EnglishPortugueseSpanish
Lugares que visitamos e que figuram na lista de Patrimônio Cultural da Humanidade pela UNESCO!
Postado por Estela T em Maio 12, 2016 Editado em dezembro 8, 2017

Vamos viajar para os lugares que visitamos e que figuram na lista de Patrimônio Cultural da Humanidade pela UNESCO! A UNESCO classifica alguns pontos do mundo que são considerados pela comunidade científica de inigualável e fundamental importância para a humanidade. O intuito é de preservá-los e dar-lhes importância, denominando-os como “Patrimônio Cultural da Humanidade”. Estes pontos podem ser: uma região ou área (ou “sítios”) que pode estar localizado em um povoado, ou em vale, em rios, florestas, em uma vila, ou em montanhas, lagos, ilhas, desertos, em cidades, uma reserva natural marinha ou terrestre. 

Mas também pode vir a ser: um único monumento ou construção, ou o conjunto arquitetônico delimitado em uma cidade, vila ou região, ou toda a área, pode ser uma única caverna, ou vale, ou toda a região devido ao seu valor histórico, arqueológico, natural, ambiental, com importância e singularidade, manifestações e rituais, como outros, reconhecendo sua dimensão histórica, praticado por algumas comunidades ou povos.

A lista é grande, ainda bem! E aqui está uma coletânea de alguns “Patrimônios Culturais da Humanidade” que o Itinerário de Viagem teve o privilégio de conhecer:

 

REGIÃO DO CASTELO DE BUDAPESTE E O RIO DANÚBIO: Budapest – Hungria

Para a UNESCO, a cidade de Budapeste na Hungria é toda considerada “Patrimônio Cultural da Humanidade”, incluindo os bancos do rio Danúbio, o Castelo de Buda (com seu quarteirão) e a avenida Andrássy. Com estilo romano e gótico do castelo, influenciou a arquitetura de muitos períodos que estavam por vir e é uma das paisagens urbanas mais impressionantes do mundo.

Lado "Buda" de Budapeste e o rio Danubio

Lado “Buda” de Budapeste e o rio Danubio

 

VALPARAÍSO E REGIÃO DO PORTO – Chile

O quarteirão histórico do porto da cidade colonial de Valparaíso que é um grande exemplo da arquitetura do final do século XIX na América Latina. Em seu ambiente natural, a cidade é caracterizada por um tecido urbano vernacular adaptada para as encostas que são pontilhadas com uma grande variedade de torres de igreja e contrasta com a disposição geométrica utilizada na planície. A cidade também preserva muitos prédios, além de elevadores das encostas íngremes.

Visão de Valparaíso

Visão de Valparaíso

 

HOSPITAL DE SANT PAU, Barcelona – Espanha

O Hospital de Sant Pau é uma das duas melhores contribuições para a arquitetura de Barcelona desenvolvida pelo arquiteto art nouveau Lluís Domènech i Montaner. Este prédio figura a lista da UNESCO pela ousadia em seu design e decoração, enquanto ao mesmo tempo perfeitamente adaptado às necessidades dos pacientes que passam por lá.

Fachada do Hospital de San Pau

Fachada do Hospital de San Pau

 

SUCRE – Bolívia

A cidade histórica de Sucre foi a primeira capital da Bolívia, fundada pelos espanhóis na primeira metade do século XVI. Possui muitos edifícios religiosos muito bem preservados daquela época como São Lázaro, São Francisco e Santo Domingo, e que ilustram a mistura de tradições arquitetônicas locais com estilos importados da Europa.

Detalhe de Sucre

Detalhe de Sucre

 

TORRE DE BELÉM, Lisboa – Portugal

A Torre de Belém foi construída para comemorar a expedição de Vasco da Gama e é uma lembrança das grandes descobertas marítimas que lançaram as bases do mundo moderno.

