EnglishPortugueseSpanish
DICAS TURKIJE
Postado por Estela T em junho 10, 2012 Editado em janeiro 12, 2017

Nesta página você encontra o compilado de dicas sobre a Turkije, ou Turquia, que vai desde melhor época do ano para ir até alimentação. Vale lembrar desde já que, infelizmente o país está sofrendo vários atentados terroristas. Se você for, por favor, tome cuidado!

 

Turkije (Turquia)... lembro que a primeira vez que me interessei por este país foi em 1996 quando fiquei sabendo que o músico turco Barış Manço se apresentou ao Presidente da SGI, Sr. Daisaku Ikeda, na Universidade Soka de Tóquio anos antes (1992 ??). Fiquei tão interessada neste músico que comecei a fazer algumas pesquisas e, desta forma, acabei conhecendo e me apaixonando pela Turkije. Naquela época era difícil ir a uma biblioteca pública e estudar sobre um assunto e a internet era embrionária, enfim... só consegui aprofundar minhas pesquisas sobre este país em meados de 2000. E que descoberta!

Como eu adoro história européia, história grega, romana, paisagens únicas, enfim, de coisas belas, a vontade de conhecer a Türkije só foi aumentando. O planejamento para a vigem começou em 2010 junto com uma amiga e começou no módulo "vamos sozinhas". E foi aí que veio a maior dificuldade: informações detalhadas. Sentia falta de informações mais precisas e detalhadas e mesmo na internet foi difícil (naquela época).

Foi aí que fechamos um pacote turístico e coletei todas as informações para compartilhar com internautas. Foi desta maneira que o site nasceu.

 

 


 

 

O que você deve saber antes de viajar:

Moeda: a lira turca (₺) em Maio/2012 e Setembro/13 estava a R$1,20.

Língua: a língua turca é belíssima, porém difícil. Aprender a falar "obrigada" não foi algo simples. Mas aos poucos, todo mundo consegue. Para quem vai de pacote turístico fica mais fácil porque os lugares (principalmente as paradas técnicas) a visitar estão acostumados a receber turistas. Porém a língua mais utilizada é o inglês. Algumas pessoas conhecem o espanhol. Em cidades mais remotas e que não fazem parte da grande demanda de estrangeiros deve ser muito difícil encontrar pessoas que falem inglês. Portanto, se for por conta própria, estude um pouco o turco.

Fuso Horário: Arrume o seu relógio para acompanhar a vida turca, adiantando o seu relógio em 5 horas. Mas se você estiver no horário de verão de lá, coloque mais 1 hora. Em Maio/2012, o sol se punha às 20h. Acredito que no alto verão ele esteja estalando no céu até umas 21h. Pelo o que eu pesquisei, o horário de verão começa no final de Março e vai até o final de Outubro. Porém, em Setembro, o sol já não mais bate após as 19h.

Alguns Preços: Em geral, gasta-se pouco na Türkije. Há muitas lembrancinhas bem bonitinhas como ímãs de geladeira a ₺5 (derviches dançantes ou roupas típicas) ou 3 marcadores de livro bem simples por poucos €. Nas paradas para os almoços de uma cidade para outra, os pratos saíam em torno de ₺17 e às vezes dava para dividir com mais uma pessoa (se ela não comer muito dá certo). A água de garrafa de 500ml tinha preços variados. Chegamos a pagar no mínimo ₺0,50 e no máximo ₺2,50.

Gasolina: Descobri somente lá que alugar um carro pode ser fácil, mas pagar a gasolina não... O litro chega a ser mais que o dobro do litro de São Paulo... Estava em torno de TL4,55 (para cada TL1, multiplica-se por R$1,2 - base maio/2012). Se você pretende ir para muito longe (e lembre-se, a Turquia é extensa), esqueça alugar carro. Mas se seu problema não é dinheiro, creio que não terá muitos problemas: as estradas são ótimas e muito bem conservadas. Só vai ser difícil acertar um bom lugar para fazer uma "parada técnica" ou até mesmo para comer. B

Gorjetas: Esta é uma dica importantíssima passada a mim pela Maiza (brasileira que mora na Capadócia). Nenhum restaurante cobra na conta os 10% de serviço como aqui no Brasil. Apesar de a gorjeta não ser um costume do brasileiro, o pessoal dos restaurantes e hotéis conta muito com elas e como você vai ser muito bem servido em tudo e vai gastar pouco, não vai custar nada se atentar a isso, ok?

