EnglishPortugueseSpanish
EFES / PAMUKKALE
Postado por Estela T em junho 3, 2012 Editado em junho 3, 2017

Em SELÇUK conhecemos o sítio arqueológico e o Castelo de Algodão: ÉFESO / PAMUKKALE. Esta viagem na Turquia nos fez passar também na Casa da Virgem Maria

 

SELÇUK

(cidade da Província de Esmirna - Izmir)

 

Efes / Ephesus / Ephesos

 

efeso-01
efeso-02

Acordando no Tatlises Hotel , o café da manhã era melhor que do hotel anterior, bem como a bela vista para o mar. O mar lá é engraçado, não há aquela maresia esquisita que te deixa suada ou melada. É perfeito!

E fomos para o Ephesus Archeological Site. De Kusadasι até Éfeso são 200km.

O nome Éfeso vem do grego e significa “abelha”, porque na primavera é comum aparecerem muitas abelhas por lá. Felizmente não encontramos nenhuma.

No caminho eu sabia que era um dos pontos mais altos da viagem. Antes o local era um vale fértil, com um golfo que abrigava um importante porto de carga internacional. Com cerca de 500.000 habitantes, era uma das maiores cidades da Ásia e o povo, que era comerciante, um dos mais ricos.

A cidade também era célebre por abrigar o Templo de Ártemis, construído por volta de 550 a.C. e considerado uma das Sete Maravilhas do Mundo. O templo foi destruído em 401 d.C. juntamente com muitos outros edifícios por uma multidão liderada por São João Crisóstomo. O imperador Constantino I reconstruiu boa parte da cidade e ergueu novos banhos públicos, porém a cidade foi novamente destruída parcialmente por um terremoto de 614. A importância da cidade como centro comercial diminuiu à medida que o seu porto começou a ser assoreado pelo rio Caístro (Küçük Menderes, em turco).

Estar em uma cidade que existiu há tanto tempo é algo que não dá para explicar em palavras. Aquelas ruínas, aquela energia... Tem que ir pra tirar suas próprias conclusões.

Éfeso é uma das maiores cidades em ruínas do mundo ocidental. Nela foi erguida uma cidade grega por volta de 1.000 a.C. que logo ganhou fama como centro de veneração de Cibele, a deusa-mãe da Anatólia.

A cidade que se vê hoje foi fundada no século 4º a.C. por Lisímaco, sucessor de Alexandre, o Grande. Mas sob o domínio romano é que Éfeso se tornou o porto mais importante do Egeu. As edificações que restaram datam, basicamente, deste período. À medida que o porto foi sendo assoreado, a cidade entrou em declínio, mas teve papel importante na difusão do cristianismo. Dois dos primeiros grandes Conselhos da Igreja foram realizados lá, em 431 e 449.

Foi um influente centro comercial, religioso e político e chegou a ser considerada a mais ilustre das cidades. Como capital do Império Romano na Ásia, tinha grande poder econômico devido ao comércio e aos impostos, e sua população, bem intelectualizada, sabia admirar as artes e a valorizá-las, o que está refletido em sua arquitetura clássica, com fachadas bem adornadas e esculturas gregas na maior parte dos lugares.

Éfeso é considerado o sítio arqueológico mais bem preservado do mundo!

Na minha ansiedade de ver a Biblioteca de Celso, acabei nem dando muita atenção ao Templo de Adriano. Absorvi a atmosfera e a energia do lugar, mas a biblioteca era o meu foco.

Para aqueles que vão observar com mais calma o Templo de Adriano, eis algumas informações: é de estilo coríntio e foi construído para comemorar uma visita de Adriano em 123 d.C..

Possivelmente o que chama mais atenção no edifício sejam os belos frisos do pórtico e uma cabeça de medusa destinada a afugentar os espíritos malignos. Foi dedicado a Adriano, a Artemisa e à aldeia de Éfeso no século II, ainda que uma grande parte tenha sido restaurada no século V.