A Torre de Belém é parada obrigatória para turistas

A Torre de Belém é parada obrigatória para turistas

 

PRÉDIOS DE GAUDÍ, Barcelona – Espanha

Aqui deveriam estar sete propriedades construídas pelo arquiteto Antoni Gaudí (1852-1926), em Barcelona ou nas proximidades quesão: Parque Güell; Palacio Güell; Casa Mila; Casa Vicens; A obra de Gaudí na fachada da Natividade e Cripta de La Sagrada Família; Casa Batlló; Cripta em Colonia Güell. Todos estes prédios contribuíram de forma criativa e excepcional para o desenvolvimento da arquitetura e tecnologia de construção entre os séculos XIX e XX.

Casa Milà

Casa Milà

 

SÍTIO ARQUEOLÓGICO DE EFESO – Turquia

Éfeso compreende sucessivos assentamentos helenísticos e romanos. As escavações revelaram grandes monumentos do período imperial romano incluindo a Biblioteca de Celso e do Grande Teatro. Pouco resta do famoso Templo de Artemis, uma das “Sete Maravilhas do Mundo”, que atraiu peregrinos de todo o Mediterrâneo. A antiga cidade de Éfeso é um excelente exemplo de uma cidade portuária romana, com o canal de mar e bacia portuária.

Biblioteca em Éfeso

Biblioteca em Éfeso

 

VENEZA E CANAIS – Itália

Fundada no século V e distribuída por 118 pequenas ilhas, Veneza se tornou uma grande potência marítima no século X. A cidade inteira é uma obra-prima arquitetônica extraordinária em que mesmo o menor edifício contém obras de alguns dos maiores artistas do mundo, como Giorgione, Ticiano, Tintoretto, Veronese e outros.

Vista de Veneza e o canal

Vista de Veneza e o canal

 

LE MONT SAINT-MICHEL E BAÍA – França

No topo de uma ilhota rochosa no meio de vastos bancos de areia expostos a poderosas marés entre a Normandia e a Bretanha, eis a chamada “Maravilha do Ocidente”, uma abadia em estilo gótico beneditina dedicada ao arcanjo São Miguel, e da vila que cresceu na sombra de suas grandes paredes. Construído entre os séculos XI e XVI.

Vista a partir da baía do Le Mont Saint Michel

Vista a partir da baía do Le Mont Saint Michel

 

ABADIA DE WESTMINSTER, Londres – Inglaterra

Abadia de Westminster foi igualmente construída sobre importantes vestígios medievais como o Palácio e a igreja de Westminster. A abadia era onde todos os soberanos desde o século XI foram coroados e é de grande significado histórico e simbólico.

Fachada da Abadia de Westminster

Fachada da Abadia de Westminster

 

ILHA DOS MUSEUS, Berlim – Alemanha

A Ilha do museu (ou Museumsinsel) comporta 5 museus que foram construídos entre 1824 e 1930. São a realização de um projeto visionário e que influenciou concepções de design para outros museus no século XX. Cada museu foi concebido de modo a estabelecer uma ligação orgânica com a arte que abriga. A importância de coleções dos museus – que traçam o desenvolvimento das civilizações ao longo dos tempos – é reforçada pela qualidade urbana e arquitectônica dos edifícios.

Fachada do Bode Museum

Fachada do Bode Museum

 

CENTRO HISTÓRICO DE BRUGES – Bélgica

Bruges é um excelente exemplo de cidade histórica medieval, que tem mantido o seu legado sem ter deixado de evoluir ao longo dos séculos, e onde construções góticas originais fazem parte da identidade da cidade. Como uma das capitais comerciais e culturais da Europa, Bruges têm desenvolvido laços culturais a diferentes partes do mundo, intimamente associada com a escola de pintura primitiva flamenga.