Táxi: Dependendo do que você quer fazer dá pra ir a pé. Mas se for pegar um táxi, peça para que o taxista utilize o taxímetro ou então pegue outro. Muitos não falam outra língua, portanto, é sempre bom anotar o nome do lugar que você quer ir em um papel e mostrar ao taxista. Não tivemos nenhum problema com nenhum taxista. Porém, um casal do nosso grupo teve... acabaram pagando ₺70 em uma corrida que valia ₺25. Sobre o cuidado com taxi eu já tinha lido em alguns blogs. Desta forma, reforço a atenção. Não é difícil encontrar um táxi. Os licenciados são amarelos e o sinal no capô diz "taksi".

Os Turcos: O povo turco é um povo alegre, amável, cordial. Os homens têm um visual que me lembra os latinos, no jeito de gesticular e conversar. As mulheres são mais reservadas e as que são religiosas são ainda mais reservadas. De modo geral, parece que estão sempre dispostos a proporcionar o maior e o melhor bem estar a você. Alguns acabam exagerando, mas quando você entende que é o jeito deles, acostuma. Na verdade, alguns são tão cordiais que surge na sua cabeça uma certa desconfiança, mas a cordialidade é um estado de espírito normal da maioria deles.

Água: Não bebi água diferente da água mineral engarrafada. Porém, percebi que a água das torneiras e chuveiros são muito alcalinas. Minha pele do rosto e do couro cabeludo, que são oleosas, ficaram divinas, em contrapartida, a pele das minhas canelas que são mais secas ficaram ressecadas a ponto de ficarem machucadas sem eu ter coçado muito. Para quem tem uma pele difícil como a minha é bom levar alguma pomada, como o Nebacetim. Eu levei esta pomada porque me conheço muito bem.

Agência de Viagens: Eu não vou indicar a empresa que contratamos aqui no Brasil. Prefiro indicar a Brezo Tours que é uma empresa turca. Eu achei o serviço deles fantástico. São super pontuais, atenciosos, precisos, pacientes, buscam o bem estar de todos, e são dinâmicos. Possuem profissionais que falam português e, aliás, é possível escrever e-mails a eles em português. Um dia que estávamos em Istanbul, uma moça da Brezo nos ligou falando em português. Super cômodo.

Companhia aérea: optamos pela Air France porque o preço era o melhor em janeiro (a viagem foi em maio). Um mês depois que adquirimos as passagens e o pacote, em uma pesquisa que eu fiz no site da Air France, para o mesmo avião, a passagem estava mil reais a mais do que pagamos. Então, planejamento é tudo! Optamos ainda por um aéreo à parte pela Turkish Airlines de Ankara até Istanbul para ganharmos tempo. Esta ponte aérea custou ₺528 para duas pessoas, porém compramos uns 4 meses antes. As duas companhias aéreas são ótimas, porém destaco a Air France que deve ter os comissários mais bem treinados e simpáticos. Parabéns a eles, são ótimos. Dica (Set/13): Se está em Istanbul e quer ir para a Europa Central, tente a rota Istanbul-Viena já que a passagem é muito barata, paguei o trecho a R$368 voando via Turkish Airlines. Istanbul para Budapest é mais caro, o equivalente a uns R$700. Estando em Berlin e querendo ir para Istanbul é ainda mais barato, paguei R$333.

Tempo de vôo São Paulo - Paris - Istanbul: Isso vai depender do vento, mas geralmente de SP até Paris são 11h e de Paris até Istanbul são 3h40min. Há vôos diretos de SP a Istanbul via Turkish Airlines e a informação é de que são 12h a 14h de vôo (deve fazer um itinerário diferente).

