EnglishPortugueseSpanish
BRUSSEL
Postado por Gisela S em novembro 6, 2016 Editado por Estela T em maio 5, 2017

BRUXELAS : dicas de turismo para quem tem pouco tempo na cidade incluindo sugestões de passeios, refeições e muito mais!

 

Quando decidi conhecer a Holanda resolvi aproveitar e ir até o país vizinho, a Bélgica. Inclui Bruges e claro, Bruxelas nesse roteiro.

Meu foco da viagem era Amsterdã, então passei apenas 1 dia em cada cidade belga.

Peguei o trem cedo em Amsterdã para Bruxelas e voltei ao final do dia (foram cerca de 2h de viagem por trecho, o tempo vai depender do tipo de trem que você pegar). Deu tempo apenas para ter uma visão geral do que é a cidade, algo muito superficial.

Em Bruxelas você pode descer na estação Bruxelles-Midi de onde você pode pegar o metrô e parar em qualquer canto da cidade.

Belgica, Belgium, Belgie, Bruxelas, Brussels, Brussel, Europa, Mont des Arts

Mont des Arts

 Em uma primeira e rápida impressão, já digo que não foi minha cidade favorita. É uma cidade grande, muitos prédios altos e espelhados e alguns pontos turísticos. Eu prefiro as cidades pequenas e com muita paisagem natural. Ou seja, se você é fã das grandes cidades do mundo, provavelmente, vai gostar muito de Bruxelas.

Bruxelas é a capital da Bélgica e a capital da União Européia. Lá estão prédios da sede da UE, da ONU, do Médicos Sem Fronteiras, OTAN, etc. Ou seja, desde o final da Segunda Guerra Mundial, lá é o centro político internacional, com sede de várias organizações globais ou regionais.

Um ponto interessante sobre esta ser capital política do mundo está na necessidade de comunicação. O idioma oficial era o holandês (neerlandês), no entanto, com a instalação dessas organizações o francês passou a ser língua predominante na cidade. A população local é poliglota, em grande parte, e utiliza o francês como língua principal. Isso gerou conflitos internos no país onde há regras sobre os idiomas oficiais também para as cidades próximas (isso implica em aulas nas escolas das 2 línguas oficiais, por exemplo).

A cidade foi fundada por volta de 979 d.C. e suas referências históricas são a capela de São Gaugérico e o forte da cidade. Atualmente são cerca de 1,8 milhões de habitantes (pouco para quem vive em São Paulo ou Rio de Janeiro, no entanto, muito para a Bélgica).

Bom, voltando ao tema turístico. Eu desci do trem (na Estação Central) e pensei: onde ir? como ir? Como tinha pouco tempo perguntei pelo ônibus turístico, assim eu poderia circular pela cidade e descer nos pontos que achasse mais interessantes.

Fui caminhando até o Palácio Real de Bruxelas, onde há ponto das linhas de ônibus turísticos. Para chegar ao palácio a partir da estação se passa pelo famoso "Monte das Artes" (Mont des Arts).

 

 

 

Mont des Arts

 

O Mont des Arts tem esse nome porque conta com 10 dos maiores museus e galerias da cidade, além de um lindo jardim chamado: Jardin du Mont des Arts.

A concepção do complexo foi idealizado pelo Rei Leopoldo II com o intuito de focar esta região às artes. Tudo isso no final do século 19. Mas a sua concretização levou mais de 50 anos para se tornar realidade, já que a área era um bairro residencial densamente povoado, e muitas das estruturas originais foram destruídas. No lugar, uma série de construções arquitetônicas modernas e grandes espaços abertos foram construídos.

 

Belgica, Belgium, Belgie, Bruxelas, Brussels, Brussel, Europa, Mont des Arts

Jardin du Mont des Arts, Bruxelas (olhando pra baixo)

Belgica, Belgium, Belgie, Bruxelas, Brussels, Brussel, Europa, Mont des Arts

Detalhe do Jardin du Mont des Arts

O Mont des Arts fica no centro da colina que ocupa o espaço entre o Palais Royal de Bruxelles (Palácio Real) e o Grand Place e é considerado hoje uma área imperdível da cidade.

Obviamente o jardim e espaços abertos que cercam os museus são um ponto turístico. A dica é subir até o topo da colina (até porque se você quer chegar ao Palácio você terá que fazer isso rsrs) para apreciar uma das melhores vistas da cidade. Há quem pare no jardim para fazer um piquenique (como não tem grama para sentar, não achei muito propício ao piquenique).