Detalhe do centro de Bruges

Detalhe do centro de Bruges

 

CENTRO HISTÓRICO DE ISTAMBUL – Turquia

Com a sua localização estratégica na península de Bósforo entre os Balcãs e a Anatolia, o Mar Negro e o Mediterrâneo, Istambul tem sido associada a grandes eventos políticos, religiosos e artísticos por mais de 2.000 anos. Suas obras incluem o antigo Hipódromo de Constantino do século VI, a Hagia Sophia  do século XVI, a Mesquita Süleymaniye. Tudo isso está atualmente sob a ameaça de pressão populacional, a poluição industrial e a urbanização descontrolada.

Bairro Sultanahmet visto da Torre Galata

Bairro Sultanahmet visto da Torre Galata

 

OURO PRETO, Minas Gerais – Brasil

Fundada no final do século XVII, Ouro Preto foi o ponto focal da corrida do ouro e da idade de ouro do Brasil no século XVIII. Com o esgotamento das minas de ouro no século XIX, a influência da cidade diminuiu, mas muitas igrejas, pontes e fontes permanecem como um testemunho da sua prosperidade do passado e do excepcional talento do escultor barroco Aleijadinho.

Parte da vista de Ouro Preto

Parte da vista de Ouro Preto

 

CONJUNTO ARQUEOLÓGICO DE MERIDA – Espanha

A colônia de Augusta Emerita, que se tornou atual Mérida na Estremadura, foi fundada em 25 a.C. no final da Campanha Espanhola e foi a capital da Lusitânia. Os restos bem preservados da cidade velha incluem, em particular, uma grande ponte sobre o Guadiana, um anfiteatro, um teatro, um grande circo e um sistema de abastecimento de água excepcional. É um excelente exemplo de uma capital romana provincial durante o império.

Ruínas de Merida

Ruínas de Merida

 

CENTRO HISTÓRICO DE PRAGA – República Tcheca

Construída entre os séculos XI e XVIII, a Cidade Velha, a Cidade Baixa e a Cidade Nova são grandes influências arquitetônicas e culturais desde a Idade Média. Os muitos monumentos magníficos figuram a lista da UNESCO como o Castelo de Hradcany, Catedral de São Vito, Ponte Carlos e numerosas igrejas e palácios, construídos principalmente no século XIV pelo imperador romano  Charles IV.

Praga vista da torre do Orloj

Praga vista da torre do Orloj

 

BANCOS DO RIO SENA, Paris – França

Do Louvre à Torre Eiffel, da Place de la Concorde ao Grand e Petit Palais, a história e a evolução de Paris pode ser visto a partir do rio Sena.

O rio Sena e a Torre Eiffel

O rio Sena e a Torre Eiffel

 

CENTRO HISTÓRICO DE SALZBURG – Áustria

Salzburg conseguiu preservar um tecido urbano extraordinariamente rico, desenvolvido ao longo do período desde a Idade Média até o século XIX, quando era uma cidade-estado governado por um príncipe-arcebispo. Sua arte gótica flamboyant atraiu muitos artesãos e artistas e através dos trabalhos góticos dos arquitetos italianos Vincenzo Scamozzi e Santino Solari (ponto de encontro da Europa setentrional e meridional).

Salzburg vista da sua fortaleza

Salzburg vista da sua fortaleza

 

SÍTIO ARQUEOLÓGICO DE TROIA – Turquia

Tróia possui 4000 anos de história e é um dos sítios arqueológicos mais famosos do mundo. As primeiras escavações no local foram realizadas pelo famoso arqueólogo Heinrich Schliemann em 1870. Em termos científicos, a extensão do sítio são a manifestação mais significativa do primeiro contato entre as civilizações da Anatólia e do mundo mediterrâneo. Além do mito do grande cerco de Tróia imortalizada por Homero na Ilíada e que inspirou grandes artistas criativos em todo o mundo desde então.

