EnglishPortugueseSpanish
SANTIAGO DE CHILE
Postado por Gisela S em Abril 6, 2013 Editado por Estela T em junho 13, 2017

santiago-de-chile-01Santiago de Chile localiza-se na região do Vale Central e é a capital e maior cidade do Chile, tendo em sua área metropolitana uma população de cerca de 5 milhões de habitantes. A cidade é cercada pela Cordilheira dos Andes, com picos de até 6 mil metros de altitude a apenas 100km de distância, o que dá um ar especial ao local.

A visita à Santiago foi curta. Passamos lá apenas 1 final de semana (1,5 dia). Então se você quer saber o que dá pra fazer em pouco tempo, aqui podem estar algumas opções.

Chegamos lá numa sexta-feira à noite e ficamos até domingo à tarde, em Março de 2013.

Logo que chegamos a Santiago já avistamos a Cordilheira dos Andes por todos os lados. É lindo ver aquela montanha a partir de qualquer ponto da cidade (mas elas foram difíceis de fotografar, pois havia uma névoa que as tentava esconder).

Ficamos hospedados próximo ao Club de Golf Los Leones e do shopping Parque Arauco. Muito bom o hotel. As pessoas são muito simpáticas e o serviço é bom.

Dica da nossa amiga Tatiana do blog Por Mais Um Carimbo: para quem prefere contratar um serviço de taxi seguro e bem orientado, o nome do cara é Patrício. Ele é um motorista de taxi em Santiago e, segundo a Tatiana, "a simpatia em pessoa". Patricio realiza passeios em vinícolas e para cidades próximas, além de ser um ótimo local que indica bons restaurantes e sempre ajuda em qualquer coisa desde dúvidas ou problemas. Para entrar em contato com ele, email: patricio0776@hotmail.com, ou telefone: +56 9 6434 7649.

 

santiago-de-chile-02

Canteiro central na Avenida Américo Vespúcio Norte

Como explorar Santiago de Chile:

Podemos dividir a cidade em algumas áreas de interesse, como abaixo:

  • Centro: encontra-se a Plaza de Armas, o Mercado Central (na região conhecida como Setor do Poente) e a Catedral Metropolitana, além de ruas muito movimentadas. O Cerro Santa Lucia fica nas proximidades do centro.
  • Barrio El Golf: faz parte da região Las Condes, apelidada de "Sanhattan" por causa dos modernos edifícios. Bons restaurantes ficam na Avenida Isidora Goyenechea e El Bosque Sur.
  • Bella Vista: reduto boêmio da cidade, aos pés do Parque Metropolitano (Cerro San Cristobal).
  • Vitacura: bairro que combina ruas arborizadas com mansões do século 20 e condomínios grandiosos. Nesse bairro encontra-se o Parque Bicentenárioque tem vários eventos ao ar livre e dizem que é lindíssimo apesar de pequeno. O bairro é o epicentro das galerias de arte, quase todas em belos edifícios com ótimos cafés e livrarias. A mais famosa é a Galeria Animal, mas existem outras como a Marborough, a Isabel Aninat, Arte Espacio e Patricia Ready.
  • Brasil: o bairro recebeu esse nome devido a suas palmeiras. No início do século 20 era um bairro de luxo, mas em 40 os ricos se mudaram para oBarrio Alto e a construção da estrada separou o bairro da cidade e, graças a isso, muitas das mansões em estilo neoclássico e gótico ainda sobrevivem, tornando esse bairro uma das regiões mais belas de Santiago. Vale vistar o restaurante Boulevard Lavaud e passear pela Pasaje Adriana Cousino e a Paseje Lucrecia Valdés.
  • Concha y Toro: a região pertencia ao engenheiro e empreendedor Enrique Conha Y Toro que tentou construir uma região com ar europeu, com ruas de pedras e construções em estilo neoclássico, gótico e Bauhaus. Os destaques são o Teatro Carrera e o restaurante Zully.
Cerro San Cristobal

Cerro San Cristobal

santiago-de-chile-04

Santiago vista do Cerro San Cristobal

Parque de las Esculturas

Parque de las Esculturas

 

Viña Concha y Toro

 
santiago-de-chile-07No sábado pela manhã, acordamos cedo e fomos até a vinícola Concha y Toro. Caminhamos do hotel até o metrô. O bairro é muito bonito, haviam muitas pessoas caminhando, correndo ou andando de bike pelo canteiro central. O lugar me pareceu muito tranquilo.

