EnglishPortugueseSpanish
USHUAIA I
Postado por Gisela S em maio 17, 2015 Editado por Estela T em abril 21, 2017

Dicas sobre USHUAIA na Argentina: sugestões de passeios, hospedagem e várias opções de passeios não esportivos!

 

Para ficar mais fácil, resolvi listar algumas das muitas atividades não esportivas que se pode fazer na região. Indiquei entre parênteses quando a fiz para vocês entenderem o texto:

Atividades no canal Beagle:

  • Navegação curta (outono e inverno): passeio em catamarã ou lancha até Isla Bridges
  • Navegação longa (verão): passeio em catamarã ou lancha até Estâcia Haberton e Pinguinera
  • Cruzeiros (verão): viagens entre Argentina e Chile ou até Antartida
  • Veleiro (verão): passeios customizados, podendo ir até Estância Tunel ou Puerto Williams
  • Pesca (verão): pesca de salmão dentre outros

Parque Nacional Tierra del Fuego:

  • Passeios rápidos para visão geral do parque (outono): agências levam turistas ao parte em van e passam pelos principais pontos, incluindo as vezes caminhadas curtas
  • Lago Escondido (outono, inverno e verão): é um lago avistado nos passeios de 4x4 (que também vão ao Lago Fagnano) e onde se pode praticar canoagem em alguns passeios vendidos.

Lago Fagnano (outono, inverno e verão): 

É o maior lago na região e há passeios de 4x4 que vão até ele e visitam as estâncias (fazendas) que estão a sua margem e incluem caminhada até castoreiras e/ou passeios em quadriciclo, além disso na temporada de pesca (verão) se pode pescar trutas nesse lago. 

Centros Invernais (Valles):

A) Inverno:

  • Trenó com cachorros (inverno)
  • Caminhada com raquetes de neve (inverno)
  • Quadricilo de neve (inverno)
  • Moto de neve (inverno)
  • “Simulações” da vida fueguina (visita a cabanas, fogueiras, etc) (inverno)

B) Outras estações:

  • Caminhadas (verão)
  • Quadriciclo com rodas (verão)

Sobrevoos (ocorrem ano todo)

  • Helicoptero (inverno)
  • Avioneta (inverno)

Passeios nas Estâncias

  • Estância Haberton (verão)
  • Estância Tunel (verão)

Museus

  • Museo Maritimo y Presidio (inverno)
  • Galeria Temática (inverno)
  • Museu Territorial (verão)
  • Museu del Fin del Mundo (verão)
  • Casa Beban (inverno)
  • Museo Almacén Ramos Generales (inverno)

SPAs

  • Hotel Arakur (verão)
  • Hotel Cauquenes

 

Foto retirada do site: http://www.turismoushuaia.com/pt/planeo-mi-viagem/o-que-fazer/centros-invernais/88-centros-invernais

 


 

Na primeira vez que fui para Ushuaia, era outono e estávamos em Calafate. Pensamos em ir de carro  a Ushuaia, mas a viagem é longa e Ushuaia fica na ponta da Isla Grande de Tierra del Fuego (difícil acesso). Depois de muito pensar, esquecemos a possibilidade de ir de carro e optamos por ganhar tempo e ir de avião. Acordamos cedo e fomos para o aeroporto para seguir viagem para Ushuaia (~1,5h de voo).

Quando fui para lá no inverno, peguei voo de SP para Ushuaia com escala em Buenos Aires (acho que voo direto só se for de agência de turismo). Chegando na cidade fomos recebidos no aeroporto pelo pessoal da Brasileiros em Ushuaia que nos deixou no hotel. Se você for fazer algum passeio com eles, buscar e levar ao aeroporto é cortesia. Recomendo que você verifique previamente com a empresa que você contratar sobre esta questão. Também é bem fácil pegar um taxi (fica menos de R$50) até o centro de Ushuaia.

 

Um pouco mais sobre Ushuaia

 

Ushuaia é a capital província Argentina de Tierra del Fuego, Antartida e Isla del Atlantico Sur. (Se pronuncia, em português, "Ussuaia" e não "Uxuaia"). Essa região é dividida entre Argentina e Chile (do lado do Chile a capital é Porvenir).

Ushuaia fica na Isla Grande de Tierra del Fuego, a maior ilha do arquipélago. Essa ilha é dividida entre Chile e Argentina por uma linha reta de norte a sul até chegar no Canal Beagle onde a Argentina fica com o lado "Atlântico" e o Chile com o lado "Pacífico" (há controvérsias sobre onde é Atlantico e Pacifico, mas os países tem convivido bem com a divisão).

