EnglishPortugueseSpanish
ROMA II
Postado por Estela T em março 17, 2016 Editado em junho 4, 2017

ROMA II: Segunda página dedicada à histórica cidade com dicas de turismo, sugestões de passeios, restaurantes, hospedagem e muito mais!

 


 

CENTRO ANTIGO

 

 

Monumento Nazionale a Vittorio Emanuele II

 

Italia, Italy, Roma, Monumento Nazionale a Vittorio Emanuele II

Foto de dia e no verão de 2011

Italia, Italy, Roma, Monumento Nazionale a Vittorio Emanuele II

Foto à noite e no inverno de 2016

Monumento Nazionale a Vittorio Emanuele II é gigante e vai ser quase que impossível não avistá-lo em algum ponto que você andar pela cidade. O monumento fica em frente à Piazza Venezia que é uma piazza gigantesca também.

Foi construído em 1885 e inaugurado em 1911 em homenagem ao primeiro rei da Italia unificada, porque, pra quem não sabe, por muitos anos a Italia era um país dividido em várias partes e territórios. De estilo eclético, possui a tumba de um soldado desconhecido morto na Primeira Guerra Mundial e levado para lá em 1921. O corpo que está lá foi escolhido de um total de 11 corpos de soldados desconhecidos. Uma coroa de flores está sempre lá, bem como duas chamas de fogo acesas 24h por dia.

Na época que foi construído, muitas pessoas foram contra devido ao tamanho colossal do projeto. Mas agora acho que todo mundo já se acostumou. Você pode andar nas escadarias e ver um pouco mais de perto as esculturas do local, mas o acesso é restrito em várias partes. Vimos a troca da guarda, foi interessante. Sei que há um nível mais acima que você pode subir (provavelmente pago) e ver a cidade inteira lá do alto.

Italia, Italy, Roma, Monumento Nazionale a Vittorio Emanuele II
Italia, Italy, Roma, Monumento Nazionale a Vittorio Emanuele II

 

 

Foro di Traiano e Mercados

 

Foro di Traiano e Mercados, Italia, Italy, Roma
Foro di Traiano e Mercados, Italia, Italy, Roma
Foro di Augusto, Italia, Italy, Roma
O Foro di Traiano que vemos hoje foi construído a mando do próprio Traiano no ano de 107, para comemorar a conquista da Dácia, que é o atual território da Romênia. Na época, o projeto era inusitado já que previa um amplo espaço aberto com colunas e estátuas do imperador montado a cavalo. Também havia uma grande basílica e duas grandes bibliotecas. Para quem estiver por lá, preste a atenção na coluna de Traiano que tem esculpido fatos sobre a vitoria da Dácia. Esta coluna ficava entre as duas grandes bibliotecas.

Já os Mercados foram adicionados e construídos um pouco depois. Você consegue ver tudo isso de graça, da calçada da rua e tirar boas fotos. Mas para quem quiser andar por lá, pode fazer uma visita paga. Acho que deve valer a pena, mas a grande maioria das pessoas que conheço não pagaram para entrar lá.

Informações:
Horário de funcionamento
: Diariamente das 09h30-19h30. Dias 24 e 31 de Dezembro das 09h30-14h
Gratuidade: todo primeiro Domingo de cada mês.
Audioguide: €4
Entrada: €11,50
EndereçoVia IV Novembre 94

 

 

Foro di Augusto

 

Foro di Augusto, Italia, Italy, Roma
Foro di Augusto, Italia, Italy, Roma
Foro di Augusto, Italia, Italy, Roma
O Foro di Augusto foi construído em 41 a.C. para celebrar a vitória de Augusto sobre os assassinos de Julius Cesar, não é à toa que também foi dedicado a Marte, o Vingador. Os registros constam que havia uma estátua colossal do imperador Augusto, mas nada mais existe lá. 

Pra mim ficou um pouco confuso onde terminava o Foro di Traiano e onde começava o Foro di Augusto. De toda forma, também dá pra ver muito da sua estrutura lá da rua.

Informações:
Horário de funcionamento
: Provavelmente, diariamente das 09h30-19h30. Dias 24 e 31 de Dezembro das 09h30-14h
Gratuidade: todo primeiro Domingo de cada mês.
Entrada: €12 (cheque a possibilidade de comprar o Foro Romanum + Palatin + Coliseo)
EndereçoVia di San Gregorio, 30

 

 

Coliseo

 

Coliseo, Coliseum, Coliseu, Italia, Italy, Roma
Coliseo, Coliseum, Coliseu, Italia, Italy, Roma
Coliseo, Coliseum, Coliseu, Italia, Italy, Roma
Coliseo, Coliseum, Coliseu, Italia, Italy, RomaQuando você está indo a pé para o Coliseo, parece até que você está indo a um estádio de futebol assistir uma final de campeonato ou indo a um show de rock e chegando perto do estádio, você começa a ver as grades de metal para organizar as filas ou para delimitar o trajeto do espectador. E é lógico... você encontra muita, mas muita gente indo pra lá. Como um chamado, você também o atende.

Coliseo já foi conhecido como Anfiteatro Flaviano e foi construído no período da Roma Antiga. O nome que conhecemos hoje é atribuído a uma colossal estátua colossal do imperador romano Nerone ou Nero, que uma vez existiu perto da edificação. Acho que deve ser o maior anfiteatro romano considerando o seu volume e relevo arquitetônico.