Eu gostei muito da vista de lá. Dá para ver a cidade de cima, seus vários telhados, reconhecer as diversas e grandes igrejas e catedrais. Bom, passei pelo jardim e vi apenas de relance os museus que o cercam. Chegando ao topo entrei num posto de informações turísticas para pegar um mapa e entender onde estavam os diversos edifícios em estilo Art Noveau da cidade (vi que com pouco tempo não seria tão fácil conhecer tantos quanto eu gostaria...

Belgica, Belgium, Belgie, Bruxelas, Brussels, Brussel, Europa, Mont des Arts

Vista dos telhados de Bruxelas a partir do Monte das Artes

Belgica, Belgium, Belgie, Bruxelas, Brussels, Brussel, Europa, Mont des Arts

Mont des Arts, Bruxelas

Como eu tinha pouco tempo, não cheguei a entrar em nenhum dos museus. Se um dia eu voltar para Bruxelas será para dedicar tempo aos museus e teatros desse cantinho 'cult' da cidade. Acho que se seu objetivo é aproveitar ao máximo a vida artística da cidade, vale reservar pelo menos uns 4 ou 5 dias para fazer tudo tranquilamente.

Se você é dos apaixonados por museus segue a listinha de alguns dos 'museus' que estão nessa região pra te ajudar a escolher em qual entrar (a maior parte funciona das 10h ou 11h as 18h):

  1. Bibliothèque Royale de Belgique (Biblioteca Real da Bélgica, KBR ou Biblioteca Real Alberto I): é considerada uma das instituições mais importantes do país com cerca de 5 milhões de volumes encadernados, incluindo cerca de 45 mil livros raros, além de mapas, desenhos, gravuras e moedas. É aberta ao público apenas para consulta local (não pode tirar nenhum livro de lá) e para usar a biblioteca é necessário ter mais de 18 anos e pagar uma taxa anual.
  2. Le Palais des Beaux-Arts (Palácio de Belas Artes BOZAR): esse palácio foi desenhado pelo arquiteto Victor Horta a pedido do financeiro Henri. O espaço foi pensado para abrigar os mais diferentes tipos de arte tendo espaço para exposições, concertos, áreas abertas para cinema, música, teatro e dança. Dentro do palácio encontra-se a Cinémathèque Royale de Belgique (Cinemateca Real da Bélgica) e também a sede da Orchestre National de Belgique (Orquestra Nacional da Bélgica).
  3. Musée des instruments de musique de Bruxelles (Museu de Instrumentos Musicais): lá dentro estão cerca de 8 mil instrumentos. Faz parte do complexo Royal Museums for Art and History da cidade. Foi fundado em 1877 e ocupa o atual prédio em estilo art nouveau desde o ano 2000. Possui umas das coleções de instrumentos mais completas do mundo, que abrange desde a antiguidade até a atualidade. Além do visitante poder escutar o som desses instrumentos, é possível conhecer o processo de fabricação de um violino ou um violão através da reconstrução de uma oficina no local. O museu também conta com um restaurante no seu último andar e de quebra você pode ter uma bela vista panorâmica da cidade.
  4. Musée BELvue: seu nome deve-se ao fato de estar localizado no edifício do histórico e luxuoso hotel Bellevue, construído no século XVIII. É o museu de história nacional belga.
  5. Musée Magritte: é um dos mais recentes museus da região. Foi fundado em 2009 e apresenta diversas obras do famoso surrealista belga Magritte.
  6. Musée d'Art ancien e Musée d'Art moderne (Museus de arte antiga e moderna, respectivamente): ambos são museus do grupo do Royal Museums for Art and History. Eles ficam no mesmo endereço. O seu acervo possui obras do século XV a XVIII e também do final do século XVIII até contemporâneo. Incluem-se esculturas, pinturas, desenhos, porcelanas, etc. É uma visita 2x1.
  7. Fin-de-Siècle Museum (Museu do Fim do Século): acho que é o mais recente dos museus da região. Foi fundado em 2013 com objetivo de apresentar obras de 1868 a 1914. Lá você vai encontrar muitas obras de belgas e europeus famosos como Victor Horta e Rodin, por exemplo.
  8. Musée MOOF: é o "Museu de Figuras Originais" (MOOF) onde você vai encontrar muita informação sobre desenhos animados e quadrinhos (HQ), havendo espaço para os diversos tipos como o Mangá, Comics americano e Flamengo, dentre outros.
  9. Belgium Brewers Museum (Museu dos Cervejeiros): é o museu organizado pela Associação de Cervejeiros Belgas. Nesse museu você poderá ver as diferentes formas de se fazer cerveja belga, seus diversos equipamentos e história.
  10. Musée du Costume et la Dentelle (Museu de Vestimentas): museu exibe diversas peças utilizadas por diferentes grupos de pessoas em diferentes momentos da história.
Há também  várias galerias de artes nessa região, espaços de música, etc.

