EnglishPortugueseSpanish
SÃO PAULO: LIBERDADE (+ Vergueiro)
Postado por Estela T em agosto 9, 2019 Editado em setembro 9, 2019

Dicas de Viagem Bairro da Liberdade em SÃO PAULO com sugestões do que visitar, o que comer e como descobrir coisas novas e diferentes!

Para todos que acham que o bairro da Liberdade é um bairro exclusivamente Japonês, mudem seus paradigmas porque ele não é, e isso já faz muito tempo!

Inicialmente o bairro era chamado de Bairro da Pólvora e por lá foram enforcadas muitas pessoas como forma absurda de punição, sendo que a mesma "operou" por lá até 1870 e, quando saiu de lá, o bairro foi renomeado como "Liberdade". Muitos descendentes de africanos se estabeleceram por lá e depois deles, portugueses e italianos. Somente em 1912 que começaram a chegar os primeiros imigrantes japoneses.

Atualmente encontramos muitos outros asiáticos por lá, bem como seus estabelecimentos: chineses, coreanos (norte e sul), taiwaneses e etc. Digamos que poucos estabelecimentos japoneses ainda existem por lá, visto que muitos que vendem os produtos característicos japoneses não são gerenciados por descendentes.

Textos e fotos do Itinerário de Viagem, favor não copiar e usar indevidamente!

Liberdade

 

CCSP - Centro Cultural São Paulo

Saindo da Estação do metrô Vergueiro e não muito distante da Avenida Paulista, está o CCSP - Centro Cultural São Paulo. Como o nome já diz, é um centro cultural com diversos formatos: teatro, cinema, exposição de artes visuais, biblioteca, espetáculos adultos e infantis, danças, oficinas, cursos e etc, tudo gratuito ou com ingressos a preços populares. Um dos primeiros do Brasil nesta configuração.

Inaugurado em 1982 e possui 46.500 m². Além dos atrativos no seu interior, possui um jardim suspenso (e até horta) que é um ótimo convite para dar um tempo no concreto em volta.

Vale a pena ficar de olho na programação do CCSP porque sempre tem algo muito curioso rolando por lá. Além disso, é interessante notar os grupinhos de adolescentes que vão até o CCSP para ensaiarem passos de dança, do estilo street dance.

Informações:
Horário de funcionamento
: de terça a sexta das 10h-20h e sábado e domingo das 10h-18h. Fechado nas segundas.
Endereço: Rua Vergueiro 1000 (ao lado da estação do metrô Vergueiro)

São Paulo Sul e Centro, CCSP, Centro Cultural São Paulo
São Paulo Sul e Centro, CCSP, Centro Cultural São Paulo
São Paulo Sul e Centro, CCSP, Centro Cultural São Paulo

Textos e fotos do Itinerário de Viagem, favor não copiar e usar indevidamente!

Bairro da Liberdade

Considerado o bairro japonês de São Paulo, é hoje um bairro turístico com características bem peculiares como um portal vermelho e lustres de iluminação pública bem no estilo japonês. Mas muita gente não sabe que no início, o bairro abrigava uma organização de ex-escravos e descendentes e muitos deles moravam na região. Os japoneses só chegaram no bairro a partir de 1912, atraídos pelos baixos preços dos aluguéis. Estes novos imigrantes começaram a abrir comércios de produtos japoneses, hospedarias e restaurantes, dando forma no que vemos mais ou menos hoje (porque muita coisa mudou). Com a grande concentração de japoneses, também foram surgindo os "kaikans" de cada província japonesa e estes "kaikans" nada mais eram do que centros de suporte ao imigrado e hoje difundem a cultura de cada província.

Uma vez me falaram que o nome "Liberdade" para o bairro surgiu por uma denominação dada pelos próprios japoneses imigrantes, que, quando chegavam lá consideravam o local como uma liberdade, ou seja, liberdade da miséria que viviam no Japão.

Bom, digamos que hoje o bairro não é mais 100% japonês, visto que muitos chineses e coreanos são donos de grande parte dos estabelecimentos comerciais do bairro, tanto que o ano novo chinês é comemorado por lá.

