. Butão = não há consulados ou embaixadas no Brasil. A contratação de uma agência de viagem é obrigatória, e há imposição de pacote a custo de US$ 200,00 nos meses de janeiro, fevereiro, junho, julho e agosto; e de US$ 250 nos demais meses. O viajante deve apresentar a autorização (“visa clearance”, em inglês) no momento em que chega ao país. Recomenda-se portar receitas médicas para todos os medicamentos de uso pessoal constante, uma vez que medicamentos sem receitas podem ser retidos na chegada ao país. Por ocasião da chegada, o turista deverá registrar em formulário os itens de sua bagagem, especialmente equipamentos eletrônicos como câmeras, “laptops” e telefones celulares. Deverá, por sua vez, apresentar esse documento quando sair do Butão, juntamente com todos os pertences anteriormente registrados. Essa medida é tomada pelas autoridades para impedir importações irregulares.
  14. Cabo Verde = Portadores de passaportes brasileiros diplomáticos ou de serviço estão isentos do visto de entrada por um período de permanência de até 90 dias (embaixada em Brasília e consulado honorário no Rio de Janeiro)
  15. Camarões = Portar carteira internacional de vacinação contra a febre amarela (em Brasília) e vacinação contra Poliomelite até um ano antes da viagem. Para destinos internacionais (pago na saída), a taxa é de FCFA 10.000. Para destinos nacionais, o pagamento deve ser de FCFA 500. As taxas são cobradas nos aeroportos (não estão incluídas no valor dos bilhetes aéreos) e devem ser pagas em espécie.
  16. Camboja = turistas podem solicitar o visto no momento em que chegam, ou seja, o “visa on arrival”. É proibida a importação e exportação de moeda local (Riel). Os vistos de turismo e negócios são válidos por 30 dias a partir da data de ingresso no país. Há imposição de multas caso esse prazo não seja respeitado. Para estadias sem visto por 30 dias ou menos, a multa é de US$ 5,00 por dia. Para estadias sem visto por mais de 30 dias, a multa é de US$ 6,00 por dia.
  17. Canadá (Embaixada em Brasília, Consulado Geral no Rio de Janeiro e São Paulo e Consulado Honorário em Belo Horizonte). O Governo do Canadá determina que o turista deva apresentar declaração se estiver trazendo 10 mil dólares canadenses ou mais em dinheiro, ou seu equivalente em outras moedas.
  18. Catar ou Qatar (email brasilia@mofa.gov.qa em Brasília). Apesar de não constar oficialmente no sítio eletrônico do Ministério do Interior, sabe-se que há dificuldade de obtenção de visto para turistas com idade igual ou superior a 60 anos. Não é permitido ingressar bebida alcóolica no país, nem produtos de origem suína. Não é exigida a contratação de seguro-saúde para entrada no país. Recomenda-se, no entanto, que cidadãos brasileiros façam a contratação de seguro médico internacional. Pessoas com HIV/AIDS podem sofrer restrições à entrada.
  19. Chade = não há consulados ou embaixadas no Brasil. Após entrada no país, será necessário fazer registro policial em até 72 horas após cruzar a fronteira do Chade. Para registro, deverá ser procurada a autoridade policial local. Autoridades da África do Sul costumam exigir que vacinação contra febre amarela tenha sido aplicada há pelo menos 14 dias antes da viagem.
  20. China = Embaixada em Brasília, Consulado Geral no Rio de Janeiro, São Paulo e Recife. É exigido comprovante de vacinação contra febre amarela. Há restrição de entrada e saída de valores acima de 20.000RMB. É obrigatório fazer declaração de porte de valores para trazer quantia maior do que USD 10,000.00 (dez mil dólares). É proibido trazer: flores frescas; plantas; frutas; sementes; qualquer produto feito com bambu, madeira ou capim; laticínios não pasteurizados; ovos; carnes. É permitido trazer queijos e laticínios pasteurizados ou em pó e outros alimentos processados (industrializados) desde que em embalagem original lacrada e com data de validade claramente indicada. A página da AQSIS (english.aqsiq.gov.cn) tem informações em inglês. A página da AQSIS (english.aqsiq.gov.cn) tem informações detalhadas em inglês. Em caso de perda de passaporte brasileiro, será necessário, para sair da China com novo passaporte, obter visto de saída e, se for o caso, pagar multa por permanência ilegal em território chinês. O visto de saída é emitido pelo escritório de Saída-Entrada/Centro de Vistos e Permissões e costuma levar alguns dias para ser concedido. O visto de turismo chinês não permite acesso às Regiões Autônomas do Tibet, de Xinjiang e da Mongólia Interior, bem como à Província de Qinghai, para as quais há necessidade de permissão especial. A permissão geralmente custa RMB 200 e corresponde a uma única entrada, válida para um período de no máximo três meses. As permissões nem sempre são concedidas.