Uma situação prática causada por essa divisão estranha entre Chile e Argentina é que não é possível sair do lado argentino da ilha sem passar pelo lado chileno por estradas. A rota que liga Ushuaia ao restante da Argentina é a rota 3 que cruza um trecho no Chile (sim, você terá que passar pela fronteira e mostrar documentos).

Além disso, saiba que o acesso por avião ou barco entre Chile e Argentina é muito restrito. Não conseguimos nenhum voo de Ushuaia para Punta Arenas (Chile), por exemplo. Disseram que no verão é possível ir de barco até Puerto Williams e de lá pegar um vôo para Punta Arenas (são voos comerciais pequenos). No verão é possível fazer esse caminho de cruzeiro.

Como não era verão quando estávamos lá, e nosso voo para o Brasil saía de Punta Arenas (fizemos patagônia chilena e argentina), tivemos que pegar um ônibus que levou 12h de um ponto a outro que custou cerca de R$100 (a travessia do canal é feita apenas ao norte da ilha; bom, a ilha é grande).

Nesse trajeto ficou muito explicito pra gente porque é tão comum comer carne de cordeiro na região. A criação de ovelhas é muito comum, tanto do lado argentino quanto chileno. Na região, além de ver muita ovelha, é possível também ver Guanacos (espécie parente da Lhama), gado e cavalos.

Falando ainda da ilha, o nome Tierra del Fuego deve-se ao fato de os nativos ascenderem muitas fogueiras para se aquecer (vale dizer que mesmo com o frio os nativos praticamente não usavam roupas). As várias fogueiras eram vistas de longe o que fez com que os navegantes chamassem o local de terra do fogo.

 

 

Chegando em Ushuaia

 

Av. San Martin vista da janela do hotel Cap Polonio (inverno)

Bom, voltando ao tema turismo, a depender do horário que você chegar em Ushuaia estará pensando em almoçar. Se isso acontecer, vá até a agência para reservar os passeios e depois caminhe pela Av. San Martin, que é a principal avenida da cidade, para almoçar.

Nas duas vezes que eu fui fiquei em hotel na própria Avenida San Martin(Hotel Los Naranjos e Hotel Cap Polonio) pois queríamos ficar próximos do movimento da cidade. No entanto, os hoteis do centro são mais caros e muita gente fica em hoteis mais afastados, tendo que se movimentar de taxi/ônibus (a depender de onde estiver seu hotel, seus custos com taxi podem ficar altos se você quiser ir e voltar ao centro todos os dias).

Para almoço, indico o restaurante 137 Resto (na Av. San Martin, próximo ao Museu Marítimo e Presídio) que tem uma massa deliciosa e fica muito próximo ao museu e ao presídio. Dessa forma, você almoça e já aproveita a tarde para visitar essas atrações.

Na Avenida San Martin, mas não tão perto do museu há também o ótimo restaurante chamado Küar, lá eles vendem a melhor empanada de cordeiro do mundo!! (se quiser fazer um lanchinho passe por lá; apesar de ser um bom restaurante para pratos típicos também).

Na região há muitos restaurantes deliciosos (engordei muito por lá rsrs) e posso te indicar vários para jantar e provar a culinária local.

 

Vista do porto de Ushuaia (outono)

 

 

Museo Marítimo y Presídio

Ushuaia era antigamente conhecida por ter um presídio de segurança máxima (aquela ideia de colocar presídio em local de difícil acesso). O presídio é hoje o Museo Marítimo y Presídio. O prédio foi construído pelos próprios condenados (1896 e 1947) e depois de fechado virou um prédio da marinha. As histórias do lugar são interessantes e são contadas na visita guiada (11h30, 16h30 e 18h30) e vale a pena. A instalações são originais e há um pavilhão muito bem conservado. Com o mesmo ingresso do presídio pode-se visitar o Museo Marítimo.

Em um determinado momento fiquei com vontade de ir a um cinema e este fica próximo ao Museu Marítimo e Presídio. Acabei dando uma passada no museu que me pareceu bem interessante. Lá há várias histórias que soube sobre o lugar. Infelizmente o Museu Marítimo estava em reforma e fechado, mas conheci o presidio.

Entrando neste museu, você conhece um pouco mais sobre a historia do local e as suas instalações. É interessante notar que há um corredor exatamente como ele era na época em que o prédio funcionava como presídio, ou seja, sem nenhuma adaptação museológica, sem aquecimento e totalmente nas condições originais. Então dá pra imaginar o que os presos sentiam quando você lê os relatos dos mesmos, em relação ao frio e a escuridão do local.

Há prédios dentro do presidio com fins comunitários, como se fosse um centro educacional com aulas de lutas, danças, e etc.

Para minha surpresa dentro do presídio havia um pequeno cinema. Ainda há um cinema no shopping da cidade.