Pegamos o metrô até a estação mais próxima de Concha y Toro (a estação "Las Mercedes", na linha L4 que vai para Plaza de Puente Alto), onde pegamos um taxi até a vinícola.

Eu já tinha feito a reserva do passeio guiado pela vinícola com antecedência pelo site oficial da empresa (clique aqui), e optei por um tour chamado Marques de Casa Concho Tour, onde além de fazer uma visita guiada pela viña, fizemos uma prova de vinhos e queijos.

Se você não pretende fazer a prova de vinhos para aprender a diferenciar vinhos e tal, não se preocupe, já que durante o tour normal ocorrem 2 provas de vinho (já inclusas no ticket).

A vinícola é grande e muito bem cuidada. O local é bonito e o passeio vale a pena. Lá existe uma área própria para aulas, onde podemos ver (e provar) os diferentes tipos de uva, conforme a guia nos explica suas diferenças.

A primeira prova de vinho ocorre quando acabamos de ver as uvas. Antes de entrarmos na adega (cave).  O ponto marcante da visita é o passeio pelo Casillero do Diablo, onde estão os vinhos mais caros.  A segunda prova de vinho ocorre logo após o Casillero del Diablo e então o tour acaba.

Quem escolheu o tour Marques (com prova de vinhos e queijos junto com umsommelier) é direcionado para uma sala grande. São 4 vinhos diferentes... muito bons. Essa prova ocorreu já próximo ao meio-dia, considerando que o café da manhã foi cedinho, não beba tudo que tiver na taça se você não quiser ficar suavemente embreagado. Caso isso ocorra, lá existe um restaurante (que parece bom; não cheguei a comer lá). Acabada a prova, vale passar pela lojinha e comprar alguns vinhos.

Voltamos então ao hotel para deixar os vinhos e fomos ao Cerro San Cristobal (Parque Metropolitano).

Informações:
Horário de funcionamento: Segunda a Domingo das 10-17h10. Fechado nos dias 01/Janeiro, 01/Maio, 18 e 19/Setembro, 25/Dezembro. Dias 24/Dezembro e 31/Dezembro fecha às 14h.

santiago-de-chile-08
santiago-de-chile-09
santiago-de-chile-05

 

Cerro San Cristobal

 

santiago-de-chile-10O Cerro de San Cristobal é o segundo ponto mais alto de Santiago e fica na região central. Subimos até o topo com o funicular, porém o teleférico que existia lá em cima estava desativado (segundo a moça da bilheteria, está desativado há anos).

De toda forma, valeu a visita. A vista lá de cima é linda. Mas vale avisar que as lanchonetes lá são muito ruins, então nem pense em deixar para comer algo por lá.

Esses dias li que há um restaurante muito famoso lá em cima chamado Camino Real, mas não cheguei a ver esse restaurante quando fui. Pelo que dizia na reportagem esse restaurante tem uma vista linda e é muito frequentado por diplomatas, etc. (coisa fina...rsrs)

Ver Santiago de lá de cima é lindo. Ver a cidade rodeada pelas cordilheiras... lindo. Chegando lá em cima, haverá locais para oração, uma estátua de 14m da Virgem e uma capela. Passamos cerca de 1 ou 2h no Cerro apreciando a vista e caminhando.