Obs.: Os museus do Royal Museums for Art and History que ficam em Bruxelas são: Museu Antoine Wiertz, Museu Constantin Meunier, Museu de Arte Antiga de Bruxelas e o Museu de Arte Moderna de Bruxelas (esses 2 últimos ficam no Monte das Artes).

 

 

Relógio de Jacquemart ou Carillon du Mont des Arts

 

Belgica, Belgium, Belgie, Bruxelas, Brussels, Brussel, Europa, Relógio de Jacquemart, Carillon du Mont des ArtsAcho que vale citar que há um daqueles relógios com sinos e personagens no Monte das Artes. Quando você for subir, ao invés de subir pelas escadas onde há a escultura do cavalo, passe pela rua Monts des Arts. Ela passa por baixo de um prédio, logo que você passar já avistará o relógio.

O relógio é conhecido como Carillon du Mont des Arts ou  Jacquemart é um grande relógio com sinos que toca a cada 15 minutos. Jacquemart é o nome do personagem de bronze que bate no sino para marcar as horas. Ele tem 2,8m de altura. A escultura foi feita por Henri Albada. O sino pesa 1.750kg!  Eu não vi onde está essa figura (quem sabe não estava restaurando quando eu estava por lá).

Cada hora é representada por um personagem que representa a história de Bruxelas. As horas passam em sentido cronológico sendo os personagens: Galois, Godefroid de Bouillon, Jan Van Artevelde, Philip o Bom, Charles Quint, Pierre Paul Rubens, Soldado, Charlier a la Jambe de Bois, tam-tam especialista, soldado da primeira guerra mundial e um trabalhador.

Quando tocada meia noite os personagens saiam dos nichos, Atualmente, por risco de instabilidade a meia noite apenas ouvimos as 12 sonadas.

A melodia é tocada por 24 sinos feitos por Paccard em 1964. Apenas 11 dos sinos são visíveis, 9 representam provincias belgas que podem ser identificadas pela insígnia e os outros 2 representam a ciências e as artes. Os outros sinos estão atrás de cada personagem.

Belgica, Belgium, Belgie, Bruxelas, Brussels, Brussel, Europa, Relógio de Jacquemart, Carillon du Mont des Arts
Belgica, Belgium, Belgie, Bruxelas, Brussels, Brussel, Europa, Relógio de Jacquemart, Carillon du Mont des Arts

 

 

Prédios importantes de Brussels, Bruxelas

 

 

Belgica, Belgium, Belgie, Bruxelas, Brussels, Brussel, Europa, MIM, museu de instrumentos musicais

Museu de Instrumentos Musicais - MIM

No caminho para o Palácio, passei em frente ao Museu de Instrumentos Musicais. Como já escrevi sobre o museu na lista que deixei acima, acho que vale mencionar que o edifício onde o museu se encontra é um dos mais importantes exemplos de arquitetura Art Noveau da Bélgica, considerado "World Heritage" pela UNESCO. Seu arquiteto foi o consagrado Victor Horta junto com Paul Hankar. Ou seja, mesmo que você não se interesse tanto por instrumentos musicais, conhecer essa obra de arte da arquitetura pode ser um motivador para você entrar nesse museu.

Em Bruxelas você verá muitos guias e mapas falando sobre os diversos edifícios Art Noveau da cidade. Se você gosta de arquitetura reserve um tempo para apreciar a cidade.

 
 
Belgica, Belgium, Belgie, Bruxelas, Brussels, Brussel, Europa, corte constitucional

Corte Constitucional, Place Royal

Passando pelo museu você chega a "Place Royal" (Praça Real), onde você encontra o Museu Magritte e a Corte Constitucional.
 
