EnglishPortugueseSpanish
COPIAPÓ / CALDERA / ISLA PAN DE AZUCAR
Postado por Gisela S em fevereiro 22, 2015 Editado por Estela T em abril 21, 2017

Dicas sobre COPIAPÓ, CALDERA e ISLA PAN DE AZUCAR no Chile com sugestões de passeios, restaurantes, hospedagem e muito mais!

 

COPIAPÓ

 

Copiapó é a capital da província de Copiapó e da Região de Atacama. Na cidade e arredores existe forte indústria de mineração e agroindústria, sendo as uvas de alta qualidade. Apesar da forte indústria agroindustrial, vale reforçar que a cidade está localizada em uma região muito árida e desértica, cuja produção de alimentos depende fortemente da irrigação. A cidade ficou conhecida mundialmente depois do acidente na mina San José, em 2010, onde 33 mineiros ficaram soterrados e foram resgatados depois de várias tentativas e ajuda internacional.

Fomos para Copiapó de ônibus a partir de La Serena, pois o voo para esse trecho estava muito caro (~R$500). Compramos o ônibus que saía ~14h e chegava em Copiapó ~18h.

Chegando na cidade, fomos ao hotel deixar as malas e tomar banho e depois saimos para jantar. A recomendação foi procurar o restaurante "Legado" devido a qualidade de seus pratos e versões de pratos típicos da região. Gostei muito do restaurante e recomendo. O atendimento foi ótimo e a comida deliciosa. Comemos Ceviche Legado e Cordero Legado (não tinha javali no dia que fui). O restaurante também foi o local para recepção dos mineiros que ficaram presos e também espaço para receber os atores e equipe que foram para a cidade gravar o filme sobre o caso dos mineiros.

copiapo-01
copiapo-02
copiapo-03
copiapo-04
copiapo-05
copiapo-06
A cidade não é tão pequena, tendo cerca de 160 mil habitantes (censo de 2012).

Os principais pontos turísticos da cidade são:

Iglesia de São Francisco: localizada na Avenida Matta está essa igreja construída em 1872 por franciscanos. Ao lado da igreja está o convento de San Fracisco del Valle fundado em 1662. Vale ter em mente que ela foi construída em madeira revestida de barro, não em cimento, como parece.

Avenida Matta é uma importante via da cidade com árvores e monumentos históricos como a Casa de Empregados da Ferrovia, em estilo neoclássico, datada de 1860 e declarada Monumento Nacional.

Catedral: fica na praça de Copiapó (Plaza Prat) e foi declarada Monumento Nacional. Construída em estilo neoclássico inglês entre 1840 e 1851, nela estão as lápides de ilustres cidadãos.

Praça Prat: foi a antiga Praça de Armas da cidade onde em 1880 plantaram as 84 palmeiras chielenas que ainda hoje existem e "alconorques" (árvores de onde são são extraídos os "corchos" que são rolhas para garrafas de vinho). Eu adorei essa praça, principalmente, pelas estranhas árvores e pelos barzinhos e cafés alocados nas calçadas. Achei o ambiente gostoso. Se você gosta de artesanato, no fim do dia, por volta das 18h, ao lado da praça funciona uma feirinha de artesanato. Além disso, o Museu Mineralógico fica pertinho.

copiapo-07
copiapo-08
copiapo-09
copiapo-10

Museu Mineralógico: É um museu que contém uma vasta coleção de minérios, principalmente, minérios regionais. Lá é possível visualizar inclusive uma rocha de granito oricular. O granito orbicular é uma raridade geológica que ocorre unicamente nas proximidade de Caldera, província de Copiapó, na América do Sul (há outros 10 locais no mundo onde essa raridade também acontece).

Há uma grande pedra do granito orbicular no museu mineralógico, caso você não consiga vê-lo em seu local de formação (11km pra cima de Caldera, numa pequena área de 400m²).  A área de formação desse granito é considerado Santuário da Natureza, desde 1981 e protegido por leis de conservação. Próximo do local onde estão as rochas há uma trilha demarcada onde é possível avistar leões marinhos.

copiapo-11
copiapo-12

Essa rocha tem uma formação peculiar com "orbículos" (estrutura esférica concêntrica em camadas), formadas por nucleação.

