EnglishPortugueseSpanish
SANTOS
Postado por Estela T em julho 14, 2016 Editado em abril 21, 2017

SANTOS, litoral de São Paulo: dicas de turismo incluindo sugestões de passeios, restaurantes e muito mais!

 

Santos é uma cidade do litoral do estado de São Paulo, abriga o maior porto marítimo da América Latina. Explorado em 1502 pelos portugueses, juntamente com a cidade vizinha, São Vicente, começou a ser povoada pelos europeus cerca de 30 anos depois. A cidade acabou se desenvolvendo por causa da exportação do pau brasil, açúcar e mais tarde, o café. Este último ajudou e muito o próprio desenvolvimento do país inteiro. Muitas construções históricas advém dos ricos comerciantes do café da época.

Eu admito que não conhecia Santos (achava que só tinha porto e algumas praias). Nesta rápida viagem percebi que a cidade não é uma cidade litorânea simples e qualquer... pois, possui um desenvolvimento urbano de grande cidade, com comércio, serviços e estrutura suficiente para as atividades cotidianas para qualquer pessoa! Estando a 40 minutos da Zona Sul de São Paulo, pegando a Rodovia dos Imigrantes o pedágio é caro.... R$25!!!

 


 

CENTRO ANTIGO DE SANTOS

 

 

Museu Vivo do Bonde

 

O bonde pronto para sair!

No Centro Histórico de Santos é fácil encontrar o ponto de partida de um dos passeios mais disputados em Santos: o bonde.

Este passeio começou a operar em 2002 com dois carros elétricos e um reboque de 1870, que foram totalmente restaurados. Fique atento porque um dos bondes (o de prefixo 32) é original de 1911 da marca escocesa Hurst Nelson. O outro, um bonde fechado apelidado de "camarão" (prefixo 40), possui maquinário norte-americano e carroceria fabricada em Santos, na década de 50. Ambos circularam em Santos até Fevereiro de 1971. Em 2006 e 2008 foram adicionados dois veículos portugueses da cidade do Porto (do tipo fechados, prefixos 193 e 224).

E não parou por aí! Em Setembro de 2010 o acervo foi incrementado com um exemplar italiano, doado pela cidade de Turim. Fabricado pela empresa Fiat e datado de 1958, o bonde italiano é pintado em dois tons de verde e tem prefixo 3265.

O bonde sai da do Largo Marquês de Monte Alegre e segue pelo centro histórico de Santos. O roteiro tem dois pontos de parada onde você pode descer e embarcar em outro bonde depois e são: Palácio Saturnino de Brito (Avenida São Francisco) e o Outeiro de Santa Catarina (Rua Visconde do Rio Branco).

Eu ainda não fiz o passeio de bonde por falta de tempo, mas bem que eu gostaria! Fica pra próxima! E para aqueles que têm interesse, bem na frente da estação do bonde está o Museu Pelé.

Itinerário do bonde (retirado do site www.vivasantos.com.br)

Informações:
Horário de funcionamento: Terça a Domingo, e também nos feriados, das 11-17h.
Endereço: Largo Marquês de Monte Alegre, S/N
Entrada: R$ 6,00
Descontos: Maiores de 60 anos, estudantes (com identificação escolar), crianças de 6 a 12 anos e grupos de entidades assistenciais certificadas têm 50% de desconto na tarifa.
Gratuidade: Menores de 5 anos não pagam.
Para grupos de 15 pessoas ou mais, reserve o passeio pelo telefone da Setur: (+5513) 3201-8000 - ramal 8060, de Segunda a Sexta, das 9h-17h.

De frente à estação de bonde você encontra o Museu Pelé

 

 

Bolsa do Café

 

Fachada da Bolsa do Café

A Bolsa do Café, conhecido também como Museu do Café é o prédio mais bonito do centro histórico de Santos. Construído em estilo eclético do final do século XIX, foi concluído em 1922.