Construído em 72 a pedido de Vespasiano, estudos indicam que era capaz de abrigar perto de 50.000 pessoas, e possuía 48 metros de altura.

O Coliseu foi utilizado durante 400 anos, e seu  último registro foi realizado no século VI, após a queda de Roma em 476. Nos tempos áureos, o Coliseo era frequentado por Imperadores e cidadãos ricos para assistirem ao entretenimento da época: combates mortais entre gladiadores e também com animais selvagens. Depois de um tempo, além de gladiadores, haviam escravos, prisioneiros e criminosos entretendo de forma séria os espectadores. Estatísticas indicam que foram mortos mais de 9 mil animais e ouvi dizer, em algum lugar durante a viagem, que estima-se que cerca de 300 mil pessoas foram mortas lá.

 
Também ouvi dizer que, no andar de baixo da "arena", ficavam os gladiadores e escravos presos. Alguns iniciavam mortes lá embaixo mesmo para que o "show" não fosse realizado, combinando entre eles um matar o outro antes do "show". O edifício deixou de ser usado para entretenimento no começo da Idade Média, onde mais tarde foi usado como habitação, oficina, forte, pedreira, sede de ordens religiosas e templo cristão.

Quase nenhum mármore da estrutura original existe mais. Este material era comumente utilizado (retirado) para ornar as igrejas de Roma. Então você vê um edifício todo "pelado". Lógico que não foi só o homem que depredou o Coliseo já que há relatos de terremotos que danificaram o prédio.

Em 2007 o Coliseo entrou na lista das "7 Maravilhas do Mundo Moderno" e digo que ele é maravilhoso mesmo. Infelizmente em 2011 alguns fragmentos originais caíram e, portanto, até hoje, você vê os andaimes de reforma na fachada preciosa do edifício. É uma pena, mas pelo menos a viagem de 2011 ainda trouxe a fachada sem os andaimes!

Coliseo, Coliseum, Coliseu, Italia, Italy, Roma
Coliseo, Coliseum, Coliseu, Italia, Italy, Roma
Coliseo, Coliseum, Coliseu, Italia, Italy, Roma
Coliseo, Coliseum, Coliseu, Italia, Italy, Roma, Coluna de Adriano, Adrian's Column

DICAS PARA VISITAÇÃO:

Comprar antes ou na hora: Visitar o Coliseo é um evento. Então, dependendo da época do ano, sugiro que você compre antecipadamente os ingressos e leve o voucher impresso. Em Janeiro de 2016, como era baixa temporada, não tivemos problemas em comprar na hora. Já para a alta temporada, como ocorreu em 2011, compramos antecipadamente. Lembre-se que é um evento, então, haverá filas grandes. O ingresso para o Coliseo inclui visita para o Palatino + Foro Romanum. Não tem como comprar separado.

Duração da visita: A duração é relativa. Tem gente que só passa, registra e vai embora. Tem gente que quer ver tudo. Nós somos daqueles que gosta de ver tudo, tudo mesmo! São duas voltas de dois níveis no Coliseo inteiro. Quem quiser conhecer o terceiro nível que inclui o "palco" e as áreas que os gladiadores ficavam, o passeio pode demorar mais. Por falar nisso, se para passear nestes dois últimos pontos que falei, é necessário comprar o ingresso diferente, aquele com visita guiada. Especifique na bilheteria que você quer ir lá, porque eles não oferecem espontaneamente. Visitar o Coliseo e Palatinum + Foro Romanum pode levar o dia inteiro. Em 2016 chegamos às 10h e saímos com os funcionários nos expulsando de lá e como estava frio, visitamos a fundo os lugares e não estávamos cansados. Em caso de verão, vale a pensa considerar voltar no outro dia para continuar a visitação. 

Validade dos ingressos: Infelizmente você só pode visitar o Coliseo no mesmo dia que adquirir o ingresso. Mas você pode visitar o Palatin + Foro Romanum no próximo dia também.

Leve um lanche: sim... leve um lanche com você. Há poucas opções na rua para comer algo decente. No verão até tem alguns "food turcos", mas nem sempre eles estarão lá. Dentro do Palatin e Foro Romanum há "snacks bar", mas as opções de petiscos podem não suprir o visitante e a quantidade deles é pouca, muito pouca.

Não se decepcione: Não ache que lá é pequeno. Dá uma impressão que é bem pequeno, mas não é. Não se decepcione se você vir paredes riscadas com nomes de fulanos que não respeitam o patrimônio mundial. Infelizmente não há muitos fiscais para impedir isso. E sim, é cheio e tirar uma foto no lugar que você quer exigirá paciência.

Visita noturna: Sim, existe. Não fomos, mas é possível fazer visita guiada. Se informe no site oficial!

Informações:
Horário de funcionamento
: No ano todo abre às 08h30 e fecha lá pelas 17h, sendo que de Março a Agosto fecha às 19h15.
Entrada: €12 (há uma taxa de reserva online de €2)
Gratuidade no primeiro domingo de cada mês
Estudantes de arquitetura, artes, arqueologia e afins não pagam ingressos conforme site. Mas não aceitaram a carteirinha de estudante do meu namorado (que estuda arquitetura)
Para ter um guia, adicione €5 (duração de 45 minutos - há horários específicos, clique aqui para saber e reservar)
Para ir ao subsolo, adicione €9 (duração de 01h15mins - há horários específicos, clique aqui para saber e reservar)
Audioguide: €5,50 (duração de 01h10mins)

Coliseo, Coliseum, Coliseu, Italia, Italy, Roma

 

 

Palatin (Palatino)

 

Palatin, Palatino, Italia, Italy, RomaO Palatin era como um bairro com residência dos imperadores e aristocratas da Roma Antiga. Hoje você visita as ruínas de casas um pouco mais simples, como a de Augusto (que nasceu lá), até um luxuoso palácio de Dominicano.

