EnglishPortugueseSpanish
Um pinga-pinga de trem na Europa Central
Postado por Estela T em maio 23, 2016 Editado em dezembro 14, 2016

Quando viajamos pela Europa, ficamos fascinados em conhecer vários lugares diferentes por conta da proximidade geográfica dos países. Em 2013 isso aconteceu conosco e acabamos fazendo uma viagem Um pinga-pinga de trem na Europa Central, abrangendo 5 países (sendo 10 cidades).

A viagem foi assim: 1 dia em Viena, 1 dia em Bratislava, 2 dias em Budapeste, 1 dia em Salzburg, 2 dias em Munique sendo que em um deles fomos a Füssen, 1 dia em Rothenburg Ob der Tauber, 3 dias em Praga, 1 dia em  Dresden e 3 dias em Berlin. Tudo isso fizemos em 3 pessoas com malas médias e tudo via ferroviária

Compramos os tickets pelo Rail Europe porque ficamos com medo de não conseguirmos comprar os tickets na hora. Para baratear a viagem, reservamos os hotéis com meses de antecedência e compramos o Rail Europe. Aqui vai a dica para economizar, mas antes de comprar é bom saber o seu itinerário.

 

 

Viena

Chegamos em Viena pelo aeroporto Flughafen Wien porque antes de viajarmos pela Europa Central, estávamos em Istanbul. Pegamos um taxi para o centro da cidade que ficou uns €45. O aeroporto fica meio distante e quando o veículo chega na parte central da cidade, você logo percebe que ela é realmente do jeito que tinha projetado em sua mente e na sua expectativa: a cidade é limpa ao extremo, organizada, harmônica, funcional, silenciosa, lisa, bonita.

Belvedere de Viena

Os pontos altos da cidade ficam por conta da catedral Stephansdom, o complexo museológico chamado Kunst Historiches Museum Wien e o Schloss Belvedere que é a cereja do bolo para quem ama arte, história e Kimt… Lógico que há vários outros lugares para conhecer. Acredito que 3 dias sejam de bom tamanho para conhecer tudo o que a cidade pode oferecer e não…. a cidade não é absurdamente cara. Fica nos padrões europeus médios.

 

Bratislava

Bratislava na Eslováquia ainda é uma cidade muito ignorada pela grande maioria das pessoas mas como fica a 1 hora de trem de Viena, por que não dar chances a esta cidade?

Ela tem um ar medieval muito presente em seu centro histórico que é todo o charme da cidade.

A cidade vista do seu castelo

Ficamos apenas um dia na cidade e até que foi suficiente para conhecer o centro histórico. Os pontos altos da cidade ficam por conta do centro histórico. Fique atento ao Michalská Brána que é o único portão que protegia a cidade que ainda existe. O Bratislavský hrad é o castelo da cidade e um ponto turístico para aprender um pouco mais sobre a cidade. Fique de olho também nas divertidas estátuas modernas da cidade!

 

Budapeste

Ficamos dois dias inteiros em Budapeste mas não foi suficiente para conhecer a maioria dos lugares. A cidade é grande e se anda muito. Chegamos a pegar o metrô que é meio obscuro, mas para os pontos turísticos básicos, não houve necessidade de usar o transporte público.

O Parlamento de Busdapeste

 

Os pontos turísticos são vastos. Os pontos altos são a sinagoga Dohány Utcai Zsinagóga, a basílica Szent István Bazilika, passear pela margem do rio Danúbio, o Budavári Palota (que é o Palácio Real), a igreja Mátyás Templom juntamente com o Halászbástya e o Parlamento.

No rio Danubio junto à instalação artística “Shoes on Promenade”

 

Salzburgo

Devido à logística de tudo, tivemos que sacrificar um pouco a nossa passagem por Salzburg porque saímos de Budapeste de trem e, depois de 6 horas, chegamos a esta cidade.

Chegando lá, deixamos nossas malas no locker da estação e começamos a peregrinação por esta cidade. A cidade é conhecida por ser a cidade onde Wolfgang Amadeus Mozart nasceu. Mas alguns lembram dela porque foi lá onde foi filmado o filme “A Noviça Rebelde”.

Salzburg visto do alto da sua fortaleza

Adoro o Mozart e fiquei super feliz em conhecer a catedral Salzburg Dom, que foi o local onde ele tocou e regeu por diversas vezes. Além disso, fomos no Mozarts Geburtshaus und Mozart-Archiv (que é a casa onde o músico prodígio supostamente nasceu) e no delicioso café que fica ao lado deste museu. Ok… este museu não me agradou muito, mas me lembro muito bem do chocolate quente e do ótimo atendimento de lá!

 

Outro ponto alto é ir até a fortaleza Festung Hohensalzburg que vigia a cidade inteira no alto de um morro. A vista de lá é incrível e o museu que existe hoje lá dentro é bem interessante. Vale a pena!