  21. Comores = necessário comprovante de vacinação da febre amarela. Não há consulados ou embaixadas no Brasil
  22. Congoemail ambaredeco@ig.com.br em Brasília. O Governo da RDC impõe restrições a importações de armas de quase todo o tipo; a exportação de obras de arte requer autorização prévia das autoridades competentes; da mesma maneira, o transporte de pedras preciosas é também objeto de escrutínio por parte das autoridades alfandegárias e sua exportação exige procedimento aduaneiro prévio específico. Em conformidade com a prática internacional vigente, é proibida a importação de produtos de origem vegetal e animal por turistas. Por questões de segurança, recomenda-se que o viajante não circule com valores elevados em dinheiro e no momento da partida, o montante máximo permitido  por viajante é de USD 10.000,00.
  23. Ilhas Cook = sem informações
  24. Coréia do Norte = embaixada localizada em Brasília. A política de concessão de vistos de turismo da RPDC é condicionada à contratação de pacotes de viagem operados pela agência de turismo oficial, a Korea International Travel Company,  e vendidos por agentes de viagem em todo o mundo. É impossível viajar à Coreia do Norte sem a contratação do serviço da Korea International Travel Company.
  25. Costa do Marfim = Embaixada em Brasília e consulados em São Paulo, Espírito Santo e Rio de Janeiro. É  exigido comprovante de vacina contra febre amarela, para visto acessar o site oficial da Embaixada da Costa do Marfim.
  26. Cuba = É necessário portar o seguro de viagem com cobertura de despesas médicas no País
  27. Djibouti Exige vacinação contra febre amarela e não possui representantes no Brasil. Para a emissão de visto de entrada única, serão cobrados 85 dólares americanos; e, para a emissão de visto de duas entradas, 115 dólares americanos.
  28. Egito = Visto também pode ser adquirido quando chegar no Aeroporto do Cairo, ou mesmo nos postos de fronteira, caso a viagem seja pela via terrestre, mediante o pagamento da taxa de US$ 25,00. Embaixada em Brasília, Consulado Geral em São Paulo e Consulado em Salvador. Cidadãos brasileiros que desejam viajar ao Egito a trabalho ou para estudo deverão obter o visto apropriado antes da viagem.  O visto de trabalho ou de estudo não poderá ser obtido no aeroporto. Não é permitida a entrada com o valor superar a US$ 10 mil. A fronteira do Egito com a Palestina encontra-se fechada de forma permanente. Só esteve aberta durante 19 dias em 2015. É área de alto risco onde atua grupo terrorista.
  29. Emirados Árabes = em Brasília. Há dispensa de Visto, por até 90 dias, para portadores de passaportes comuns, em viagens de trânsito, turismo ou negócios. Para todos os efeitos, todos os vistos para os Emirados Árabes Unidos são de entrada única. No entanto, as regras sobre vistos têm variado com frequência. Há épocas em que é aplicada restrição que permite a reentrada, com visto de turista, apenas 30 dias após a última saída. Projeto recente prevê a criação de “visto de cruzeiro” que permitiria a visita a países fronteiriços e retorno aos Emirados em prazo reduzido. Caso o viajante pretenda sair do país e depois retornar como parte de um itinerário maior, deve informar-se sobre a obtenção de um novo visto. Informações sobre entradas nos Emirados Árabes clique aqui. É preciso apresentar passagem de saída dos Emirados Árabes Unidos, quando da entrevista com agentes migratórios. A falta de bilhete de retorno pode impedir a entrada no país. Cidadãos de países que não pertencem ao Conselho de Cooperação do Golfo, como o Brasil, devem pagar uma taxa de saída ao deixar o país. A taxa é de 35 dirhams, pagos apenas em espécie, na moeda local. É altamente recomendável que os viajantes tenham seguro de saúde internacional porque os custos médicos e hospitalares no país são altos.
  30. Eritréianão possui representantes no Brasil. Ao entrar e sair, os visitantes devem declarar as quantias de moeda estrangeira que portam. Os visitantes têm de guardar todos os borderôs de câmbios para, ao sair do país, prestar contas do que gastou no país. Visitantes devem declarar material eletrônico, como câmeras, computadores e equipamento de vídeo para entrada na Eritreia. Se deixar de relatar a posse de moeda estrangeira ou não cumprir com as exigências aduaneiras, os visitantes poderão ser multados e/ou presos. A taxa de embarque, de aproximadamente US$20,00, não se encontra embutida no preço da passagem.