Segui um pouco mais e dei uma volta em torno no Palácio e depois entrei no ônibus turístico (eu já tinha passado a manhã conhecendo essa região). Diferentes linhas do ônibus turístico tem ponto perto do Palácio. Entrei em uma delas e fui dar uma volta pela cidade.
Passamos pelo centro onde ficam os prédios da ONU, UE, etc. Eu não desci nessa parte mais moderna da cidade, mas parece que se pode visitar vários desses prédios.
Acabei nem tirando muitas fotos dessa região.
Belgica, Belgium, Belgie, Bruxelas, Brussels, Brussel, Europa, palacio de belas artes

Palácio de Belas Artes de Bruxelas

Belgica, Belgium, Belgie, Bruxelas, Brussels, Brussel, Europa, União Européia

Prédio da União Europeia

 

 

Região de Laeken e o Musées d'Extrême-Orient

 

Eu desci na região dos parques, onde está o Parque de Laeken e o Parque d'OsseghemLaeken é o nome de um distrito de Bruxelas, onde fica a casa da família real belga, ou seja, é um local arborizado e bonito.

Como o Parque de Laeken é muito grande, decidi descer no Musées d'Extrême-Orient (Museu do Extremo Oriente com o Pavilhão Chinês e Torres Japonesas) e começar a explorar por ali indo até o famoso Atomium.

Sobre a criação desses espaços dedicados ao lado oriental do mundo, alguns dizem que o Rei Leopoldo II ficou muito impressionado com a Exposição de 1900 em Paris e quis estruturas famosas de todo o mundo representadas em sua propriedade real em Laeken. Desta forma, o arquiteto Alexandre Marcel incluiu no projeto duas torres que representam o Japão e a China. As torres foram concluídas em 1904 e são inteiramente feitas de madeira e ligadas por um túnel (elas ficam dentro do parque). O entalhe da madeira foi finalizada por especialistas de Xangai (China) e Yokohama (Japão), e as artes e artefatos chineses e japoneses datam do século 17 e encontram-se em exposição. Em torno das estruturas há um belo jardim.

Do outro lado da rua, logo em frente as torres fica o Museu do Extremo Oriente. Eu cheguei a entrar nas torres e no museu.

 

Belgica, Belgium, Belgie, Bruxelas, Brussels, Brussel, Europa, Região de Laeken, Musées d'Extrême-Orient

Uma das Torres Japonesas

Belgica, Belgium, Belgie, Bruxelas, Brussels, Brussel, Europa, Região de Laeken, Musées d'Extrême-Orient
Belgica, Belgium, Belgie, Bruxelas, Brussels, Brussel, Europa, Região de Laeken, Musées d'Extrême-Orient

A segunda torre Japonesa

Belgica, Belgium, Belgie, Bruxelas, Brussels, Brussel, Europa, Região de Laeken, Musées d'Extrême-Orient
Belgica, Belgium, Belgie, Bruxelas, Brussels, Brussel, Europa, Região de Laeken, Musées d'Extrême-Orient

Detalhe do Pavilhão Chinês (mais detalhes do pavilhão nas três fotos abaixo)

Belgica, Belgium, Belgie, Bruxelas, Brussels, Brussel, Europa, Região de Laeken, Musées d'Extrême-Orient

Saindo de lá passei pelas Serres Royales de Laeken (Estufas Reais), pelo Monumento ao Rei Leopoldo e Chatêau de Laeken (Castelo Real de Laeken).

Belgica, Belgium, Belgie, Bruxelas, Brussels, Brussel, Europa, Região de Laeken, estufa real de Laeken

Estufa Real de Laeken

Belgica, Belgium, Belgie, Bruxelas, Brussels, Brussel, Europa, Região de Laeken, castelo real de Laeken

Castelo Real de Laeken

Belgica, Belgium, Belgie, Bruxelas, Brussels, Brussel, Europa, Região de Laeken, monumento

Monumento ao Rei Leopoldo

 

 

Atomium

 

Ao final da caminhada parei em frente ao Atomium. Este é considerado a Torre Eiffel de Bruxelas e foi construído em 1958 por conta da  Expo 58, também conhecida por Feira Mundial de Bruxelas e Exposition Universelle et Internationale de Bruxelles, que foi a primeira grande Exposição Mundial depois do fim da Segunda Guerra Mundial.

O Atomium representa um cristal elementar de ferro ampliado 165 mil milhões de vezes, com tubos que ligam as 9 partes formando 8 vértices.

