EnglishPortugueseSpanish
HAUTE NORMANDIE
Postado por Estela T em Maio 18, 2014 Editado em novembro 11, 2017

 

Haute Normandie, France, Alta Normandia, FrançaEm português é chamada de "Alta Normandia" e esta região fazia parte da Normandie e foi criada em 1956 quando a região da Normandie foi dividida em Baixa Normandia e Alta Normandia. A região inclui três departamentos: le Calvados, l'Orne e la Manche.

Esta outra parte da Normandie possui uma história similar com a sua "irmã" desde sua criação, com as invasões até a separação. Mas destaco aqui que foi nesta região que durante a Segunda Guerra Mundial, a Operação Overlord foi focada (nas praias que receberam os "codinomes" estratégicos pelas tropas Aliadas de Omaha, Utah, Gold, Juno e Sword). Conhecido como Dia D, os desembarques das tropas aconteceram em junho de 1944. A Basse Normandiesofreu terrivelmente durante a guerra, com muitas de suas cidades e vilas destruídas ou seriamente danificadas durante a Batalha da Normandie.

Possui 470km de litoral e nesta região encontra-se Deauville (mas eu não fui) que é um dos mais prestigiosos balneários franceses e possui festival de cinema americano (em 2014 será em Setembro) e outro asiático que desde 1975 é organizado na cidade uma vez por ano.

 

 

HONFLEUR

 

O plano original era conhecer Le Havre que é uma cidade com o seu centro listado na UNESCO como Patrimônio Mundial da Humanidade (e onde Monet cresceu). Mas a decisão de ir para Honfleur, a quase vizinha cidade portuária bateu mais forte ao ver o gracioso d pequeno porto nas páginas da internet. Não resisti e mudei meus planos! E... voilá!

Para quem decidir ir a Le Havre, vá até o Centro Cultural Le Volcan projetado por Oscar Niemeyer. A construção abriga um teatro, uma sala polivalente, um cinema, estúdios de gravação e salas de exposição. Endereço: Avenue Lucien Corbeaux, 76600.

Calvados é o nome do departamento da Basse Normandieonde várias comunas fazem parte, inclusive Honfleur, Caen (sua capital) e o litoral das praias do Dia D. Então, nesta região é comum ver o nome de "Calvados" em vários lugares, inclusive em algumas bebidas alcoólicas à base de maçã, tanto que o conhaque mais conhecido por lá leva exatamente este nome. Como o champagne, o Calvados é um conhaque DOC (D'Origine Controlée, Denominação de Origem Controlada) e é envelhecido em barris de carvalho por no mínimo 2 anos. Agora pergunta se eu bebi? Sim! Tive a oportunidade em uma pequena degustação de um vinho "X" qualquer, nada relativo às caves chiques e bla bla bla. 

A cidade fica a 200km de distância de Paris e possui um porto não muito grande, porém bem bonito, com dois lados de arquiteturas bem diferentes. Eu adorei esta cidade e apesar do frio, me senti confortável lá. Sendo esta cidade com aquela cara medieval mais assimétrica, um pouco torta e estreita, o centro histórico é tudo o que eu queria ter vivido. Já foi um porto muito importante para a France e foi o ponto de partida para as expedições ao novo continente, de lá Samuel de Champlain partiu até o Canada no início de 1600.

Honfleur, Haute Normandie, France - Honfleur, Alta Normandia, França
Honfleur, Haute Normandie, France - Honfleur, Alta Normandia, França
Honfleur, Haute Normandie, France - Honfleur, Alta Normandia, França
Honfleur, Haute Normandie, France - Honfleur, Alta Normandia, França
Honfleur, Haute Normandie, France - Honfleur, Alta Normandia, França

Visite ainda o Musée Eugène Boudin, Maison Satie e o La Forge que é a casa e estúdio do artista Florence Marie. Para chegar em Honfleur de trem partindo de Paris (na Gare-estação Saint-Lazare), faça conexão para Honfleur quando descer das cidades Deauville, ou Lisieux ou Pont-l’Evêque. Procure o ônibus verde para Calvados linha (lignes) n° 20 e n°50.