Com o fechamento do presídio e a criação de uma zona franca, Ushuaia começou a crescer como cidade turística e a região passou a atrair também muitas fábricas. As zonas francas são criadas em regiões onde se quer povoar (mas as pessoas não querem ir) para impedir a tomada da região por outros países.

Zona franca não significa que as coisas são baratas por lá. Zona franca significa uma zona sem ou com menos impostos para instalação de empresas, principalmente indústrias.

 

 

Museo Almacén Ramos Generales

 

O Museo Almacén Ramos Generales fica em Maipo e fica de frente ao Canal Beagle. Sua construção data do final do século XIX e era inicialmente uma casa. Em 1913 algumas famílias começaram a migrar para a, até então, pouco habitada Ushuaia, seja lá por conta de incentivos fiscais oferecidos pelo governo Argentino ou por conta de guerra. Estas famílias vinham do meio Oriente e da Europa e dentre estes grupos, estava Dom Jose Solomon, um libanês de Tripoli, que foi a Ushuaia com sua família e se instalou nesta casa. Como o Sr. Solomon tinha aptidão para o comércio, ele fundou o Almacén de Ramos Generales que era uma loja que vendia de tudo um pouco (desde comida, panelas, etc). Hoje a casa virou um museu e o atual restaurante fica exatamente no local do antigo armazém.

No museu você tem a oportunidade de ver fotos da família, os móveis da época e as pinturas originais da casa. Na época, o armazém era frequentado por muitas pessoas e este acabava sendo um ponto de encontro social e um refúgio para aqueles que chegavam no porto. Também era um ponto onde as pessoas contavam os vários causos dos personagens do presidio.

 

 

A Casa Beban de telhado vermelho, vista a partir da Bahía Encerrada

Casa Beban

 

A Casa Beban fica na ponta de Maipo, quase virando em direção ao aeroporto e perto da pista de patinação. O prédio é de 1911 e na época o projeto da construção foi feita por uma família de Suecos. Hoje ao visitar a casa, você pode ver alguns detalhes da época em que foi construída, como móveis e a própria arquitetura da casa, mas ela é sobretudo um pequeno local que abriga varias exibições de arte local. Quando visitei havia uma exposição de fotografias.

 

Informações:

Horário de funcionamento: Segunda a Sexta das 10-18h. Visitas guiadas ocorrem nestes dias às 11h, 14h e 17h

Endereço: Av. Maipú entre os números 1800-1898

 

Passeio de Barco pelo Canal Beagle

 

Depois do almoço seguimos para o tradicional passeio de barco peloCanal Beagle. Como já tinha acabado a temporada de verão, o trecho permitido para o passeio era mais curto. Ficar fora do barco para curtir a paisagem é difícil, pois o vento é muito gelado, mas eu amei a paisagem. Ver parte da Cordillera de los Andes afundando na água do canal é realmente lindo. Muitas montanhas, água e a linda paisagem de outono. Valor médio do passeio em torno de US$90 com 3h ou 3h30 de duração.

Vale lembrar que os pinguins só estão por lá no verão. Eu fui no outono e no inverno, então não cheguei a ver pinguins. Apesar de não ter ido para lá no verão, anotei as dicas do que só se pode fazer lá no verão para quando eu voltar lá, não esqueça nada.

Para pegar o voucher para o passeio pelo Canal Beagle você tem que ir em uma dessas casinhas da foto abaixo, próximas ao porto. Depois, deve ir até o porto e pagar a taxa de embarque.

Grande parte dos passeios são feitos em barcos grandes, mas há também a opção de fazer em embarcações pequenas (para menos de 50 pessoas).

No porto de Ushuaia, além dos passeios pelo Canal Beagle, também param os navios de cruzeiros que no verão vão para Antartida ou para o Chile. Há também movimentação de carga.

Locais onde pegamos o voucher para o passeio de barco, Ushuaia (outono)

Cidade de Ushuaia vista a partir do passeio de barco pelo Canal Beagle (Outono)

Puerto Ushuaia (inverno)

Como curiosidade, vale dizer que a água do Canal Beagle mantém uma mesma temperatura média durante todo o ano (cerca de 4°C). Cair na água sem nenhuma proteção pode levar o corpo a hipotermia em menos de 30 minutos. Apesar disso, os nativos, primeiros moradores da região, pescavam nas águas do canal com pouca roupa e mergulhavam na água no processo de pesca.

Atualmente, é possível mergulhar no Canal Beagle para nadar com os lobos marinhos, ver a floresta de algas, além dos crustáceos e vegetação local. Há agências especializadas em mergulho na cidade, onde é possível você alugar roupas e equipamentos. O mergulho no local é feito, normalmente, com roupa seca (o que é uma complexidade maior mesmo para quem é mergulhador mais experiente), apesar de alguns locais mergulharem com roupa semi-seca (14mm de espessura). Quando eu voltar lá eu quero muito mergulhar no canal.