Uma dica é saber onde está a entrada do Palatin que é a mesma do Foro Romanum. Como grande parte dos turistas, depois de visitar o Coliseo, todo mundo passa pelo Arco di Constantino e segue reto numa rua (Via Sacra) que é subida, e você acredita ser lá a entrada porque faz total sentido. Aí você anda, vê através das grades de metal que há pessoas lá dentro e você não vê a hora de encontrar a entrada, até a rua te levar de frente a uma igreja e há apenas ela.

Dando meia volta, você chega no Arco di Constantino novamente e finalmente pergunta a alguém onde é a entrada. Pois bem, a entrada fica além do Arco. Para se orientar: olhe para o arco e veja a face que está apontada para o Coliseo. A direção é a oposta, na Via San Gregorio.

Diz a lenda que os filhos de Rea Silvia e do deus Marte, Rômulo e Remo, foram encontrados dentro de um cesto (após serem jogados no rio Tibre), no sopé dos montes Palatin e Capitolini, por uma loba que os amamenta. E foi lá que Rômulo fundou Roma, justamente na colina Palatin. Então, para quem adora estas lendas, este é o lugar de sentí-las!

O Palatin é grande, levamos muitas horas para conhecê-lo a fundo. Lá dentro há um museu com objetos encontrados e também sobre uma história da construção desde as tribos remotas que habitaram aquele lugar. Vale a pena entrar, até porque faz parte do ingresso!

Palatin, Palatino, Italia, Italy, Roma, Museu Palatino, Palatin Museum, Museo PalatinO Museo Palatin fica em um prédio que destoa absurdamente do resto do sítio arqueológico, porque fica um prédio da década de 1930. São 4 salas do primeiro andar destinados aos visitantes e lá você encontra alguns materiais importantes encontrados na colina, além dos itens relacionados à topografia e a alguns monumentos.

Em escavações no Palatin, foram encontrados vestígios de cabanas de barro e madeira que remontam ao século XIII a.C, o que sustenta a lenda de Rômulo e a fundação de Roma. Como eu havia dito, a Italia era uma região habitada por tribos e as estruturas encontradas lá (mostradas em maquetes) mostra mesmo estruturas tribais que não diferem muito das indígenas brasileiras. É interessante pode associar algo deste tipo e observar as diferenças e evolução de cada uma.

O museu é pequenoe vale a pena dar uma estudada lá. Acho que acrescenta ainda mais para o entendimento e importância do local.

Palatin, Palatino, Italia, Italy, Roma
Palatin, Palatino, Italia, Italy, Roma
Palatin, Palatino, Italia, Italy, Roma, Museu Palatino, Palatin Museum, Museo Palatin

Maquete das casas das tribos (antes do Império Romano)

Palatin, Palatino, Italia, Italy, Roma, Museu Palatino, Palatin Museum, Museo Palatin

Alguns itens encontrados

Palatin, Palatino, Italia, Italy, Roma, Museu Palatino, Palatin Museum, Museo Palatin

Estas asas de anjo são irresistíveis para tirar fotos na frente delas (fazendo-as como suas)

Palatin, Palatino, Italia, Italy, Roma, Museu Palatino, Palatin Museum, Museo Palatin

Muitas estátuas danificadas

Palatin, Palatino, Italia, Italy, Roma, Museu Palatino, Palatin Museum, Museo Palatin
Palatin, Palatino, Italia, Italy, Roma, Museu Palatino, Palatin Museum, Museo Palatin

 

 

Foro Romanum

 

Informações (iguais a do Coliseo):
Horário de funcionamento
: No ano todo abre às 08h30 e fecha lá pelas 17h, sendo que de Março a Agosto fecha às 19h15.
Entrada: €12 junto com Coliseo e Foro Romanum (há uma taxa de reserva online de €2)
Estudantes de arquitetura, artes, arqueologia e afins não pagam ingressos conforme site. Mas não aceitaram a carteirinha de estudante do meu namorado (que estuda arquitetura)

Italia, Italy, Roma, Foro Romanum, Forum Romano, Roman Forum

Foro Romanum à noite, visto da colina do Capitolini (Jan/2016)

Italia, Italy, Roma, Foro Romanum, Forum Romano, Roman Forum

Templo de Saturno e o Arco de Sétimo Severo (verão)

O Foro Romanum era um local caótico, cheio de barracas de comida e prostíbulos ao lado de templos e do Senado. Mas no século II a.C., foi decidido que o centro de Roma deveria ser mais, digamos, sério e as lojas foram substituídas por cortes de justiça e centros comerciais menos caóticos.

Um pouco menor que o Palatin, possui algumas estátuas ao redor, o que deixa o passeio um pouco mais diferente. Além disso, possui muitas colunas e arcos. Um dos prédios mais bonitos é o templo de Antonino e Faustina, além da estrutura das abóboras cilíndricas da Basílica de Constantino e Maxêncio, usado na épocapara assuntos de justiça e negócios.