É sempre caótico ir pra Liberdade mas geralmente você encontra produtos japoneses e principalmente aqueles específicos da culinária japonesa. Como muitos japoneses se espalharam por São Paulo, você pode encontrar tais produtos em mercearias japonesas em outros pontos da cidade, mas a variedade destes produtos só lá na Liberdade mesmo que você encontra. Alguns são tão caros quanto nos outros bairros, mas é possível encontrar raridades, o que já valeria a pena se deslocar para lá e fazer uma boa compra. Lógico que produtos da Ásia inteira são oferecidos por seus estabelecimentos e as lojas da rua Galvão Bueno são as melhores e pertinho do metrô.

Outro ponto interessante é ir a lojas especializadas em produtos de beleza e algumas destas são gigantescas! A quantidade de produtos também atrai muitos profissionais da beleza e até consumidores finais como nós. Ultimamente tenho notado um aumento de lojas especializadas em maquiagem. Entrei em uma e fiz umas boas compras!

 

Há muitos restaurantes japoneses ou asiáticos no geral. Não conheço nem 1\1000 deles mas já entrei em alguns que me deu calafrios (e saí correndo)! Portanto, se você for comer comida japonesa sem saber o básico sobre comida japonesa de ponta, sugiro fazer uma pesquisa antecipadamente. Tem um que eu gosto muito mas esqueci o nome. Lembrando dele, eu edito aqui! O outro é o Lamen Aska que escrevi mais abaixo.

Mas a dica para quem procura bons restaurantes é ir até a rua Thomaz Gonzaga.

O bairro possui lugares bem sujos, então... não se decepcione por falta desta informação! Ah, a dica é tomar cuidado com bolsas e carteiras porque na muvuca, você pode ser furtado. Mas sem paranóias, ok?

Fique esperto porque (quase) sempre no primeiro final de semana de Julho de todos os anos é comemorado o Tanabata Matsuri, ou Festival das Estrelas. Ao lado e abaixo estão os registros da festa, onde você compra um papel com uma determinada cor para escrever um desejo.

Leia como é esta festa aqui no neste nosso link: Agenda: Festival das Estrelas

Tanabata Matsuri no Bairro da Liberdade em São Paulo

Dia de Tanabata Matsuri

Tanabata Matsuri no Bairro da Liberdade, São Paulo, Brasil

Arredores do portal da rua Galvão Bueno em dia de festa

Outro comemoração que rola lá no bairro da Liberdade é o Ano Novo Chinês. Como este evento ocorre em apenas um dia, lota muito. É praticamente insuportável andar pelo evento, até porque, as ruas do bairro não foram projetadas para receberem tantas pessoas.

O Ano Novo Chinês que prestigiamos foi em Fevereiro de 2018 e celebrava o ano do cachorro. Nós do Itinerário de Viagem torcemos para que este ano não fosse o ano do carro louco. Digo que fiquei decepcionada com o evento. Não só pela superlotação, mas em questões estéticas. Queria ter visto o bairro mais decorado e barracas de comidas mais típicas. As tradicionais barracas de comida estavam lá, porém, com os tradicionais petiscos japoneses. Aliás, nunca vale a pena comer neles porque, por exemplo, o tempurá é massudo e sem sabor e as porções de outras iguarias são pequenas, não compensam por conta do valor.

O Ano Novo Chinês na Liberdade não tem roupas típicas, não tem fogos de artifício, nem pipas e nem lamparinas de luz. Só há um desfile de leões e dragões de algumas escolas do tipo yoga e kung fu, mas não são alegorias muito caprichadas... faltou uma "pomposidade" nos dragões.

Há umas barracas de caligrafia que podem ser interessantes e alguns que vendem "vestimentas" chinesas (as chamadas cheongsam), porém em versões bem banais e simplórias e mais algumas coisas que não consegui averiguar porque não consegui chegar perto para contar mais a respeito aqui!