A cidade, além do vinho de maçã, é caracterizada pelos frutos do mar e pelos caramelos (sim, o doce). A loja abaixo (da foto à direita) possui balas de caramelo irresistíveis. Pode parecer a coisa mais simples do mundo, mas os diversos sabores (maçã verde, ameixa, nozes, etc.) trazem combinação ideal! O rapaz da loja foi muito simpático, deixando a gente experimentar! Chama-se La Maison du Caramel e fica na 35, rue Haute.

 

 

Le Faubourg Sainte Catherine

 

O que vemos hoje no centro histórico é resquício do auge da Idade Média e do final do século 15, onde foi construída a igreja de Sainte Catherine que é um edifício de madeira tão diferente que me fez pensar que era um mercado fechado hahahaha é engraçado, mas só quando entrei que eu percebi que era uma igreja.

Lá dentro me lembrei do filme Lord of the Rings (detalhe... neste filme não há igrejas). Para sua construção, os habitantes de Honfleur usaram suas habilidades de construção naval para construir a igreja com madeira retirada da floresta de Touques. A igreja foi listada como um monumento histórico em 1879, e atrai a atenção de muitos arqueólogos e historiadores. É a maior igreja de madeira com uma torre sineira separada na France. As ruas estreitas de paralelepípedos ao lado da igreja deixam o lugar ainda mais com cara medieval, mas infelizmente ao seu redor, havia uma feirinha de artesanato... não que eu não goste, mas queria ter visto a igreja em um cenário mais limpo.

Le Faubourg Sainte Catherine de Honfleur, França
Le Faubourg Sainte Catherine de Honfleur, França

 

Jantar no Côté Resto

 

Em Honfleur, apesar da cidade estar mais da metade aberta para os nós, os "turistas de fora de temporada", os horários de almoço e janta também foram curtos e restritos. Então, chegue sempre cedo para garantir sua refeição. Em um dos restaurantes que “ensaiamos” entrar, fomos "chutadas" para fora porque não havia mais jantar e mesmo pedindo um chá e uma raclette, recebemos a resposta de que “aqui não é um bar”. Ok... quem vai num bar tomar chá? Eu já havia lido que os melhores restaurantes de Honfleur não ficavam perto do porto (como este), e foi aí que procuramos o Côté Resto, um restaurante com boas indicações em um site que classifica restaurantes. E pronto! Atendimento bom, ambiente gostoso e rústico, comida muito boa.

Côté Resto em Honfleur, França

Em Honfleur a especialidade são os peixes e os frutos do mar. Alguns restaurantes servem um tipo de “combo” (que eles chamam de “formule”) com entrada + prato do dia + sobremesa, mas sinceramente, para mim, não vale a pena porque geralmente não me simpatizo com o prato do dia e é sempre é muita coisa para comer, sempre fico com peso na consciência do desperdício que gero por ter estômago pequeno. Então, para esta refeição pedi para entrada uma Salade verte (salada verde que estava perfeitamente fresca e bem temperada) por €5,50, prato principal foi a vez de Les 5 filets de Poissons grillés à la plancha (5 filés de peixes grelhados) que veio com molhos para “brincar” com os peixes (eu não sei o nome dos peixes...) por €16,50. Para beber pedi um cocktail sans alcool (sem álcool) chamado Le Sainte Catherine contendo suco de abacaxi, suco de laranja, xarope de grenadine (sei lá o que é isso) e água tônica por €5,50. Obs: eu não bebo álcool.

Endereço: 8, place Sainte Catherine, 14600. Telefone: 02 31 89 31 33

Côté Resto em Honfleur, França
Côté Resto em Honfleur, França

 

 

 

BERNIÈRES-SUR-MER

 

Juno Beach

 

BERNIÈRES-SUR-MER, Plage de Juno, Juno Beach, Haute Normandie, Alta Normandia, France, FrançaSaindo de Honfleur na manhã do dia 22 de Abril/2014 ficamos mais animadas porque a previsão era de mais sol, porém o frio estava firme e forte! A ideia era seguirmos pelo litoral da Basse Normandie e passar pelas praias do desembarque das tropas Aliadas, conhecidas por alguns como "praias do Dia D".