Lobos marinhos no Canal Beagle

Cormoranes (não são pinguins), passeio de barco pelo Canal Beagle (outono)

O passeio que fizemos começou às 15h e ao final o sol já estava se ponto, trazendo um luz linda para complementar a paisagem. Se você gosta de fotografia, eu recomendo que faça esse passeio no final do dia para pegar a boa luz. Foram cerca de 03h30mins de passeio de barco.

Andes, Chile, visto a partir do Canal Beagle

Informações sobre o passeio:
O passeio custa cerca de $1.000 pesos argentinos para passeios das 15h e $900 pesos argentinos para passeios das 9h. Mas dizem que o passeio da tarde é mais bonito por causa do por do sol. O valor do ingresso inclui algumas bebidas quentes e doces dentro da pequena embarcação, além de guia especializado.
Necessário pagar a taxa portuária de $20 pesos argentinos por pessoa.
A duração do passeio pode ser de 3h a 3h30, porém há empresas que oferecem por 2h30. As que possuem mais horas de passeio, inclui expedição na terra em ilhas da região.
 
 
O passeio pelo Canal Beagle muda de itinerário no verão e no inverno. No inverno ele é mais curto e navega até as Ilhas Bridge, já no verão o passeio vai até a Pinguineira.
 
 

Islas Bridges

 

Esta região leva o nome de Thomas Bridges que chegou em 1870. Algumas fontes indicam Thomas como a pessoa que alavancou o início do povoamento local, além de ter tido influência morte em questões missionárias, ganhando a confiança dos indígenas.

Durante o passeio pelo Canal Beagle, paramos nas Islas Bridges para uma pequena caminhada.

Parada para trilha curta em uma ilha, Passeio de barco pelo Canal Beagle (Outono)

Islas Bridges inverno

Caminhada na trilha curta em uma ilha, Passeio de barco pelo Canal Beagle (outono)

Momento para tirar mais fotos na Islas Bridges

No inverno de 2016 tive uma belíssima surpresa no retorno do passeio pelo Canal Beagle: um por do sol rosado! Veja só os registros deste momento mágico:

 
 

Centro de Ushuaia

 

Região a beira do canal (inverno)

Chegando de volta, fomos tomar um chocolate quente na famosa loja El Turista (Av. San Martin) e seguimos pro hotel para descansar antes de jantar. Se você tiver tempo, aproveite para caminhar nos arredores do porto. É uma região linda. Próximo ao porto há também a famosa placa de Ushuaia, onde muitos turistas gostam de tirar fotos.
Em frente ao porto há uma central de informações turísticas onde você pode pedir que eles carimbem seu passaporte com um dos 3 carimbos do Fim do Mundo. É gratuito.

Há ainda uma praça com o Memorial a Guerra das Malvinas, além de um centro de artesanato local, bem na entrada do porto. E para quem ama fotografia, há mirantes no canal beagle que dão uma vista muito bonita do centro de Ushuaia e o canal.

Placa da Cidade de Ushuaia, próximo ao Porto

Região a beira do canal (outono)

 

Parque Nacional Tierra del Fuego

 

O Parque Nacional Tierra del Fuego foi criado em 1960 e está situado no sudoeste da Isla Grande Tierra del Fuego, próximo ao Canal Beagle e a Ushuaia (11km de distância) e possui cerca de 69 mil hectares de bosques patagônicos.

Para chegar ao parque de Ushuaia de carro, pega-se a rota 3 (que inclusive termina dentro do parque) por 10km. Se você não estiver de carro, é possível pegar van/transfer até lá (veja com seu hotel). Dá para ir também de catamarã e de trem (mas para chegar ao trem você vai precisar pegar um transfer a partir de Ushuaia).

Eu fui até lá numa excursão, pois queria apenas uma visão rápida do parque. Então fiquei no parque apenas o período da manhã e a tarde fui para o Glaciar Martial.

Se você estiver com mais tempo, pode dedicar o dia todo ao parque. Há diversos trekkings que se pode fazer sem guia (os caminhos são bem sinalizados) e a partir de onde você chega a mirantes. Chegando lá pare no ponto de informações turísticas e pegue um mapa e algumas instruções sobre as trilhas existentes e mais adequadas ao dia.

É no parque que está o Ferrocarril Austral Fueguino a partir de onde saem os passeios de trem (Maria Fumaça). Eu não fiz o passeio de trem, pois me disseram que era um passeio muito curto e simples para o custo, mas uma amiga minha fez e gostou.