São PAulo: Centro e SUl, Ano Novo Chinês, Bairro da Liberdade, 2018, Ano do Cachorro
São PAulo: Centro e SUl, Ano Novo Chinês, Bairro da Liberdade, 2018, Ano do Cachorro
São PAulo: Centro e SUl, Ano Novo Chinês, Bairro da Liberdade, 2018, Ano do Cachorro

dicas e fotos para conhecer o centro de são paulo elaborados por itinerário de viagem, favor respeitar

Lamen Aska

Estando na Sé, ande um pouco até o bairro da Liberdade e recomendo você procurar o restaurante Lamen Aska na rua Galvão Bueno, 466. O lugar é pequenino e eles só servem ramen, que é o famoso e tradicional ensopado de shoyu (e suas variações) com uma carne (geralmente porco) e macarrão. Ah, lá só se paga em dinheiro vivo.

Como disse, o lugar é mega pequeno e super concorrido por conta da sua tradição (deve ser a primeira casa de "ramen" da cidade de São Paulo), qualidade, credibilidade, sabor e (o melhor de tudo) preço. Provavelmente você encontrará uma fila expressiva do lado de fora. Mas tenha fé que você, em algum momento, vai entrar! A dica é chegar cedo, tipo... 11h30 da manhã ou 18h da noite rsrsrsrs. Outra dica é ir com poucas pessoas, no máximo 3 contando com você, porque, como é pequeno, arranjar uma mesa para um grupo maior vai ser mais demorado e outra... provavelmente você se juntará à mesa com desconhecidos, mas coloque na cabeça que é assim mesmo!

Como eu tenho descendência japonesa, sou muito, mas muito chata com comida japonesa adaptada, ruim ou imitada. Então um ramen do Aska me deixa muito feliz em poder comer algo bem original e gostoso. E eu realmente amo ramen.

Se puder ou ter a sorte, sente-se no balcão porque você poderá ver a equipe preparando os ramens!

Já fui umas 5 vezes lá e quase todas as vezes que fui, cheguei às 11h30. Uma única vez fui no jantar, em um dia estupidamente frio, daqueles que espanta até fila do lado de fora do estabelecimento! A maioria das vezes que fui, dividi a mesa com pessoas que não conhecia e nunca fiquei no balcão (infelizmente).

O bowl que é servido o ramen é gigante, sério.... é grande mesmo (ao menos pra mim). Mas é tão gostoso que até eu consigo comer um inteiro. Dependendo do tamanho da fila que está lá fora, se você quiser que eles coloquem mais macarrão no caldinho que você não comeu e deixou no bowl, eles colocam. Mas se a fila estiver mega grande, eles negam mais uma porção de macarrão. E depois que você terminar de comer, saiba que o Lamen Aska não é um lugar pra ficar papeando, esperar a sobremesa, tomar um café e ficar lá esquentando lugar. Não! Comeu, paga a conta e vai embora. Quase até sem olhar pra trás rsrsrsrs

Endereço: Rua Galvão Bueno, 466
Horário de funcionamento: das 11h-14h e depois das 18h-21h (não abre segunda)

Preparei uma matéria falando sobre os ramens da cidade porque está virando "modinha" e trago algumas curiosidades sobre a origem este prato popular japonês! Leia aqui: Onde Comer Ótimos Ramens em São Paulo.

 

O lamen Aska

O lamen Aska

 

Balcão do Lamen Aska

Balcão do Lamen Aska

Sushi Yassu

Como disse anteriormente, para quem procura bons restaurantes e não quer se arriscar muito e cair em uma biboca, procure pela rua Thomaz Gonzaga. Lá eu conheço o Sushi Yassu que tem uma fachada bem típica japonesa e quando você entra nem imagina como ele é relativamente grande. Além disso, dentro do restaurante há uma espécie de saletas que te faz se sentir no japão, com portinha para deixar o local privativo e você se senta praticamente no chão. Não tenho fotos do local porque as duas vezes que fui, a ocasião não ornava com selfies e fotografias dos pratos, mas já digo que, para quem acha que lá existe rodízio de comida japonesa com muito cream cheese e yakisobas, se decepcionem porque lá só servem comida top e muito próxima do original do Japão.