Como estávamos ainda aprendendo sobre os macetes das estradas, minha impressão quanto a este trajeto foi que sair das praias é mais fácil do que chegar nelas. Mas lembre-se: não tínhamos GPS, somente a localização offline de onde estávamos através do Google Maps, não tínhamos GPS que me dizia onde virar a direita ou a esquerda e etc. Queríamos dirigir por lá margeando as praias, mas foi meio confuso.

E quando eu perguntava sobre a "Plage de Juno" (praia de Juno) ninguém conhecia, mas só depois que descobri que era melhor eu ter perguntado por Bernières-Sur-Mer. Faltou esta lição de casa de minha parte... os nomes das praias Juno, Omaha, Sword não significam nada para os habitantes da France. Mas não vá achando que eles não entendem das coisas ou que estão por fora dos acontecimentos... eles sabem, mas é que para eles desde sempre os nomes são franceses e assim sempre serão (eu entendo, concordo e apoio). Então, pra você não cometer o mesmo erro que eu cometi, lá vai algumas dicas:

 

1) Pertinho de Ouistreham, visite o Museum of the Atlantic Wall e depois siga para a comuna Hermanville-sur-Mer. Você estará na Sword Beach onde desembarcaram tropas britânicas. Caso você se perca, procure também pela Boulevard Aristide Briand que é a rua mais beira mar da Sword;
2) Seguindo reto pela estrada D514, procure a saída para Bernières-sur-Mer. Encontrará a Juno Beach, onde eu fui e onde as tropas canadenses e britânicas desembarcaram. Existe a Juno Beach Centre e é interessante passar por lá;
BERNIÈRES-SUR-MER, Plage de Juno, Juno Beach, Haute Normandie, Alta Normandia, France, França3) Volte a pegar a D514 e depois de aproximadamente 5,9km, saiba que à sua direita está a Gold Beach onde outras divisões britânicas desembarcaram;
4) Seguindo pela D514 quando você chegar e atravessar a Saint-Laurent-sur-Mer estará a 1,2km (em direção ao mar) da Omaha Beach onde desembarcou tropas americanas e britânicas (e talvez a mais famosa por conta dos filmes de Hollywood);
5) A última para você conhecer é a Utah Beach mas ela fica um pouco mais afastada das anteriores. Recomendo sair da Omaha e pegar em Saint-Laurent-sur-Mer a D517 e depois a N13 / E46 em direção Osmanville ou Isigny-sur-Mer ou Carentan (em alguma placa estes três nomes de cidades deverão aparecer como farol orientativo). Quando você chegar próximo a Carentan, siga em direção a Sainte-Maire-du-Mont pela D913 e chegando no mar, chegará na Utah Beach, praia de desembarque de tropas americanas e britânicas.
Fique atento porque ao longo da D514 há alguns monumentos que relembram estes acontecimentos, como esculturas e tanques de guerra. Se estiver de carro, aproveite a mobilidade, estacione e tire fotos. Não tenha pressa, aproveite, respire e absorva aquela atmosfera!

Se minhas dicas deram errado desde o começo, vá no centro de informações turísticas de Luc-sur-Mer, cidade entre a Sword e a Juno, lá há funcionários que falam inglês e o mapa da região com os nomes em inglês e francês custam €2. A moça de lá me deu um livreto falando do Day-D da Juno Beach, mas acho que foi cortesia. Eu adorei aprender um pouco mais daquilo que me fascina!

Na Juno Beach em Courselles-sur-Mer tive a oportunidade de ficar bem pertinho da primeira casa libertada pela tropa canadense em solo francês (foto do meio acima). Incrível como ela está bem conservada! Cheque a terceira foto à direita onde há o registro daquele dia! Obviamente que a tropa teve várias baixas, a guerra é uma m*rda mesmo... Não esqueça que você pode visitar alguns bunkers alemães conservados nas praias.

A vista de alguns desses sites, incluindo a Juno pode mudar em breve se um plano para construir um exército de turbinas eólicas a cerca de 10km da costa for aprovado... esta notícia é de 2013... vou acompanhar e deixar o site o mais atualizado possível, além de torcer para que façam este tipo de intervenção bem longe dalí. 