Informações:
Horário de funcionamento do funicular: Segundas das 14-19h e Terça a Domingo e Feriados das 10-19h.
Preço do funicular: CPL700 até a primeira parada do Zoo Nacional e CPL3.000 até a segunda parada.
Para aqueles que querem visitar o Zoo, preço é de CPL3.000 e funciona de Terça a Domingo das 10-19h30 no verão e das 10-18h no inverno.

santiago-de-chile-11
santiago-de-chile-12
santiago-de-chile-13

 

Rua Constitucion

 

santiago-de-chile-15Ao descermos, estávamos famintos e fomos à Rua da Constituicion, onde existem diversos bares e restaurantes, além do famoso Pátio Bella Vista.

santiago-de-chile-16Essa rua fica muito próxima da entrada do funicular e é fácil ir a pé. Lá em Santiago, recebi algumas indicações para comer num restaurante chamado Água para Chocolate, porém, como ainda era cedo (18h) eles ainda não estavam servindo refeição e acabamos comendo num pub ao lado (Dublin). Aproveite para provar o Pisco Sour, drink muito comum no Chile. Eu achei muito forte, mas tem muita gente que gosta.

Essa rua tem muitos restaurantes e bares que montam mesas nas calçadas o que deixa o ambiente muito agradável. Segundo o taxista, fora essa rua, as ruas paralelas são perigosas e era bom tomarmos cuidado se fossemos caminhar a pé pelas redondezas.

O Patio Bella Vista é um centro comercial, inaugurado em 2006 como parte de um projeto de reforma urbana. Lá existem várias lojas de artesanato, restaurantes, livrarias, joalherias e um hotel luxuoso chamado Hotel del Patio.

Após jantar passeamos um pouco pelo Patio Bella Vista e depois seguimos para o hotel. Tínhamos acordado às 6h e estávamos todos cansados. Na volta, a vista das cordilheiras ao anoitecer foi linda.

 

Parque de las Esculturas

 

No outro dia pela manhã, acordamos cedo novamente pois nosso vôo era depois do almoço. Passamos pelo Parque de las Esculturas e depois no Cerro Santa Lucia.

Apesar dele não ser nenhum famoso ponto turístico da cidade, no entanto, tem cerca de 30 obras de diversos artistas chilenos contemporâneos consagrados como Marta Colvin, Claudio Girola, Federico Assle, Juan Egenau, entre outros. O parque foi projetado após uma inundação do rio Mapocho em 1982, que provavelmente deixou este espaço devastado e inutilizado. A idéia de transformar uma grande catástrofe em espaço de lazer, cultura e arte é realmente algo que vale a pena prestigiar e divulgar, para que não passem despercebidos.

O parque foi projetado pelo arquiteto Germán Bannen e a área que ele tinha disponível era de cerca de 21mil m². Além de ser artístico por conta de "las esculturas", oferece três dias de Janeiro  um festival de jazz entre as obras.

Eu, particularmente, achei muito bonito. Mas a luz da manhã nos ajudou 🙂

Informações:
Horário de funcionamento: das 10-14h e voltando das 15-20h.
Entrada: Gratuita
Endereço: Santa María, 2201 (entre as pontes Pedro de Valdivia e Nueva de Lyon)
 
santiago-de-chile-19
santiago-de-chile-18
santiago-de-chile-17

 

Cerro Santa Lucía

 

santiago-de-chile-20Saindo do Parque de las Esculturas seguimos para o Cerro Santa Lucía (de taxi) que é sem dúvida um lugar lindo. Vale a pena subir até o topo para ver a cidade de lá.

A história deste Cerro se deu por volta de 1872, quando o governo erradicou as casas de moenda (casas de moer, provavelmente, cana de açúcar) e as vivendas de água potável e começou a modernizar o local.

O morro acabou se transformando com as intervenções de grandes áreas verdes, praças, um caminho de caminhadas, terraços, estátuas, fontes, veredas alumbrados, sistema de irrigação d'água e uma capela que teve sua construção financiada por pessoas da sociedade.

Desta forma, há um Castelo lá em cima, mas não estava aberto no momento em que visitamos o Cerro; uma pena, gostaria muito de ter entrado. O cerro oferece uma vista de 360º da cidade.

