EnglishPortugueseSpanish
DICAS ITALIA
Postado por Estela T em maio 12, 2016 Editado em julho 27, 2017

DICAS ITALIA - Nesta página você encontra uma compilação de várias dicas para se dar bem na Itália, desde segurança até informações de taxas, etc.

 

A Itália nunca foi uma urgência para mim. Nunca tive pressa em conhecê-la apesar de conhecer a história do país, entender a importância cultural e gastronômica (além de ter muitos amigos com descendência italiana), etc etc etc. Por que não era uma urgência e passou a ser de uma hora para outra? A necessidade e a oportunidade foram fatores que me levaram até lá e voltei pensando... "nossa... como nunca foi uma urgência pra mim?"

O roteiro de 2016 começou em Roma, partindo de trem para Salerno, depois Napoli para conhecer as galerias de arte contemporânea bem como as proximidades, voltando para Roma de trem para economizarmos cerca de R$1.200,00 de passagem aérea para Cagliari na Sardenha, onde passarmos pela ilha Sant'Antioco e tentarmos aprender sobre a cultura do bisso, voltamos de volta à Roma para totalizar 7 dias por lá.

 

 

Os Italianos

 

Simpático senhor mostrando uma tábua de corte na sua loja, em Vieri Sul Mare

Os Italianos são comunicativos, prestativos, alegres, observadores, dinâmicos, às vezes barulhentos, atarefados, simpáticos.

Os Italianos do Sul são tudo isso o que eu escrevi acima multiplicado por 10. Os de Napoli estão sempre correndo, alguns com a cara um pouco mais fechada (talvez sejam um pouco assim por conta da brutalidade da cidade), mas no geral são ótimos. Os da Sardegna também são prestativos e prontamente te ajudam em tudo o que você pedir. Já os Italianos de Roma são mais elegantes, ficam mais na deles mas não hesitam em pedir emprestado um isqueiro ou puxar papo.

No geral, o pessoal lá é muito agradável, rendendo boas conversas. Mas em especial, o pessoal de Salerno foi o povo mais fofo que encontrei por lá.

Lógico que ser humano tem todos os defeitos do mundo e lá não poderia ser diferente. Teve um italiano funcionário da Stazione Central di Napoli que nos ajudou a encontrar a plataforma correta e no final pediu €5. Achamos, no começo, que era gentileza dele, mas não.... era apenas "business" pra ele. Lógico que isso é muito pequeno para estragar uma viagem maravilhosa pela Italia.

 

 

Alimentação 

 

A comida na Itália é um absurdo de boa. Lógico que aqui no DICAS ITALIA não foi possível falar de tudo, até porque, não provamos tudo. Em qualquer lugar que se vá, mesmo nos lugares mais simples, você estará sujeito a se apaixonar ainda mais pela culinária Italiana. Eu realmente acredito que o solo e a água de lá são diferentes do resto do mundo, esta é minha explicação mais lógica para justificar tanta comida boa.boa

Notamos que a comida no Sul é mais salgada. A pizza é fina e molenga (e isso não é ruim) com poucas opções de recheios (o que também não é nada ruim). Já a pizza em Roma é mais grossa, mais firme e a opção de sabores é grande (experimente aquelas que você nunca comeu como abobrinha e cogumelos, uma delícia).

Há muitos frutos do mar principalmente no Sul, mas é possível encontrar em Roma também.

Não achamos muitas opções de risotos, o que até estranhamos, mas nos mercados tem como comprar o arroz cru.

 Se você optou em se hospedar em um Bed&Breakfast, na casa de alguém ou em um hotel mais regional (sem ser aquelas redes hoteleiras internacionais), vai encontrar um café da manhã bem doce. Sim... doce de açúcar...
O Italiano, por incrível que pareça, não come quase nada de opções salgadas pela manhã, mas sim, majoritariamente o açúcar. Em quase todos os lugares que fomos tinha Nutella ou a derivação da mesma, geléias, brioches doces, brioches doces recheados, pão, manteiga sem sal, café, capuccino, suco doce, chás, açúcar, mel, açúcar e açúcar.