Dentro da estação há lanchonete e loja de lembrancinhas. Como eu não fiz o passeio de trem, paramos para tomar um chocolate quente. Seguimos com as pessoas que não quiseram fazer o passeio de trem por um breve passeio de carro pelas proximidades da estação. Paramos para tirar fotos do trem, falar sobre a vegetação e ver os lindos cavalos da região.

As paisagens do parque estavam lindas. Vegetação variando de verde, amarela e vermelha.

No Parque Nacional Tierra del Fuego há um correio onde você pode colar um selo de fim do mundo em seu passaporte (ao invés de carimbar). O selo tem a fotografia do senhor que o cola. Você tem que pagar para colocar o selo (como eu não coloquei não sei quanto custa). Lá você pode comprar e enviar postal do "Fim do Mundo" (lembro que achei caro, não lembro ao certo quanto era).

Depois de nos juntarmos com as pessoas que foram fazer o passeio de trem, seguimos para conhecer alguns pontos famosos do parque. Paramos na Bahía Lapataia, onde avistamos o Canal Beagle.

Paramos para petiscar em um dos restaurantes existentes no parque. A vista a partir do restaurante era linda, linda, linda. Pena que eu estava apenas com uma câmera simples e não consegui capturar a delícia de estar ali com aquela paisagem nos rodeando (as cores estavam muito mais vivas do que é possível ver nas fotos).

Informações sobre o passeio:
O passeio custa cerca de $750 pesos argentinos incluindo o transfer do hotel até o parque e guia especializado. É cobrado a parte o ingresso para entrada no parque de $100 pesos argentinos. O passeio de trem custa $600 pesos argentinos.

Não está incluso refeições nos valores.
O passeio começa de manhã, lá pelas 8h. A duração é de 5h30.

Vista a partir do restaurante, Parque Nacional Tierra del Fuego

Vista do lado de fora do restaurante

 

 

4x4 Lago Fagnano + Lago Escondido

 

 

 

Existem vários passeios de 4x4 até a borda do Lago Fagnano e quando você faz este passeio de 4x4, no trajeto há um trecho da estrada (Ruta 3) onde você consegue ver o Lago Escondido, mas o passeio não necessariamente para neste lago, mas você terá oportunidade de vê-lo através do mirante que o passeio geralmente para. Seguindo na Ruta 3 até a estrada off road você chega nas bordas do Lago Fagnano. Mas fique ciente de que cada passeio de cada agência pode parar em centros invernais diferentes, mudando o itinerário também.

Já fiz vários passeios 4x4 nesta região, tanto diurno quanto noturno. Um deles, além da excursão até o Lago Fagnano e Escondido, incluía passeio de canoas e a primeira parada foi nas Cotorras, próximo ao Cerro Castor. Lá existe uma lanchonete e algumas lojas, uma agência responsável pelas atividades no valle (Ushuaia Blanca), um restaurante e ao lado uma agência responsável pelo tratamento e excursões com cachorros. A parada tinha como foco conhecer os cães da raça husky. Eu não quis pagar a visita aos huskies, fiquei observando eles de fora (não queria pegar eles no colo).

 

Aproveitei para comprar uns livros e tomar algo na lanchonete (se tiver empanada de queijo pode pedir, pois é uma delícia).

No inverno eu voltei a esse lugar várias vezes para as atividades na neve, inclusive para o passeio de trenó com cachorros. Mas vou contar isso mais pra frente.

De qualquer forma, todos os passeios 4x4, tanto diurno quanto noturno, passam pela Ruta 3 e param em pontos para tirar fotos. Um outro passeio que fiz, a parada foi numa estância onde os donos do estabelecimento nos receberam com um jantar (mas pode ser almoço também) típico de lá.

Existem outros passeios de dia inteiro onde você chega no Lago Fagnanno, almoça e faz passeios de quadriciclo. Neste trecho, o 4x4 vai até as margens do Fagnano e você consegue avistar a floresta local e as castoreiras. É comum parar o carro no meio da trilha para observar a castoreira, como o vídeo que eu fiz aqui ao lado!

Lanchonete, Ushuaia Blanca, Cotorras

Depois de visitar os fofos cachorros, seguimos para o Lago Escondido onde fizemos o passeio de canoas.

Logo na ida havia muita cerração/neblina, então quando paramos no mirante não conseguimos ver muita coisa, mas na volta paramos no mesmo mirante e eis que vimos a lindíssima paisagem.

