EnglishPortugueseSpanish
MONTMARTRE
Postado por Estela T em junho 24, 2012 Editado em abril 21, 2017

MONTMARTRE é o eterno bairro (arrondissement) boêmio de Paris que assim ficou caracterizado no século XX. Ainda hoje possui um ar boêmio e artístico.

 

Páginas de Paris remodeladas e divididas por arrondissement (os bairros de Paris). Preços e horários descritos no site podem mudar. Consulte sempre antes de ir! Texto em preto sobre a viagem realizada no final de Maio/2012 e em verde entre Abril e Maio/2014

 

Sacré Cœur

18-montmartre-01

Montmartre visto do Centre Pompidou

Nossa missão ao acordarmos foi ir à Sacré Cœur (La Basilique du Sacré Cœur de Montmartre) no bairro Montmartre. Aliás, este foi o bairro que eu mais gostei. Apesar das ladeiras, achei fofo demais. Eu tinha esta impressão de que eu iria amar este bairro mesmo antes da viagem. E não foi diferente.

Como estávamos cansadas, pensamos em ir de metrô. Seriam duas estações, mas onde estava o metrô? O negócio foi perguntar a um jovem e belo rapaz e por incrível que pareça ele ainda era muito simpático e cavalheiro porque nos acompanhou até a boca do metrô. E foi lá na estação St. Georges que aprendemos como comprar os bilhetes nas máquinas e como usar o metrô como um todo (note: era a primeira vez que pegávamos o metrô de Paris)

Chegando lá perto, um casal de Quebec que também não sabia onde ficava a Sacré Cœur nos fez companhia até um certo momento. Eles eram muito simpáticos, o cara divertidíssimo!

Chegamos esbaforecidas na rue Tardieu que se encontra abaixo da praça Sacré Cœur. Mas não estávamos no pique de subir tantas escadas e, portanto, pegamos o funicular com tração a cabo. Ele parte da rue Foyatier e sobe pertinho da Basílica. Eu tinha lido que o bilhete de metrô era aceito, mas quando passei o meu, ele não funcionou. O negócio foi comprar o passe na bilheteria ao lado pelo mesmo preço do bilhete de metrô. Em Abril/2014 eu subi todas as escadas da rue Foyatier à noite e foi bem tranquilo. Você pode subir as escadas que cortam a praça da Basílica.

A igreja é realmente muito bela. Por fora e por dentro. Mas não são permitidas fotos lá dentro, fica, portanto, na memória. A vista é muito bonita e como era feriado e o tempo estava ótimo, logicamente havia muitas pessoas.

vista-de-montmartreLá em cima tinha uma placa para tomar cuidado com furtos. Ok... vamos ficar espertas, além do mais, muitos amigos haviam me dito para tomar cuidado neste bairro. Acho que o meu medo, ou melhor dizendo, o meu grande receio fez com que eu tirasse menos fotos do que eu imaginava tirar. Não fiz muitas panorâmicas e não estava no lugar correto para isso.

A basílica, em louvor ao Sagrado Coraçã de Jesus, consagrada em 1919, foi erguida no início da Guerra Franco-Prussiana devido a uma promessa de dois comerciantes, Alexandre Legentil e Hubert Rohault de  Fleury, prometeram financiar a basílica se a France fosse poupada. Apesar da guerra e do cerco de Paris, a invasão foi evitada e as obras começaram seguindo projeto de Paul Abadie. A basílica, de um modo geral, nunca foi considerada especialmente bonita, mas é enorme e majestosa e constitui um dos prédios católicos mais importantes da France. Sua arquitetura é no estilo bizantino e romano.

Indo lá à noite achei esquisito e pouco iluminado. A "cidade luz" não estava tão iluminada e o número de vendedores de souvernires era imenso. Então, ficou meio complicado me sentir no lugar e aproveitar calmamente a ocasião. Mas não foi uma experiência ruim que não valha a pena fazer! 