 

Frangos à venda em um mercado de Roma

 

Verduras diferentes em mercado de Roma

Variedade de doces no Café do Vaticano

Eu amei todos os brioches de lá! O brioche deles é como se fosse um croissant. Sempre doces rs.

A infinidade de lugares que oferecem pizza é grande, até parece que é o prato nacional. Mas de toda forma, ainda atribuo o país como o país da massa (pasta) e garanto que não haverá erro se esta for a sua escolha. Eu abusei da massa e nenhum prato que escolhi foi mediano ou sem graça, sempre acertava nas escolhas.

Nas páginas da Itália deste site, sempre há algum restaurante ou refeição em destaque. Dê mais uma lida lá. Aqui eu vou falar do café... ah o café Italiano... famoso! Quando você pede um espresso a quantidade é a mesma da que encontrei em NY: metade da xícara (pequena) e bem forte. Se você quer um café mais longo e não tão forte, eles usam a medida do espresso e completam com água até a borda. É só pedir um "caffé americano" que eles vão entender que é o café mais aguado. Em lugares mais requintados, te entregam o espresso e um bule pequeno de água quente para você dosar o sabor do café na sua xícara.

A Italia tem muita fruta mas infelizmente não encontrei muitas opções de sucos naturais. Há um suco de maçã verde industrializado que vale a pena experimentar (cerca de €3, dependendo da cidade).

Algo que foi, para mim, um tanto decepcionante é que eu não encontrei queijo em abundância e nem nas mesas dos restaurantes. Mas isso não tirou o brilho da viagem (impressão no Sul e Roma).

Para aqueles que têm possibilidade de cozinhar na viagem, super recomendo ir a um mercado e se acabar de comprar as opções maravilhosas que eles vendem por lá. É barato e vale a pena. Em mercados e lojas especializadas, você encontra queijos, frutas, carnes, enfim.... tudo o que é necessário, e de quebra, você fica ainda mais inserido na vida cotidiana do Italiano.

Um café italiano

Suco de maçã industrializado italiano

Pizza típica italiana

Restaurante com as cadeirinhas na rua

 

Compota

Uma pizza de padaria de Napoli

 

Um restaurante café em Roma

Romãs de Roma

 

Na Itália existe muita coisa para comprar mas o que mais se destaca é a infinidade de comida boa em todos os lugares. Qualquer café que você for, qualquer restaurante, qualquer biboca é extremamente bom!

Em uma lanchonete, havia a opção de suco de frutas naturais e vimos as frutas expostas no balcão. Percebemos que as romãs eram lindas e gigantes, então pedimos uma, que estava suculenta, doce, uma delícia. 

Em qualquer café, mesmo que seja simples, será um bom momento para comer um doce e tomar aquele café espresso maravilhoso.

Não há muitas padarias na Italia, mas quando você encontrar, já garanta um lanche maravilhoso como uma focaccia.

Você encontra em Roma alguns lugares que vendem o pedaço de pizza bem barato. A pizza é bem recheada, com diversas opções e é muito, muito gostoso!

Uma outra dica que passo é você entrar em uma mercearia, comprar um embutido ou queijo ou conserva de legumes no azeite e um pão e sentar-se num banco de uma piazza e fazer um lanche maravilhoso. Fizemos isso em Vieri Sul Mare e em Cagliari.

Água

 

Bica de água potável em Roma

O assunto água pra mim é MUITO IMPORTANTE. Como já relatei em outras páginas, tenho um certo problema com a água do hemisfério norte... Mas na Itália foi diferente... foi tudo normal!
 
Já haviam me dito que em ROMA a água é por direito gratuita e potável. Sim, é verdade. A água lá é deliciosa e nas ruas você vai encontrar algumas bicas e bebedouros de água potável. Mas fique atento que algumas não são, tendo aviso para isso. Perto do Coliseo há uma "bica" de água mais moderna e tem até a versão frisante (veja foto ao lado)! Obviamente as águas das fontes das piazzas não são potáveis e não há bicas espalhadas em cada esquina. Ah, e pode tomar água da torneira da hospedaria que você estiver (mas pergunte antes se pode ou não).