Não aproveitei muito as praias do Dia D, então espero que você não como eu! Vale muito a pena, de verdade! Estávamos preocupadas com o tempo para chegar em Le Mont Saint-Michel naquele mesmo dia, e como nos perdemos muito, tive que decidir em sacrificar estas praias históricas. Consegui sentir o calor do sol, tirar fotos boas, mas depois voltou a ficar nublado... uma pena. Então, seguimos para o le Mont e por lá, facilmente vai encontrar várias placas indicando para que lado ele fica.

BERNIÈRES-SUR-MER, Plage de Juno, Juno Beach, Haute Normandie, Alta Normandia, France, França

A primeira casa libertada pela tropa canadense

Repare a casa nesta foto histórica (Foto Wikipedia)

Repare a casa nesta foto histórica (Foto Wikipedia)

 

 

 

LE MONT SAINT-MICHEL

 

 

Le Mont Saint Michel, Haute Normandie, ALta Normandia, Normandia, France, França

Le Mont Saint-Michel é um dos lugares que eu mais queria conhecer na minha vida! Ele é uma ilhota rochosa na foz do Rio Couesnon, no departamento da Manche, e lá foi construída a Abbaye (abadia) Saint-Michel e santuário em homenagem ao arcanjo São Miguel. Seu antigo nome oficial é Mons Sancti Michaeli in periculo mari (algo como "Monte Saint-Michel em perigo do mar").

Este mosteiro, fortificado no século XIII, integra um conjunto com mais três cidades cujas fortificações e desenvolvimento são notáveis:

  • Aigues-Mortes (1270-1276): que é ponto de reunião dos Cruzados rumo à Terra Santa,
  • Carcassone: célebre por suas defesas e
  • Avinhão: sede alternativa da Cristandade (1309-1377).

Estas cidades fortificadas, denominadas "bastides", marcavam a fronteira dos reinos ao final da Idade Média, servindo como elementos de defesa e dando ao povo novas oportunidades sociais. Foram construídas mais de 300 só na Françe, entre os anos de 1220 e 1350. 

Sobre a história da abadia, não há informações precisas, mas crê-se que a história dela e do monte Saint-Michel começaram em 708, quando Aubert, bispo de Avranches, mandou construir no monte Tombe um santuário em honra a São Miguel Arcanjo (Saint-Michel). No século X os monges beneditinos instalaram-se na abadia e uma pequena vila foi-se formando aos seus pés. Durante a Guerra dos Cem Anos, entre France e England, o Mont-Saint-Michel foi uma fortaleza inexpugnável, resistindo a todas as tentativas inglesas de tomá-la e constituindo-se, assim, no símbolo da identidade nacional francesa. Após a dissolução das ordens religiosas pela Revolução Francesa de 1789 até 1863, o Mont foi utilizado como prisão. Declarado monumento histórico em 1987, também está na lista como Patrimônio Mundial da UNESCO desde 1979 (não só a abadia mas como toda a baía).

Quando você está chegando próximo à ilhota, estando no continente, saiba que ainda está longe. Mas de repente, a estrada dá uma subida repentina e você vê a silhueta do Mont e esta é a imagem que me vem à cabeça enquanto digito esta página. É extremamente surreal, os pêlos dos braços ficam arrepiados só de lembrar. É de um jeito tão surpreendente que só você indo para entender o que estou falando. Então, vê se não dorme na estrada hein? Fica esperto!

Le Mont Saint Michel, Haute Normandie, France - Alta Normandia, França

Devido à neblina, a imagem quando você está na estrada é cena de filme..

Le Mont Saint Michel, Haute Normandie, France - Alta Normandia, França

... e você não vê a hora de chegar lá!