  • Estação Ferroviáriaé Monumento Nacional cuja construção ocorreu 1854, sendo restaurada em 1982. Possui escritórios, salas de espera e plataformas cobertas. Passei por ela quando estava indo ao aeroporto, mas acabei não fotografando.
  • Iglesia de Belén: construção colonial jesuítica. Passou a ser residência após restauração pela família Fraga em 1856. Eu não cheguei a ver ou visitar essa igreja, mas fica a dica.

 

 

CALDERA

 

Pela manhã, pegamos o carro e fomos para Caldera. Recomendo fortemente que, se você não for chegar via aeroporto, reserve o carro pra pegar na cidade, pois o aeroporto é longe e fica caro chegar lá de taxi. Para ir até lá a baixo custo, procure um transfer para o aeroporto.

Caldera é uma comuna da província de Copiapó, localizada também na Região de Atacama, localizada a 80km de Copiapó. É uma cidade muito pequena, com cerca de 17mil habitantes (dado de 2012) e com um mar muito bonito e um pouco mais "quente" que o existente nas proximidades de Santiago (porém ainda muito frio pros brasileiros). O clima é extremamente seco, mas as temperaturas são moderadas devido as correntes de ar que vem do mar. Você verá que as proximidades de Caldera são compostas por paisagens desérticas (muita, mas muita areia).

É uma cidade que concentra grande parte dos turistas chilenos no verão, assim como as demais praias em sua proximidade. O turismo lá está crescendo cada vez mais no verão, inclusive com alta taxa de crescimento das casas de veraneio.

Chegando na cidade você logo avistará a "Gruta del Padre Negro". Capela construída pelo padre colombiano Crisógono Sierra e com pinturas feitas por Luis Enrique Cerda.

Seguindo em direção ao mar, passa-se pela praça da Iglesia de San Vicente de Paul. Uma igreja de madeira construída em 1862. Essa é a praça principal da cidade, onde inclusive estão restaurantes e agências de turismo.

O restaurante da foto mais ao lado, localizado na praça principal, tem um brasileiro como parte da família de donos.  Essa família também é dona da maior "balada" da cidade.

Falando em balada, recebemos dicas de que no caminho entre Caldera e Bahia Inglesa existe a organização da chamada "festa do deserto" que é praticamente uma rave.

Fomos no restaurante e comemos apenas empanadas e batatas fritas.

caldera-05
caldera-06
caldera-09
caldera-11
caldera-08
caldera-10

Se você procura por melhores restaurantes o restaurante a beira-mar me pareceu muito bom, assim como alguns restaurante localizados na rua da praia (que é um espaço quase que dedicado a pedestres).

Seguindo em direção a praia você encontrará a antiga estação de trem que hoje tem uma área aberta para exposições e o Museo Paleontologico de Caldera, onde você pode ver fósseis de animais da região.

A relevância dessa estação de trem é que ela foi construída em 1850 para ligar o porto de Caldera a Copiapó (de onde vinham minérios/minerais da mina de Chañarcillo), sendo a primeira ferrovia do Chile e a terceira na América do Sul.

Em frente a estação há um feira de artesanato e espaço para jogos (ex. pebolim) e também um bom restaurante a beira mar (localizado na areia mesmo e com área para crianças).

Passando pela feira de artesanato e cruzando a praia, você terá acesso ao porto, de onde saem os passeios de barco até o farol. O passeio não é nada demais, mas é uma distração pro dia, podendo render avistamento de golfinhos, quem sabe (eu não vi).

Nas proximidades do porto, devido ao fluxo de pescadores, há muitos lobos marinhos. Do pier do porto é possível avistar a igreja da cidade. No passeio de barco é possível avistar pelicanos e colonias de lobos marinhos.

Depois de visitar a estação de trem, fazer o passeio de barco e comer, seguimos para a Bahía Inglesa localizada a 6km de Caldera.

