EnglishPortugueseSpanish
DIÁRIO DE BORDO: ARROZAIS DE BALI, INDONÉSIA
Postado por Estela T em junho 25, 2018 Editado em março 31, 2019
DIÁRIO DE BORDO: ARROZAIS DE BALI, INDONÉSIA, Tegalalang

Rodrigo e sua esposa Georgia no Arrozal de Tegalalang

Neste Diário de Bordo, Rodrigo do blog Ela Terra Eu Mar nos conta como foi a experiência que ele e sua mulher tiveram ao conhecer os arrozais de Bali, Indonésia e nos detalha o arrozal de Tegalalang, que foi o que ele achou mais bonito!

Caminhar nos Arrozais da Ilha dos Deuses, Bali.

Eu sou suspeito para comentar sobre essa Ilha. Sabe aquele lugar que depois que você visita não sai mais da sua cabeça e, a única certeza que você tem, é que voltará o mais breve possível? Então, Bali é um desses lugares, na verdade a Indonésia é fascinante.

A Indonésia fica no Sudeste Asiático e é o mais extenso arquipélago do Planeta e possui aproximadamente 17 mil ilhas. Somente 6 mil são habitadas, então dá pra imaginar quanta natureza intocada deve ainda existir por lá. É o segundo país com maior biodiversidade do mundo, atrás apenas do Brasil.

Eu e minha esposa Geórgia, passamos 18 dias na Indonésia nas férias de setembro de 2016. Exploramos bastante a Ilha de Bali e algumas ilhas próximas como Gili Trawangan, Nusa Lembongan e Nusa Penida. Depois partimos para a Austrália.

É impossível visitar a ilha de Bali e não se deparar com vários templos e arrozais. Lá eles chamam os arrozais de “Terraços de Arroz” (rice terrace). O arroz, além de ser a base da alimentação balinesa, faz parte da cultura local. O cultivo é feito ainda hoje conforme rituais milenares, intrinsecamente ligados à religião e à filosofia do povo local. Algo que não pode faltar de jeito nenhum no seu roteiro é um arrozal, paisagem típica da ilha Indonésia retratada em filmes e livros e é muito mais que uma simples atração turística, já que retrata bem sobre o modo de vida e a economia local.

 

Visitamos o famoso Tegalalang Rice Terrace

 

Diário de Bordo: Os arrozais de Bali, Indonésia, Tegalalang

Tegalalang

O Tegalalang é um dos arrozais mais visitados e fotografados em Bali. É uma imensa plantação de arroz  que forma uma paisagem marcante para boas fotografias. Nós chegamos no final do dia e o trânsito nas redondezas estava bem complicado, e como é um destino muito famoso em Bali, há uma grande concentração de turistas no local. Mas não deixe de fazer uma caminhada pelo arrozal para explorar de perto sua arquitetura diferenciada.

Para chegar até o Tegalalang, é aconselhável alugar um carro, moto ou contratar um táxi. O trânsito é muito complicado no local e você não encontrará estacionamento por perto.

Uma opção é contratar o tour da agência Hanoman Tourist Service (fone +6281339822664). O proprietário chama-se Komang Parta. Fiz vários passeios com essa agência e indico de olho fechado, foi tudo perfeito. Se você resolver ficar na cidade de Ubud por uns dias, no post Ubud Dia 3 do meu blog tem tudo bem detalhado sobre o nosso hotel e agência que utilizamos.

DIÁRIO DE BORDO: ARROZAIS DE BALI, INDONÉSIA, Tegalalang

Rodrigo com a equipe do tour

O nosso guia e motorista está do meu lado esquerdo na foto acima. O nome dele era complicado, então eu o chamava carinhosamente de “My Friend”, e o proprietário, o senhor Komang, é esse com a bandana na cabeça com uma flor. Pessoas da melhor qualidade. Eu prometi pra eles que voltaria um dia, espero que isso ocorra em breve. I'll be back, my friend.