É fácil passar por ele e não percebê-lo porque há muita informação no local, muitas ruínas, então, fique atento no primeiro corredor de mármore e colunas dóricas, jônicas e/ou coríntias que você caminhar. Mas quando o percebi, corri lá para fotografa-lo e absorver a energia do local! Fiquei imaginando como era e como funcionava.

efeso-03
efeso-04
efeso-06

Éfeso possui dois teatros. Este é o primeiro e menor

Deusa Nike

Deusa Nike

efeso-05

Portas, caminhos, paredes

Colunas em Efeso

Colunas em Efeso

Detalhes

Detalhes

efeso-09

Muitas partes continuam de pé

efeso-11

O caminho para a Biblioteca de Éfeso

Mas muito do que se vê são réplicas

Mas muito do que se vê são réplicas

Templo de Adriano

Templo de Adriano

 

 

Biblioteca de Celso e o Grande Teatro de Éfeso

 

Ligando a praça da biblioteca e o Grande Teatro, está a rua de mármore. Inteiramente pavimentada com grandes blocos de mármore e com uma espécie de mureta de ambos os lados. Há uma pequena pedra com desenho de um pé, um rosto e alguns rabiscos que era um tipo de propaganda informando a direção do bordel. Propaganda de dois mil anos. 

A Biblioteca de Celso era exatamente como eu imaginava: fabulosa!!! Fiquei apaixonada pelo lugar, saí correndo na frente de todo mundo, queria ter o meu momento naquele lugar mágico. E realmente é mágico, único. Que saudades! Queria estar lá agora, sempre!

Sua construção foi feita pela honra de Tiberius Julius Celsus Polemaeanus, governador romano dessa província, pelo seu filho Galius Julius Aquila, e concluída em 135 d.C.. A biblioteca armazenava 12.000 rolos de papiro e serviu ainda como túmulo de Celso. Não era comum enterrarem pessoas fossem dentro de bibliotecas ou até mesmo dentro dos limites de uma cidade.

efeso-29

Na entrada da Biblioteca

efeso-21
efeso-22
efeso-27

O edifício que hoje vemos é uma reconstrução da autoria de uma equipe de arqueólogos austríacos, que permite igualmente observar a tipologia dos edifícios públicos romanos. A biblioteca foi danificada pelos godos e, depois, pelo terremoto de 1.000. As estátuas da fachada são cópias dos originais (que actualmente se encontram no Museu de Efeso em Viena - Kunsthistorisches Museum) e representam a sabedoria (Sophia), o conhecimento (Episteme), a pensamento/inteligência (Ennoia) e a virtude (Arete), que se crê terem sido as qualidades de Celso.

Neste momento o cérebro e os olhos têm que trabalhar a mil. O esforço da tentativa de captar e reter cada detalhe do local é imenso. Eu não queria sair de lá e quando o grupo foi embora rumo ao Grande Teatro, haja coragem de arrastar os pés e fazer a sacanagem de ir embora.

E depois disso, fomos chegamos ao Grande Teatro de Éfeso. Este era um teatro romano. E sim... é grande! Imaginar as peças teatrais que eles faziam na época é sensacional! Com um pouco mais de imaginação, é possível até escutar os gritos e os barulhos de metal de espadas e lanças e cantos.

Sophia - sabedoria

Sophia - sabedoria

Arete - virtude

Arete - virtude

Ennoia - sabedoria

Ennoia - pensamento (reflexão)

episteme-conhecimento

Episteme - conhecimento

 

Grande Teatro de Éfeso

 

O Grande Teatro de Éfeso era também uma espécie de estádio, com capacidade para 24.000 espectadores, onde eram realizadas, entre outras coisas, as lutas de animais entre gladiadores. Foi escavado na lateral do monte Pion, no período helenístico e foi reformado mais tarde pelos romanos.

O local é grande, não dá pra reproduzir em fotos, tem que ir lá e conhecer. Andar na arena ou no palco também é fabuloso. A guia falou que houve um show do Sting e isso ocasionou danos irreparáveis ao local. Eu já odiava o Sting, agora odeio com muito mais força e razões. RRRRRRR >:^(

Saindo de lá com certa resistência, seguimos de ônibus até a casa da Virgem Maria. O local fica no alto de uma alta colina. Nem sei se era montanha, mas imaginar ela subindo lá é intrigante.

efeso-31

Indicação no chão para o caminho do bordel

Éfeso e seus muitos felinos hóspedes

Éfeso e seus muitos felinos hóspedes

O Grande Teatro visto de longe

O Grande Teatro visto de longe

efeso-32

O caminho para o Grande Teatro

Estando nele não dá para fotografá-lo por inteiro

Estando nele não dá para fotografá-lo por inteiro

Ele é grande mesmo....