  31. Estados Unidos = é recomendado planejar a obtenção do visto com vários meses de antecedência em relação à viagem, preferencialmente antes de adquirir passagem aérea (Consulados em São Paulo, Rio de Janeiro e Recife)
  32. Etiópia É recomendável a vacinação de Poliomielite até 1 ano antes da viagem. Aqueles e apenas aqueles que visitam a Etiópia a turismo podem requerer o visto no momento da chegada ao Aeroporto Internacional de Adis Abeba, mediante pagamento de taxa de USD 50,00 (somente em dinheiro e no exato montante) e apresentação de documentos como:  Passaporte com mais de 6 (seis) meses de validade e com pelo menos 3 (três) páginas em branco; Extrato bancário e/ou cartão de crédito; Comprovante de reserva de hotel ou de qualquer outro lugar onde vai hospedar-se; e Passagem de ida e volta
  33. . Não se requer visto de trânsito daqueles que permanecem, por razão de conexão, seis horas ou menos no Aeroporto Internacional de Adis Abeba, que oferece os serviços básicos para o conforto dos passageiros internacionais que por ele transitam.
  34. Gabão = email embgabao@yahoo.com.br em Brasília. É exigido comprovante de vacina contra febre amarela. Possui restrição quanto a valores maiores do que 3.000 US tanto na entrada quanto na saída. Ao sair do Gabão, caso queira retornar, o residente deverá solicitar ao CDOC um “visto de saída”.  Cidadãos estrangeiros que não tenham solicitado um visto de saída poderão ter reentrada no país impedida pelas autoridades locais.
  35. Gâmbia = Exige vacinação contra febre amarela, não possui representação no Brasil. A Gâmbia tem regulamentos rigorosos sobre a importação e exportação de cremes clareadores de pele e de alguns medicamentos. Turistas estão sujeitos a multas de até US$ 2.000,00 e/ou prisão de 3 anos se trouxerem substâncias contendo 1% ou mais de hidroquinone (em qualquer forma), hidrocortisona (exceto em quantidades mínimas e para fins específicos como produtos para coceiras), betametasona, flucinonida, clobestatol ou clobestatone. Viajantes podem ser solicitados a pagar uma taxa de 20 euros (ou o equivalente, em dólares norte-americanos ou dalasi) para partir da Gâmbia. Geralmente, o valor é incluído nas passagens de saída do país.
  36. Gana = (email ghaembra@zaz.com.br  em Brasília com Consulado Honorário em São Paulo). É necessário vacinação contra febre amarela. Possui restrição quanto a valores maiores do que 5.000 USD.
  37. Guiana Francesa = Exige vacinação contra febre amarela. Para vistos acessar site da embaixada francesa. O visto de turista permite uma permanência de até 90 dias, sem autorização de trabalho. O viajante que entrar por via terrestre, cruzando o Rio Oiapoque, deverá procurar a PAF (Polícia de Fronteiras) em St. Georges de L’Oyapock ou na cabeceira da ponte sobre o Rio Oiapoque (que ainda não foi aberta à circulação) para ter o seu passaporte carimbado. O carimbo da PAF é muito importante. A falta do carimbo, mesmo para aqueles que possuírem visto ou que estiverem dispensados de visto, pode resultar em expulsão.
  38. Guiné = Possui embaixada em Brasília e consulado no Rio de Janeiro. Exigido certificado internacional de vacinação contra a febre amarela com pelo menos 14 dias antes da viagem e certificado internacional da vacina. Todos os passageiros que partem da Guiné passam por um controle sanitário antes de serem autorizados a prosseguir para os balcões de check-in. O controle consiste em preencher um questionário sobre seus deslocamentos pelo território do país e as pessoas com quem esteve nos últimos 21 dias, e na tomada da temperatura com um termômetro telemétrico. O objetivo é evitar o embarque de pessoas que tiveram contato recente com pacientes da febre Ebola, ou que apresentem sintomas da doença.
  39. Guiné-Bissau = sem representantes no Brasil
  40. Guiné-Equatorial = É recomendável a vacina da Poliomelite até um ano antes da viajem, sem representantes no Brasil. Para concessão do visto, cidadãos brasileiros deverão preencher formulários comprovando que possuem recursos para financiar todo o período de sua viagem. Além disso, de modo geral, uma “carta convite”, concedida por autoridade guinéu-equatoriana constitui pré-requisito para a concessão de visto de entrada.