Toda pomposidade do prédio vem de encontro à época em que foi idealizado, já que Santos vivia o esplendor de sua riqueza econômica. Podemos observar que ele foi ricamente acabado com materiais importados, como mármores Carrara e lustres de cristal da Bohemia.

Nem é preciso citar que o prédio é patrimônio histórico da cidade, certo?

Para quem tem interesse, o museu abriga informações sobre a história da produção e comercialização do café no Brasil e sua influência na cidade do início das exportações do grão, desde a metade do século XIX até os dias atuais, com acervo de fotos, documentos e equipamentos. Também há uma sala de pesquisa com um acervo sobre o café e espaço multimídia, onde é projetado um curta metragem de 15 minutos sobre a história do produto.

No térreo é impossível não perceber a "Sala de Pregões", debaixo da "clarabóia" com vitral de Benedito Calixto, representando as riquezas do Brasil-colônia, império e república, a lenda de Anhanguera, Brás Cubas (fundador da cidade), e bandeirantes como Fernão Dias e Raposo Tavares. No mesmo salão, três grandes painéis pintados também por Calixto representam diferentes períodos da história de Santos.

Um pouco monótono o museu mas é muito bonito o prédio, isso ninguém pode negar. Se você puder se organizar, saiba que aos sábados a entrada no museu é gratuita.

Há uma cafeteria onde você pode experimentar todos os tipos e aromas de cafés, além de comprar a iguaria e levar para sua casa! Estes espaços não são necessários pagar para frequentar, mas digo que os preços dos itens são caros. Não deixe de experimentar o café mais raro e caro do Brasil, o Jacu Bird Coffee, que é obtido com os grãos expelidos pelo pássaro Jacu, que se alimenta dos frutos do café. Parece até piada né? Mas o café moído custa R$109,90 por 250 gramas!

Mas para quem ainda quer provar um bom café, pode atravessar a rua e ir no Largo do Café (Rua Quinze de Novembro, 80) e comer uma torta de café com café pela metade do preço (só não é o Jacu Bird Coffee).

Prédio da Bolsa do Café vista das docas do porto

Dentro do saguão onde o café era leiloado

Torta de café com café espresso

Vista da entrada da Bolsa do Café pela Rua XV de Novembro

Vitral de Benedito Calixto recentemente restaurado

Informações:
Horário de funcionamento: Terça a Sábado das 9h-17h e Domingos das 10h-17h. No verão fica aberto até 18h.
Entrada: R$6,00
Gratuidade: Sábados
A Cafeteria funciona independente do Museu, sempre de Segunda a Sábado das 9h-18h, e aos Domingos das 10h-18h.
Endereço: Rua XV de Novembro, Centro.

 

 

Evento na Casa da Frontaria Azulejada 

 

No dia 09 de Julho há feriado no estado de São Paulo. Então, Santos preparou um evento chamado "Festival Santos Café 2016". Foi pura coincidência prestigiar parte do evento.

Eu tinha me programado para conhecer a Casa da Frontaria Azulejada mas chegando lá, me deparei com parte do evento rolando lá: uma degustação de café. Além disso, paralelamente havia outro evento em frente ao edifício: o "Encontro de bicicletas vintage". Pois bem.... não consegui focar minhas fotos no prédio, mas o evento foi bem interessante!

Algumas pessoas realmente possuíam bicicletas vintage, mas digamos que suas roupas estavam mais fiéis ao tema!

Estava uma bagunça e entrei no prédio e degustei um café do sul de Minas.

A Casa da Frontaria Azulejada foi construída em 1865 pelo comendador português Manoel Joaquim Ferreira Netto, que na época era um rico comerciante da cidade de Santos. A idéia dele era fazer do prédio a sua residência e armazém. A casa em estilo neoclássica, tinha formato de U, com a abertura voltada para o porto de Santos, fazendo com que facilitasse o acesso das cargas ao armazém da casa. Mesmo com este indício arquitetônico, existe hoje certa controvérsia em relação ao uso do piso térreo como armazém, já que alguns historiadores acreditam que toda a casa era usada como residência. A fachada do edifício foi coberta com azulejos importados de Portugal pelo sócio de Manoel, provavelmente já depois da morte do mesmo.