Melhor época para ir: Muitos sites e blogs indicavam a Primavera (sendo Maio o melhor mês) e o Outono (sendo Setembro o melhor mês). A primeira vez que fomos foi de 17/05/2012 até 27/05/2012. Maio foi escolhido porque acreditamos que não choveria e que Istanbul estaria florida com tulipas.

Bem... Pegamos chuva (primeira noite e na tarde do segundo dia em Istanbul e em Pérgamo) e não haviam tulipas. Porém, a guia havia nos dito que a Türkije estava passando por uma "primavera atípica". Mas recomendo sempre acompanhar o site Weather.com.
Entre 09 e 11 de Setembro de 2013 voltei apenas a Istanbul. Posso afirmar que o tempo estava fabuloso. Apenas um dia amanheceu nublado e até choveu bem pouquinho, mas perto do meio dia o sol surgiu de novo.

A segunda viagem foi o início de Setembro (9 a 13), mas só posso analisar Istanbul desta vez. Comparando os dois meses, acredito que o céu de Setembro é mais azul e é o último suspiro do verão. Senti muito calor, mas nada desagradável e vi que a previsão do tempo na primeira quinzena de Outubro era de queda brusca da temperatura. Em Maio os dias duram mais, o que possibilita andar mais à vontade até mais tarde. Ambos os meses fica um friozinho agradável à noite. Agora, para você escolher a melhor época para ir vai de cada um.

Seja lá qual for a época escolhida, fiz um gráfico com as médias históricas de temperatura e também do Nascer e Pôr do Sol. Isso ajuda a decidir qual a melhor época para ir. Vale lembrar que no início de Janeiro chega a nevar em Istanbul.

Como levar o dinheiro: com a variação cambial você pode ter sorte ou azar ao utilizar o cartão de crédito ou tentar trocar dinheiro. Levar um cartão "travel money" foi uma das dicas mais úteis que recebi antes de viajar. Em todos os lugares que passamos na Türkije é possível sacar com este tipo de cartão. Porém, se você levar euro ou dólar para trocar, dependendo de onde estiver e se for fim de semana, não vai conseguir. O "travel money" possui taxas por saque, mas para cada débito realizado não há taxa. Muito simples. Passei muitas compras no débito e acabei sacando no total ₺500, o que foi até muito.

Segurançaé muito tranquilo andar pelas ruas das cidades visitadas. Aquela sensação de perigo não aparece em nenhum lugar. É lógico que em nenhum lugar do mundo você deve ir sozinho a uma rua deserta e escura, mas em geral, é possível caminhar sossegadamente. Mas vale lembrar que é melhor não sair da rota turística (sério, não se aventure sem a companhia de conhecidos). Lá também tem gente que pode querer tirar certa vantagem e tive problemas em uma loja do Grand Bazaar com o velho golpe do "senha inválida" (evite a loja Cotton Shop). Não foi nada muito grave, mas vale a dica. Há relatos que a polícia não vai te ajudar em casos como estes.

Em Istanbul particularmente, há muitos golpistas. Cuidado ao aceitar convites para beber ou fazer um tour para algum lugar. CUIDADO MESMO!
Sempre que entrar em um lugar, veja o cardápio antes e até tire fotos do mesmo para comprovar os preços do cardápio que você pegou (eles podem trocá-los por um outro cardápio com preços mais caros). E nunca aceite couvert ou bebidas antes de fazer o seu pedido!

Tenha ainda mais atenção ao entrar em bares e boates, sendo que o golpe praticado em Istanbul é cobrar por uma cerveja o valor de US$1.000!

Algumas pessoas me perguntam sobre a segurança mais global da coisa, em meio ao conflito traduzido como "Primavera Árabe" em 2012 e 2013. Eu não sabia dizer com tanta propriedade até porque eu não moro lá. Mas a vida seguia normal pelo menos até 2014. Sei que houve ataques de pessoa-bomba em Istanbul de 2014 para 2015 e foi bem perto das zonas turísticas. Só que em 2016 a situação se reverteu e até uma cidade como Istanbul está muito perigosa até para nós, turistas, devido aos recentes atentados terroristas (alguns até na famosa e altamente turística praça Sultanahmet). Só pedimos que tome cuidado caso esteja indo pra lá, por favor!