Vista do Mirante do Lago Escondido

Pelo que eu entendi os esses chalés (cabañas) que conseguimos ver próximos ao lago não estão mais sendo alugados (foto ao lado). Não lembro qual era o problema, mas se você tiver interesse, talvez valha a pena sondar com as agências de turismo se o local reabriu para locação (eu conferi no final de 2015 e ainda estavam fechadas). Deve ser uma experiência única poder dormir e acordar nesta região!

Passamos o mirante e seguimos por uma estrada de terra muito íngreme, ou seja, a aventura começava.

Chegando ao lago, tivemos algumas instruções e passamos um tempo delicioso nas canoas. Competimos com uma russa e uma mexicana em uma corrida de canoas. Rimos muito. O grupo que estava com a gente no passeio era muito divertido, incluindo a equipe de guias.

Depois da canoagem seguimos a trilha para o famoso Lago Fagnano. Entramos por trechos estreitos pelo bosque, com muita lama. O guia brincou bastante com a dificuldade de passar pelo caminho e foi super divertido (muita aventura em 4X4).

O bosque estava lindo, todo amarelado.

Paramos no meio do bosque para tentar ver a atividade dos castores. Estacionamos o carro no caminho e fizemos uma pequena trilha a pé até o dique. Fazendo muito silêncio conseguimos ver alguns castores nadando no dique. Só fiz videos dos castores.

Depois de ver os castores voltamos ao caminho até o Lago Fagnano. O guia nem nos perguntou se era com ou sem aventura (como costumeiramente fazem aqui no Brasil) e seguimos com aventura, entrando com o carro dentro da água do lago Fagnano.

Ficamos um tempo ali ouvindo algumas explicações sobre a geografia local e apreciando a paisagem.

O Lago Fagnano é o maior lago existente na Isla Grande Tierra del Fuego. É um lago que se formou após o derretimento de um glaciar. Ele fica a 100km de Ushuaia e é dividido entre Chile e Argentina. O lago é muito famoso pela pesca de truta e salmão.

Saímos do Lago Fagnano em direção ao restaurante onde faríamos nosso almoço. Chegamos lá por volta das 15h e comemos uma deliciosa parrillada com direito a vinho a vontade, água e refrigerante.

Parrillada é um método de cozimento de carnes, geralmente de diversos tipos de carnes. É mais bem traduzido como o método de churrasco, defumando a carne dependendo de como se faz.

Aproveite e tente pedir uma truta ou salmão, já que é o peixe da região mais pescado. Deve ser maravilhoso e mais fresquinho com certeza não há.

A vista do local era magnífica. Passamos algumas horas conversando e rindo, enquanto bebíamos e comíamos. Nesse dia, confirmei minha total paixão por Ushuaia!! 😉

Informações sobre os passeios:
Um dia inteiro no Lago Fagnano + Escondido custa a partir de $2.200 pesos argentinos. Começa às 10h e termina às 17h, incluso no preço o transfer do hotel até o local, guia especializado, lanche, almoço, cavalgada, passeio de quadriciclo e caminhada.

 

 

Passeio de helicóptero (inverno)

 

Como gosto muito de paisagens e de fotografia, desde o começo me encantava a ideia de fazer o passeio de helicóptero. No outono eu não consegui companhia para o voo, pois é necessário pelo menos 2 pessoas dispostas a pagar a viagem para que ela aconteça (acho que se você resolver fazer voo particular pagando pela segunda pessoa pode também). O custo desse passeio saiu em torno de R$700 para cerca de 30min (que eu achei barato considerando os preços para sobrevoos em outros lugares, como nas Montanhas Rochosas, Rio de Janeiro ou Foz do Iguaçu). Ok, não é barato se você comparar com passeios que duram o dia todo.

Se você quer fazer e quer pagar mais barato, disseram pra mim que é possível contratar o vôo diretamente no aeroporto (aeroporto antigo, de onde saem os vôos de helicóptero... dá pra ir a pé a partir do centro da cidade). Não sei ao certo quanto custaria, mas se você estiver andando por lá para tirar boas fotos e tiver interesse, pare no aeroporto e pergunte.

De toda forma, eu amei o passeio e achei que valeu cada centavo. A paisagem é linda. Pude ver os principais valles da região, o Canal Beagle. Tudo lindo!!

O helicóptero pára sobre uma das montanhas para apreciarmos a paisagem e tomarmos um espumante (pelo que eu entendi o espumante é para quem contrata o passeio pela agência Brasileiros em Ushuaia, as outras agencias não oferecem). Sim, ele para sobre um pico nevado. Se você quer afundar os pés na neve isso acontecerá por lá!!

Muitas pessoas pagam vôos de helicóptero para poder descer as montanhas de esqui ou snowboard. São vôos muito mais curtos e mais baratos (cerca de R$200). Se você é bom na prática desses esportes, talvez você possa fazer isso também. Eu conheço instrutores muito bons lá que se não fazem esse tipo de descida saberão dizer quem faz (mande uma mensagem pra mim em Contato se você tem interesse e eu vejo isso pra você).

