EnglishPortugueseSpanish
BERGAMA / ESMIRNA / KUȘADASΙ
Postado por Estela T em junho 2, 2012 Editado em setembro 15, 2017

Nesta maravilhosa viagem pela Turquia, conhecemos as cidades BERGAMA,  ESMIRNA e KUȘADASΙ. Aqui você vai conhecer também o belo Mar Egeu e o sítio arqueológico Asclepion.

 

 

Ege Denizi (Mar Egeu)

 

Mar Egeu e o céu fundidos em uma única cor!

Saímos de Çanakkale rumo a Bergama (conhecida na antiguidade como Pérgamo/Pergamun) e estava um tempo ruim, nem acreditei que estávamos com chuva.

No caminho para o sítio arqueológico de Asclepion passamos na beira do mar... era o Mar Egeu. Sim... o Fantástico mar Egeu! Palco de grandes feitos heróicos das batalhas épicas do mundo antigo! O céu e o mar se fundiam e a estrada ficava bem na beira da água, mal tinha areia ou borda. Pena que não paramos para ficar espiando este lugar. Eu ficaria um bom tempo apreciando aquele horizonte bucólico! Lindo e até um pouco surreal!

O litoral atual do Mar Egeu remonta a cerca de 4000 a.C. mas sua história é antiga, desde a última era glacial (cerca de 16 000 a.C.), onde erva visivelmente diferente (no que se diz em forma e profundidade). As civilizações da Idade do Bronze na Grécia e no Mar Egeu deram origem ao termo geral civilização egeia. Nos tempos antigos, o mar foi o berço de duas civilizações antigas: os minoicos de Creta e da civilização micênica do Peloponeso.

O mar Egeu foi colonizado pelos gregos há mais de quatro milênios. Até 1922 e o tratado de Lausanne, que cedeu à Turquia a costa oriental, todas as ilhas e costas norte, leste e oeste eram habitadas por uma maioria de gregos. Durante a Idade Antiga, o mar Egeu propiciou o desenvolvimento da navegação marítima pelos gregos. Suas costas montanhosas e irregulares formam abrigos naturais e seu grande número de ilhas permitia navegar sempre à vista de terra.

O Egeu é também o berço das primeiras talassocracias da história da Europa, a dos minoicos de Creta e a de Atenas no século V a.C. (Liga de Delos). Com a conquista romana (cerca de 167 a.C.), as costas passaram a integrar a mesma unidade política, a do Império Romano e, em seguida, o Império Bizantino. Na Idade Média, as costas foram partilhadas entre os diferentes impérios gregos, os turcos e os Estados latinos, até a queda de Rodes, em 1522, e a conquista de Creta, no século XVII (com a tomada de Cândia em 1669 e de Spinalonga em 1715).

Apesar da imagem bucólica que eu via através da janela do ônibus devido à "primavera atípica" (conforme a guia de turismo), devo admitir que a imagem era a mais linda naquele momento. Calculo que estávamos na cidade de Küçükkuyu, passando por uma baía e não o mar aberto.

 

 

Asclepion (Asklepieion)

 

Chegando em Asclepion, acabamos comprando um guarda-chuva muito meia boca lá na "porta" de entrada do sítio arqueológico, oferecida por camelôs. Cada um custou ₺10. Mas não valia nem ₺1. Mas enfim... serviu só para não castigar muito a minha câmera, porque depois, o guarda-chuva foi direto para o lixo.

Pérgamo foi um dos centros culturais, comerciais e médicos da época e a construção de Asclepion foi uma edificação consagrada ao deus da medicina de mesmo nome ou Asclépio (Asklēpiós). Ele era considerado o deus da medicina e da cura da mitologia greco-romana, apesar de não fazer parte do Panteão das divindades olímpicas, acabou por se tornar uma das divindades mais populares do mundo antigo.