Depois de um tempo o edifício virou o Hotel Guanabara (entre 1940 e 1960). Depois de deixou de ser hotel, veio a decadência e chegou a virar um depósito de adubos químicos. Em 1973 foi tombado pelo IPHAN - Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional e somente em 1992 é que foi iniciada o restauro da casa, recuperando-se a fachada principal e seu portal.

 
Alguns azulejos foram restaurados e outros substituídos (envolvendo a confecção de 7 mil exemplares novos). O interior do edifício ficou com uma aparência rústica. O segundo andar não foi reconstruído, porém o telhado foi remodelado (por isso que o pé direito é gigante!).

Desde 2007 o prédio foi reinaugurado como "Espaço Cultural Frontaria Azulejada" e é usado como local de exposições da Fundação Arquivo e Memória de Santos.
 
Informação:
Horário de funcionamento: 
Segunda a Sexta das 9h-17h
Endereço: Rua do Comércio, 92
Entrada: Gratuito

 

 

MONTE SERRAT

 

O Monte Serrat é o segundo morro mais alto de Santos. O nome deste morro vem de uma história bem interessante: dizem que certa vez, a cidade de Santos foi atacada por saqueadores holandeses e muitas pessoas subiram ao morro e rezaram à Virgem de Monserrate, para que os salvasse. A Virgem teria feito pedras caírem em cima dos saqueadores, tudo isso lá em torno de 1614, dez anos após o término da construção da capela que foi feita por ordem de Dom Francisco de Souza, espanhol devota da santa e que também é padroeira de Barcelona.

Para subir você pode pegar o funicular, mas eu considero uma opção cara (dependendo do ponto de vista) ou você pode subir a pé na "via sacra", percorrendo cerca de 416 degraus e rampas. Situado a 157 m de altitude, chegando lá em cima você tem uma visão de 360º de toda a cidade, bem como acesso ao Santuário de Nossa Senhora do Monte Serrat (padroeira de Santos, festejada no dia 8 de setembro).

Antigamente havia um casino lá no topo, no século XIX e hoje o local é alugado para festas, principalmente festas de casamentos. 

 

Funicular

 

O funicular é uma opção menos penosa para quem não quer subir a pé o monte. Mas é uma opção cara (em torno de R$30, funciona das 08h-20h). Tivemos a oportunidade de conversar com um dos funcionários que opera os bondes e ele falou que muitas pessoas não entendem a complexidade, custo de manutenção e quantidade de funcionários para que o funicular (ou bondinho) possa funcionar e que, por isso, o valor é meio alto. É lógico que acabei entendendo, mas já era tarde demais, porque eu subi os 416 degraus do monte a pé, com um calor absurdo!

De toda forma, adorei conversar com este senhor, funcionário do bondinho. Tivemos a oportunidade de conhecer o mecanismo alemão implementado lá e de ver todo o funcionamento ao vivo!

Instalado na década de 1920, cada bonde possui capacidade de transportar 70 passageiros (mas limita-se a 40 por medida de segurança). Para subir os 242 metros de trilhos, leva cerca de 4 minutos e enquanto um sobe, o outro desce. É bem bonitinho ver!

Endereço: Praça Correia de Mello, nº 33

Entrada para o funicular

Maquinário dos bondinhos

Um bondinho indo e outro voltando

 

 

Via Sacra do Monte Serrat

 

Quando você decide subir sem o funicular, esteja ciente de que atravessará uma escadaria com rampas no meio de uma comunidade. Digamos que não foi o passeio mais agradável que fiz na vida, mas também não foi o passeio mais tenebroso. Talvez se eu não estivesse com os meninos comigo (namorado e um amigo), não teria ido jamais sozinha sem ser um dia de evento específico.

Ao longo dos 416 degraus + as rampas (e muito lixo, sujeira e fezes e mijo) você pode ver 14 painéis que narram a Via Crucis. É bem interessante observá-los como são bem feitos e estão bem preservados (apesar do entorno).