A Bahía Inglesa é um balneário repleto de praias com areias brancas, rochas pretas e uma água turquesa que forma piscinas naturais belíssimas. É um verdadeiro paraíso no deserto. No entanto, a temperatura média anual lá é de 20ºC no máximo e 7ºC no mínimo. É um local que atrai ainda mais turistas que Caldera sendo ótimo para esportes como kitesurf (indicado na praia Bahía Cisne), pesca (praia Rocas Negras) ou nadar (praia Las Machas). Eu, particularmente, achei o lugar lindíssimo e muito gostoso. Acho que vale a pena ir com tempo para curtir a paisagem. Há vários restaurantes, hoteis e casas de veraneio na região.

caldera-13
caldera-19
caldera-15
caldera-17
caldera-18
caldera-20
caldera-21
caldera-26
caldera-22
caldera-27
caldera-23
caldera-29

Depois de passear pela praia, curtir a paisagem e tomar sorvete, seguimos de volta para Copiapó. No caminho, resolvemos tentar passar na praia que um taxista local havia no indicado: Barranquila. Segundo ele, as praias mais ao sul são ainda mais belas.

Pegamos então a estrada que ia por perto da costa e depois percebemos que realmente estávamos no deserto. Para todos os lados que olhávamos havia areia, areia e areia.

Chegamos primeiramente em Puerto Viejo.

Saindo do Puerto Viejo,[ resolvemos voltar para Copiapó, pois já estava anoitecendo. Acabamos tentando parar na Playa Las Salinas, próximo a Playa La Virgem e atolamos o carro na areia. Por sorte fizemos sinal pra um dos carros que estava passando e uma família parou para nos ajudar.

Colocamos o carro num lugar seguro e fomos caminhar a beira-mar, num mundo de areia, para rirmos do stress antes de voltar a Copiapó.

caldera-30
caldera-31
caldera-32
caldera-33
caldera-34

 

 

ISLA PAN DE AZUCAR

 

No outro dia, saimos cedo de Copiapó em direção ao famoso Parque Nacional Pan de Azucar. O parque está localizado ao norte da Região do Atacama, na fronteira com a Região de Antofagasta. É a principal área de proteção à flora e fauna do local, sendo possível encontrar guanacos, pingüins de Humboldt, pelicanos, entre outros. A vegetação é típica da região havendo diversas espécies de cactos. 

Pela manhã a região se mantém normalmente sob uma neblina espessa que garante um adicional de umidade para o parque. Com o passar do dia essa neblina se dissipa abrindo espaço para o sol.

Existem diferentes explicações para o nome "Pan de Azucar" e vou citar as 2 mais comuns: 
1) A ilha Pan de Azucar tem formato cônico, parecendo com a forma de um punhado de açúcar e
2) A grande concentração de fezes de pássaros cobre várias pequenas pedras e formações da região, oferecendo uma imagem de cristais de açúcar.
Tem gente que pergunta sobre o Pão de Açúcar no Rio de Janeiro (Brasil), mas não ouvi nenhuma explicação lá que relacionasse ambos.

Na primeira parada do parque você poderá avistar a placa de identificação do parque com a ilha Pan de Azucar atrás.

isla-pan-01
isla-pan-02

Nessa primeira parada há um pequeno museu e guias treinados para te explicar sobre a fauna e flora local, além de te dar as orientações de pontos para refeição e locais para camping. Uma parada obrigatória no parque é a Caleta Pan de Azucar, de onde saem os barcos que vão até a ilha. O passeio custa CLP$ 6.000 (não confunda a pronúncia, quando eles falam 6 parece 100). Além do ponto de saída dos barcos que vão até a ilha, há também restaurantes e banheiros.

Em frente a um dos restaurantes há um ponto onde se acumulam muitos pelicanos. Eu, adorei ver os pelicanos tão de perto. É uma ave enorme!! Além de linda. Tinham algumas com 1m, 1.2m, chutaria que tinha até maiores. Além de pelicanos há outras aves típicas da região por lá. Caso você queira explorar a região num quadriciclo, parece ser possível. Não localizei onde alugar mas vi uma menina usando um.

isla-pan-03
isla-pan-04
isla-pan-05

Além da Caleta Pan de Azucar, outro ponto de parada obrigatório é o mirador. O mirador é longe da Caleta, caso você esteja pensando em ir a pé. Dá pra fazer, mas é bom que você tenha tempo, pois imagino algo como 2 horas de caminhada para ir e mais 2 horas para voltar. Eu fui de carro e a partir de um trecho você só pode subir de carro se pagar um guia credenciado, senão deixe o carro estacionado e suba a pé. Fizemos isso.