Existem várias versões sobre o seu mito, mas algumas linhas de estudos o apontam como sendo o filho de Apolo, um deus, e de Corônis, uma mortal. Ele teria nascido de cesariana após a morte de sua mãe, e levado para ser criado pelo centauro Quíron, que o educou na caça e nas artes da cura. Aclepion aprendeu o poder de cura das ervas e da cirurgia e adquiriu uma grande habilidade que até podia trazer os mortos de volta à vida. Porém, Zeus o puniu matando-o com um raio... Mas não sei exatamente o motivo de tal punição severa. Lógico que é uma mitologia, acreditar vai de cada um. Mas de toda forma, é uma bela história.

O culto a Asclepion disseminou-se por uma vasta região da Europa, pelo norte da África e pelo Oriente Próximo, sendo homenageado com inúmeros templos e santuários que atuavam como hospitais. Sua imagem permaneceu viva e é um símbolo presente até hoje na cultura ocidental.

O túnel da foto acima dava para o Hospital. Ao lado havia um teatro, acho que cabiam umas 7.000 pessoas. O local transmite muita paz e você acaba ficando lá querendo explorar tudo e imaginar como a cidade era e como as pessoas viviam. Pena que tínhamos pouco tempo. Se você for checar a área pelo Google Maps, poderá ver que está em uma área grande. Portanto, se estiver sem grupo de pacote turístico, aproveite cada centímetro deste lugar.

Infelizmente o pacote contemplava apenas a visita a Asclepion. A Acrópolis com o Templo de Trajano, altar de Zeus, a Ágora Superior, o espetacular Teatro que desce o morro e o Templo de Atena ficam em outro lugar. Sei que é próximo porque quando descemos do ônibus para visitar Asclepion, vi a cidade. Nossa... que vontade de ir pra lá... Mais uma pendência para conhecer quando voltar!

Entrando em Asclepion

Muitas colunas continuam em pé

Com chuva....

O túnel da passagem subterrânea

Informações:
Horário de funcionamento: provavelmente aberto todos os dias, exceto feriados turcos e religioso sendo de Abril a Setembro das 08-19h e entre Outubro e Março das 08h-17h
Entrada: ₺20
Site oficial, clique aqui.
Estacionamento: ₺5
EndereçoProf Dr Frieldhelm Korte Caddesi 1
Vale lembrar que o terreno é acidentado, com muitas placas de mármore no piso, podendo ser um passeio cansativo para pessoas com dificuldades de locomoção, mas acredito que não é impossível. A visitação pode durar cerca de 1 hora, dependendo do perfil do visitante.

 


 

Esmirna (Izmir)

 

O tempo foi melhorando depois que saímos de Bergama.

O tour nos levou à cidade de Esmirna que antigamente era chamada de Izmir. De acordo com Estrabão, Esmirna era o nome antigo de Éfeso, e o nome deriva de uma amazona que conquistou Éfeso. Outros autores, porém, mencionam Esmirna como a mãe de Adonis. Conta a lenda que ela teria dito que ela era mais bela que Afrodite, e a deusa a amaldiçoou, fazendo com que ela se apaixonasse pelo próprio pai e desta união nasceu Adonis. Bem... incesto no mundo grego não é novidade, não é mesmo? Mas fico feliz em saber que é uma lenda rs

A cidade de cinco mil anos é uma das cidades mais antigas da bacia de Mediterrâneo e, apesar da idade, é muito bem organizada, bem cuidada e moderna. A cidade original foi estabelecida por volta do 3º milênio a.C., quando compartilhou com Troia a cultura mais importante da região denominada Anatólia. Por volta de 1500 a.C. tinha caído na influência do Império Hitita da Anatólia Central.

Nossa passagem pela cidade foi rápida, infelizmente. Queria ter tido mais tempo para entender um pouco mais sobre ela. Andamos um pouco pela cidade que é uma cidade grande, com apartamentos bonitinhos, comércio diversificado (tinha lojas de marcas européias, para se ter uma noção). E cada vez mais o tempo foi se abrindo.