No dia 08 de Setembro há a grande Festa da Padroeira de Santos, Nossa Senhora do Monte Serrat. O evento religioso é celebrado nos dias 7 e 8 de setembro, quando ocorre uma tradicional procissão que conduz a imagem da santa (que até o dia 30 de Agosto fica na Catedral Nossa Senhora do Rosário, no Centro Histórico) que é levada de volta ao Santuário Diocesano de Nossa Senhora do Monte Serrat.

Minha dica para subir o Monte Serrat: vá de tênis, não leve objetos de valor, leve água, muita água, seja discreto, não fique muito tempo parado nos lugares e sempre vá acompanhado.

Um dos 14 painéis da Via Sacra

Em vários pontos você encontra lanchonetes

Uma casa encostada na rocha

Ao longo do trajeto, você consegue ter esta visão de Santos

 

 

Capela Santuário de Nossa Senhora de Monte Serrat

 

A capela fica no topo  do Monte Serrat, a 157 metros do nível do mar. Lá está a imagem de Nossa Senhora do Monte Serrat, padroeira de Santos e festejada no dia 8 de Setembro. Em estilo barroco, foi construída entre 1598 e 1603 e é bem clean, clara e simples. No dia que a conheci, era dia 25 de Dezembro e estava acontecendo alguma missa. Não estava lotado.

A santa recebe muitos devotos que, há um tempo atrás, levavam objetos à capela como próteses de pernas ou braços, fotos, roupas (algumas ensanguentadas) e etc. Meu amigo Filipe me disse que era até impressionante de se ver, porque todos os objetos ficavam amontoados em uma parte da capela e que, certa vez, até pegou fogo! Então, hoje, não são mais permitidos tais objetos lá.

 

 


 

EMBARÉ

 

 

Basílica Menor Santo Antônio do Embaré

 

Basílica Menor Santo Antônio do Embaré foi inaugurada em 1945 em estilo neogótica sobre uma pequena capela construída em meados de 1874 por Antônio Ferreira da Silva, o então barão de Embaré.

Após a morte do barão, a capela ficou abandonada por vinte anos, quando então foi reconstruída e inaugurada em 1911. Em 1915 foi ampliada e acabou virando uma igreja. Foi entregue em 1922 aos frades Capuchinhos, que iniciaram a atual edificação em 1930, quando foi lançada a pedra fundamental que daria origem à atual basílica, sendo finalmente inaugurada em 1945 e elevada à categoria de basílica pelo Papa Pio XII em 1952.

Uma curiosidade: a imagem de São Pedro – que deveria estar à direita de quem sai da basílica (por ser ele o apóstolo à direita de Cristo) localiza-se à esquerda, enquanto que São Paulo fica à direita. Foi erro, será?

Só sei que a basílica é muito bonita e, como alguns me falaram, realmente parece um centro religioso europeu!

Único problema que tive é que o seu interior estava muito, mas muito escuro. Tive dificuldades de fotografar e olhar para os detalhes da sua decoração a olho nú.

Informações:
Endereço:
 Avenida Bartolomeu de Gusmão, 32

 

 

 

Pinacoteca Benedito Calixto

 

O casarão branco que abriga hoje a Fundação Pinacoteca Benedicto Calixto é um bom exemplar da áurea do café no Brasil. Construído em 1900 pelo alemão senhor Dickr e em 1910 o casarão passou a abrigar o Barão do Café Francisco C. Pires.

Em 1913 a família Pires vendeu o imóvel para a sede do Asilo de Inválidos de Santos. Em 1921 o casarão sofreu uma reforma dando origem a novos ambientes na casa. Foi construído um quarto de costura e um jardim de inverno, por exemplo.

A casa tem um estilo arquitetônico eclético. Pude observar a decoração interna no estilo art nouveau, a escada é de mármore Carrara com corrimão de ferro maciço em formato de frutos no pé de café. Há um cômodo que servia como quarto dos criados e duas salas de aula para as crianças estudarem.