Limpezaas ruas são bem limpas e apesar de não encontrar lixeiras espalhadas pela cidade, lixo no chão é difícil de ser encontrado (exceto em Istanbul, porém há muito lixo derrubado por turistas). Não há cheiros desagradáveis por onde se passa. Porém, alguns banheiros públicos de estrada são insuportáveis. Alguns banheiros femininos possuem aquelas privadas que são praticamente um furo no chão (com louça sanitária própria), eu usei uma vez porque não conseguiria esperar por muito tempo a fila do banheiro andar e achei o sistema muito prático, porém, eu estava de saia, o que ajuda muito! Se você estiver de calça... acho melhor evitar! Banheiro masculino não sei como são... não faço ideia se existe esta privada no chão para eles.

Se locomovendo a partir do Aeroporto Internacional Atatürk (Istanbul)Fica a cerca de 25km do centro da cidade. De lá é simples chegar por conta própria ao centro histórico da cidade. Para pegar o metrô, siga os sinais Hafif Metro, cruze a rua para o otopark (garagem), tome o elevador e atravesse a galeria até a estação Havalimani. Ali, compre uma moeda (jeton) para o metrô, e pegue o tram que vai para Aksaray. Desça na sexta parada, chamada Zeytinburnu, saia da estação e compre outra moeda para o bonde (tramway) que vai até Sultanahmet, 16 paradas depois. A gravação do bonde anuncia o nome da estação, que fica na movimentada rua Divan Yolu, e ao descer, as inconfundíveis Santa Sofia e Mesquita Azul estarão bem à vista. Dali é possível caminhar facilmente até a área onde ficam a maioria dos hotéis e pensões. Existe também uma linha de ônibus expressos da empresa Havaş que liga o aeroporto a Taksim - o centro financeiro da cidade - por ₺8. De Taksim é possível pegar um metrô e depois o tram para Sultanahmet.

Os táxis do aeroporto para Taksim custam entre ₺20 e ₺25, mas o trânsito muitas vezes passa por engarrafamentos intermináveis e há relatos de taxistas desonestos. Combine sempre o preço antes de tomar um táxi ou simplesmente peça que seja pelo taxímetro. A opção mais simples é tomar um táxi do lado de fora do hall de desembarque do aeroporto. Lembre que nas viagens durante a noite é cobrada uma outra tarifa. A corrida dura cerca de 20 minutos, mas pode chegar até 45 minutos se o trânsito estiver ruim. Passagem de metrô é igual a do tram, ₺2.

TransferO Hotel Barceló possui serviço de transfer (não faço idéia de quanto os outros hotéis negociam este serviço, mas tome como base): Reserve this exclusive transfer offer to help you enjoy Istanbul from the very first moment. For just 35.00 € from Ataturk airport and 70.00 € from SAW (1 to 3 persons in total).

Telefones: Os bairros de Istambul têm diferentes códigos de área: 0212 para o lado europeu; 0216 para o asiático. É preciso usar o código sempre que telefonar do lado oposto da costa, mas quando ligar de fora do país, não disque o zero. O código da Türkije é 90. Disque 118 para informações, e 115 para chamadas internacionais via telefonista.

Telefones públicos: Os telefones públicos operam com cartões pré-pagos (telefon kartı). Há dois tipos: a versão mais barata ou um rígido ‘smart card’. Alguns telefones novos também aceitam cartões de crédito. Os cartões de telefone podem ser comprados nos correios ou nos vendedores ambulantes. Há cartões de 30 unidades (₺2,15), 60 (₺4,30), 100 (₺7,20) e 120 (₺₺8,60). Ligações cobradas por tempo de chamada (kontörlü) podem ser feitas nos correios ou centros de telefonia (telefon ofisi), mas o preço é bem mais alto. Ligar de um telefone público custa cerca de ₺1,50 por minuto para a Inglaterra e EUA, e ₺2,25 para Austrália. Para ligações internacionais é mais barato ligar entre 22h e 9h de segunda-feira a sábado, e durante o dia todo aos domingos e feriados. Para chamadas locais e nacionais, o horário mais barato é entre as 20h e 8h todos os dias.