Um canto muito explorado como tema para pinturas (para os pintores de rua) é o conjunto do Templo de Saturno e o Arco de Sétimo Severo (este erguido em 203 e é o mais preservado monumento de lá, com painéis em relevo em mármore retratando vitórias militares do imperador na região de Pátria e na Arábia). Aliás, foi por lá que fomos embora, meio tristonhos por não ter tempo para ver tudo já que fomos expulsos porque já era hora do encerramento das atividades.

Dicas: Não deixe de dar uma olhada no Foro Romanum estando no topo do Palatin. É lindo e dá pra começar a planejar na cabeça como vai ser a sua visita no Foro Romanum. Outra... se você pegar chuva, como nós em Janeiro/2016, cuidado porque o piso é escorregadio e solados de borracha são perigosos por lá.

Italia, Italy, Roma, Foro Romanum, Forum Romano, Roman Forum

Foro Romanum no verão

Italia, Italy, Roma, Foro Romanum, Forum Romano, Roman Forum

Detalhes do Foro Romanum (verão)

Italia, Italy, Roma, Foro Romanum, Forum Romano, Roman Forum
Deu fome?

Para quem esqueceu ou não se preparou e esqueceu de levar um lanche para fazer o passeio no Coleseo + Palatino + Fórum Romano poderá ter uma chance de repor as energias por lá. Quando chegamos no Palatino percebi que há um "self bar", mas apenas um. O Palatino é grande e pode ser que seja difícil voltar neste ponto para procurar por calorias. Somente quando chegamos no Fórum Romano é que realmente procuramos o tal de "self bar" porque esquecemos de levar lanche e chegou um momento que não dava mais para seguir adiante sem ingerir algum alimento.

Seguindo as orientações de turistas (porque as placas ficavam apontando para locais errôneos) chegamos ao "self bar" e compramos batatas fritas, cafés e amendoins. Este foi, oficialmente, o nosso almoço daquele dia. Foi ótimo poder comer algo e esperar um pouco a chuva passar. O interessante é que este ponto fica dentro de um tipo de sala de um prédio do Fórum, então foi legal a experiência. Ah! Não há onde se sentar.

Italia, Italy, Roma, Foro Romanum, Forum Romano, Roman Forum

 

 

Musei Capitolino

 

Italia, Italy, Roma, Musei Capitolini, Museus Capitolinos, Capitolin Museums, arte, art, museu, museum

Fachada de um dos prédios (inverno)

O Musei Capitolini é na verdade  um conjunto de palácios romanos que abriga uma vasta e importantíssima coleção de obras de arte. São três prédios mas só entramos em 2 e ficam no topo da colina Capitolini, em torno da praça redesenhada por Michelangelo em 1536 (mas saiba que foi reconstruída ao longo de 400 anos).

A coleção começou quando o papa Sisto IV doou à cidade uma primeira série de estátuas de bronze (em 1471), incluindo a famosa Loba romana, o Spinario, o Camilo, e o conjunto de restos gigantes da estátua  de Constantino I.

No fim do século XV e meados do século XVI, foram adicionados à coleção a estátua dourada de Hércules, relevos mostrando Marco Aurélio e placas com inscrições, estátuas da era de Traiano. Em 1566, o papa Pio V transferiu do Vaticano para o Capitolini obras de ídolos pagãos, engrossando ainda mais o acervo de estátuas antigas importantes. Algumas podemos ver sobre o edifício.

Italia, Italy, Roma, Musei Capitolini, Museus Capitolinos, Capitolin Museums, arte, art, museu, museum

Escadaria de acesso para o Musei Capitolini no verão

Italia, Italy, Roma, Musei Capitolini, Museus Capitolinos, Capitolin Museums, arte, art, museu, museum

Fachada de um dos prédios à noite

A visita se deu em dois prédio idênticos. o Segundo foi construído em 1654, chamado de Palazzo Nuovo (lado oposto da praça)

Fique sabendo:
Palazzo dei Conservatori: abriga esculturas de mármore e bronze além de pinturas importantes de Caravaggio, Tiziano, Rubens, Van Dyck e Lorenzo Lotto. São três andares: o subsolo (incluindo o corredor para o Palazzo Clementino-Caffarelli), o térreo e o primeiro.
Palazzo Clementino-Caffarelli: acervo  no segundo e terceiro andar, incluindo Caravaggio.

Vá com tempo para conhecer os dois prédios. Levamos cerca de 3 horas para conhecer o acervo, apreciando com calma. A visita ocorreu em Janeiro de 2016 e não estava cheio. Como fica aberto até mais tarde, aproveitamos após a visita do Coliseo + Foro + Palatin para continuar o trajeto naquela região.