Mas era domingo e, portanto, não tinha muita coisa aberta. Aproveitamos para tomar um café e outros turistas estavam tomando sorvete. Aproveitamos para descansamos um pouco, porque ficar muito tempo sentada no banco de ônibus... cansa.

Depois desta rápida olhada, fomos para  cidade Kușadasι e ficamos hospedadas no Tatlises Hotel. Parece que o nome do hotel é em homenagem a Tatlises, um cantor famoso na Türkije que se envolveu com uns mafiosos e levou um tiro na cabeça. E sobreviveu.

Estava um pouco tarde e apesar de anoitecer lá pelas 20h, deixamos o cansaço para trás e fomos andando até a fortaleza de Kușadasι. 

 


 

Kuşadası

Cidade da Província de Aydin

 

Kușadasι é um frequente porto de escala para os cruzeiros de luxo. O nome da cidade significa “ilha do pássaro” e é cada navio de luxo que atraca neste porto... são tão monstruosos que quase ficam do mesmo tamanho da colina próxima.

Como eu tinha pesquisado sobre a Fortaleza de Kusadasι e sobre duas opções de bons restaurantes lá perto, decidimos descer até o porto.

A cidade é uma graça, tinha cada cazinha e apartamento bonitinhos... Uma coisa que percebi é que na Türkije não há regras de condomínio. Cada um faz o que quiser na sua fachada. Uns colocam grade, outros colocam outro tipo de janela, uns estendem roupas na varanda e assim vai. A cidade estava florida, dando um aspecto ainda mais gracioso.

É extremamente tranquilo e seguro andar a pé nesta cidade. Chegando à beira do mar, andamos muito. Estava ficando tarde e a vontade de jantar estava apertando ainda mais.

Perto da fortaleza havia um mercado, tipo bazar. Comprei umas duas pashminas e cada uma custou ₺17. O rapaz que nos atendeu nos ofereceu chá, deu um ímã de geladeira da cidade, vários olhinhos turcos em alfinetes, enfim, um ótimo vendedor.

Depois disso, hora de procurar os restaurantes que eu tinha visto que eram bons ("Rigolo Café Restaurant" e "Kazim Usta"). Como não estávamos encontrando, paramos num senhor pra perguntar onde ficavam e ele recomendou o restaurante ao lado da loja dele. Ele era um descendente de alemão com fluência no inglês. Ok, decidimos aceitar a indicação dele.

Era um restaurante bem simples que eventualmente recebe hóspedes dos cruzeiros. Não era bem o lugar que queríamos ir, mas fomos e comemos bem. Ficou ₺52 o jantar para as duas e com bebidas (sucos e chás). E era muita comida, um peixe (o dourado, sempre o dourado) e algumas mezes (homus, etc). Isso junto com a bebida. Jamais se pagaria isso no Brasil. Na volta, percebemos que eram quase 23h e o comércio estava firme e forte. Impressionante! Se São Paulo não pára nunca, Kușadasι é o que??? Pegamos um taxi de volta ao hotel e custou ₺10. Eu nem tinha percebido que havíamos andado tanto!

De Çanakkale até Kușadasι são 400km. Mas como parou em Bergama e tivemos um tempinho em Izmir não ficou cansativo.

Note: não é praia, então, não vá de biquini mostrando o bundão.

 


 

 

Clique na imagem abaixo para abrir o mapa dos locais indicados neste site:

 

Hospedagem:

 

Nos hospedamos em Kușadasι no final do dia, depois de percorrer tudo o que descrevi no site. O hotel oferecido foi o Tatlises Hotel (4*), com uma localização um tanto distante do porto e da fortaleza da cidade, porém caminhar até lá não foi nada sacrificante, até porque o tempo estava bom, o sol se punha às 20h e fomos caminhando ladeira abaixo até o centro. Vale citar que o hotel possui ótima vista e se sua agente de viagens for boa, ela vai escolher os melhores quartos com vista para o mar e este foi o nosso caso!
O quarto é bom, limpo, aconchegante, banheiros bons. Só não é muito grande mas isso não é algo muito grave.
Endereço: Turgut Özal Bulvarı No: 64 09400, Kusadası - Aydın
 