Celulares: Há redes GSM como a: Turkcell, Telsim, Vodafone e Avea. A opção mais barata é comprar um chip ou hazır kart, disponível em todas as operadoras GSM. Ache um vendedor autorizado (Turkcell é a mais popular), apresente uma cópia do seu passaporte e pague a taxa de assinatura (entre ₺30 e ₺40), que inclui 100 unidades, ou cerca de 25 minutos de ligação dentro do país. Cartões de recarga são vendidos por toda parte (procure pela placa hazir kart), com 100 unidades (₺12,50), 250 (₺28), 500 (₺53), ou 1000 (₺98). eu adquiri um Vodafone e após instalar o chip, deve esperar umas 2h30 para que ele realmente funcione. Particularmente achei a rede 3G deles muito boa! Muito rápida, mesmo!

Compras específicas em lojas especializadas

Em algumas lojas especializadas os preços são mais salgados, porém a procedência mais confiável:

  • Ouro: Para quem está interessado deve se atentar à cotação do dia. Eu achei as jóias caras, mas não fiquei à vontade para comprá-las no Grand Bazaar sem garantia. Ver em Capadócia.
  • ₺Pashminas: há de todos os tipos, gostos e bolsos. As de seda pura ou cashmere de carneiro chegam a ₺600 na loja "Pashmina" em Istanbul (ver em Istanbul II).
  • Jaqueta de Couro: estava em torno de US$700, mas eram divinas e a maioria dupla face. Valiam o preço? Sim, o caimento era perfeito!
  • Tapetes: na loja que visitamos na Capadócia é possível ver que realmente o trabalho é sério e evidentemente o preço também é levado à sério. Independentemente do tamanho, os preços variam de R$1.200 a R$12.000. Tudo dependia do tipo de material e se era feito à mão ou não.
 
Outras compras: Sim! É possível encontrar muitas coisas deliciosas, úteis e bonitas. Mas cuidados são necessários! Veja a cartilha da ANAC do que é permitido e do que não é permitido trazer.

Controle-se para não gastar à toa achando que tudo é barato. Tem preço para todos os bolsos e infelizmente há muita coisa "made in china". Alguns vendedores até falam e separam o que é feito lá e o que não são.

Itens de vidro (ai como queria ter trazido um monte) requer uma logística especializada.. e se você não tem uma mala especialmente para este tipo de item... esqueça!

Na segunda vez que fui na lojinha do Topkapi comprei uns pins de celulares com o olho turco. Cada um custa ₺3 e é uma ótima lembrancinha. Uma sacolinha do tipo "eco bag" custa ₺8 , sei que o material não é ultra-resistente mas achei a arte estampada tão diferente que eu não conseguiria ignorar a existência da mesma! Além disso comprei um potinho de metal com o café turco a ₺12, lokum em uma caixinha de metal para presente a ₺10 e um mapa do Topkapi por ₺2.

 
Negociações: eu achava que iria negociar mais na Türkijemas isso não aconteceu. Geralmente eles preferem negociar em liras turcas. Se não, preferem euros. Quase ninguém mais fala em dólar. Alguns vendedores não estão abertos a negociações, mas o negócio é pesquisar e andar muito porque você vai encontrar algo bem mais bonito e mais negociável. Tive a impressão de que quando falávamos que éramos brasileiras, eles não abaixavam os preços. Sim, nós brasileiros gastamos muito lá e eles sabem disso. A nossa vantagem é que achavam que éramos americanas.