Le Mont Saint Michel, Haute Normandie, France - Alta Normandia, França

A ticket office

Chegando de carro, você olha o Mont lá longe à sua direita e já busca as plaquinhas do estacionamento. Quando achar, entre e pegue na entrada o ticket para pagar na saída (o estacionamento do Mont Saint Michel NO CONTINENTE você pode ficar 24h e paga €12,30). Uma dica valiosa é você estacionar perto das "casinhas marrons" (centro de informações turísticas) e é para onde todo mundo se dirige depois de estacionar a pé. Existe ao menos uns 2 estacionamentos gigantes sem especificações de números ou letras da sua vaga, então, estacione próximo das "casinhas marrons". No Google Maps não existe este estacionamento para você dar uma checada, eu acho que é porque naquela época do registro deles, você podia dirigir até os pés do Mont... eu realmente não sei explicar...

No seu retorno, chegando próximo das "casinhas marrons", ao lado delas há máquinas para validar o seu bilhete do estacionamento e pagar o mesmo, então não esqueça de fazer isso antes de entrar no carro.

Continuando, depois que você estacionar o carro “no continente”, pegue um ônibus gratuito do local e pronto! Estará no Mont depois de uns minutinhos de ônibus (2,5km então nem se importe se não conseguir sentar). Na volta o ônibus também é de graça, basta esperar no lado oposto da rua em que você desembarcou. 

Le Mont Saint Michel, Haute Normandie, France - Alta Normandia, França

Quase aos pés do Mont

O Mont era ligado ao continente através de um istmo natural que ficava coberto pelas marés altas. Ao longo dos séculos a planície alagável em torno foi drenada para a criação de pastagens, reduzindo a distância do rochedo à terra, e o rio Couesnon foi canalizado, diminuindo seu aporte de água e acelerando o assoreamento da baía. Em 1879 o istmo foi reforçado e tornou-se uma passagem de areia "seca" (lembre-se que é quase areia movediça). Em 2006 o governo francês anunciou um projeto para tornar novamente o monte em uma ilha de verdade (com água em volta), então, estão construindo uma passagem elevada para veículos o que vai permitir que o canal da Mancha flua, não sei quando a obra vai acabar, acredito que não vá demorar.

Quando eu fui a construção da nova estradinha ainda estava em curso... Certamente a paisagem será ainda mais que inesquecível. Veja a foto ao lado que há um certo caos instalado por lá...  mas fico feliz em saber que a estradinha de onde tirei esta foto vai sumir. E vou voltar!

Estando no Montentenda que este é um dos pontos turísticos mais visitados da France, é um xodó e mesmo sendo fora de temporada, mesmo que seja o último dia de vida do Planeta Terra, estará cheio.

Enquanto você vai andando pelas ruas estreitas do Mont rumo à abadia (na Grand Rue), fica entorpecido com tantas opções de souvernires, quitutes, restaurantes, coisas bizarras e alguns hotéis/pousadas. Eu fiquei entorpecida demais e não comprei quase nada hahaha (exercício do desapego).

Antes de chegarmos na abadia, visitamos a (Capela) Chapel de Saint-Aubert. Ela não atrai muitos visitantes, parecia até que todos estão lá para consumir os produtos dos restaurantes, as lojinhas de lembrancinhas e marcar um "check in" em alguma rede social. Vale a pena visitá-la! No pátio de trás desta capela, há um pequeno cemitério. Até que me pareceu bem agradável.

mont-saint-michel-10
mont-saint-michel-07
mont-saint-michel-08
mont-saint-michel-09
Le Mont Saint Michel, Haute Normandie, France - Alta Normandia, França

Rodeado de areia


Eu amei o Mont, aquele caos, o carro do lixo querendo passar em meio à multidão, a água da chuva nos toldos dos estabelecimentos, o bla bla bla em diversas línguas, eu querendo tirar fotos decentes, eu tentando entender porque eles vendem churros (!) e enfim... chegamos na Abadia. Ela é de graça? Não!!!! Custa  €9,00 e apesar de ser meio vazia de mobiliário e decoração por dentro, a vista é linda. Quanto mais alto você for, mais surpreendente a paisagem será.

Estava frio mas eu ficava com calor com o esforço físico por subir as escadarias, mas de qualquer forma, é importante saber que a abadia é gelada, com aquelas grossas paredes de rochas duras e a chuva que ora vinha e ora ia, deixou o ambiente ainda mais melancólico (que eu acho que super combina com ela!).