Preço médio por pessoa +ou- R$70 a 85 (depende muito do que pedir... mas esta estimativa é para pratos quentes, nada de sashimis e incluindo bebidas não alcoólicas)

Endereço: R. Tomás Gonzaga, 98

Espaço Kazu

Outro local que recomendo é o prédio vizinho do Sushi Yassu, o Espaço Kazu. O Espaço Kazu é um prédio recheado de comida boa. São dois andares e eu só não conheço o andar térreo que vende basicamente comida japonesa mais "comum". Não sei se eles possuem rodízios brasileiros, mas provavelmente não. Para quem quiser comer um sobá, um macarrão ao caldo típico e diferente de lamen, podem experimentar um por lá, mas prefira nos dias mais frios.

Meu Udon, espaço Kazu, Liberdade, São Paulo, Brasil, Brazil, Comida japonesa, udon, japanese food

Meu Udon, Espaço Kazu

Meu Udon

O andar superior é dividido em duas partes: do lado direito há um salão que serve udon, uma outra variação do macarrão ao caldo típico no restaurante chamado Meu Udon, porém, o udon é especial porque é artesanal.

Para quem não entende bulhunfas, saiba que a diferença de lamen, udon e sobá (e tem o somen ainda) são praticamente o jeito que se faz os caldos e o tipo de macarrão (além disso, o lamen veio da China e adaptado no Japão). Quando eu fizer um comparativo com todos os 4, colocarei o link aqui para facilitar a vida de vocês, mas já falo para vocês que o udon possui o macarrão mais grosso e em casa minha mãe sempre fazia. Possivelmente neste local é a primeira vez que vejo este prato à venda!

Posso garantir que é uma delícia, com gostos bem sutis. Como eu não como carne bovina e algumas opções que eu queria provar eram justamente com este produto, parti para a única opção com carne suína, legumes e ovo poché. Estava imaculadamente gostoso! Um prato médio encheu muito bem a minha barriga e, apesar do bowl parecer grande, juro que eu comeria um maior rs (só pela gula).

Poxa, mas você só come isso na Liberdade? Estes caldos com macarrão?

Bom, falei já que fui no Sushi Yassu né? Lá tem opções mais sólidas mas deixo bem claro que, em se tratando de comida japonesa, meu prato favorito são os macarrões com caldo, ou seja, amo: udon, lamen, sobá e somen.

Valor médio por pessoa incluindo água para beber: +ou- R$40 a 50 Fiquei sabendo hoje, dia 20/Junho de 2019 que o Meu Udon fechou no Espaço Kazu mas abriu um espaço próprio na Rua Doutor Bacelar, 1189 na Vila Clementino. Funciona apenas aos finais de semana!!!

 

confeitaria, choux cream, azuki, matchá, espaço Kazu, Liberdade, São Paulo, Brasil, Brazil, Comida japonesa, udon, japanese food

Choux-cream com azuki e matchá

Kazu Cake

Com a barriga forrada de muita gostosura, o Espaço Kazu ainda tem os deliciosos doces da sua confeitaria chamada Kazu Cake. Eu já fui diversas vezes lá só pra comer um doce delicioso. As especialidades são os choux-creams e os bolos. Eu basicamente só comi estas coisas lá, nunca experimentei as tortinhas e outras coisas mas acredito que sejam maravilhosos também.

Uma das coisas que mais amo nesta confeitaria é que a qualidade sempre se manteve desde a primeira vez que a conheci e outra, o nível de açúcar dos doces é perfeita, sendo ela bem baixa. Então não são sobremesas que vai te empapuçar!

Depois que o matchá (chá verde japonês concentrado) virou moda na confeitaria mundial, a confeitaria do Espaço Kazu não ficou de fora e traz o choux cream com este pó verde mágico que eu AMOOOO.