Chá de jasmin (Grand Bazaar)

Pashiminas simples

Descanso para panelas

Cinzeiro (ganhei na Capadócia)

Garrafa de vinho (ganhei na Capadócia)

Ímã de geladeira (é um derviche)

Olho turco para celular

Sacola

 

 

Alimentação

 

  • Em cidades mais litorâneas é normal comer peixe, em geral é o dourado. Afastando-se do mar, come-se muito frango no estilo churrasco e com tempero peculiar. Os lugares também oferecem carne bovina e muita de cordeiro. Mas não me atentei muito a isso porque eu não como carnes vermelhas... desculpem-me!
  • Restrições: A instrução que nos foi passada era para não comer salada, não beber água a não ser engarrafada e não comer legumes com casca. Porém, a Maiza Rocha me avisou que você pode comer salada, frutas e legumes com casca sem medo já que os turcos têm o maior respeito pela água, não a poluem e não regam suas plantações com água contaminada.
  • Os queijos da Türkije: são divinos e para quem vai, não os ignore. Coma todos os queijos que puder já é proibido trazer na viagem de volta.
  • Coalhadas: são fantásticas, parece um iogurte bem consistente, porém sem aquele azedo enjoativo. O mais engraçado da história é que falavam pra gente que era a base de leite de cabra, mas, segundo Maiza rocha, são de vaca mesmo.
  • Pães: os melhores pães que comi na vida estão na Türkije. Alguns com gergelim em cima e outros com azeitonas. Não comi pães nos carrinhos de rua, não foi por falta de vontade.
  • Pizza turca: em alguns lugares comemos uma tal de pizza turca. Para pessoas que como eu, que possui algumas restrições alimentares, às vezes era a única opção e sempre comi a de queijo. Nada muito interessante.
  • Sopa de lentilha: era normal em alguns lugares ter no menu esta sopa. A primeira vez que eu a vi fiquei na dúvida se era lentilha de verdade. A de lá é amarela e não tem gosto da lentilha brasileira. Na verdade eu não consegui associar o gosto a nada que eu já tinha comido até então. Era boa.
  • Azeites e azeitonas: Para quem ama, use e abuse porque tem em abundância (dizem que há uma árvore de azeitona para cada habitante e vimos muitas em algumas estradas), mas não espere um gosto marcante como o português. São bem mais leves e sutis. As azeitonas são pequeninas e quase nada salgadas.
  • Mel e geléias: use e abuse porque não pode trazer nada disso na viagem de volta. O mel é bem sutil, gostinho leve. As geléias são ótimas, mas a de pétalas de rosas simplesmente MA-RA-VI-LHO-SA!!!!
  • Sorvete Mado: esta marca de sorvete deve ser obrigatória para quem vai pra lá. Senão, não adianta chorar. Fácil de encontrar em Istanbul para quem está indo em direção à Mesquita Azul seguindo pela Yerebatan Caddesi. Há uma casa "Mado".

 

Mais dicas de comidas:

Para ficar mais fácil na identificação de alguns itens encontrados em menus de restaurantes, lá vai algumas explicações.  Sem fotos de todos os pratos nos menus dos restaurantes é difícil entender o que escolher, ainda mais para quem tem algum tipo de restrição alimentar (meu caso). Então, lá vai:

  • Peynir (queijo) e Tulum Peynir: este último é a base de leite de vaca curado em couro de cabra.
  • Dólmã: tomates, pimentões ou berinjelas recheadas de arroz, pinholes e passas
  • Zeytinyagli: verduras frias com azeite de oliva
  • Imam bayildi: berinjelas recheadas com tomate frito, cebola e alho
  • Börek: salgados recheados com carne, queijo ou batata
  • Simit: rosquinhas de gergelim que são vendidas em lanchonetes e carrinhos nas ruas
  • Pide (“pizza turca”): uma massa alongada coberta de queijo, vegetais e/ou carne
  • Kebab ( kebap). Ao “pé-da-letra” kebab significa “carne cortada” e na prática são espetos gigantes de carne que ficam girando no fogo. O kebab é uma opção barata e a qualidade normalmente é excelente. No almoço, em lanchonetes ou carrocinhas pode-se comer um bom kebab com molho de yogurte. Nos restaurantes existem outras variações como os cozidos em panelas de barro (pottery kebab).
  • Meze: pequenos pratinhos servidos com porções de pratos típicos. Em Istambul existem várias meyhane, restaurantes especializados em meze, como em Çiçek Pasaji e a vizinha Nevizade Sokak, no bairro de Beyoglu.