Reforço que a vista lá em cima é fantástica e é aí que você se dá conta de verdade de que não está no continente e está rodeada de areia. Quero voltar quando estiver sol e o mar cobrindo tudo! Além disso, quero voltar e fazer o passeio na quase areia movediça, quero me hospedar lá dentro, quero ver o Mont à noite, quero voltar amanhã!

 
Um dos pontos altos do passeio é o claustro (mais abaixo) com suas elegantes colunas em fileiras alternadas, dando um efeito muito belo. Este é um exemplo da arquitetura anglo-normanda do início do século XIII. Não sei por que mas as pessoas ficam enlouquecidas neste lugar, eu sei que é lindo, mas é muito difícil tirar fotos até porque o espaço entre os pilares e a parede da frente é pequeno. E sempre haverá muitas pessoas indo e vindo e até parando na sua frente. Mantenha a paciência em dia!
Paredes externas da abadia

Paredes externas da abadia

Uma das saídas da Abadia Mont Saint Michel

Uma das saídas da Abadia Mont Saint Michel

A abadia por fora (parte dela)

A abadia por fora (parte dela)

Abadia por dentro

Abadia por dentro

Detalhes da Abadia Mont Saint Michel

Detalhes da Abadia Mont Saint Michel

Abadia Mont Saint Michel por dentro

Abadia Mont Saint Michel por dentro

As escadas

As escadas

mont-saint-michel-22
O claustro da Abadia Mont Saint Michel

O claustro da Abadia Mont Saint Michel

Detalhes interior da Abadia Mont Saint Michel

Detalhes interior da Abadia Mont Saint Michel

 

 

Dicas Gerais e Curiosidades:

 

Le Mont Saint Michel, Haute Normandie, France - Alta Normandia, França

Para quem quiser realizar uma caminhada em volta do Mont tem que reservar um passeio guiado lá naquelas "casinhas marrons" (que é o escritório de turismo) perto do estacionamento "no continente". É importante saber que o local não é uma praia, a areia é quase movediça, podendo uma pessoa atolar nela. Outro detalhe importante é que para a sua segurança, as caminhadas só são guiadas porque os guias sabem quando e como a maré vai subir, então, por favor, não se arrisque sozinho (as marés sobem muito rapidamente e tornam a baia perigosa). Em julho e agosto há visitas noturnas à abadia de segunda a sábado. Você também pode deixar o ônibus de lado e sair dos estacionamentos com o guia rumo à abadia. Cheque estes passeios!

Em todo o interior da abadia há plaquinhas "Suite de la Visite" que significa "sentido da visita". Então, para não dar voltas e mais voltas desnecessárias, atente-se às  plaquinhas.

Sempre leve um casaco mesmo no verão. Para épocas mais frias, é questão de sobrevivência levar uma blusa mais forte. Eu estive lá no início da primavera francesa, no dia 23 de Abril e estava frio.

Em Saint-Michel reparei a predominância de um nome e o desenho do rosto de uma senhora em todos os lugares. E o mais incrível é que tive dificuldades de achar algo sobre esta senhora em sites e etc... mas descobri!

La Mere Poulard, Le Mont Saint Michel, Haute Normandie, France - Alta Normandia, França

Lata de biscoitos

Esta é a Mère Poulard, ou Annette Poulard, que nasceu em 1852 e quando estava com 20 anos e casada mudou-se com seu marido Victor para o Mont-Saint-Michel, na época em que o Mont deixou de ser prisão e declarado Monumento Histórico pelo Estado. Lá eles decidiram abrir as portas de sua estalagem em 1888 para acomodar os peregrinos abrindo assim a sua hospedaria. Devido à cordialidade e hospitalidade, Annette foi carinhosamente apelidada de "Mère Poulard". Além de tudo isso, ela era ótima cozinheira e muitos dos seus pratos ficaram famosos, sendo o principal a omelete. Durante mais de cinquenta anos, ela desenvolveu muitas receitas conhecidas na France e no mundo. Hoje, como tudo é comércio, a Mère virou uma loja de biscoitos, loja de lanches e há a hospedaria Mère Poulard. Lá no Mont todo mundo vende a omelete, mas aproveite para comprar uma lata de biscoitos desta "marca" que são bonitas, daquele jeitinho que nosso subconsciente entende por "art nouveau".

mont-saint-michel-27Eu não comprei e nem comi nenhum da Mère Poulard, mas comprei 3 pacotes da marca X (não sei o nome) e um era o Galettes Sablées d'autrefois pur beurre (que é um cookie de manteiga) e o Bscuits aux pétites de chocolat aux éclats de caramel au beurre salé (que é o cookie amanteigado com pedacinhos de chocolate e caramelo). Comprei três pacotes onde vinham 12 biscoitos por €6 (na promoção, leve 3 pague 2).