A foto ao lado eu trago o doce que eu comi com muito chantilly à esquerda e uma outra variação à direita, com creme patissiere de matchá, doce azuki (feijão preto japonês e doce), chantilly dentro do choux polvilhado com matchá que eles chamam de 'craquelim'. Não que eu não g oste de azuki, mas queria o outro!

Estava bom? Olha, assim como o udon, estava imaculado! Valor médio dos doces de R$9,00 a 15,00

EndereçoR. Thomaz Gonzaga, 84/90

 

Peixaria Mitsugi, restaurante japones, comida japonesa, bairro da liberdade, sao paulo, brasil, america do sulPeixaria Mitsugi

Outro restaurante bem legal para se comer comida japonesa mais tradicional, porém em ambiente u pouco mais descolado é a Peixaria Mitsugi que, de fato, é uma peixaria tradicional que funciona no bairro desde 1971, mas em 2017 resolveu se reinventar e abriu um espaço para restaurante. O local não tem cheiro de peixaria e só de imaginar em comer um sashimi bem mais fresco me animou e muito!

Peixaria Mitsugi, restaurante japones, comida japonesa, bairro da liberdade, sao paulo, brasil, america do sul

Sashimi de salmão e namorado

Não deixe de pedir de entrada a alga wakame que custa R$15 e depois já peça o seu gohan com cebolinha (R$6,00) e seu sashimi. São porções de 100g cada peixe e os preços variam conforme o tipo de peixe. Para se ter uma ideia: 100g de sashimi de atum ou salmão ou robalo R$25. Outros peixes como namorado ou pargo R$19. Existe a opção de combinado de 200g de sashimi + ovas (25g) e missoshiropor R$69/pessoa.

O cardápio não é grande mas possui várias outras opções que eu não provei, então, não posso opinar. Mas só sei que garanto que a qualidade do peixe é muito boa e o atendimento idem! Demora um pouco para chegar os pratos, caso você esteja em um grupo grande!

Informações:
Endereço: Rua Galvão Bueno, 364
Horário de funcionamento: Segunda a Sábado das 12h-15h e das 19h-23h. Domingo das 12h-17h

É importante saber que a peixaria fica ao fundo de uma galeria comercial que pode passar batido por você. Então anote direitinho o endereço para não se perder!

Textos e fotos do Itinerário de Viagem, favor não copiar e usar indevidamente!

 

dica para conhecer a liberdade em sao paulo

MHIJB - Museu Histórico da Imigração Japonesa no Brasil

 

armadura samurai em exposição no MHIJB - Museu Histórico da Imigração Japonesa no Brasil

Armadura samurai

Um outro lugar bem interessante no bairro da Liberdade é o MHIJB - Museu Histórico da Imigração Japonesa no Brasil, museu que funciona desde 1978 dentro do prédio do Bunkyo (uma associação feita por imigrantes japoneses chamado também de "Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social" e mantém atividades para manter a cultura japonesa em atividade, com incentivo às danças folclóricas, eventos musicais, encontro de jovens, atividades esportivas e etc, além de manter o Museu Histórico da Imigração Japonesa no Brasil na sua sede e o Pavilhão Japonês, que fica dentro do Parque do Ibirapuera).

Interessante notar que, até mesmo os não descendentes de japoneses acabam encontrando similaridades que seus avós ou bisavós enfrentaram quando imigraram para o Brasil, o que vale a visita não apenas para a comunidade nikkei brasileira!

O museu ocupa 3 andares do Bunkyo e é muito rico nos registros da época (o sétimo andar está em reforma e estará liberado para visitação em Janeiro/2019). Se informe sobre as visitas guiadas porque para absorver ao máximo os detalhes contidos neste museu!