 

Doces:

Os doces, com forte influência árabe, são à base de mel, frutas e massa folhada, mas o doce mais popular e típico, conhecido como “delícia turca”, é o lokum, espécie de gelatina firme, com recheio de frutas ou frutos secos (pistache na maioria), coberta de açúcar de confeiteiro ou coco ralado.

  • Tulumba: bem parecido ao churros espanhol. Eu comi muitos, é gostoso e apesar da aparência doce, não é muito.
  • Kadayif: feito com macarrão fininho empapado em calda de açúcar ou mel
  • Ekmek kadayifi: fatias de pão banhadas em calda de açúcar
  • Muhallebi: pudim que pode ser coberto por vários sabores,
  • Sütlac: leite de arroz, semelhante ao nosso arroz doce
  • Komposto: compota turca de fruta
  • Dondurma: sorvete bem cremoso que mais parece um chiclete. Vimos muito em Istanbul mas não experimentei. Vontade não faltou.
  • Revani: bolo de sêmola
  • Lokma: bolinhas turcas
  • Baklava: doce de massa folhada tipo filó, coberto com calda de açúcar com água de rosas e pistache moído (dizem que não importa o que gregos e árabes digam, as baklavas são turcas!)

 

Outros "menus" de outros lugares:

Estando no Aeroporto Ataturk em Istanbul, aproveite para começar a saborear alguns quitutes turcos por lá ou se você infelizmente está indo embora, não perca a oportunidade de comer algo de lá.

Não é difícil comprar algo muito saboroso e que valha a pena! Como o salgado "patatesli saray dürüm" (algo como enrolado de batata) na foto à esquerda, que eu comprei na Simit Sarayi que deve ser uma franquia de deliciosos quitutes. Não vi o nome mas garanto que era dos deuses!

Voar Turkish Airlines te faz ter certeza porque esta é considerada uma das melhores companhias aéreas do mundo. Além do atendimento de primeira, você percebe que os aviões possuem boas estruturas e além disso, você desfruta de um café da manhã que mais parece um almoço! Veja as fotos! elas não mentem! Dá uma olhada na minha bandeja que recebi em Setembro de 2013. Para um vôo de 3 horas entre Berlin e  Istanbul foi isso o que me deram!

O patatesli saray dürüm da Simit Sarayi

Café da manhã pela Turkish Airlines entre Berlin e Istanbul

Café da manhã pela Turkish Airlines entre Istanbul e Viena

E não foi só neste vôo! Entre Istanbul e Viena, onde a viagem dura apenas 1h30, o 'café da manhã' foi igualmente farto! Mama Mia!!! Mas apesar de a Türkije ter os melhores pães do mundo, os pães da Turkish Airlines não são muito bons. Dispense e coma o resto! Hummmm!

 

Quantos dias ficar?

 

Minha sugestão é você ficar muitos dias em todos os lugares. Mas como às vezes isso não é possível, lá vai algumas sugestões pessoais:

  • No mínimo 7 dias inteiros em Istanbul, sendo que 1 deles você ficaria no Topkapı + Harém, e outro dia na região da Mesquita Azul e na Santa Sofia. Os outros dias você pode calmamente explorar as demais atrações e a cidade como um todo. Mas se você quiser também conhecer lugares diferentes e fora do circuito turístico normal, com mais 2 dias você consegue. Mas esforce-se para se programar direitinho e aproveitar todos os 7 dias, ok?
  • Na Capadocia fique no mínimo 3 dias inteiros, mesmo achando pouco mas dá pra fazer muita coisa por lá. De toda forma, para explorar de forma plena toda a região, creio que de 4 a 7 dias inteiros são suficientes.
  • Na região de Éfeso e Pamukkale dependerá de como você agiria nestas regiões. Eu, por exemplo, posso ficar um dia inteiro no sítio arqueológico de Éfeso numa boa, bem como em Pamukkale e com certeza incluiria Bergama (para Pérgamo) neste itinerário. Além do mais, com certeza, as cidades em torno destas atrações são fabulosas. Então, acredito que 5 dias inteiros seriam proveitosos nesta região.