A melhor maneira de explorar o arrozal é contratar um dos vários jovens que ficam no local, para ele mostrar qual o melhor caminho para descer e subir, pois os campos mais parecem um labirinto. Cuidado na caminhada, pois o caminho é bem estreito e em alguns pontos um pouco escorregadio. O melhor horário é na parte da manhã: em Bali faz muito calor, e portanto, chegar cedo será mais fresco e a quantidade de turistas é bem menor.

Diário de Bordo: Os arrozais de Bali, Indonésia

Detalhes do arrozal

Geralmente os passeios turísticos passam pelo Arrozal na parte da tarde, depois das visitas aos templos mais próximos. Se você for caminhar pela plantação, acredito que 2 horas serão o suficiente, então dá para combinar com outros passeios próximos. Nós visitamos vários templos e no final do dia passamos por Tegalalang.

No arrozal eles utilizam um sistema de plantio e irrigação que é conhecido como subak. O solo é todo recortado em camadas ou terraços (rice terrace) para que a água fique acumulada em determinados pontos, mas que também flua naturalmente do topo da colina até a área mais baixa. É muito legal entender e ver na prática esse tipo de plantio. A ideia é cultivar o arroz, criando uma relação de harmonia com os deuses, com o solo e com as outras pessoas. Esta, aliás, é à base de toda a filosofia balinesa: Tri Hita Karana Philosophy.

O povo Balinês é muito simpático e educado. São extremamente religiosos e não é de se estranhar que nos arrozais existam templos em homenagem à Deusa do Arroz, Dewi Sri, uma das principais divindades cultuadas na ilha. É interessante notar que colheita é reconhecida como fruto do resultado do esforço coletivo de todos os integrantes da comunidade. O sistema Subak é reconhecido pela UNESCO como manifestação da filosofia Tri Hita Karana como Patrimônio Mundial da Humanidade por ser um sistema democrático e igualitário de prática de cultivo criado pelos balineses, a fim de tornar mais prolífico o cultivo de arroz no arquipélago desafiando a grande densidade populacional da região.

Diário de Bordo: Os arrozais de Bali, Indonésia, Tegalalang

Dá para notar uma concentração de turistas

 

Porque os arrozais devem fazer parte da minha lista de lugares para visitar em Bali?

Os campos de arroz são uma obra de arte cultivados a centenas de anos e caminhar por eles é conhecer de perto a história desse povo, que transmite paz e tranquilidade. Passamos por vários arrozais, mas o mais bonito é o de Tegalalang, que fica cerca de 20 minutos do centro de Ubud. Os campos são extremamente bem cuidados e têm vários tons de verde. Existem vários coqueiros que deixam a paisagem mais bonita. Observar a vida cotidiana do povo balinês, os seus rituais culturais e religiosos, com certeza é um aprendizado muito valioso.

Não deixe de percorrer os campos de arroz para explorar de perto sua arquitetura distinta. A paisagem exuberante faz com que seja uma parada obrigatória para os viajantes, e é de fato como entrar em um cartão postal. Não importa onde você irá passar a maior parte do tempo em sua visita a Bali, uma excursão de um dia aos arrozais é sempre essencial.

 

O que eu posso fazer nos arredores do arrozal de Tegalalang ?

Depois de caminhar pelos terraços, aproveite para descansar em um dos diversos restaurantes “warungs” com vista para os arrozais. Pode ser uma boa oportunidade para experimentar o famoso café balinês Kopi Luwak, considerado o café mais caro do mundo.

Diário de Bordo: Os arrozais de Bali, Indonésia, Tegalalang

Foto reprodução de: Knorr.lk

Se estiver perto do horário do almoço, aproveite para se deliciar com a culinária Balinesa. Eu indico essas opções:

Nasi Goreng: É um prato a base de arroz frito de Bali. Bem temperado com muitas especiarias, além de vegetais e um molho picante um pouco adocicado. Normalmente você pode acrescentar alguma carne. O ovo frito vem sempre nesse prato. É uma boa opção pra você começar a se adaptar aos temperos da região. Já que você está em um arrozal, nada melhor do que um prato com arroz.