Italia, Italy, Roma, Musei Capitolini, Museus Capitolinos, Capitolin Museums, arte, art, museu, museum

Afrescos impressionantes

Italia, Italy, Roma, Musei Capitolini, Museus Capitolinos, Capitolin Museums, arte, art, museu, museum, Bernini, escultura, sculpture

Medusa de Bernini

Italia, Italy, Roma, Musei Capitolini, Museus Capitolinos, Capitolin Museums, arte, art, museu, museum, pintura, painting, Caravaggio

San João Batista (no meio) e A "Buona ventura" (à direita), ambos de Caravaggio. A última é uma das versões da mesma tela feita pelo artista (a outra está no Musée du Louvre, Paris)

Romulo e remo, Italia, Italy, Roma, Musei Capitolini, Museus Capitolinos, Capitolin Museums, arte, art, museu, museum, escultura, sculpture

A famosa loba que amamenta Rômulo e Remo

Italia, Italy, Roma, Musei Capitolini, Museus Capitolinos, Capitolin Museums, arte, art, museu, museum, constantino, escultura, sculpture

Moldes de bronze para a estátua de Constantino

Italia, Italy, Roma, Musei Capitolini, Museus Capitolinos, Capitolin Museums, arte, art, museu, museum, escultura, sculpture

Corredor de esculturas

Informações:
Horário de funcionamento
: Aberto diariamente das 09h30-19h30. Dias 24 e 31 de Dezembro das 09h30-14h. Fechado nos dias 1º de Janeiro, 1º de Maio e 25 de Dezembro.
Entrada: €11,50
Audioguide: €5
Gratuidade: Todo primeiro Domingo de cada mês.
EndereçoPiazza del Campidoglio 1
 
 

 

FORA DO CENTRO

 
 
 

 

MADRO - Museo d'Arte Contemporanea di Roma

 

 

Italia, Italy, Roma, art, museu, museum, Contemporary art, arte contemporanea, MACRO, Museo d'Arte Contemporanea di Roma

Fachada do MACRO

O MACRO é um fantástico espaço de arte contemporânea. Para aqueles que querem "dar um tempo" na overdose de arte clássica italiana, pode dar uma escapada aqui. Um pouco afastado do centro histórico, pegamos um ônibus e descemos perto da Embaixada Britânica. De lá fomos tranquilamente a pé. Para quem quiser dá pra ir de metrô, descendo na estação Policlinico. O museu possui dois prédios e só fomos neste na via Nizza. O outro complexo fica na na Piazza Orazio Giustiniani, que é o MACRO Future.

A idealização do MACRO começou em meados dos anos 90 e foi oficialmente aberto somente em Outubro de 2002. Possui uma coleção permanente com uma seleção de algumas das expressões mais significativas da cena de arte italiana desde a década de 1960, tais como Carla Accardi, Antonio Sanfilippo, Achille Perilli, Piero Dorazio, Leoncillo, Ettore Colla, Mario Ceroli, Pino Pascali, Tano Festa, Mario Schifano, Titina Maselli e Mimmo Rotella.

O prédio também não passa despercebido, sendo este um projeto do arquiteto francês Odile Decq, que manteve boa parte do edifício original na incorporação das estruturas de aço e vidro.

Italia, Italy, Roma, art, museu, museum, Contemporary art, arte contemporanea, MACRO, Museo d'Arte Contemporanea di Roma

Entrada do museu

Italia, Italy, Roma, art, museu, museum, Contemporary art, arte contemporanea, MACRO, Museo d'Arte Contemporanea di Roma

Exposição de Gillo Dorfeles

Italia, Italy, Roma, art, museu, museum, Contemporary art, arte contemporanea, MACRO, Museo d'Arte Contemporanea di Roma

O térreo mostrando um pouco da arquitetura

Italia, Italy, Roma, art, museu, museum, Contemporary art, arte contemporanea, MACRO, Museo d'Arte Contemporanea di Roma

Espaço expositivo com coletivo de artistas

Informações:
Horário de funcionamento: Terça a Domingo das 10h30-19h. Dias 24 e 31 de Dezembro das 10h30-14h. Dependendo da temporada e eventos, os horários podem sofrer alterações. Fechado às Segundas-feiras, 1º de Janeiro, 1º de Maio e 25 de Dezembro
Entrada: € 13,50 (se você for estudante de arquitetura e artes consegue desconto e nem precisa ser estudante da União Europeia)
Endereço: Via Nizza 138
A idealização do MACRO começou em meados dos anos 90 e foi oficialmente aberto somente em Outubro de 2002. Possui uma coleção permanente com uma seleção de algumas das expressões mais significativas da cena de arte italiana desde a década de 1960, tais como Carla Accardi, Antonio Sanfilippo, Achille Perilli, Piero Dorazio, Leoncillo, Ettore Colla, Mario Ceroli, Pino Pascali, Tano Festa, Mario Schifano, Titina Maselli e Mimmo Rotella.

O prédio também não passa despercebido, sendo este um projeto do arquiteto francês Odile Decq, que manteve boa parte do edifício original na incorporação das estruturas de aço e vidro.

 

 

Museo e Galleria Borghese

 

Italia, Italy, Roma, art, museu, Museo e Galleria BorgheseA Galleria Borghese é local obrigatório para visitar em Roma. Primeiro porque o prédio é lindo, segundo porque abriga coleções riquíssimas, cheia de Bernini e Caravaggio, além de Tiziano, Rubens, Raffaello, Leonardo da Vinci.

O único ponto negativo deste museu é que eles limitam a vista em 2 horas e, portanto, veja o horário que começa cada visitação, porque levamos 1h30 só no primeiro andar (e são dois no total). Eu achei injusto!

A villa era do cardeal Scipione Borghese, criada em 1605. O palácio era para ser uma casa de campo e para receber hóspedes e também para exibir o acervo de pinturas e esculturas. Infelizmente em 1801 o príncipe Camillo Borghese, que era casado com a irmã de Napoleon Bonaparte, vendeu muitas obras de arte da família para o cunhado francês. Estas estátuas vendidas estão no Musée du Louvre. Sorte que o cardeal Scipione e manteve esculturas de Bernini e o conjunto destas esculturas deste artista são as mais importantes e mais famosas do mundo. Só de ver as esculturas dele, já vale a visita!