Em NAPOLI percebi que a água não é nem um pouco potável e não encontramos bicas nas ruas. Mas mesmo se tivesse bicas, eu não arriscaria beber. No hotel que ficamos senti a diferença da água ao tomar banho... a água tinha um cheiro ruim, deixou meu couro cabeludo irritado, minha pele seca. Pode ter sido um problema isolado de falta de limpeza do hotel, mas... não recomendo.

No sítio arqueológico de POMPEI é difícil achar um lugar para comer e só encontrei uma bica de água potável. Recomendo levar a sua. O mesmo digo em relação a HERCULANEUM.

Em SALERNO a água também é muito boa e você pode tomar água das torneiras (mas pergunte antes se pode ou não). Não notei bicas de água pelas ruas mas a média é de €1 a €2,50 a garrafa pequena. O mesmo ocorre nas regiões sul que passamos na SARDEGNA.

 

 

 

 

Transporte público + aluguel de carro

 

Para chegarmos a SALERNO utilizamos o trem via Roma. Pela Trenitalia saiu €9 para cada e a viagem durou quase 3 horas (segunda classe, comprado online em Janeiro 2016). Na cidade utilizamos o ônibus normal e o ônibus SITA (que vai para outras cidades). Como ficamos hospedados no Centro Histórico, deu para fazer tudo a pé. Mas para sair do Centro Histórico e ir para o outro lado da cidade (uma parte mais "comum") era muito difícil entendermos quais ônibus pegar, onde parar e qual ônibus pegar para continuar a locomoção. Então fizemos quase tudo a pé. Há um pequeno metrô de superfície que mais parece uma continuidade do trem, até porque ele desemboca na própria estação de trem.

Para irmos à AMALFI e VIETRI SUL MARE (leia sobre outras opções em Costiera Amalfitana.) a partir de Salerno, utilizamos o ônibus SITA. Dentro do ônibus você tem que validar o ticket que imprimirá o horário e dia do uso. Para comprar o ticket, procure uma tabacaria ou banca de jornal. As tarifas variam de €1,10 a €2.

Em SARDEGNA há aeroporto na cidade Cagliari e foi lá onde nos hospedamos. Ainda no aeroporto, alugamos o carro sem reserva o que quase nos fez não conseguir alugar o carro. Mas há duas empresas lá que oferecem o aluguel sem reserva, porém, a preços mais caros. O aluguel de 2 dias de um Fiat 500 custou €50 e adicionamos mais €50 para o seguro total do carro (super recomendo você fazer o mesmo). O carro é super econômico e rodamos muito com ele e só gastamos 1/2 tanque. O litro da gasolina custa €1,599 (em Cagliari). Há estação de trem mas não utilizamos.

Em NAPOLI chegamos de trem na Stazione Centrale di Napoli e há metrô interligando. Não pegamos o metrô porque não precisamos, e também não utilizamos o ônibus. Nesta estação, além dos trens da Trenitalia você encontra o trem da Circumvesuviana que é aquele que se pega para Herculano e Pompeii. De Salerno para Napoli, o bilhete da Trenitalia ficou €4,30 para cada e durou 40 minutos a viagem (segunda classe, comprado online em Janeiro 2016).

Em ROMA usamos muito os pés. Lógico que chegamos pela Stazione Termini di Roma e utilizamos o ônibus no terminal na frente do Termini. Há um balcão de informações do lado de fora que te orienta saber em qual plataforma de ônibus (organizada em ordem alfabética) você deve ir, mas para isso é importante ter uma boa referência do local que você quer chegar para que o pessoal possa te ajudar. Sabendo qual a plataforma, é só chegar nela e comprar um ticket na própria plataforma e esperar o ônibus chegar. O ônibus, se não me engane, custa €2 e dura 100 minutos. Você pode pegar 1 viagem de metrô (apenas 1) nestes 100 minutos. Não esqueça de validar o ticket que geralmente fica na plataforma do metrô ou antes de subir ou descer escadas.