  41. IêmenExige vacinação contra febre amarela, não possui representação no Brasil. A Embaixada do Iêmen em Havana, Cuba, cobre os temas afeitos ao Brasil, e poderá ser consultada em caso de dúvidas sobre os requisitos para entrada no país.
  42. Índia = Turistas devem portar o certificado internacional de vacinação contra febre amarela e malária. Embaixada em Brasília, Consulado em São Paulo e Consulado Honorário no Rio de Janeiro. Para permanências curtas, de até 30 dias, os cidadãos brasileiros podem solicitar o “Visa On Arrival” com antecedência mínima de 4 dias úteis: basta preencher o formulário e pagar a taxa correspondente no sítio https://indianvisaonline.gov.in/visa/tvoa.html. A permanência máxima será de 30 dias, e não poderá ser estendida em qualquer hipótese.
  43. Honduras = É exigido comprovante contra febre amarela. Há restrição de entrada para valores maiores do que US$ 10.000,00. Contato pelo email embajada@embajadahondurasbrasil.com em Brasília. É de suma importância certificar-se de que o passaporte, acompanhado da segunda via do formulário de entrada/saída do país, receba também o carimbo de entrada no país, que especificará a duração da estada permitida. Não há definição de montante mínimo diário de dinheiro necessário, porém o viajante deve estar pronto para comprovar que tem recursos suficientes para custear a sua estadia no país. Os viajantes não podem ingressar no país com mercadorias em quantidades que configurem a prática de comércio, com produtos de origem vegetal ou animal e, no caso de viagens nacionais ou internacionais por avião, a bagagem acompanhada deve estar de conformidade com as regras adotadas pela Organização Internacional da Aviação Civil.
  44. Irã = Embaixada do Irã em Brasília. Há restrição para a entrada de valores acima de US$ 10 mil. Na chegada ao aeroporto internacional de Teerã, é possível obter visto de entrada, caso o viajante seja titular de passaporte comum. Desaconselha-se, no entanto, essa alternativa, tendo em vista a longa espera na imigração e a incerteza sobre a concessão do visto. Para os vistos concedidos no aeroporto, o prazo máximo de permanência é de 15 dias, improrrogáveis. Necessária comprovação de vacina contra febre amarela. O controle aduaneiro é feito por amostragem, por intermédio de inspeção raio-x. O Irã proíbe, por questões religiosas, o ingresso de bebidas alcoólicas e de carne e derivados de porco. É importante ter em mente que bebidas alcoólicas, carne de porco e derivados, jogos de azar, publicações ou outras formas de mídia com conteúdo pornográfico ou contrário à moral e aos costumes islâmicos são estritamente proibidos no país, e que as bagagens podem ser objeto de inspeção por raio X tanto na chegada quanto na partida.
  45. Iraque = (em Brasília). Necessária comprovação de vacina contra febre amarela
  46. Japão = Como não há vôos diretos entre o Brasil e o Japão, os turistas devem prestar muita atenção às exigências de entrada ou trânsito do país no qual farão conexão ou escala aérea (Embaixada em Brasília, Consulado em Belém, Consulado Geral em Manaus, Rio de Janeiro, São Paulo e Curitiba, Escritório Consular em Porto Alegre, Recife e Consulado Geral Honorário em Belo Horizonte e Salvador)
  47. Jordânia = Visto de turista pode ser obtido no momento em que chegar no aeroporto, mediante pagamento de taxa adicional (Embaixada em Brasília e Consulado Honorário em São Paulo). Recomenda-se que cidadãos brasileiros contratem seguro internacional de saúde antes de sua viagem, o qual poderá ser solicitado pelas autoridades migratórias. Comprovante internacional de vacinação contra febre amarela pode ser exigido pelas autoridades locais antes do ingresso a Jordânia. A Jordânia é um corredor natural para alguns turistas procedentes de Israel com destino à Síria ou ao Líbano. Deve-se ter em mente que ambos os países não aceitam a entrada de turistas que tenham o passaporte com carimbo de entrada em Israel.
  48. Ilhas Kiribati = não há representantes no Brasil e para deixar o país, é necessário pagar às autoridades uma taxa de partida. Restrição de de moeda para entrar: 5,000 AUD (Dólares Australianos)
  49. Kuwait = São proibidos no Kuwait materiais pornográficos, produtos à base de carne de porco ou que contenham álcool. Esses itens serão confiscados pelas autoridades alfandegárias e seus portadores poderão ser sentenciados a multas e, em casos mais graves, prisão. Não há representantes no Brasil.