Italia, Italy, Roma, art, museu, Museo e Galleria Borghese, Bernini

Primeiro salão

Italia, Italy, Roma, art, museu, Museo e Galleria Borghese, Caravaggio

Detalhe do salão com obras de Caravaggio

Italia, Italy, Roma, art, museu, Museo e Galleria Borghese, Bernini

"O Rapto de Proserpina" de Bernini

Italia, Italy, Roma, art, museu, Museo e Galleria Borghese, Bernini

"Fuga de Troia" de Bernini

Italia, Italy, Roma, art, museu, Museo e Galleria Borghese

"La Veritá" de Bernini

Italia, Italy, Roma, art, museu, Museo e Galleria Borghese

Detalhes da expografia

Italia, Italy, Roma, art, museu, Museo e Galleria Borghese, Bernini

Davi de Bernini

Italia, Italy, Roma, art, museu, Museo e Galleria Borghese, Bernini

Lindíssima escultura de "Apolo e Dafne" de Bernini

Italia, Italy, Roma, art, museu, Museo e Galleria Borghese

Venus Victrix

Italia, Italy, Roma, art, museu, Museo e Galleria Borghese

Afrescos

São dois andares, sendo oito salas no primeiro andar, o térreo. Acho que o térreo é realmente o mais bonito andar e com muitas obras de arte importantíssimas. Apesar de ter salas exageradamente ornadas, os itens não ficam camuflados ou bagunçados. Dá pra apreciar plenamente.

As esculturas de Bernini realmente surpreendem. Ele era mestre mesmo. Em alguns casos, você até duvida se ele não "empredou" pessoas vivas lá, de tão perfeitas que são! A estátua de Davi, dizem que o papa Urbano VIII deu um espelho a Bernini para que ele pudesse esculpir o seu próprio rosto como modelo.

Ainda no térreo há uma escultura  da Venus Victrix onde a mulher do Camillo Borghese é a modelo. Parece que na época que a escultura foi feita, em 1805, o resultado chocou (negativamente) os que a viram e Camillo Borghese manteve a escultura escondida até do próprio artista que a esculpiu, Canova.

Não tem como não se emocionar na sala com 6 quadros de Caravaggio. São: "Bacchino malato" (que dizem que é o autorretrato dele), "Davide con la testa di Golia", "Madonna dei Palafrenieri", "San Giovanni Battista", "San Gerolamo" e "Giovane con canestro di frutta".

O segundo andar é menos "ornado", com várias pinturas. Não deixe de ver as de Tiziano e a "Depozione" de Raffaello, que falam que é a obra-prima dele.

Italia, Italy, Roma, art, museu, Museo e Galleria Borghese

Detalhe da expografia do andar de cima: pinturas

Italia, Italy, Roma, art, museu, Museo e Galleria Borghese, Tiziano

"L'Amor sacro e Amor profano" de Tiziano

Italia, Italy, Roma, art, museu, Museo e Galleria Borghese

Pinturas do segundo andar

Italia, Italy, Roma, art, museu, Museo e Galleria Borghese, Raffaello Sanzio

"Deposizione" de Raffaello Sanzio

Informações:
Horário de funcionamento: Terça-feira a Domingo das 09h-19h. Última admissão às 17:00 - Há limitação de 360 pessoas no interior e a visita dura apenas 2 horas, sendo estes os horários que cada turma entra: 09.00-11.00 / 11.00-13.00 / 13.00-15.00 / 15.00-17.00 / 17.00-19.00
Visite o depósito - 15h-16h e 16h-17h
Fechado Segunda-feira, 25 de Dezembro de 01 de janeiro
Entrada: € 12
Endereço: Piazzale Scipione Borghese, 5
 

 

Villa Borghese

 

Italia, Italy, Roma, park, parque, Villa BorgheseA Villa Borghese nasceu na mesma concepção do Palazzo Borghese, que é onde fica a Galleria Borghese. Como é um parque, foi o primeiro do gênero em Roma, com jardins clássicos divididos por avenidas que às vezes te confunde se o parque acabou ou não.

Hoje você pode passear em um agradável parque público e ver alguns templos e fontes em falso estilo clássico, acrescidas no século XVIII. Há um pequeno zoológico chamado Bioparco. Além de abrigar  a Galleria Nazionale d'Arte Moderna, uma estufa, o Museo Carlo Bilotti.

O local oferece um agradável passeio. Mesmo tendo andado sem parar, foi energizante estar em contato com a natureza de lá e observar as pessoas se exercitando ou apensas se divertindo.

playgrounds para as crianças e alguns quiosques de lanchonete. Naquele momento, paramos em uma barraca para comermos algo mais simples e partimos para um lanche com pepperoni que estava bom.

Não andamos o parque todo, andamos praticamente em linha reta. Mas com certeza quando voltar para Roma, quero explorar ainda mais este lugar. Ele não é muito grande, é muito possível conhecê-lo a fundo calmamente. No final nos deparamos na Viale Gabriele D'Annunzio que tem um bom mirante chamado "Pincio" para a direção do Vaticano. A vista lá é linda. Repare na última foto do conjunto abaixo.