As esferas de ferro possuem cerca de 18m de diâmetro e estão ligadas por tubos com escadas no seu interior com um comprimento de cerca de 35m. Para quem não sabe, na esfera lá do topo há janelas instaladas que oferecem aos visitantes uma vista panorâmica da cidade. Já as outras esferas têm exposições sobre os anos 50. 

Belgica, Belgium, Belgie, Bruxelas, Brussels, Brussel, Europa, Região de Laeken, Atomium

Perto do Atomium fica a maquete da Europa denominada "Mini-Europe". Eu acabei não indo ver. Mas talvez valha a pena você planejar uma visita por lá.

bruxelas-24Bem em frente ao Atomium há uma tradicional 'barraquinha' de lanches onde são vendidos lanches gostosos. Como acabei não parando para almoçar, aproveitei o lanche.

De lá voltei para o Palácio de Belas Artes e fui caminhando até a estação de trem, ouvindo a música que músicos de rua tocavam, acabei parando um pouco nas lojas de chocolate e aproveitei para conhecer a Galeries Royales Saint-Hubert.

Para quem procura o melhor da moda, bares e restaurantes e design o lugar é a Galeries Royales Saint-Hubert. Construída em em 1847 com o objetivo de proporcionar uma boa opção à emergente classe burguesa, evitando assim os bairros considerados “suspeitos" em Bruxelas. Lógico que hoje a galeria é uma rua movimentada da cidade e acessível a todos.

Belgica, Belgium, Belgie, Bruxelas, Brussels, Brussel, Europa, Região de Laeken, Atomium
Música em rua de Bruxelas

Música em rua de Bruxelas

Belgica, Belgium, Belgie, Bruxelas, Brussels, Brussel, Europa, Galeries Royales Saint-Hubert

Galeries Royales Saint-Hubert

A galeria possui 3 andares e neles se espalham mais de 50 boutiques. Lá você encontra muitas coisas, desde produtos tradicionais de couro feitos à mão, chocolates belgas ou joalheiros artesãos que fabricam joias e objetos de vidro.

A Galeries é assim chamada no plural porque o complexo possui várias galerias. Por exemplo, a Galeria da Rainha adjacente é conhecida pelas lojas sapatos de grife e pelas lojas modernas de design de interiores. A Galeria dos Príncipes, que é um pouco menor, possui livrarias, lojas de presentes e uma boutique de roupas femininas.

Para quem está pousando na cidade, vale a pena ir à galeria de noite e aproveitar os dois teatros, um cinema e uma série de restaurantes e bares.

 


 

 

Clique na imagem abaixo para abrir o mapa dos locais indicados neste site:

 

mapa-bruxelas

Mais lugares para conhecer:

 

  • Muitas pessoas buscam pela estátua do Manneken Pis que é uma escultura de um menino fazendo xixi.
  • O enorme Grand-Place ou Grote Markt é um belo local a ser explorado e segundo Victor Hugo (sim, o escritor) é uma das praças mais bonitas do mundo! A praça fica florida com begônias ( país é grande exportador desta flor) desde a década de 70 e desde lá, a cada dois anos no mês de Agosto. O próximo evento será do dia 16 a 19 de Agosto de 2018. saiba mais clicando aqui. Mas segundo o site oficial, 2017 também haverá um grande e lindo tapete homenageando o barroco italiano! Wow....
  • Parc du Cinquantenaire
  • Se der tempo, se programe para assistir a um concerto no De Munt/La Monnaie, um lindo teatro!
  • Para quem adora as Aventuras de Tintin e quadrinhos diversos, procure o Belgian Comic Strip Center
  • Co-Catedral collégiale des Ss-Michel et Gudule ou Catedral de São Miguel e Santa Gudula
ATENÇÃO: Algumas informações descritas no site podem mudar, como por exemplo, preços, horários de funcionamento e até mesmo endereços. Consulte sempre antes de ir! Não possuímos vínculos com as empresas, serviços e profissionais mencionados neste site 😉

Deixe seu comentário / 2 Comentários

  1. Estela, que legal conhecer teu blog! Foi um prazer ler seu post sobre Brussel (Bruxelas).
    Após lê-lo, fiquei com ainda mais vontade e inspirado a conhecer essa incrível cidade.
    Parabéns pela descrição detalhada e muito gostosa de ler.

    • Responder
      Estela T

      Obrigada pelo comentário e elogio Veron! 😉

Itinerário de Viagem (C) Direitos reservados
desenvolvido por