O jardim é grande, com quadra de tênis e um pomar. Há um projeto para a construção de um edifício na parte de trás do casarão, para abrigar um museu mega moderno, de arquitetura assinada por Mendes da Rocha. Infelizmente não há data para começarem a pensar em fazer o prédio, mas seria maravilhoso para a cidade de Santos entrar no circuito de arte contemporânea!

Com a quebra da bolsa de valores, o café desvalorizou em 1935 e o casarão começou os anos de declínio. Em 1987 os herdeiros perceberam o crescimento da região e decidiram vender o imóvel para uma construtora. Felizmente a prefeitura interveio, declarando o imóvel como patrimônio histórico cultural da cidade e conseguiu! A prefeitura resgatou e restaurou o imóvel e seis anos depois, como homenagem a Benedicto Calixto, o retratista do mar da cidade de Santos, transformaram o casarão em Pinacoteca e acervo permanente de Calixto.

Informações:
Horário de funcionamento: 
Terça a Domingo das 9h-18h
Endereço
: Avenida Bartolomeu de Gusmão, 15
Entrada: Gratuito

 

 

Fim de tarde na praia da região do Embaré

 

O bairro do Embaré é um bairro nobre da cidade. Possui uma praia com seu nome (no passado, toda a praia de Santos era chamada de Embaré). Tem uma população de 36.000 habitantes (aproximadamente).

Provavelmente quando você for visitar a cidade, passará por este bairro porque ele oferece muitas opções de lazer.

Como fui no inverno, estava um vento gelado e um sol muito agradável. Também era feriado, o que levou muitas pessoas a passearem na orla da praia. A prefeitura investiu muito para que a orla tivesse o ar que tem. É bem movimentado, com muitas pessoas de bicicleta e patins, pessoas passeando com seus cachorros, gente fazendo cooper, enfim... é muito agitado! Só tome cuidado com seus pertences principalmente próximo à ciclofaixa para não ser furtado! (é a dica dos locais)

Nas areias também vi muita movimentação de pessoas se exercitando, jogando vôlei ou futebol, passeando.

Pequenas pontes para atravessar os canais

Será que cai?

É bem interessante e assustador observar os prédios tortos da Avenida Bartolomeu de Gusmão! Para quem não sabe, a cidade possui cerca de 651 prédios inclinados (dado de 2014). O mais torto tem um desvio de 1,8 metro!!!! Esses prédios foram construídos entre as décadas de 1950 e 1960, sobre uma camada de areia seguida de outra camada de argila mole. Com o tempo, o peso deles fez com que suas fundações chegassem à argila e os inclinasse aos poucos. O problema poderia não existir se na época de seus projetos a fundação fosse mais profunda, além da argila, mas isso representava cerca de 20% do valor total da construção, enquanto que a fundação mais rasa custava até 8%. Então dá pra imaginar o que optaram, não é mesmo?

Por sorte as estruturas dos prédios são muito rígidas porque previram a inclinação devido à economia na fundação. Por isso que por enquanto nenhum prédio "quebrou". Mesmo sem risco de caírem, são todos prédios desvalorizados

Detalhe do jardim da orla de Santos que é um espaço fantástico!

Outro ponto muito interessante ao andar pela orla de Santos é apreciar o maior Jardim de Orla do Mundo! Isso mesmo! Em 2000, o jardim de Santos entrou para o Guinness Book of Records devido aos seus 5.335m de comprimento e largura entre 45 e 50m, um total de 218.800m². Pelo o que eu li, os dados da Secretaria de Meio Ambiente apontam que o jardim tem cerca de 920 canteiros de plantas e mais de 1700 árvores e palmeiras.

Mas nada disso seria possível se lá atrás, em 1914, o engenheiro Saturnino de Brito não tivesse planejado algo do tipo. Na década de 1930 começou o movimento de realmente ser construído o jardim da praia por causa da especulação imobiliária. Antes que tudo virasse praia, o esforço valeu a pena! Aos poucos o jardim foi tomando forma e prefeito após prefeito acabou assumindo um pouco o projeto do jardim da orla de Santos. Em 2003 foi planejada a ciclofaixa e a forma atual se seguiu até hoje do jardim!