De lá, fomos para o aeroporto. Mesmo num passeio curto, vale a pena visitar alguma das vinícolas próximas a cidade. Eu fui até Concha y Toroque é muito grande e com alto volume de produção.

Pela cidade, aproveitamos para visitar o Cerro San Cristobal e de quebra paramos para comer próximo ao Patio Bella Vista. Se você tiver um pouco mais de tempo que eu, passe pela casa-museu 'La Chascona' (ex-casa do famoso Pablo Neruda)  Vale a pena passar pelo Cerro Santa Lucia (realmente lindo). Eu passei pelo parque de las esculturas que, normalmente, está fora dos roteiros turísticos, mas acho que vale a pena. É um local pequeno, porém com esculturas de chilenos famosos.

santiago-de-chile-21
santiago-de-chile-22
santiago-de-chile-23

 


 

 

 

Mais lugares para conhecer:

  • Um bom lugar para comer é na Rua Constituicion, próximo ao pátio Bella Vista, ou mesmo no próprio pátio. Você irá encontrar vários restaurantes nessa região com mesas a céu aberto. Recebi algumas indicações para comer no restaurante Como Água para Chocolate. Depois que já tinha voltado, indicaram um jantar sofisticado realizado pelo grupo Camino Real, no topo do Cerro San Cristobal. Por fim, também me foi indicado o restaurante Eladio.
  • Nem se precisa dizer que comprar vinho no Chile é uma boa ideia. Para aqueles que não vão na vinícola Concha y Toro, saiba que há várias lojas na cidade. Compre o Carmenere que é um vinho que só é produzido em 3 países do mundo (e um deles é o Chile). É um vinho tinto encorpado que vale a pena. Se você pretende comprar vários itens chilenos vá ao Shopping Mall Parque Arauco.
  • Museo Chileno de Arte Precolombino, que é um museu rico em artigos da época que o Chile ainda não fora "descoberto" pelos europeus.
  • Parque Florestal, que fica no meio da cidade e que abriga o Museo Nacional de Bellas Artes.
  • Casa Colorada que fica no centro histórico e que ainda preserva a arquitetura colonial.
  • Estacion Mapocho que agora é um centro cultural.
  • MAC - Museo de Arte Contemporaneo da Faculdade de Artes da Universidade de Chile.
  • Museo Histórico Nacional com artes decorativas, pinturas, fotografia, artigos arqueológicos, etc
  • Museo Nacional de Historia Natural e o La Chascona da Fundacion Pablo Neruda.
  • Para quem tem mais tempo e gosta de aventura na natureza, pode visitar o Cajon del Maipo que um canyon andino ou visitar o Valle Nevado que é um centro de ski. Também pode ir no El Yeso local onde são formados lagos entre as montanhas, ou Laguna del Diamante ou Tupungatito, um dos vulcões da região.
  • Por fim, dê uma passada na estação de metrô da Universidad de Chile, que é muito bonita (plataformas de embarque).

Leia as 8 atrações imperdíveis para quem está em Santiago, da Rosi Guimarães do blog Nós no Chile®

 


 

 

Clique na imagem abaixo para abrir o mapa dos locais indicados neste site:

mapa santiago

 

Hospedagem:

Novotel Vitacura localizado em um bairro residencial abastado, cercado de belas casas, canteiros para corridas matinais. Recomendo o hotel (equipe cortês e hotel bem organizado). Fica próximo ao shopping mall Parque Arauco. Endereço: Américo Vespucio Norte 1630.

Quem prefere hostel, pode ir no Rado Boutique Hostel que fica no bairro de Bellavista e tem um estilo classic rock. Possui quartos privativos. Endereço: Pio Nono 5

 

ATENÇÃO: Algumas informações descritas no site podem mudar, como por exemplo, preços, horários de funcionamento e até mesmo endereços. Consulte sempre antes de ir! Não possuímos vínculos com as empresas, serviços e profissionais mencionados neste site.

Deixe seu comentário / Nenhum comentário

Itinerário de Viagem (C) Direitos reservados
desenvolvido por