Foto reprodução: Sang Pengajar

Outra opção é o Mie Goreng: É bem parecido com o Nasi, mas é a base de macarrão frito. Você pode pedir de carne, frango ou camarão. Eu provei todos, e gostei mais do de camarão, eles utilizam um molho um pouco mais adocicado.

Aproveite para comprar artesanato nas diversas lojinhas que ficam na rua principal de acesso ao arrozal.

Diário de Bordo: Os arrozais de Bali, Indonésia, Tegalalang

Georgia, a mulher de Rodrigo e as lojas ao fundo

ARROZAIS DE BALI, INDONÉSIA

Onde se hospedar em Bali?

 

Diário de Bordo: Os arrozais de Bali, Indonésia, Tegalalang

Em direção a mais uma atração turística!

Quando estávamos programando nossa viagem a Bali, queríamos nos hospedar em um local mais central, de onde pudéssemos partir para conhecer tanto o norte quanto o sul da ilha. Então, Ubud foi a escolha certa para o que desejávamos.

Logo que chegamos, sentimos como se estivéssemos em casa. O lugar realmente tem uma atmosfera muito especial. Agora entendo por que tantas pessoas relatam que vão para lá com a intenção de passar apenas uns dias, e acabam dando uma “esticadinha” de semanas… e entendo por que a Liz Gilbert – autora do livro "Comer, Rezar, Amar" – tanto se encantou com o lugar.

Ubud oferece uma intensa vida cultural onde não faltam escultores, ateliês de pintura e artesanato, galerias de arte, inúmeros exemplares da arquitetura balinesa, recantos fascinantes que conquistam qualquer turista logo de primeira! Há, ainda, os inúmeros templos da região. Minha esposa Geórgia adora essa parte religiosa e os templos, por isso iniciamos nossa viagem por Ubud. Todos os templos possuem uma energia ímpar.

Na Indonésia, cerca de 85% da população é muçulmana. A ilha de Bali é uma exceção do país em termos de religião, porque lá a população é basicamente hinduísta. Um hinduísmo bem diferente do indiano – diga-se de passagem – totalmente adaptado à cultura do lugar.

O povo balinês é um povo de muita fé, muita mesmo, e seus rituais religiosos estão presentes durante todo o dia, desde o momento em que acordam e colocam coloridas oferendas para seus deuses em frente às suas casas, lojas e templos (ritual diário, que deixa um bonito colorido por todos os cantos), até o momento em que vão dormir.

Aliás, não dá para escrever este post e não abrir parênteses aqui para falar do povo balinês. Se há uma personificação para a palavra “simpatia”, encontrei-a em Ubud. As pessoas por lá estão o tempo inteiro sorrindo, são comunicativas, querem conversar com os turistas, saber de onde vieram como é seu países de origem, por que escolheram ir a Bali… estão sempre puxando assunto, dispostas a ajudar no que o turista precisar. As pessoas são um show à parte por lá!

Como Ubud fica localizada na região central da ilha, você pode se locomover para o norte ou para o sul e conhecer de ponta a ponta tudo o que Bali tem a oferecer. Para fazer tais passeios, alugamos um carro com guia, que ficava à nossa disposição durante o dia inteiro.

Por tudo isso, Ubud é uma escolha excelente para quem vai a Bali. Tanto para quem vai em busca de tranquilidade, paz, yoga, meditação, quanto para aqueles que vão em busca de arte, boa comida, belas paisagens e uma excelente recepção. É uma escolha certa! Ubud ainda é um dos lugares onde ainda podemos encontrar uma Bali mais genuína.

Na parte sul estão concentrados os grandes resorts com suas praias exclusivas. Para quem quer ficar num hotel normal, mas perto da praia, indicaria a cidade Seminyak e para quem quer saber de balada, talvez Kuta seja a melhor escolha.

ARROZAIS DE BALI, INDONÉSIA

Como chegamos em Bali.

Companhia aérea: EmiratesOptamos ir pela rota de Dubai, e o conforto e atendimento da Emirates é espetacular. Será difícil viajar em outra companhia aérea agora.

Dados dos Voos – Saída de Guarulhos – São Paulo.