Ruínas de Troia

Ruínas de Troia

 

CATEDRAL DE SEVILHA – Espanha

A Catedral de Sevilha junto com o Arquivo das Índias e Alcazár, formam um notável conjunto monumental no coração de Sevilha. A catedral data da Reconquista de 1248 ao século XVI e imbuído de influências mouriscas, é a maior catedral da Espanha e a terceira maior do mundo. Abriga o túmulo de Cristóvão Colombo.

Fachada da Catedral de Sevilha

Fachada da Catedral de Sevilha

 

CENTRO HISTÓRICO DE FLORENÇA – Itália

Construído no local de um assentamento etrusco, Florença, o símbolo do renascimento, elevou-se a cidade econômica e cultural devido à família Medici nos séculos XV e XVI. Seus 600 anos de atividade artística extraordinária pode ser visto acima de tudo na catedral do século 13 (Santa Maria del Fiore), a Igreja de Santa Croce, o Uffizi e do Palácio Pitti, e também pelos trabalhos de grandes mestres como Giotto, Brunelleschi, Botticelli e Michelangelo.

Vista de Florença

Vista de Florença

 

PALÁCIO DE VERSALHES – França

O Palácio de Versalhes foi a principal residência dos reis franceses da época de Luís XIV a Luís XVI. Embelezado por várias gerações de arquitetos, escultores, decoradores e paisagistas, forneceu à Europa um modelo da residência real ideal para mais de um século.

Pátio do Palácio de Versalhes

Pátio do Palácio de Versalhes

 

CENTRO HISTÓRICO DE VIENA – Áustria

Viena foi desenvolvida de eras celtas e assentamentos romanos em uma cidade medieval e barroca, e tomou forma como capital do Império Austro-Húngaro. Desempenhou um papel essencial como um dos principais centros de música Européia, a partir da grande era do Classicismo Vienense através da primeira parte do século XX. O centro histórico de Viena é rica em conjuntos arquitetônicos, incluindo castelos e jardins barrocos, bem como do final do século XIX.

Detalhe da Stephansdom de Viena

Detalhe da Stephansdom de Viena

 

CENTRO HISTÓRICO DE SALVADOR, Bahia – Brasil

Salvador foi a primeira capital do Brasil (entre 1549-1763) e testemunhou a mistura de Europeu, Africano e culturas ameríndias. Foi também, desde 1558, o primeiro mercado de escravos no Novo Mundo, com os escravos que chegavam para trabalhar nas plantações de açúcar. A cidade conseguiu preservar muitos edifícios proeminentes da Renascença. Uma característica especial da cidade velha são as casas coloridas, muitas vezes decoradas com estuque.

Centro de Salvador

Centro de Salvador

 

MONASTÉRIO DOS JERÔNIMOS, Lisboa – Portugal

Junto com a Torre de Belém já citada aqui, o Mosteiro dos Jerónimos – cuja construção se iniciou em 1502 – exemplifica o melhor da arte Portuguesa.

Detalhe do Mosteiro dos Jeronimos

Detalhe do Mosteiro dos Jeronimos

 

CENTRO HISTÓRICO DE CÓRDOBA – Espanha

O período de maior glória da cidade de Córdoba começou no século VIII após a conquista moura, quando cerca de 300 mesquitas e inúmeros palácios e edifícios públicos foram construídas para rivalizar com os esplendores de Constantinopla, Damasco e Bagdá. No século 13, sob o domínio de Ferdinand III, o Santo, a Grande Mesquita de Córdoba foi convertido em uma catedral e novas estruturas defensivas, em particular o Alcázar de los Reyes Cristianos e a Torre Fortaleza de la Calahorra, foram erguidas.

Detalhe da fachada dos muros de Cordoba

Detalhe da fachada dos muros de Cordoba

 

Todas as fotos e textos são criações do Itinerário de Viagem. Direitos reservados, por favor, respeite!

 

Deixe seu comentário / Nenhum comentário

Itinerário de Viagem (C) Direitos reservados
desenvolvido por