Ele é grande mesmo....

Informações:
Horário de funcionamento: provavelmente aberto todos os dias, exceto feriados turcos e religiosos, sendo: de Maio a Outubro das 08-19h30 e entre Novembro a Abril das 08h-17h. A bilheteria fecha 01 hora antes do horário de fechamento. Uma pena saber que ele não fica aberto à noite, não é mesmo?
Entrada: ₺30
Estacionamento: ₺7,50
Vale lembrar que o terreno é acidentado, com muitas placas de mármore no piso, podendo ser um passeio cansativo para pessoas com dificuldades de locomoção, mas acredito que não é impossível. A visitação pode levar até um pouco mais de 1,5 hora, dependendo do perfil do visitante. Se incluir o museu de Ephesus, pode chegar a quase 3 horas de visitação.
Nota importante: Não deixe de visitar "The Terrace Houses" em Éfeso. Bem ao lado do sítio arqueológico! Se você for com pacote turístico, irá perder esta atração imperdível!

 

 

Meryemana Kultur Parkι (Casa da Virgem Maria)

 

meryemana-kultur-parki-01

Entrando no parque

A casa fica no Meryemana Kultur Parkι e segundo conta a lenda, teria sido onde Maria foi levada para viver sob a segurança do apóstolo João, logo após a crucificação de Jesus Cristo. A casa original fora destruída e coube ao imperador bizantino Justinano reconstruí-la no século V, quando então já havia sido transformada em igreja - uma das primeiras do mundo dedicada à Virgem.

No século XV, durante a ocupação otomana na Turquia, fora parcialmente destruída pelos muçulmanos e por um período acabou perdendo sua notoriedade, mas nunca sua relevância no mundo cristão.

No século XVIII, após um êxtase espiritual, uma jovem alemã chamada Anna Katharina Emmerick teve uma visão da localização exata da casa, sem nunca ter estado ali. Ela descreveu de forma precisa o lugar, que fora publicada em um livro, e no século seguinte, uma expedição de sacerdotes encontrou o lugar conforme dito pela jovem. No alto da montanha, a 435 metros acima de Éfeso, em meio à floresta e com uma bela vista sobre o mar Egeu, está a casa, circundada de fontes e até de uma piscina.

Hoje é um dos mais importantes centros de peregrinação do mundo cristão e diariamente os fiéis cobrem os muros externos com pedidos e agradecimentos destinados à Virgem. Não é permitido tirar fotos no interior da casa. É conhecido como “Meryemana Kultur Parkι” e fica em Meryemana.
 
Informações:
Horário de funcionamento: Domingo a Sexta das 08h-18h no intervalo de Abril a Outubro. Domingo a sexta das 08h-17h no intervalo de Novembro a Março. Aberto no dia de Assunção (15 de Agosto).
Entrada: ₺15
Estacionamento: ₺8
A visitação pode levar até 01 hora, dependendo do perfil do visitante.

meryemana-kultur-parki-02

O parque é muito bonito...

Muitos devotos ascendem velas para a Virgem

Muitos devotos ascendem velas para a Virgem

... tendo um atmosfera muito boa!

... tendo um atmosfera muito boa!

Também se benzam com a água do local

Também se benzam com a água do local

Esta é a reconstrução da casa de Maria

Esta é a reconstrução da casa de Maria

E por fim, escrevem os seus desejos e prendem nesta parede

E por fim, escrevem os seus desejos e prendem nesta parede

 


 

 

 PAMUKKALE

(cidade dentro do distrito de Denizli)

 

pamukkale-01E fomos para Hierápolis - Pamukkale.

No período helenístico, as fontes termais de Hierápolis transformaram a cidade num centro de cura. Fundada por Eumenes II, rei de Pérgamo, a cidade era famosa pelos tecidos, principalmente a lã. Foi cedida a Roma em 133 a.C., junto com o restante do reino de Pérgamo. Destruída por um terremoto em 60 d.C., a cidade foi reconstruída e chegou ao auge em 196-215. Entrou em declínio no século 6º, e o local ficou parcialmente submerso pela água e por depósitos de travertino.