 

Mais lugares para conhecer:

 

- EM BERGAMA: Para quem sai de Çanakkale e está indo para Izmir, reserve um dia inteiro em Bergama (Pérgamo). É obrigatório ir para a grande  ACRÓPOLE DE PÉRGAMO, que é uma cidade histórica fica no topo de um morro. Foi fundada pelos gregos eólios no século 8 a.C. e por um tempo foi governada por um dos generais de Alexandre, o Grande. A cidade prosperou na dinastia pergamense, fundada por Eumenes I que governou de 263 a 241 a.C.. Nesta cidade funcionava um dos principais centros de ensino do mundo antigo. O último rei desta dinastia foi Átalo III que legou o reino para Roma em 133 a.C. e então, Pérgamo passou a ser capital da província romana da Ásia. O grande médico Galeno nasceu nesta cidade em 129 d.C. e criou o famoso centro médico de Esculápio. É lá que você encontra o Templo de Trajano (terminado no reinado de Adriano II – 125-138 a.C.), o Altar de Zeus, o Teatro que desce a colina, enfim... é a cidade. Uma curiosidade sobre o Altar de Zeus: os primeiros relevos de pedra deste enorme templo foram encontrados em meados de 1870 e hoje o altar está reconstruído no Museu de Pérgamo, Berlin – ALE.
- EM ESMIRNA (ou Izmir) há o metrô para facilitar a circulação. A cidade é bem ocidentalizada, tanto que vimos muitas lojas européias e americanas por lá, porém, era domingo e a maioria estava fechada. Mas há o “MUSEU DE ARQUEOLOGIA” que fica na praça Konak. Este museu abriga exposições de objetos encontrados em Esmirna, Pérgamo, Éfeso e Milet. As peças obrigatórias para serem vistas são: os materiais de vidro Bizantinos e o Tesouro com as jóias de ouro dos século 6º até 3º a.C.. Você ainda pode ver parte da monumental estátua do imperador Domiciano, encontrada em Éfeso feita no primeiro século d.C.. Há também uma estátua de bronze de Deméter do século 4º a.C. e um Kore de Klaros século 6º a.C..
 
A ÁGORA na cidade é do século 2º d.C. e era o mercado central da cidade romana de Esmirna. Lá é possível encontrar colunas coríntias, muitos arcos e até a parte de uma basílica (prefeitura). Esta cidade viveu até o período bizantino. E por fim, visite o “CASTELO DE VELUDO” (Kadifekale). Ele também é conhecido como “Monte Pagos” e foi construído sobre as fundações helenísticas e originalmente possuía 40 torres. Ao longo dos séculos os romanos, genoveses e otomanos aumentaram o seu tamanho. Dizem que é um ótimo passeio para ser feito à tarde e oferece uma boa vista da baía de Izmir.

O que você também pode fazer em KUSADASI: há o “PARQUE NACIONAL DA PENÍNSULA DE DILEK" (Dilek Yarιmadasι Milli Parkι) e nele há cavalos selvagens, provavelmente os últimos do país. O parque abriga guepardos-da-anatólia que também são raros. A dica é caminhar até o topo do monte "Samsun Dağι" para apreciar a vista da península. Além disso, passear pela marina de veleiros é uma boa opção, que é uma das maiores do litoral do Egeu.

Em Izmir há um aeroporto internacional: Adnan Menderes International Airport.

 
ATENÇÃO: Algumas informações descritas no site podem mudar, como por exemplo, preços, horários de funcionamento e até mesmo endereços. Consulte sempre antes de ir! Não possuímos vínculos com as empresas, serviços e profissionais mencionados neste site 😉

Deixe seu comentário / Nenhum comentário

Itinerário de Viagem (C) Direitos reservados
desenvolvido por