Informações:
Endereço: 35 Rue du Chevalier de la Barre, 75018
Horário de funcionamento: aberta todos os dias do ano para visitação e oração, das 06-22h30. Após este horário, entrada apenas para pessoas que se cadastram para o culto da noite. às sextas, 15h, ocorre uma missa
Entrada Gratuita
Para subir no domo: Diariamente, das 8h30 às 20h (de maio a setembro) e das 9h às 17h (outubro a abril). Estes horários estão sujeitos a pequenas alterações, e podem variar dependendo das condições climática. São 300 degraus.
Metrô mais próximo: Abbesses (linha 12).

Muitas pessoas reclamam dos homens que vendem souvernires aos pés da Basílica, então, mantenha a calma e desvie de todos! Pra mim não foi uma experiência ruim e nem chata, mas é só não dar muita atenção que eles se afastam.

sacre-coeur-01
sacre-coeur-02

 

Montmartre

 

18-montmartre-03E partindo da Sacré Cœur fomos andando pelas ruas de Montmartre.

Eu tinha pesquisado coisas interessantes para conhecer por lá. E de forma rápida achamos a rue Norvins que cai na Place Marcel-Aymé com a escultura “Le Passe-Muraille" (The Man Who Walked Through Walls) do escritor Marcel Aymé. Achar a rua foi fácil, mas caminhar por lá só me foi familiar porque eu tinha feito o trajeto no Google Maps. Em Abril/2014 eu voltei e foi absurdamente mais fácil andar por toda Paris, então, desencana se você se perder várias vezes, é normal! 

Chegando na escultura, que sorte! Não havia muitos turistas e deu para tirar fotos tranquilamente junto à escultura. A ideia é genial! Partindo de lá, decidimos achar as locações do filme Le Fabuloux Déstin d'Amélie Poulin... Mesmo com mapas comprados a €4,90 o negócio não foi tão simples.

Andamos, andamos e andamos em círculos. Consultávamos o mapa e nada de achar... e depois de quase desistir, avistamos a quitanda do personagem “Sr. Collignon”. E de repente, já desencanadas de achar o Café 2 Moulins, encontramos!

Montmartre é realmente o bairro eleito por mim como o mais gracioso de Paris. Ele tem uma atmosfera muito boa e o tempo estava ajudando muito. Há muitas lojinhas de souveniers e aquele ar meio boêmio ainda existe. Em uma das lojas que entramos a mulher não estava muito a fim de lucrar, mas isso foi excessão. Lá há diversas lojas para entrar, ver e comprar. E foi aí que eu percebi porque a loja daquela mulher mal humorada estava vazia... Em todos os lugares que fomos éramos muito bem atendidas.

Se você tem compulsão por compras, tome cuidado. Aqui é uma perdição! Comprei um tipo de "eco bag" com estampa que homenageia as linhas do metrô de Paris por €5.

Há 200 anos a colina de Montmartre é procurada pelos artistas. Théodore Gérocault e Camille Corot aqui chegaram no início do século XIX e, no século XX, Maurice Utrillo imortalizou as ruas do bairro em seu trabalho. Hoje, os artistas de rua vivem do comércio turístico, mas grande parte desta área ainda mantém aquele ambiente indefinido de vila do pré-guerra. O nome é atribuído aos mártires lá torturados e mortos em 250 d.C., donde o nome mons martyrium.

18-montmartre-08
18-montmartre-02
18-montmartre-07
18-montmartre-05
18-montmartre-06
montmartre-extra-01
18-montmartre-04

 

Espace Dalí

 

space-dali-01Rumo ao Espace Dalí em Montmartre em um outro dia e adivinhe se nos perdemos? É lógico que sim! Com mapa ou com orientações de comerciantes locais, nos perdemos.

E mais uma vez minha amiga nos salvou perguntando a um rapaz onde ficava o museu. Estávamos muito perto. Ele fica pertinho do comércio de “arte” de Montmartre, numa rua bem bonitinha.

Quando chegamos, poxa... Que bonito! Este foi o único lugar que o cartão com chip do Paris Pass foi utilizado. Ver as esculturas de Salvador Dalí me fez muito bem, lavou a minha alma. Gosto muito dele.

O foco deste espaço são as esculturas e gravuras. Trata-se de uma exposição permanente de mais de 300 obras dedicada ao artista e mestre do surrealismo. Aliás, Dali morou por um tempo em Montmartre.