Atualmente faz parte da lista de Patrimônio Mundial da UNESCO, tanto pelo seu valor natural quanto cultural.

É lindo demais e mesmo sabendo que o local que andamos é artificial  para preservar as partes verdadeiras é emocionante demais! Infelizmente com o grupo turístico não tínhamos tempo suficiente para apreciar as ruínas como o arco de Domiciano que era a via pública principal de Hierápolis, nem a Necrópole e nem o Teatro.

Antes de irmos, a guia turística nos informou que só poderíamos pisar no calcário de Pamukkale de chinelos. Devidamente trajada, ouvimos a história do local e depois fomos pisar lá naquela imensidão branca. No começo, dá medo de pisar no calcário molhado e andar pra lá e pra cá, pois ele tem uma aparência bem escorregadia, mas não é. O calcário é meio anti-derrapante, havia muitas pessoas, era difícil tirar fotos sozinha naquela paisagem única. E dizem que não há nenhum outro lugar do mundo com isso, mas infelizmente este cantinho do mundo está em sérios perigos por causa da pouca água que corre por lá atualmente e também por causa da água contaminada por agrotóxicos das fazendas. Isso é realmente uma pena. Daqui a alguns anos a brancura pode deixar de existir e pior, Pamukkale pode deixar de abrigar esta beleza da natureza.

pamukkale-03
pamukkale-05
pamukkale-12
pamukkale-07
pamukkale-06
pamukkale-11

O "Castelo de Algodão", como as pessoas o chamam, é formado pela solidificação da calcite que sai junto com as águas das fontes termais. Esta água nasce entre 35º a 100º, por isso que ela não é nada fria. Desta forma, acontece o fenômeno parecido ao das grutas brasileiras de calcário. No fim, as piscinas de mármore travertino naturais ficam longe dos visitantes como forma de preservar as formações naturais (veja foto abaixo com a legenda explicando), mas os visitantes podem pisar naquelas que foram "recriadas artificialmente".

Como falei, a guia da viagem, um dia antes, nos informou para levarmos chinelos para andar por lá, mas outra informação que adiciono aqui é que ninguém pode entrar nas pequenas piscinas com qualquer tipo de calçado, então, tem que tirar até o chinelo.

Para quem achou que era uma piscina normal, saiba que não é possível mergulhar, já que a água bate nas canelas (e olha que sou baixinha). De toda forma, mergulhar lá realmente não seria uma coisa muito sábia a se fazer porque a água não é tão limpa como parece, mas não dá nojo. Tem até umas partes com musgo, mas nada muito grave.

Algumas pessoas acreditam que a água pode curar ou faz bem pra saúde. Bem, eu não tive evoluções diferentes na minha saúde, mas também não peguei micose!

pamukkale-08

 

 

pamukkale-16

Este é o "Castelo de Algodão" verdadeiro, fica a muitos metros abaixo, quase um tipo de precipício.

pamukkale-17
pamukkale-24

Piscinas de Cleópatra

 

pamukkale-20Há uma parte que se chama Piscinas de Cleópatra e possui fragmentos de colunas de mármore, talvez seja o que restou de uma piscina sagrada ligada ao Templo de Apolo. Dizem que Cleópatra era frequentadora assídua das termas do local e a pedido dela, foi construída uma piscina de água corrente.

Hoje há uma piscina construída em cima das ruínas da antiga piscina que é utilizada pelos turistas que nadam sobre as antigas colunas romanas. Pode-se nadar pelo meio das colunas romanas e é o único local onde tem de pagar um extra além do bilhete de entrada de Hierápolis-Pamukkale. Não lembro quanto era, lembro que não era barato, mas eu jamais entraria naquela água. Aparentemente não é de água corrente e nas bordas notei sujeira gosmenta. Acho que os turistas não se banham antes de entrar, contribuindo para a poluição desta piscina. Mas o visual é muito bonito.

Acho que foi neste dia, após uma parada para o almoço, que umas crianças turcas pediram para tirar foto comigo. Achei muito engraçado, me senti um misto de ET e celebridade de cinema. Mas só aceitei tirar foto com elas porque eram crianças pequenas e porque eu estava de óculos escuros, senão... jamais!