A vista da ilha Pan de Azucar e da baía a partir do mirador valem a viagem até lá.

isla-pan-07
isla-pan-09
isla-pan-08

Depois de conhecer o mirador, resolvi voltar para Copiapó, pois a estrada estava em reforma e havia muito transito devido as restrições de tráfego. No entanto, antes de sair do parque parei em 2 praias do parque para apreciar o local. Em uma delas havia uma formação rochosa diferente o que deixava a paisagem mais específica e especial.

isla-pan-09
isla-pan-10
isla-pan-11
isla-pan-12

Voltei para Copiapó.

No outro dia queria fazer outros passeios mas como era baixa temporada não havia gente suficiente para fazê-los. Ainda quero voltar à região para conhecer o Parque Nacional Nevado Tres Cruces, alguns salares, águas termais e vulcões.

Foto de @cristianpeña encontrada no Google

Foto de @cristianpeña encontrada no Google

Quando estava pesquisando sobre a região e conversando com os locais, descobri um local chamado "nascimento do rio de la sal" que achei extremamente bonito pelas fotos que vi. A foto abaixo eu baixei do Google Earth. Estou deixando essa dica aqui, pois não tinha lido nada sobre esse lugar e achei lindo.

Para chegar lá você tem que pegar a rodovia C-157 a partir de Diego de Almagro e fazer um trecho offroad. Imagino que seja mais adequado fazer com um guia local para não correr riscos. Pelo que me disseram se você alugar um carro 4x4 dá pra fazer, pois a estrada é bem sinalizada, pelo menos no trecho Copiapó até Parque Nacional Nevado Tres Cruces (mas vale lembrar que é uma região desértica e o caminho é perigoso, devido as comuns tempestades de areia). Se você for sozinho é obrigatório que avise a polícia local para onde está indo para que procurem você em caso de não retorno ou então, para obter informações em caso de detecção de tempestade de areia.

Eu quero voltar lá só para fazer esses passeios pelo deserto, inclusive recomendo que se você quer fazer isso se programe para ir num ano que tenha o fenômeno raro de "deserto florido". Esse fenômeno não ocorre todos os anos, sei que ocorreu em 2010 e que ele depende muito das condições de chuva do inverno. Sendo assim, uma grande variedade de flores surge entre Setembro e Novembro nesses anos onde a precipitação é mais alta que o normal (pras condições desérticas). Esse fenômeno é observado ao sul da cidade de Vallenar e ao norte de Copiapó. As flores mais comuns nesse fenômeno são: veludo, añañucas, garra de leão, flores de cactos e arbustos (ex. barrilha), chegando a 200 espécias, na maioria endêmicas.

 


 

 

Mais lugares para conhecer:

 

Em Copiapó você pode fazer um passeio à Laguna Verde, no Parque Nacional Nevado Tres Cruces, no Vulcan Ojos del Salado.

Em Caldera você pode ir ao Casa Tornini Museo - Centro Cultural, que é uma casa museu onde pode-se aprender mais sobre a cultura chilena.

 


 

Clique na imagem abaixo para abrir o mapa dos locais indicados neste site:

 

mapa copiapo

 

Hospedagem:

 

Em Copiapó há poucos hotéis, portanto, não deixe de fazer sua reserva antecipadamente. Encontrei apenas 1 hostel na cidade.

Em Caldera também há poucos hotéis. O destaque fica com o Hotel Blanco Encalada, com ótimas avaliações e arquitetura peculiar.

Encontrei apenas um hostel, mas fica muito distante do centro da cidade.

Dica: No Chile, se você paga o hotel em dólar ou euro, você fica isento do imposto local de 19%, sendo que o pagamento pode ser no cartão de crédito internacional.

 

Curiosidade:  Norte Chico é o nome de uma das 5 regiões do Chile, sendo considerada a "Pequena Norte", perto da região "Norte".

 
ATENÇÃO: Algumas informações descritas no site podem mudar, como por exemplo, preços, horários de funcionamento e até mesmo endereços. Consulte sempre antes de ir! Não possuímos vínculos com as empresas, serviços e profissionais mencionados neste site 😉

Deixe seu comentário / Nenhum comentário

Itinerário de Viagem (C) Direitos reservados
desenvolvido por