No geral, o transporte em Roma é complexo. Digo complexo porque as sinalizações em estações de trem, por exemplo, sempre nos empurrava a uma interpretação esquisita. Aliás, em toda Roma as setas apontavam para um lugar que não necessariamente era o local correto… vimos até duas setas uma virada para a outra. É bem complicado o sistema de sinalização deles. Em segundo lugar, para chegar ao metrô (que é praticamente inexistente), você geralmente tem que pegar um trem ou ônibus (salvo se você se hospedar perto de uma estação). Para entender onde poderíamos pegar um ou outro sempre perguntávamos à recepção do hotel ou usávamos o site Rome2Rio que no fundo não te dá muita precisão. Outro inconveniente foi ter perdido tempo esperando o ônibus sendo que havia um bilhete no ponto indicando que algumas linhas não iriam passar (naquele dia). Terceiro problema foi a compra de bilhetes para os ônibus que geralmente são vendidos nas Tabacarias e bancas de jornal, mas eu disse geralmente: nem todas vendem e você fica rodando pra lá e pra cá, perdendo tempo.

Visor para checar o "binari" que você deve ir (Stazione Central di Napoli)

Visor para checar o horário de chegada do trem na plataforma (Stazione di Salerno)

Uma ideia de como é o trem rápido da Trenitalia

Máquina para validar ticket de trem ou metrô (encontrados em plataformas)

Fachada de uma tabacaria

Dica para trem: Se você comprou online, leve o voucher do trem impresso para facilitar a sua vida e saiba que o voucher impresso não precisa ser validado nas máquinas das plataformas do trem, somente se comprar o ticket na bilheteria de lá. Não deixe de validar o ticket porque em todos os trens há fiscal pedindo a todos os passageiros o ticket ou voucher.

Por mais que esteja descrito a sua poltrona no ticket ou voucher, a grande maioria senta onde quiser, exceto nos trens de alta velocidade. Mas é obrigatório você prestar atenção em qual "carroça" você vai (impresso no voucher ou ticket). A "carroça" é o vagão (coach em inglês) e alguns trens tem até 8 vagões. Se seu voucher não tiver esta informação, pergunte aos funcionários uniformizados que ficam perto das plataformas (exceto em Napoli) ou na bilheteria. É bom saber o número do trem e encontrar no visor das estações em qual "Binári" (abreviando: "Bin") ele vai parar (que é a plataforma).

Carro em Sardegna: Percebemos que há algumas diferenças nas regras de trânsito apenas na Sardegna porque foi lá que alugamos o carro. As ruas possuem faixas brancas e amarelas, porém, em vias com mãos duplas, a faixa do meio é branca, podendo confundir aqueles que adentram em uma via assim, achando que estão na contramão ou que as duas faixas são para um sentido único.

Uma dica importante é saber que há regras para estacionar nas ruas. Atente-se às faixas pintadas no asfalto onde amarelo é para deficientes e idosos, azul é local pago e a branca é livre para todos os horários. A faixa azul pode ser utilizada em determinados horários do dia sem a necessidade de pagar o bilhete "zona azul" (se não me engane era das 20h até 09h do dia seguinte). Para comprar um bilhete, procure uma tabacaria ou uma máquina que fica pelas ruas. 

Faixas no chão: azul, amarelo e branca

Fiat 500 que alugamos

Máquina na rua para comprar "Zona Azul": Parkar

"Zona azul" para evitar multas

 

Compras

 

 

Em Roma você pode comprar muitas coisas, desde uma gravura de arte a €14.000 a uma sacola chinesa escrita "Roma" por €15. Mas assim como em Napoli, buscamos lojas de produtos artísticos e a de Roma foi a melhor. Perto do B&B encontramos o Ditta G. Poggi que funciona desde 1825 e disponibiliza uma gama gigante de ótimos produtos de pintura e artesanato. O atendimento é ótimo e eles realmente entendem do assunto! Para quem é artista, este lugar é um verdadeiro playground.