E chegamos ao Pam Thermal Hotel. A qualidade do hotel e da comida foi melhorando com o passar dos dias. Neste hotel havia uma piscina de água termal. Depois da janta, que foi boa e com muitos pães maravilhosos, fomos para as piscinas, mas tivemos a infeliz notícia de que o horário para se banhar estava encerrado. Eram 22h e não pudemos entrar. Então ficamos vendo o show de dança do ventre e estava meio friozinho. Tomei um chocolate quente no hall do hotel e fomos dormir.

pamukkale-21
pamukkale-22
pamukkale-23

Informações:
Horário de funcionamento: Terça a Domingo das 08h30-19h no verão e 08h30-17h30 no inverno.
Entrada: ₺5
A visitação pode levar até 02 horas, dependendo do perfil do visitante. O local é grande e não deixe de visitar as ruínas.

 


 

 

 

Clique na imagem abaixo para abrir o mapa dos locais indicados neste site:

 

mapa efeso

Mais lugares para conhecer:

 
 
Antes de entrar em Éfeso, há o "MUSEU DE ÉFESO" na cidade de Selçuk. Há indicações de que é um dos melhores da Türkije e possui muitas estátuas de mármore e bronze e afrescos. Há uma escultura de Ártemis, joias e muitos objetos que acredita-se que vieram de Artemisium (antigo Templo de Ártemis – uma das 7 maravilhas do mundo do mundo antigo)

Para quem tem mais mobilidade, ao sair de Hierápolis – Pamukkale, pode passar em AFRODÍSIAS. Em 5.800 a.C. o lugar recebia agricultores do Neolítico adorarem a deusa-mãe da fertilidade e das colheiras. Depois de um tempo, o lugar foi dedicado a Afrodite no século 2º a.C.. Quando os romanos derrotaram o rei pôntico Mitridates em 74 a.C., Afrodísias foi recompensada por sua lealdade e prosperou como centro cultural e artístico. No período bizantino o Templo de Afrodite foi transformada em basílica cristã e aos poucos a cidade perdeu o brilho e depois se tornou a vila turca de Geyre. As ruínas do Templo de Afrodite estão lá, porém em nada se parece com os desenhos do que se acredita que o templo foi um dia. Possui um estádio bem grande e está bem preservado. Há um Tetrapilo que é uma passagem de 4 portas do século 2º e que foi reconstruída com 4 grupos de colunas coríntias e também possui um teatro que abrigava lutas de gladiadores.

 

 

Dicas para chegar:

 

Tudo na Turquia é bem longe. Como sempre digo, a gasolina neste país é cara. Talvez não valha a pena alugar um carro já que a distância entre Istambul e Éfeso + Pamukkale é cerca de 540km. A dica primeira dica aqui é pegar um avião de Istambul e descer em Esmirna (ou procurar como Izmir). Há vôos que giram em torno de R$300-500 sem taxas. Aproveite e explore Esmirna por 1 dia inteiro e depois separe 1 dia completo para explorar Éfeso. entre uma cidade e outra são 80km de distância, podendo ser percorrido em quase 1hora.

Para chegar em Éfeso a partir de Esmirna, você pode ir de ônibus, trem ou alugar um carro (como o trajeto é de mais ou menos 1 hora, até pdoe compensar o valor alto da gasolina). A empresa de ônibus é a Kamil Koç e custa em torno de R$40 cada trajeto. Ir de trem é a opção com melhor custo benefício porque leva só uns minutinhos a mais para chegar e custa R$7 cada trecho, operado pela companhia T.C. Devlet Demiryolları.

Para ir a Pamukkale e somente a Pamukkale, você pode descer em Denizli do aeroporto e seguir para llá que fica a uns 20km. Entre Pamukkale e Ephesus há 196km de distância.

 

 
ATENÇÃO: Algumas informações descritas no site podem mudar, como por exemplo, preços, horários de funcionamento e até mesmo endereços. Consulte sempre antes de ir! Não possuímos vínculos com as empresas, serviços e profissionais mencionados neste site 😉

Deixe seu comentário / Nenhum comentário

Itinerário de Viagem (C) Direitos reservados
desenvolvido por