Italia, Italy, Roma, park, parque, Villa Borghese

Detalhe com playground

Italia, Italy, Roma, park, parque, Villa Borghese

Quiosques de lanches

Italia, Italy, Roma, park, parque, Villa Borghese

Vista para o Vaticano no Pincio

 

 

MAXXI - Museo Nazionale delle Arti del XXI Secolo

 

 
Italia, Italy, art, arte, contemporary art, arte contemporanea, MAXXI - Museo Nazionale delle Arti del XXI Secolo, MAXXI, Museo Nazionale delle Arti del XXI Secolo
Italia, Italy, art, arte, contemporary art, arte contemporanea, MAXXI - Museo Nazionale delle Arti del XXI Secolo, MAXXI, Museo Nazionale delle Arti del XXI Secolo
O MAXXI - Museo nazionale delle Arti del XXI secolo colocou Roma no cenário da arte contemporânea. E definitivamente, para quem gosta de arte contemporânea, é muito bom o museu. É passagem obrigatória. Inaugurado em 2009, a criatividade e inovação já começa pelo prédio, projetado pela arquiteta Zaha Hadid. Aliás, o prédio é sempre mencionado em aulas de arquitetura, talvez no mundo todo, já que Hadid é a arquiteta do momento.

Com um pé na arquitetura, tendo expostos trabalhos incríveis nesta área, o museu tem grandes nomes de artistas contemporâneos italianos e internacionais consagrados. Infelizmente o segundo andar estava interditado porque estavam arrumando para uma nova exposição. Mas quando é assim, acho que deveríamos pagar um preço mais barato nos ingressos.

Italia, Italy, art, arte, contemporary art, arte contemporanea, MAXXI - Museo Nazionale delle Arti del XXI Secolo, MAXXI, Museo Nazionale delle Arti del XXI Secolo, Anish Kapoor
Italia, Italy, art, arte, contemporary art, arte contemporanea, MAXXI - Museo Nazionale delle Arti del XXI Secolo, MAXXI, Museo Nazionale delle Arti del XXI Secolo
Italia, Italy, art, arte, contemporary art, arte contemporanea, MAXXI - Museo Nazionale delle Arti del XXI Secolo, MAXXI, Museo Nazionale delle Arti del XXI Secolo
Italia, Italy, art, arte, contemporary art, arte contemporanea, MAXXI - Museo Nazionale delle Arti del XXI Secolo, MAXXI, Museo Nazionale delle Arti del XXI Secolo
Italia, Italy, art, arte, contemporary art, arte contemporanea, MAXXI - Museo Nazionale delle Arti del XXI Secolo, MAXXI, Museo Nazionale delle Arti del XXI Secolo
Italia, Italy, art, arte, contemporary art, arte contemporanea, MAXXI - Museo Nazionale delle Arti del XXI Secolo, MAXXI, Museo Nazionale delle Arti del XXI Secolo
 
Obviamente, a todo momento que você for no MAXXI haverá exposições diferentes. Vimos uma exposição chamada "Istanbul, Passione, goiva, furore" e lá reconhecemos um video-arte de um artista que foi selecionado na Bienal de São Paulo de 2014. Foi legal rever o vídeo em versão estendida. Mas particularmente não gosto muito de arte que enfoca manifestações.
 
Italia, Italy, art, arte, contemporary art, arte contemporanea, MAXXI - Museo Nazionale delle Arti del XXI Secolo, MAXXI, Museo Nazionale delle Arti del XXI Secolo
Italia, Italy, art, arte, contemporary art, arte contemporanea, MAXXI - Museo Nazionale delle Arti del XXI Secolo, MAXXI, Museo Nazionale delle Arti del XXI Secolo
 
Adorei a exposição chamada "Transformes" com obras de 4 artistas: o coreano Choi Jeong-Hwa, o franco-português Didier Faustino, o italiano Martino Gamper e o mexicano Pedro Reyes. Todos os trabalhos são fantásticos mas o de Pedro Reyes foi fenomenal, onde ele usa pedaços de armas de fogo (de verdade) e faz instrumentos musicais que tocam conforme uma programação eletrônica. É MARAVILHOSO este trabalho! Veja a foto da direita no canto superior direito no conjunto abaixo.
 
Italia, Italy, art, arte, contemporary art, arte contemporanea, MAXXI - Museo Nazionale delle Arti del XXI Secolo, MAXXI, Museo Nazionale delle Arti del XXI Secolo
Italia, Italy, art, arte, contemporary art, arte contemporanea, MAXXI - Museo Nazionale delle Arti del XXI Secolo, MAXXI, Museo Nazionale delle Arti del XXI Secolo
Italia, Italy, art, arte, contemporary art, arte contemporanea, MAXXI - Museo Nazionale delle Arti del XXI Secolo, MAXXI, Museo Nazionale delle Arti del XXI Secolo
Italia, Italy, art, arte, contemporary art, arte contemporanea, MAXXI - Museo Nazionale delle Arti del XXI Secolo, MAXXI, Museo Nazionale delle Arti del XXI Secolo

 


 

AVENTINO E LATERANO

 

 

Terme di Caracalla

 

 

Italia, Italy, Terme di Caracalla
Italia, Italy, Terme di Caracalla
Italia, Italy, Terme di Caracalla
Italia, Italy, Terme di Caracalla

Detalhe dos afrescos

A Terme di Caracalla fica aos pés do monte Aventino. A construção foi iniciada por Sétimo Severo, em 206 e concluída por seu filho, Caracalla, em 217. Por isso o nome dele no nome do local. A sua funcionalidade como terma se estendeu até o século VI, época em que os godos sabotaram os aquedutos da cidade.