Procure o restaurante "Du Gresclin" na Grande Rue. Mas você também encontra frutos do mar, além de ter uma ótima vista do Manche.

 

Dicas para chegar à abadia:

Além do que eu já escrevi de como chegar de carro nos textos acima, você pode ir de trem. O Mont fica a 360km da Gare Montparnasse de Paris, pegar um TGV (o trem rápido), descer em Rennes (cerca de 2h) e lá pegar um ônibus até o Mont. Vale a pena reservar um hotel lá no Mont... vai fazer tudo isso e voltar no mesmo dia? Não faça isso com você e aproveite este lugar mágico! Para deixar a sua viagem de trem TGV mais barata, compre a passagem com no mínimo 3 meses de antecedência. O ônibus de Rennes até o Mont custa cerca de €12,70 (valores podem mudar). Há empresas que fazem este translado via Paris, mas não conheci nenhuma, então não vou adicionar aqui no site.

 


 

Finalizando....

 

Eu realmente amei a Normandie e me identifiquei muito com este lugar. A energia é fantástica e as pessoas super amáveis, prestativas, simpáticas e únicas. É um lugar que volto fácil até porque eu adoro voltar nos lugares que mais amei neste mundo! Apesar do frio, cada momento valeu a pena. Faria tudo de novo repetidas vezes! Quero voltar!

Saindo de Le Mont Saint-Michel fomos direto a Saint-Malo no departamento da Bretagne... Então não deixe de ler a página!.

 

 

Check List

 

Quantos dias ficar: O Le Mont-Saint Michel você também leva quase 1 dia inteiro, mas se você optar por fazer o passeio na areia, pode levar um dia completo. Como vale a pena ficar lá á noite, se programe para isso.

Quanto custa: Dependendo do que você deseja, estes valores podem mudar, mas você consegue encontrar boas refeições a partir de €15. Há quem prefira comprar um lanche, custando cerca de €8 com alguma bebida não alcoólica. Nós mesmas não perdemos muito tempo parando para comer em restaurantes.

Maneiras para chegar:
- De Paris para Bernière Sur Mer: Você pega um trem na Paris St Lazare (€29~€60 dependendo da classe), desce na cidade Caen e paga um ônibus (€4-€9)

 


 

 

Clique na imagem abaixo para abrir o mapa dos locais indicados neste site:

 

mapa alta normandia

Hospedagem:

 

Na mágica HONFLEUR o hotel da vez foi o ibis Styles Honfleur Centre Historique que é um 3 estrelas e fica quase a 300 metros do fantástico porto de Honfleur. Apesar de outros hotéis ficarem próximos da boca do porto, pelas fotos fiquei meio receosa.. Então, vamos no padrão da rede Accor mesmo... Não possui estacionamento, porém há um estacionamento público descoberto bem em frente, o que facilita o remanejo de malas (€14). As áreas comuns do hotel mais pareciam feitas para crianças, possui quartos simples e eficientes. A cidade taxa de permanência de €1,10/pessoa/por noite.
 
SUGESTÃO: Para o Mont Saint Michel, lá dentro, a opção barata é o Terrasses Poulard, um 3 estrelas um tanto mais caro mas parece ser simpático.

 

ATENÇÃO: Algumas informações descritas no site podem mudar, como por exemplo, preços, horários de funcionamento e até mesmo endereços. Consulte sempre antes de ir! Não possuímos vínculos com as empresas, serviços e profissionais mencionados neste site 😉

Deixe seu comentário / Nenhum comentário

Itinerário de Viagem (C) Direitos reservados
desenvolvido por