 Em Roma compramos vinhos Vapolicella por €14. Não sei qual o preço dos outros vinhos mais próximos da região da Toscana, mas a dica é procurar pelo Vernaccia di San Gimignano, o Vino Nobili di Montepulciano, o Brunello di Montalcino, o Sassicaia, o Orvieto Classico, o Verdicchio e o Chianti Classico.

Ditta G. Poggi é o paraíso dos artistas

interior da loja

Ainda para quem está na região da Toscana, aproveite e conheça as vinícolas: Ariano na S. Angelo in Colle, em Montalcino, procurando pelo vinho ARGIANO BRUNELLO DI MONTALCINO 2007. Outra é a Tignanello que fica na Via Cassia per Siena, 133 em San Casciano in Val di pesa, procurando pelo TIGNANELLO 2010 que foi classificado em 2014 como o melhor vinho tinto italiano de 2013.

Perto de Venezia procure a vinícola Venegazzu' Spa e o vinho VENEGAZZÙ ROSSO DELLA CASA 2007 e que fica na Via Ungheresca Sud, 64 em Mareno di Piave.

 

 

 

Cuidados Gerais

 

Fantasiados de romanos, caçando mais do que níqueis

Algumas pessoas sempre alertam sobre possíveis furtos e "paqueradores" um tanto perigosos em pontos turísticos na Italia.  Para o primeiro caso, é sempre bom ficar atento a seus pertences e se estiver com mochila, é bom ter uma que seja difícil de abrir. Não deixe objetos de valor à mostra e uma dica para homens é não andar com a carteira no bolso de trás. Encontramos uma brasileira que teve a carteira furtada no metrô de Roma e nem percebeu quem foi. A carteira estava dentro da bolsa dela. Para o segundo caso, o assunto é para mulheres. Os Italianos são bonitos sim. Mas cuidado para não cair na ladainha de conquistadores baratos. Nada me ocorreu porque eu estava com meu namorado, mas sei que é comum a ação destes conquistadores.

Os "Romanos" fantasiados: Em Roma há um grupo de homens que se vestem de romanos (da Roma antiga) e ficam em pontos turísticos como o Coliseo. Eles geralmente chegam perto de você com simpatia, começam a tirar fotos com você (sempre estão em 2 ou 3 homens) e te cobram pelas fotos, mesmo você não as querendo. Se você não topar pagar, a coisa pode ficar feia, porque todo o grupo de "romanos" te cerca e meio que te "força a pagar". Não fomos abordados e só os vimos na Galleria Borghese. Esta dica é de um amigo que viu a ação deles.

Outro ponto que percebemos é em relação a alguns imigrantes (eu disse alguns, não significa em nada a maioria deles, mas sim uma quantidade pífia). O foco de alguns imigrantes é o turista. Duas coisas chatas aconteceram com a gente em Roma: Primeiro - os vendedores de rosas "enfiam" a flor em seu rosto para te forçar a segurar a flor e assim começar a negociar. Isso é muito chato e inconveniente. Geralmente eles vão nas mulheres. Mas é só ignorar, não olhar muito e virar o corpo caso um deles tente te sufocar com uma rosa. Segundo - há vendedores de pulseiras que abordam geralmente casais ou grupo de amigos. No começo eles puxam papo querendo saber de onde você é e conversam muito bem. Depois mostram a pulseira e por mais que você insista que não a quer, ele vai colocar no seu pulso e vai falar que não custa nada. Aí ele vai para outro grupo ou outra mesa e faz a mesma abordagem. Depois disso ele vai voltar a você e pedir €5 pela pulseira. O produto é ruim, não vale nem €0,01. Se você, mesmo com educação, falar que não quer, ele vai te agredir com palavras.

Troco: não esqueça de conferir o troco SEMPRE. Alguns acabam "errando" e quando você vai ver, uns €5 ficaram faltando! Cuidado! Até mesmo no aeroporto este "engano" acontece.