Informações sobre o passeio:
O passeio de helicóptero custa cerca de US$180, porém neste valor o vôo dura 7 minutos sobrevoando Ushuaia, por exemplo. Para o passeio que fizemos, custou US$320 incluindo o transfer do hotel até o aeroclube de Ushuaia e 35 minutos de sobrevôo (com 15 minutos de parada para um brinde de espumante).

 

 

Sobrevôo de avião

 

As chamadas 'avioneta' nada mais são do que aviões pequenos de 4 lugares contando com o piloto, ou 6 também contando com o piloto. A maior parte das avionestas é do tipo com hélice, o que pode assustar um pouco pessoas que tem medo de avião. apesar de ser barulhento, o meu vôo foi muito tranquilo, não há o que temer!

Ushuaia é uma região que venta muito e tanto os passeios de avião quanto os de helicóptero só são realizados quando não há previsão de ventos muito mais fortes, portanto, não é um tipo de passeio que dá para ter 100% de certeza no dia e horário para ser realizado. Se vc quiser fazer este passeio, indique no aeroclube uma data de preferência que eles vão te avisando na véspera se os ventos estarão favoráveis ou não.

Uma dica é organizar o passeio em grupo porque quanto mais gente for, mais barato fica. O valor gira em torno de US$300 por pessoa.

Os vôos saem do aeroclube de Ushuaia e dá pra chegar lá a pé a partir do centro (cerca de 20 minutos dependendo de onde você estiver), mas você pode ir de taxi. Se você comprar este passeio do sobrevôo com alguma agencia, cheque se há o serviço de transfer, mas a maioria das agências não fazem este transfer. De toda forma, o caminho a pé para o aeroclube é uma oportunidade para tirar ótimas fotos, já q você passa pela Bahia Encerrada e de lá você vê o reflexo perfeito da cidade na água, lógico, dependendo do dia e do tempo.

Chegando no aeroclube, você é atendido pela equipe e o piloto dá todas as instruções de segurança e depois é feita a decolagem. Existem vários tipos de passeios e eu fiz o mais curto que sobrevoa as montanhas perto do Parque Nacional, o farol e a cidade. Durou 30 minutos e foi lindo!

Há sobrevoos que passam por todos os vales e que com certeza a vista deve ser linda, onde você vê o Lago Escondido, o Lago Fagnano (e verá toda a dimensão dele) e as montanhas. Este é um voo longo.

Há um passeio q vai até a cidade de Tolhuin e é o mais completo. Outro vai até a cordilheira de Darwin no Chile e para Puerto Williams, vila chilena em frente a Ushuaia.

 

Aeroclub de Ushuaia

Marina de Ushuaia e Bahía Encerrada

Mais próximo do Monte Olivia e Monte 5 Hermanos

Monte Olivia e Monte 5 Hermanos

Ilhas do Canal Beagle

 

 

Como disse, a vista da Bahía encerrada quando você caminha até o aeroclub, vale muito a pena! 

Vista da Bahia Encantada

Villa Militar

 

 

Trenós com cachorros (inverno)

 

 

Num dos dias que fui ao Valle para esquiar, resolvi fazer o passeio no trenós com cachorros. Fiz no Valle das Cotorras com o pessoal da Siberianos del Fuego. Logo que cheguei no valle agendei meu passeio e o fiz pela manhã. Estava uma manhã muito fria (-14°C) e com o vento no passeio fiquei com o rosto todo vermelho (então leve toca, cachecol, etc).

Os donos dos cachorros são as pessoas que coordenam o trenós e fazem o passeio com a gente. Os cachorros são muito dóceis, você chega perto e eles já se esfregam em você pedindo carinho. Vale lembrar que os huskies são "fedidos", então não se esfregue muito neles se você estiver no primeiro dia de viagem com uma roupa que você não pretende lavar durante a viagem.

O passeio é muito gostoso!! Não só por ser algo totalmente ímpar e fora das possibilidades brasileiras (não que não pudéssemos fazer algo como isso em dunas de areia...) mas porque a paisagem é linda!!

Eu realmente achei o valle Las Cotorras fantástico. Passaria dias e dias naquele lugar.

Adorei a combinação de montanhas, rio, cabañas, atividades de moto, cachorro, esqui... Tudo junto tem um harmonia que me encantou. Repare a paisagem!! Lindo demais não?

Depois de uma volta pelo valle com os cachorros paramos na cabaña da agência para tomar um chá quentinho e ouvir histórias empolgadas do dono da agência e dos turistas que sempre que sentam conversam sobre suas experiências de viagem.