Bem, é difícil sugerir quantos dias cada pessoa deve ficar porque isso é muito pessoal, ainda mais adicionando outras atrações em cada cidade e/ou região de cada página deste site... Mas lembre-se dos itinerários! Alguns trechos são longos.

Horário de funcionamento: O país não possui regras de horário de comércio como no Brasil. Então, é possível encontrar lojas abertas praticamente o dia inteiro e até à noite, mas não necessariamente estarão abertas nos domingos ou feriados em horários determinados. Portanto, ao programar a sua viagem, atente-se aos domingos e feriados apenas para não atrapalhar o seu itinerário em relação a museus e atrações turísticas, pois estes já possuem dias e horários específicos. 

Museum Pass: Não adquirimos o Museum Pass de Istanbul porqque muitas atrações que fomos fazia parte do pacote turístico.  Só há uma modalidade de 72 horas por ₺72. Confira e/ou adquira clicando no "museum pass" ao lado.

Para comprar, você o encontrará nestes locais: Hagia Sophia Museum, İstanbul Archaeological Museums, İstanbul Mosaic Museum, Chora Museum, Topkapı Palace, Museum Museum of Turkish and Islamic Arts .

 


 

Curiosidades:

 

1 - Não vimos mulheres dirigindo carros. Perguntamos a um taxista e ele disse em forma de piadinha que elas têm medo. Mas complementou dizendo que realmente não é normal. Acho que no fundo, ele nunca tinha percebido isso. Mas Maiza Rocha me falou que a mulherada dirige muito em Istambul e na Capadócia, porém não nos centros turísticos. Elas preferem usar transporte público quando precisam ir lá por causa do trânsito.

2 - É muito difícil ver uma mulher fumando, aliás quase raro. Os homens fumam muito e em partes abertas dos restaurantes o fumo é liberado. Porém, assistindo um filme que o ator está com um cigarro, a TV turca coloca uma tarja de censura em cima do cigarro. Muito estranho isso.

3 - Há muita influência de outros países em Istanbul. Muito Burger King e Starbucks, Diesel e Lacoste. As lojas são de ruas e dependendo da rua/avenida avistamos várias lojas iguais da mesma marca. Preços iguais do Brasil.

4 - Uma coisa que percebi é que na Türkije não há regras de condomínio. Cada um faz o que quiser na sua fachada. Uns colocam grade, outros colocam outro tipo de janela, uns estendem roupas na varanda e assim vai.

5 - O homem turco não tem mais que uma mulher porque a poligamia foi proibida quando a república foi instaurada por Atatürk.

6 - É comum ver muitas fontes d'água (chamadas de Șadirvan). O suprimento público de água é um dever cívico. Desta forma, todas as cidades possuem as çeșme, que significa fonte pública. Dentro dos pátios das mesquitas uma șadirvan é disponibilizada para as abluções rituais.

7 - A Maiza me contou que quando morou em Ankara, na casa de uma família turca, levou o maior susto quando viu a dona da casa passar apenas um pouco de água pra tirar a areia da alface. Desta forma, achando que ia ficar doente, perguntou para uma amiga se não era perigoso comer salada "mal lavada" e sua amiga falou que durante a produção não se contamina nada com agrotóxicos, por exemplo.

 
 
ATENÇÃO: Algumas informações descritas no site podem mudar, como por exemplo, preços, horários de funcionamento e até mesmo endereços. Consulte sempre antes de ir! Não possuímos vínculos com as empresas, serviços e profissionais mencionados neste site 😉
 

Deixe seu comentário / Nenhum comentário

Itinerário de Viagem (C) Direitos reservados
desenvolvido por