Informações:
Horário de funcionamento: Terça a domingo das 13h30-17h
Endereço: Rua São Joaquim, 381
3º andar - Biblioteca/Escritório
7º, 8º e 9º andares - Exposição Permanente
Entrada: R$16,00 (Valor de Maio/2019)
Audioguide: ~R$15 (retirada no 8º andar)

objetos no MHIJB - Museu Histórico da Imigração Japonesa no Brasil
bunkyo, MHIJB, Museu Histórico da Imigração Japonesa no Brasil, sao paulo, bairro da liberdade, brasil, cultura japonesa
bunkyo, MHIJB, Museu Histórico da Imigração Japonesa no Brasil, sao paulo, bairro da liberdade, brasil, cultura japonesa
bunkyo, MHIJB, Museu Histórico da Imigração Japonesa no Brasil, sao paulo, bairro da liberdade, brasil, cultura japonesa

Textos e fotos do Itinerário de Viagem, favor não copiar e usar indevidamente!

Eat Asia

Balcão de atendimento do eat asia em sao paulo

Balcão de atendimento

No início quando eu ouvi falar do Eat Asia, achei que seria algo na linha do Eataly mas não... basicamente é um restaurante (apesar de ter uma prateleira de doces e salgadinhos asiáticos + geladeira de bebidas incluindo iguarias asiáticas também). Pelo nome achei que era um restaurante de comida asiática em geral, mas não... o que encontrei por lá foi um restaurante que serve alguns poucos pratos da culinária japonesa podendo haver ou não alguns toques de algum outro lugar da Ásia. Jurava que iria encontrar Coreia, Vietnã e coisas do tipo, então já vou avisando que o negócio tá mais no Japão do que em qualquer outro lugar.

A casa possui pratos com preços mais acessíveis nos domburis que são pratos típicos de japonês operário, algo que podemos comparar como o "prato feito" do brasileiro, onde vem num potinho muito gohan (arroz japonês) e em cima alguma proteína e mais algum molho gostoso.

Eu pedi um domuri de karaague que é um frango frito japonês e me ofereceram para escolher quatro molhos para acompanhar os meus frangos: maionese com wasabi, molho tarê, maionese com pimenta tailandesa e maionese com sriracha (pimenta) que é originária da Tailândia. Quando eu perguntei a diferença da sriracha com a pimenta tailandesa, a atendente não entendeu qual foi o meu ponto de vista ao fazer tal pergunta. Bom, como eu sei o gosto da sriracha e não sabia o gosto desta tal tailandesa, pedi esta última. A única infusão asiática no meu prato, além das fronteiras japonesas, foi esta maionese que eu até gostei.

O karaague estava bom, porém nada crocante como deveria ser e meio borrachudo. O namorido pediu um tonkatsu que é carne de porco empanado que vem com molho tarê e estava ok, nada muito wowwww.

Outros pratos que servem são os pokes (apenas 2 opções de sabor, o que eu acho um aspecto negativo) que nada mais são do que comida japonesa do Havaí, hot dog japonês (?), hamburgers e pratos com sushis e sashimis que, pelo tamanho da porção, achei caros.

O restaurante fica na Praça da Liberdade, 145. Abre todos os dias das 11h30-18h30. Achei muito estranho estes horários...

Domburi Karaague do eat asia em sao paulo

Domburi Karaague

Tonkatsu do eat asia em sao paulo

Tonkatsu

Bairro da Liberdade em São Paulo Textos e fotos do Itinerário de Viagem, favor não copiar e usar indevidamente!

89ºC Coffee Station

89ºC Coffee Station em sao paulo

Salão de atendimento do 89ºC Coffee Station em sao paulo

Esta nova cafeteria sempre me chamou atenção, porém nunca conseguia ter coragem de entrar porque ela está sempre abarrotada de clientes. Me fez lembrar que a cafeteria moderninha mais antiga do bairro (do outro lado da rua) também era assim e oferecia bem menos produtos do que esta nova concorrente.

O local realmente chama a atenção porque lembra umas cafeterias de NY, é moderna, algo muito diferente no bairro e que é possivelmente (e e espero eu) que seja a tendência (pelo menos estética) para o bairro.