Fizemos tudo a pé e nos divertimos muito! A cidade não é grande, mas acho que vale a pena se hospedar por lá e aproveitar mais.

 

Munique

Saindo de Salzburgo de trem, chegamos em Munique 2h30 depois. Pegamos um taxi até o hotel que nos custou uns €30 (cerca de 10km rodados sem transito). A cidade é grande e tem uma cara mais de centro comercial e econômico e não tão turística.

Vista da Marienplatz

Mas é lógico que atrai muitos turistas! Os pontos altos são a igreja Frauenkirche (que possui histórias e detalhes fantásticos), a praça Marienplatz com o seu Neues Rathaus (prédio da Câmara Municipal), a igreja Sainkt Peter que é sóbria e linda. A cidade possui muitas igrejas, mas muitas. E uma delas que não faz parte da rota turística mas que vale a pena visitar é a Asamkirche, toda barroca, pequenina (mais parece uma capela), é de encher os olhos!

 

 

Füssen

Cerca de uma hora de trem a partir de Munique, você chega a Füssen na Alemanha para visitar a menina dos olhos da cidade, o castelo Neuschwanstein. Este castelo inspirou Walt Disney a desenhar o castelo da Cinderella. É lindo! Parece mesmo um conto de fadas. Não é à toa que Füssen faz parte da rota romântica alemã, conhecida como Romantische Straße.

O castelo Neuschwanstein

Apesar de não poder tirar fotos dentro do Neuschwanstein, do Schloss Hohenschwangau (um outro castelo da região) e do Museum Der Bayerischen Könige, a natureza do lugar é lindíssima!

A visita a Füssen foi um bate e volta estando hospedados em Munique. É totalmente viável fazer este bate e volta, mas saia de Munique bem cedo para poder aproveitar todos os castelos!

 

Rothenburg Ob Der Tauber

Esta cidade também faz parte da rota romântica alemã (Romantische Straße) e é uma cidade medieval lindíssima e muito bem preservada. Fica entre muros, o que dá todo o charme!

O cartão postal da cidade

Partindo de Munique até Rothenburg, levamos 2h40mins. A estação do trem é bem pertinho da entrada da cidade então, se você não estiver com muitas malas, vale a pena ir andando! A cidade é muito graciosa e oferece muita coisa para fazer e visitar. Mas a cidade em sí é o ponto alto dela mesma!

Ficamos hospedados lá dentro da cidade murada, saindo logo cedo no dia seguinte. Vale muito a pena ter a sensação de dormir realmente numa cidade medieval!

Um dos portões da cidade

 

Praga

Saímos de Rothenburg Ob Der Tauber rumo a Praga, na República Tcheca, levando 5 horas de trem. Para quem quiser, pode passar por Karlov Vary, uma cidade tcheca bem graciosa.

Vista a partir da colina do castelo

 

Biblioteca

Na minha opinião, Praga é a cidade mais incrível de todas as cidades que conhecemos na Europa Central. Ela é agitada, cheia de contrastes, com muita gente bonita, arquitetura de encher os olhos e muita, muita história!

 

Ficamos 3 dias em Praga e deu para conhecer muita coisa. Mas eu sugiro ficar por mais uns 2 dias, totalizando 5 dias! A cidade é incrível e os pontos altos são diversos!

 

Dresden

Saímos de Praga e levamos 2h15mins para chegarmos a Dresden. Ficamos apenas 1 dia lá e nos hospedamos fora do centro porque achei as hospedagens muito caras. Mas isso não atrapalhou muito nossa locomoção porque a pontualidade alemã dos ônibus é incrível!


A cidade entrou no nosso roteiro porque ela foi totalmente reconstruída após a Segunda Guerra Mundial. Eu disse totalmente mesmo!!! O trabalho que fizeram foi incrível, não é mesmo?

A cidade é pequena mas acredito que ela deve ter uma atenção maior. Para aqueles que amam museus, fique mais um dia para conhecer todo o complexo museológico chamado Staatliche Kunstsammlungen Dresden.

 

 

Berlim

Ah Berlim… Como não querer ir pra lá? Saímos de Dresden e chegamos em Berlin depois de 2 horas. Ficamos quase 3 dias e foi tudo fantástico!

Portão de Brandemburg

 

A cidade é grande, demora muito para ir de um ponto a outro a pé (ainda bem que tem metrô!). Além disso, possui muitos museus, mas muitos e, portanto, considere adicionar mais dias nesta cidade caso você seja uma pessoa que ama museus!

Dentro do Reichtag

Todas as fotos e textos são criações do Itinerário de Viagem. Direitos reservados, por favor, respeite!

Deixe seu comentário / Nenhum comentário

Itinerário de Viagem (C) Direitos reservados
desenvolvido por