Na Roma Antiga era um acontecimento social ir a uma terma. Uma terma comportava até 1.600 pessoas e elas iam lá para se banharem e para conversarem. Além disso, havia galerias de arte, esportes, jardim, bibliotecas, sala de leitura, sala de conferência, lojas de comidas e bebidas. Era como um clube.

A maioria dos ornamentos da Terme di Caracalla está no Palazzo Farnese, alguns mosaicos e estátuas estão no Museo Nazionale Archeologico di Napoli e outros objetos estão no Museo Profano Gregoriano no Vaticano.

Fique atento que em Agosto é temporada de ópera ao ar livre. Aproveite!

Informações:
Horário de funcionamento
: Aberto todos os dias a partir das 09h.
O horário de encerramento depende: A partir do último domingo de Outubro a 15 de Fevereiro fecha às 16h30; a partir de 16 de Fevereiro a 15 de Março fecha às 17h; a partir de 16 de Março ao último Sábado de Março fecha às 17h30; último Domingo de Março a 31 de Agosto fecha às 19h30;
de 1º de Setembro a 30 de Setembro fecha às 19h e de 1º de Outubro até o último Sábado de Outubro fecha às 18h30.
Fechado no dia 1º de Janeiro, 1º de Maio e 25 de Dezembro.
Entrada: há um bilhete único válido por 7 dias para a Terme de Caracalla, Villa dei Quintili e o Metella Mausoléu Cecilia por €6.
Gratuidade para menores de 18 anos.

 


 

 

Mais lugares para conhecer:

 

  • Procure o Terrazzo delle Quadrighe porque dizem que tem uma vista linda lá de cima. Não conseguimos ir lá porque o local estava restrito a visitantes. Uma pena. Visita paga.
  • A Chiesa Santa Maria in Aracoeli é uma das igrejas que deve ser visitada
  • Dê uma andada na Piazza della Boca della Berità e fique de olho no detalhe do bueiro da Santa Maria in Cosmedin.
  • Conheça os Templos do Foro Boarium
  • Entre na San Clemente
  • Não perca a San Giovanni in Laterano, que pelas fotos que vi é uma igreja linda e diferente
  • Visite o acervo da Villa Giulia. Visita paga.
  • Perto do x tem o Terre e Domus. Refeições em torno de €30. Endereço: Via Foro Traiano 82-4.
  • O restaurante Asino d’Oro possui ótimos almoços executivos com 2 e 3 pratos, a partir de €15. Endereço: Via del Boschetto 73.
  • Quem quer um lanche, pode ir na Zia Rosetta que usa um tipo de pão crocante chamado Rosetta. Preço médio: €5. Endereço: Via Urbana 54.
  • Dizem que a sorveteria Il Gelato di Claudio Torcè possui o melhor gelato de Roma. Não provamos, mas se você provar, me conta depois! Endereço: Viale Aventino, 59.
  • Não muito longe da sorveteria, tem o Da Felice que é uma tratoria familiar de 1936. O menu muda a cada dia da semana. Endereço: Via Mastrogiorgio, 29.

 

Check List

 

Quantos dias ficar: Em 7 dias que estivemos por lá não conseguimos conhecer a cidade inteira. Dependendo do que você for fazer, é recomendado ficar pelo menos 9 dias. Se você quer ir a grande maioria dos museus e aprecia arte com calma, o número de dias pode aumentar. Se quiser quase tudo, talvez 14 dias seja um bom número de dias, podendo até incluir, talvez, cidades pequenas mais próximas.

Quanto custa: Dependendo do que você deseja estes valores podem mudar, mas você consegue encontrar boas refeições a partir de €12. Há quem prefira comprar um pedaço de pizza por €3 a €5 e sair comendo pela cidade para não perder tempo. Uma taça de vinho custa €4. Metrô e ônibus custam em torno de €1,50 a €2. O ônibus você pode usar o mesmo bilhete por 100 minutos. Quem vai pegar muitas conduções, há o bilhete de 24h por €7, 48h por €12,50 e 72h por €18 com viagens ilimitadas de ônibus e metrô. Os ingressos para as atrações giram em torno de €10 a €16.

Em relação a hospedagem, considere para um B&B a partir de €50/noite e um hotel a partir de €80/noite.

Não avaliamos a vantagem da compra do Roma Pass. Para quem não sabe, é um cartão que inclui pouquíssimos museus e transporte ilimitado. Você escolhe o cartão de 3 dias ou 48h. Parece que ele dá desconto em algumas atrações, mas não está claro quanto de desconto é oferecido. Uma amiga minha me disse que pela localização da nossa hospedagem, seria um desperdício gastar com o Roma Pass.

 


 

 

Clique na imagem abaixo para abrir o mapa dos locais indicados neste site:

 

mapa roma

Leia sobre as dicas de hospedagem em Roma na página ROMA I.

Lá você encontra também dicas de algumas idas e vindas pelo Termini, sendo um ponto para irmos também ao Aeroporto Campino.

 

 


 

ATENÇÃO: Algumas informações descritas no site podem mudar, como por exemplo, preços, horários de funcionamento e até mesmo endereços. Consulte sempre antes de ir! Não possuímos vínculos com as empresas, serviços e profissionais mencionados neste site 😉

Deixe seu comentário / Nenhum comentário

Itinerário de Viagem (C) Direitos reservados
desenvolvido por