Ah, cuidado com as fezes de cachorros nas ruas. O Italiano ama cachorros mas nem sempre recolhe os dejetos que o melhor amigo do homem deixa em um passeio pelas ruas. E como você acaba olhando para os prédios e não presta a atenção na rua, pode ter uma desagradável surpresa na sola do sapato.

No geral a Italia é segura e as pessoas são muito querida lá. Fique tranquilo mas fique atento.

 

 

Fique conectado

 

É sempre bom ter um 3G com você. Então escolhemos a empresa TIM lá em Napoli porque chegou um momento que precisamos de um mapa online para acharmos alguns endereços. O SIM card custou €10 e a internet 3G de 2G custou €15. O pacote pré pago era para um mês, se não me engane.

Há muitas lojas da Vodafone, caso você não encontre uma da TIM. Não tive problema algum em utilizar o chip e a conexão era boa (nada excelente).

 

 

Temperatura

 

O turismo na Italia acontece durante o ano todo, porém os meses de verão de Junho a Agosto são os meses preferidos. As temperaturas são altas, podendo cansar e muito. Lembre-se que muitos passeios são feitos a pé.

Apesar de os gráficos mostrarem as médias históricas para cada mês, o mundo está em transformação, sendo estas médias sujeitas a erros (que não estimei quanto para mais e quanto pra menos). Para se ter uma ideia, a viagem de Janeiro de 2016, no auge do inverno, nos trouxe dias não tanto frios quanto imaginava. Era totalmente suportável e teve dias que até passei calor com a blusa que estava usando. Dizem que em 2016 estaremos sob efeito do El Niño. Além disso, não choveu quase nada, contrariando o que todos falavam sobre as chuvas do inverno.

 

 

Dicas que podem fazer diferença no seu planejamento financeiro:

 

TAXA DAS CIDADES
As cidades italianas cobram taxa para turistas por pessoa/noite. Fique atento porque se contabilizar isso, os valores que você planejou levar para Italia podem mudar consideravelmente (principalmente se você for nativo de um país com moeda fraca na Europa, como por exemplo, o Brasil rs)
Todas as cidades que passamos nos cobraram €1 por noite/pessoa. Apenas Roma cobrou €3 por noite/pessoa (considerando os 7 dias em Roma apenas, gastamos o montante de R$189!!!). Todos os hotéis e B&B aceitam tal pagamento apenas em dinheiro. Não adianta passar cartão Travel Money ou cartão de crédito. Tem que ser em cash.

ALUGUEL DE CARRO
Faça a sua reserva de aluguel de carro de forma antecipada, pelo amor! Alugar um carro de última hora é muito, mas muito mais caro, além de você correr o risco de não conseguir nenhuma empresa que aceite o aluguel sem reserva antecipada.

Não deixe de incluir seguro TOTAL. Por mais que fique o mesmo valor do aluguel do carro, vai por mim.... vale a pena! Vimos alguns acidentes de carro bem bobos por lá, o que me levou à conclusão de que os Italianos não dirigem muito bem! Sem falar que é possível que você passe por ruas bem estreitas e cheias de carros estacionados.

Ah... apesar de muitos relatos sobre a não obrigatoriedade de alugar um carro com uma carteira de habilitação internacional, saiba que ela é OBRIGATÓRIA SIM! Não vacila!

Eu, por pura sorte, só precisei da minha CNH Brasileira, mas na época eu não sabia (de verdade, só soube hoje, dia 27/07/2017) que corri um imenso risco de adquirir uma multa cara caso a polícia me parasse sem a habilitação internacional em dia. 

 


 

 

 

ATENÇÃO: Algumas informações descritas no site podem mudar, como por exemplo, preços, horários de funcionamento e até mesmo endereços. Consulte sempre antes de ir! Não possuímos vínculos com as empresas, serviços e profissionais mencionados neste site 😉

Deixe seu comentário / Nenhum comentário

Itinerário de Viagem (C) Direitos reservados
desenvolvido por