  50. Laos = Turistas ingressando no Laos por terra ou pelos aeroportos podem obter visto no momento da chegada onde seránecessário o preenchimento de formulário (no caso de transportes aéreos, usualmente já distribuídos no próprio avião), a apresentação de duas fotografias e o pagamento de taxa (cerca de US$ 35,00). As autoridades de fronteira podem confiscar qualquer material de conteúdo religioso, já que o proselitismo é considerado crime no país, passível de detenção e deportação. Não há representação diplomática do Laos residente no Brasil.
  51. Lesoto = Requisitos para obtenção de visto de turista podem ser encontrados na página eletrônica do Ministério de Turismo do Lesoto. Para entrada no país, cidadãos brasileiros deverão apresentar também vacina contra a febre amarela, comprovada por meio do Certificado Internacional de Vacinação e Profilaxia (CIVP) há pelo menos 14 dias antes da viagem
  52. Líbano = Cidadãos brasileiros que viajam exclusivamente a turismo e que não obtiveram o necessário visto no exterior poderão também obtê-lo ao desembarcar no Aeroporto Internacional de Beirute, este com duração de, no máximo, 30 dias. Observe-se que, em função da situação regional no Oriente Médio, os passaportes dos viajantes não poderão conter quaisquer registros de passagem por território israelense, sob pena de não poderem seus titulares ingressar em território libanês. Embaixada em Brasília, Consulado Geral no Rio de Janeiro e São Paulo e Consulado Honorário em Porto Alegre. 
  53. Libéria =
  54. Líbia =
  55. Madagascar =
  56. Malaui =
  57. Mali = Portador de passaporte diplomático ou oficial está isento da exigência para ingressar no Mali (email ambamalibrasilia@yahoo.fr Embaixada em Brasília e Consulado Honorário em São Paulo)
  58. Ilhas Marianas =
  59. Ilhas Marshall =
  60. Ilhas Maurício =
  61. Ilhas Mauritânia =
  62. MoçambiqueVisto poderá ser obtido na Embaixada e inclusive nos aeroportos, ao  custo de US$ 82,00 (Embaixada em Brasília, Consulado em Belo Horizonte e Consulado Honorário em São Paulo)
  63. Moldova =
  64. Myanmar/Birmânia =
  65. Nepal = Visto de turista poderá ser adquirido na chegada ao aeroporto (Embaixada em Brasília)
  66. Níger =
  67. Nigéria (Embaixada em brasília e Consulado Geral em São Paulo)
  68. Omã =
  69. Papua Nova Guiné =
  70. Paquistão =
  71. Quênia = Na chegada ao aeroporto o visto poderá ser adquirido com entrada válida por um período não superior a três meses (Embaixada em Brasília)
  72. Quirguistão =
  73. Rep. Centro Africana =
  74. Ruanda =
  75. Ilhas Salomão =
  76. São Tomé e Príncipe = É preciso fazer requerimento de autorização de entrada para então ser expedido o visto. Não há representação diplomática são-tomense residente no Brasil. A Embaixada de São Tomé e Príncipe em Washington é cumulativamente responsável por representar São Tomé e Príncipe no Brasil. Endereço: 1211 Connecticut Avenue suite 300 NW 20036, Washington/DC – USA. Tel: +1 202 775-2075 e Fax: +1 202 775-2077
  77. Serra Leoa =
  78. Síria =
  79. Somália =
  80. Sri Lanka =
  81. Suazilândia =
  82. Sudão =
  83. Sudão do Sul =
  84. Tadjiquistão =
  85. Taiwan =
  86. TanzâniaVistos para turistas brasileiros, válidos por 90 dias são concedidos na chegada a aeroportos ou postos de fronteira (email tanrepbrasilia@yahoo.com.br Embaixada em Brasília)
  87. Timor Leste =
  88. Togo =
  89. Turcomenistão =
  90. Uganda =
  91. Uzbequistão =
  92. Vanuatu =
  93. Vietnã (email embavina@yahoo.com ou embavina@uol.com.br. Embaixada em Brasília)
  94. Zâmbia =
  95. Zimbábue =

Para todos os casos, é importatnte ter um passaporte com validade de no mínimo 6 (seis) meses .
Tabela retirada em Fevereiro de 2019 do site do Itamaraty – Photo by Agus Dietrich on Unsplash 

Deixe seu comentário / Nenhum comentário

Itinerário de Viagem (C) Direitos reservados
desenvolvido por