EnglishPortugueseSpanish
ACONCÁGUA
Postado por Gisela S em setembro 3, 2018 Editado em maio 5, 2019

Além das inúmeras vinícolas que já falamos a respeito na página Mendoza, você também pode conhecer a região em um passeio rumo a ACONCÁGUA. E é sobre isso que vamos falar aqui! O passeio que eu fiz na região de Mendoza, contratamos um motorista que passou pelos pontos principais da região, um trajeto comum de Mendoza até Aconcágua, pela Ruta 7.

A primeira parada foi no Dique de Potrerillos onde a água é formada pelo derretimento de glaciares, portanto, muito azul. A paisagem é linda, com muitas montanhas altas e inclinadas. Há um espaço que construíram um tipo de ciclofaixa e uma das pontas deste lago que o dique forma, há uma empresa de rafting, um esporte muito comum por lá. A construção do dique começou em 1999 por um consórcio de indústria metalúrgicas. A usina hidrelétrica foi inaugurada em 2003.

Mendoza, Argentina, América do Sul, Dique de Potrerillos

Dique de Potrerillos com a pista de ciclismo

Mendoza, Argentina, América do Sul, Dique de Potrerillos

O visual é muito lindo!

Seguindo a estrada, paramos em uma pequena cidade chamada Uspallata, mas foi mais uma parada técnica, para comprarmos um lanche apenas.
O caminho para Aconcágua é lindo, com muitos paredões dos Andes em vários momentos e que são muito altos.

Em alguns momentos percebemos uns túneis e estações de trem e de fato existia um trajeto de importação e exportação ferroviário entre Chile e Argentina. Hoje este trajeto está desativado (do Porto de Santiago a Mendoza e vice-versa).

Passamos por mais dois povoados e avistamos pela janela do carro, chegando em Aconcágua.

Vale mencionar que o caminho de Mendoza até Aconcágua é muito lindo, veja só alguns registros abaixo!

Caminho para Aconcágua, Argentina, América do Sul
Caminho para Aconcágua, Argentina, América do Sul
Caminho para Aconcágua, Argentina, América do Sul

Para entrar no parque, compramos tickets que não foram caros e pegamos o trekking curto, que durou cerca de 1h30min.

Aconcágua é a montanha mais alta fora da Ásia, com 6.961 metros de altitude. Ele está localizado na Cordilheira dos Andes. Para subir até o seu ponto, não é aconselhado para montanhistas sem esperiência e muito menos para amadores.

Aconcágua, Argentina, América do Sul

Chegando no Parque de Aconcágua

Aconcágua, Argentina, América do Sul, trekking

O trekking começa...

Aconcágua, Argentina, América do Sul

O vale que leva até a montanha é lindo!

Aconcágua, Argentina, América do Sul

Detalhes das formações

Aconcágua, Argentina, América do Sul
Aconcágua, Argentina, América do Sul

Passamos no Puente del Inca, um monumento natural que antigamente possuia umas termas, que aos poucos acabaram sendo cobertas pelo barro do rio, é possível ainda ver algumas construções das termas. É uma curiosidade geomorfológica, porque como tem muito ferro nesta água, o barro fica calcificado e muito duro, formando até estalactites anormais (chamadas de morrenas) e que acabaram formando uma espécie de ponte (com 48m de comprimento e 28m de largura, espessura de 8 metros) e descaracteriou por completo aquilo que era conhecido como terma. Acredita-se que a construção daqui a um tempo estará toda coberta.

Este ponto fica a ~183km de Mendoza, muito perto do Chile.

Não é possível chegar até as termas, somente é possível avistar e tirar fotos de longe. A ponte é muito lisa e sempre molhada e é muito arriscado tentar atravessá-la e, é por isso, que o acesso é fechado. Tem até uma feira de artesanato com objetos que ficam encostados no sedimento que, dentro de algumas semanas, cobre todo o objeto e acaba sendo calcificado, virando uma lembrancinha desta visita.

Ainda existe uma lenda dos índios quechuas que em algum momento o herdeiro do trono do império Inca, ainda bebê, possuía uma doença grave que gerava algum tipo de paralizia. O rei ficou sabendo sobre a possibilidade de cura das águas destas termas e, desta forma, levou o filho lá. Quando ele chegou às termas, não tinha como cruzar para o lado das termas e o exército inca que o acompanhou nesta jornada, juntaram os braços para formarem uma espécie de ponte para o rei passar com o bebê até as termas.

Quando o rei olhou pela janela na direção dos soldados, viu que todos foram petrificados e que o filho dele melhorou depois que entrou nesta água.
Atrás das termas, há uma igreja que está desativada devido ao perigo para atravessar a ponte. Existem outras termas pela região.
Perto da feira de artesanato há lanchonete, hostel e hotel.

Após esta visita, voltamos a Mendoza.

Argentina, América do Sul, Puente del Inca
Argentina, América do Sul, Puente del Inca
Argentina, América do Sul, Puente del Inca
Puente del Inca na Argentina

ATENÇÃO: Algumas informações descritas no blog podem mudar, como por exemplo, preços, horários de funcionamento e até mesmo endereços. Consulte sempre antes de ir! Não possuímos vínculos com as empresas, serviços e profissionais mencionados neste blog ?


Organize sua viagem com os serviços a seguir ->

Icons made by: Flat IconsFreepikIcon Pondmonkik, mynamepongNikita GolubevPixel BuddhaPixel perfectProsymbolsRoundiconsSmashiconssripTwitterVectors Market from Flaticon is licensed by CC 3.0 BY

Deixe seu comentário / Nenhum comentário

Itinerário de Viagem (C) Direitos reservados
desenvolvido por