No fim, há uma pequena lojinha tentadora com utensílios inspirados em obras de Dali. Eu não resisti e comprei um saleiro e um porta palitos de dentes com as "formigas da podridão" (rsrsrsrs) e com o relógio deformado característico de Dalí (deve ter custado uns €21). Há os perfumes, relógios, óculos tridimensionais para ver algumas reproduões de obras, livros, copos, enfim... tudo!!! é lógico que eu queria uma coisa de cada, mas jurei a mim mesma que cada vez que eu voltar praquele lugar, iria trazer um item diferente.

Informações:
Endereço: 11 rue Poulbot, 75018 Paris
Telefone: +33 (0)1 42 64 40 10
Horário de funcionamento: Todos os dias do ano das 10-18h
01/Jul até 31/Ago aberto até 20h
Entrada: € 6,50
Faz parte do Paris Pass
Metrô mais próximo: Abbesses (linha 12).

Nós tivemos a oportunidade de conhecer também o acervo de Enrique Sabater, amigo de Dali. São gravuras pessoais dedicadas ao amigo. Não sei até quando estarão espostas lá (o folder indicava até May 10, porém, fomos no dia 31 daquele mês).

space-dali-02
space-dali-03
space-dali-04
space-dali-06
space-dali-05
space-dali-07
space-dali-08

 

finalizando....

 

Não posso negar que Montmartre possui um lado caótico e meio obscuro, de comércio chulo e marginal na Boulevard de Rochechouart, mas não esqueça que é meu bairro favorito em Paris.

Um lugar fofo em Montmartre para conhecer é a Place des Abbesses onde, além do metrô com aquela decoração da entrada bem típica de Paris, possui um carrossel e uma pracinha que mais parece um refúgio de paz e silêncio. Você facilmente avistará um grande mural que apresenta um "Eu te amo" rabiscado em centenas de línguas diferentes e atrai inúmeros visitantes que ficam tirando milhares de fotos iguais. Por mais que eu tentasse esperar, por mais que eu tivesse 24 horas para gastar em frente ao mural, não aguentaria as 753.941.338 fotos que o casal da foto ao lado estava tirando. Mas enfim, a ideia do mural foi de Frederic Baron, que começou a coletar os "Eu amo você" em 1992, antes de juntar-se com o artista e calígrafo Claire Kito que desenhou o mural. O melhor de tudo é que visitar a praça é free.

Aproveite para descansar as pernas nos banquinhos da praça e observe a vida em volta!

18-montmartre-09
18-montmartre-10
18-montmartre-11

 


 

 

Clique na imagem abaixo para abrir o mapa dos locais indicados neste site:

 

mapa montmartre

 

Outros lugares para conhecer:

 

  • Restaurante Au Grain de Folie = (abaixo de €30) restaurante vegetariano com ambiente aconchegante. Saladas com interessantes combinações de verduras e grãos em sua maioria orgânicos. A torta de maça é altamente recomendável. Endereço: 24, Rue la Vieuville (perto da Sacré Cœur).
  • Restaurante do Hotel Amour = (abaixo de €30). É um sóbrio e badalado bistrô com decoração dos anos 20, oferece pratos que combinam culinária francesa e inglesa. Inclui macarrone cheese, hambúrguer e creme brulée. No verão, sente-se no pátio externo. Fica na 8, rue Navarin, perto da estação Saint-Georges ou Pigalle.
  • Moulin Rouge: não é algo que me chama a atenção, mas para quem quiser, vale saber onde fica.
  • Para quem ama frutas cristalizadas, massas para fazer em casa, doces diferentes, deve passar na Établissement Lion que vende um monte destas coisinhas deliciosas. Fica perto da estação Abbesses.
  • Le Refuge des Fondus: restaurante.
  • Au Lapin Agile: cabaret
  • Clos Montmartre: uma vinícola
  • 6 Boulevard de Clichy: Degas (pintor) viveu e morreu no 5º andar.
ATENÇÃO: Algumas informações descritas no site podem mudar, como por exemplo, preços, horários de funcionamento e até mesmo endereços. Consulte sempre antes de ir! Não possuímos vínculos com as empresas, serviços e profissionais mencionados neste site.

Deixe seu comentário / Nenhum comentário

Itinerário de Viagem (C) Direitos reservados
desenvolvido por