Adorei muito conhecer Santos! A Santos mais cultural! O fim de tarde de inverno foi linda, com um sol alaranjado dando um "até logo".

 

 

Bar do Toninho

 

Pra terminar o dia nada melhor do que tomar uma água de coco na orla de Santos por R$3,00 e recarregar as energias no Bar do Toninho. Como falaram que é o rei do bolinho de bacalhau, eu tive que ir!

Cada um custa R$4,00 e é bem sequinho! Não é muito grande e é realmente feito de bacalhau (e não batatas). É muito bom de verdade! Muitas pessoas disputam as cadeirinhas do bar para tomar uma cerveja, petiscar um salgado, assistir a uma partida de futebol e conversar. O lugar é agitado e barulhento, mas valeu a pena! Eu volto fácil!

 

 

Porto Gelato

 

Ainda no Embaré, se estiver um dia quente ou absurdamente quente como aquele que eu fui, ao retornar a Santos no final de 2016, refugie-se no Porto Gelato. A proposta da casa é oferecer sorvetes no estilo italiano, sem corantes e processados artesanalmente. São vários sabores, alguns clássicos das gelaterias italianas e outros mais abrasileirados com base de água ou leite (dependendo do sabor).
 
Pedi um copinho pequeno e este é bem servido. Você pode escolher até 2 sabores em um copinho pequeno. Pedi pistacchio e avocado. O pistacchio não foi excepcional (um excepcional, talvez só na Italia mesmo), mas o avocado..... nossa..... que maravilhoso!

 

POMPÉIA

Região da PRAIA DO GONZAGA 

 

 

Monumento dos 100 Anos da Imigração Japonesa

 

Bom, alguns podem discordar, mas acho que foi mega simbólico e certeiro a escolha de Tomie Ohtake para a realização de um Monumento para comemorar os 100 Anos da Imigração Japonesa. Ok que ela não veio como imigrante "normal", mas ela sendo Japonesa e tendo tido grande êxito por aqui, acho perfeito. O centenário ocorreu em 2008 e a escultura é feita de aço, pintada em vermelho e possui 15 metros de altura, 20 m de extensão e 2 m de largura

Tomie percorreu a Cidade naquela época para encontrar o local ideal, pois ela precisava primeiro definir a área e depois projetar a escultura. Para quem não sabe, a escultura foi inaugurada pelo príncipe do Japão, Naruhito.

Apesar de ser várias vezes chamada de "dragão", a artista havia dito que preferia deixar a interpretação para qualquer pessoa que visse suas obras. Eu mesma vejo um dragão olhando de volta ao Japão, o que me faz lembrar sobre os textos que eu li lá no Museu da Imigração da página São Paulo II, onde muitos japoneses que vieram pro Brasil, tinham a esperança de voltar ao Japão em breve e que queriam ficar o mais próximo de Santos, por ter sido a porta de entrada e que poderia ser a porta de saída.

A localização da escultura fica no parque chamado "Emissário Submarino", que possui espaços para a prática de esportes. É bem legal por lá!

 

Escultura de Tomie Ohtake

Pra onde a escultura "aponta"

 

 


 

Clique na imagem abaixo para abrir o mapa dos locais indicados neste site:

 

Hospedagem

 

Acho que a melhor forma para encontrar hospedagem em Santos é talvez alugar um apartamento e ficar próximo daquilo que você quer conhecer. O bairro do Embaré e Pompéia (praia do Gonzaga) são muito bons pra isso, com ótima infraestrutura. Há também bons hotéis.

 


 

ATENÇÃO: Algumas informações descritas no site podem mudar, como por exemplo, preços, horários de funcionamento e até mesmo endereços. Consulte sempre antes de ir! Não possuímos vínculos com as empresas, serviços e profissionais mencionados neste site 😉

Deixe seu comentário / Nenhum comentário

Itinerário de Viagem (C) Direitos reservados
desenvolvido por