  • Emirates Voo 262 – São Paulo GRU 01:25 Dubai DXB 22:55
  • Emirates Voo 404 – Dubai DXB 09:25 Singapore SIN 20:55
  • Jetstar Voo 117 – Singapore SIN 04:55 Denpasar DPS 07:35

Espero que vocês tenham gostado de ler um pouquinho das nossas aventuras por Bali. O meu blog ElaTerraEuMar nasceu após a nossa visita a Indonésia. Eu fiquei tão impressionado com esse lugar, que resolvi criar o blog para passar todas as dicas para os viajantes. Temos um roteiro bem detalhado lá no blog e para ler clica aqui em: Nosso Roteiro de 18 dias na Indonésia.

ARROZAIS DE BALI, INDONÉSIA

Informações Úteis sobre Bali

Capital: Jacarta
Moeda: Rúpia Indonésia
Visto: Brasileiros desde 2016 não precisam mais de visto para entrar na Indonésia.
Idioma: Bahasa Indonesia (Indonésio)

  • Obrigado= Terima kasih;
  • Em Bali Obrigado= Suksumon;
  • Bom dia= selamat siang;
  • Boa Noiteselamat malam;
  • Muito Caro= sangat mahal (Essa é bom anotar, pois você irá utilizar bastante nas negociações).

Clima: Calor o ano todo, o período das monções na Indonésia vai de outubro a março, mas as chuvas são bem leves e não costumam atrapalhar muito quem vai ao país curtir sol e água fresca, com chuvas curtas no final do dia. Para quem curte mergulho, a água fica um pouco turva, melhor fugir do período das monções.

Visitamos a indonésia no mês de Setembro, e foi perfeito com muito sol e água cristalina. A melhor época para visitar a ilha de Bali é entre os meses de junho e outubro, que são mais frescos e menos chuvosos.

Eletricidade: a maioria é 220 volts, mas em algumas ilhas pode ser 110 volts.
Tomada: varia bastante, podendo ser de 2, 3 ou 4 plugues arredondados; (Compramos um adaptador universal no Free Shop)
Fuso horário em relação à Brasília: + 9 horas.

Diário de Bordo: Os arrozais de Bali, Indonésia, Tegalalang

O casal admirando o arrozal

Boa viagem e vá com Deus.

O principal objetivo do ElaTerraEuMar é inspirar você, e com isso fazer você viajar mais e melhor. Conhecemos pessoas, culturas e lugares incríveis. Acho que essa é a grande riqueza de viajar. Fizemos novas amizades e enxergamos o mundo de uma forma diferente. Pra mim o dinheiro mais bem gasto é com viagem. Termino uma e já começo a organizar a próxima.

Muito obrigado Estela por abrir esse espaço no blog incrível de vocês e permitir que eu compartilhasse um pouquinho das minhas andanças por esse paraíso chamado Indonésia.

 


 

Leitores do meu coração.... Espero que tenham gostado deste relato do Rodrigo. Para acompanhar as lindas fotos e ficar por dentro das viagens do casal siga em:
pinterest.com/ElaTerraEuMar/instagram.com/elaterraeumar/, facebook.com/blogelaterraeumar/ e twitter.com/ElaTerraEuMar/.
Nós do Itinerário de Viagem já viramos fãs do blog e estamos debulhando cada página! O Rodrigo até colocou no final um agradecimento muito sincero! Gente elegante é só aqui mesmo!!!!!!

Todas as fotos são de autoria de Rodrigo e cedidas para uso exclusivo do Itinerário de Viagem (exceto as indicadas nas fotos 'linkadas' devidamente), bem como todo o conteúdo escrito deste post. Foto de capa: amipsyche.com. Direitos reservados, por favor, respeite!

Deixe seu comentário / 2 Comentários

  1. Nossa, que experiência incrível deve ter sido! Amei as dicas e esse post! Um beijão

    • Responder
      Itinerário de Viagem

      Juliana, muito obrigada pelo feedback! Grande bjbj

Itinerário de Viagem (C) Direitos reservados
desenvolvido por