 

Caminhada, Moto e Quadriciclo na neve

 

A caminhada na neve faz parte do conteúdo de diversos passeios. Para essa atividade você tem que vestir "raquetas" de neve que é um acessório que se prende ao tênis e que possibilita que você não afunde na neve ao caminhar. Eu não achei uma super atividade legal, pois as caminhadas são curtas e são experiências muito mais para possibilitar os turistas a utilizarem as raquetas do que realmente fazerem um trekking.

Repare nas raquetas, caminhada na neve (foto ao lado).

Para quem quer fazer passeios tranquilos e diferentes, essa atividade pode ser inserida na lista de atividades a fazer. Não é algo muito confortável utilizar as raquetas mas são realmente muito úteis para caminhar na neve.

Eu acharia mais interessante se utilizássemos as raquetas em condições "reais" de uso. Não sei, talvez durante algum trekking, de fato, e mais longo.

De toda forma, acho que a experiência e o conhecimento sobre o assunto interessante, principalmente, para quem vive em locais sem neve.

Moto de neve:  Eu adorei andar de moto de neve e achei o quadriciclo melhor ainda. Dirigi por duas vezes a moto de neve. A primeira vez foi no passeio noturno que fiz com a empresa Ushuaia Blanca (Aventura na Noite) e a segunda em um passeio diurno com a mesma empresa (Full Day).

Não é tão fácil pilotar uma moto de neve. O controle da moto é relativamente pesado e ela desliza fácil. Apesar disso é bem gostoso passear pela neve dirigindo uma moto dessas. Eu gostaria de poder ir mais rápido, mas por segurança temos que ficar em fila 'lentamente'.

 
Passeio de moto de neve:  Eu andei de moto de neve na garupa e essa foi super legal. Nesse caso, fiz esse "passeio" por acidente, dado que eu havia derrubado minha pala sobre o rio congelado quando estava esquiando e voltei para comunicar o ocorrido. Para recuperar a pala, o Mario (dono da Ushuaia Blanca e experiente com motos de neve) pegou uma moto e disse pra eu ir com ele ao local onde havia caído para pegarmos. Nossa!! Essa sim foi uma experiência em moto de neve muito legal, muito mais hardcore que minha velocidade permitida durante os passeios. Tive sorte, não vou negar rsrs

Quadriciclo de neve: Em um outro passeio noturno, ao invés de moto de neve eu pedi para usar o quadriciclo. Gostei muito mais dele porque é mais fácil de controlar, mais confortável e passa por cima de tudo!! rsrs

Fiquei como última da fila, dado que as outras pessoas estavam de moto. Assim eu conseguia esperar eles tomarem distância para acelerar o quadri!! Nossa, definitivamente, quero um pra mim!!!

Informações sobre os passeios:
Fazer o passeio de moto, quadriciclo e trenó puxado por huskies custa $3.000 pesos argentinos. As saídas ocorrem às 9h e tem duração de 8 horas. Incluso no preço o transfer do hotel até o local.
Incluso ainda a caminhada de raqueta de neve, guias especializados, almoço e bebidas (para quem possui restrições alimentares, confira sempre antes). Roupas e calçados não inclusos

 


 

 

Hospedagem:

 

Nas duas vezes que eu fui fiquei em hotel na própria Avenida San Martin (Hotel Los Naranjos e Hotel Cap Polonio) pois queríamos ficar próximos do movimento da cidade. No entanto, os hoteis do centro são mais caros e muita gente fica em hoteis mais afastados, tendo que se movimentar de taxi/ônibus (a depender de onde estiver seu hotel, seus custos com taxi podem ficar altos se você quiser ir e voltar ao centro todos os dias).
 

Nesta página você encontra relatos das viagens vividas entre Abril e Agosto de 2015, além da viagem de Julho de 2016

ATENÇÃO: Algumas informações descritas no site podem mudar, como por exemplo, preços, horários de funcionamento e até mesmo endereços. Consulte sempre antes de ir! Não possuímos vínculos com as empresas, serviços e profissionais mencionados neste site 😉

 


 

 

Clique na imagem para abrir o mapa dos locais indicados neste site:

 

Quanto custa?

Abaixo trazemos um resumo para você planejar financeiramente a sua viagem!
Dados baseados nos valores de 2015 e podem sofrer alterações!

 

Para quem vai viajar a Ushuaia no inverno, leia as dicas sobre as roupas ideais para vestir no blog Get Outside® do Alessandro de Franceschi. As dicas são ótimas e garantirão ótimos passeios a você.

Deixe seu comentário / Nenhum comentário

Itinerário de Viagem (C) Direitos reservados
desenvolvido por