Calhou de eu estar de bom humor para encarar o formigueiro e finalmente entrei. Fui em busca de dois doces que conhecidos haviam me dito que eram bons: o donuts e o choux-cream. Bom, o donuts eu realmente achei que deveria ser divino porque eles possuem até uma venda direta para a rua, fazendo com que as pessoas não precisem entrar no estabelecimento para comprarem o doce. Havia uns 12 sabores e perguntei qual seriam os mais pedidos, bom... não sei se foi azar, mas fui de Oreo com recheio de creme, que foi indicado como um dos que mais saem, e não gostei muito. Não sei gosto de Oreo, só senti gosto da gordura de fritura. Na minha opinião, se o gosto de óleo é inaceitável até em um pastel de rua, imagina em um doce que deve ser delicado?

O choux-cream também foi decepcionante, não que não estivesse bom, mas é que estava com gosto de farinha, o creme não tinha personalidade e não estava na temperatura ideal.

Pra finalizar, pedimos um mocha chocolate que estava muito doce. Acho que não era o nosso dia!

Fica na Praça da Liberdade, 169. Abre todos os dias das 07h30-20h.

Donut e choux cream do 89ºC Coffee Station em sao paulo

Donut de Oreo e o Choux-Cream

balcão de doces do 89ºC Coffee Station em sao paulo

Balcão de doces

donuts do 89ºC Coffee Station

Donuts do 89ºC Coffee Station

bolo de melão no 89ºC Coffee Station em sao paulo

Bolo de melão a venda

Hachi Crepe & Café

Crepe tradicional da Hachi Crepe Café

Crepe tradicional da Hachi Crepe Café

Para quem reservou um espaço no estômago depois de comer um belo prato de comida japonesa (ou asiática), sugiro pedir uma sobremesa no Hachi Crepe &  Café. Uma das coisas que os japoneses aderiram muito bem foram os doces franceses e lógico que acabam dando um toque japonês em tudo, sendo assim, o crepe é bem mais fino e muito menos doce!

Os preços não são desproporcionais e o sabor é muito bom. A casa é pequena, então pode ser que haja um fila de espera, mas como é apertado, pode ser que você não leve muito tempo esperando porque como não é extremamente confortável, as pessoas possivelmente não ficam lá papeando. O atendimento é atencioso e o produto vem muito parecido com as fotos, ou seja, sem enganação visual!

Pedi um crepe tradicional com chantilly e morangos e estava muito bom! Quero voltar para experimentar outro tipo!

Endereço: R. Galvão Bueno, 586 (mais afastado da bagunça da Liberdade)
Abre todos os dias a partir das 11h até 19h30 ou 21h (Sextas e Sábados)

Bairro da Liberdade em São Paulo Textos e fotos do Itinerário de Viagem, favor não copiar e usar indevidamente!

Clique no mapa abaixo para abrir os locais indicados neste blog:

Mais lugares para conhecer:

Lugares que quero visitar/conhecer que podem ser lugares que eu já fui várias vezes mas preciso de fotos decentes para falar deles aqui no blog:

  • Já fui excessivas vezes no Bakery Itiriki e acredito que o local chegou a ter um certo destaque porque no bairro não existia algo do tipo ou melhor, porém, hoje, ainda bem, temos as concorrências maravilhosas e acredito que o Itiriki deva tomar cuidado porque, a última vez que fui não estava nada lá digno de voltar o mais breve possível...
  • Outro lugar é o Sushi Lika que dizem que é muito bom, mas só indo lá para provar...

Bairro da Liberdade em São Paulo Textos e fotos do Itinerário de Viagem, favor não copiar e usar indevidamente!

ATENÇÃO: Algumas informações descritas no blog podem mudar, como por exemplo, preços, horários de funcionamento e até mesmo endereços. Consulte sempre antes de ir! Não possuímos vínculos com as empresas, serviços e profissionais mencionados neste blog ?


Organize sua viagem à capital de São Paulo com os serviços a seguir ->

Icons made by: Flat IconsFreepikIcon Pondmonkik, mynamepongNikita GolubevPixel BuddhaPixel perfectProsymbolsRoundiconsSmashiconssripTwitterVectors Market from Flaticon is licensed by CC 3.0 BY

Deixe seu comentário / Nenhum comentário

Itinerário de Viagem (C) Direitos reservados
desenvolvido por