EnglishPortugueseSpanish
Roteiro New York #5: Theater District + Upper & Lower Midtown
Postado por Estela T em maio 18, 2017 Editado em maio 16, 2017

Aqui estão sugestões para você conhecer em Manhattan, em um roteiro facilmente feito por 2 ou 3 dias somente nas regiões Theater District, Lower Midtown e Upper Midtown. São regiões im-pos-sí-veis de não passar quando se está em New York e por isso, este roteiro ajuda você a focar os seus passeios sem se perder de coisas bem legais!

O Lower Midtown possui muitos prédios em estilos Beaux-Arts à Art Déco e andar a esmo pelas ruas observando as construções já é um passeio bem legal. Considero um bom lugar para procurar hospedagem porque está no centro de quase tudo, praticamente. O Upper Midtown é uma região com grandes museus e ao redor estão aquelas belíssimas casas de NY, algumas casas noturnas, bares mais requintados, lojas de alta costura e outros estabelecimentos comerciais mais "chiques".

E o Theater District nem precisa falar que é o lugar da bagunça, dos letreiros luminosos, da Times Square, da Broadway.

Grand Central Terminal

Esta estação de metrô e trem é um símbolo da cidade. Tanto por fora quanto por dentro você fica fascinado com a beleza da estação! Ela foi inaugurada em 1913 e ainda possui elementos da época muito bem preservados, como as cabines de informação, relógios, guichês e todo o resto. Repare no teto abobadado que possui o zodíaco desenhado em amarelo e com fundo azul, onde as estrelas (mais de 2500 estrelas) que formam os signos são iluminadas por lâmpadas.

 

 

MoMA - Museum of Modern Art

Como o nome já diz, este museu de arte moderna (e contemporânea) é altamente visitado! Relativamente grande, reserve umas boas horas para conferir tudo lá dentro com muita calma! Fundado em 1929, o prédio onde está possui 6 andares. Há um "Jardim das Esculturas" onde você pode relaxar antes, durante ou depois da visita e aproveitar para tomar um café.

Como eu disse, reserve umas 3 a 4 horas aqui porque o acervo do MoMA contém cerca de 100 mil obras que variam de pinturas a esculturas, gravuras e livros ilustrados, acervo de cinema, fotografia e arquitetura e design.

Se emocione com Klimt, Wahrol, Monet, Dalí, Frida Kahlo e Van Gogh. Vale muito a pena e é passagem obrigatória!

Informações:
Horário de funcionamento: Sábado a Quinta das 10h30-17h30, Sexta das 10h30-20h
Endereço: 11 W 53rd St, New York, NY 10019
Subways próximos: 5Av/53 Street (E,M), 57 Street (F) e 47-50 Streets Rockefeller Center (B,D,F,M)
Às Sextas a partir das 16h até 20h o acesso é gratuito! Mas fique atento ao site oficial do museu porque a data free pode mudar.

 

Saint Patrick's Cathedral e Saint Thomas Church

A catedral foi concluída em 1878 e o seu estilo é neolítico. Esta é uma das maiores catedrais do USA, com capacidade para 2500 pessoas. As torres vieram depois, em 1885 e 1888.

Apesar de ficar no meio do caminho do burburinho da Times Square e de frente a uma das entradas do Rockefeller Center, ela não passa despercebida. Bem, mesmo com obras, no meu caso, não passou despercebida!

Endereço: 5th Avenue, New York, 10022
Subways próximos: 5Av/53 Street (E,M), 47-50 Streets Rockefeller Center (B,D,F,M), 51 Street (6)

 

A Saint Thomas Church fica na 5th Avenue e chama a atenção de quem passa por ela. Um pouco pequena, mas não menos importante, foi construída entre 1909 e 1914 para substituir uma outra de 1905, destruída por um incêndio.

O prédio que vemos hoje é em estilo gótico francês, com apenas uma torre, deixando a sua fachada completamente assimétrica. A nave da igreja não fica exatamente no centro da construção, tornando-a singular. Isso se deve ao limite do terreno que não permitiu a construção de uma igreja "padrão".

Uma coisa que chama a atenção em seu interior é o enorme painel atrás do altar. Foi projetado pelo arquiteto Bertram Goodhue e pelo escultor Lee Lawrie. Lawrie também fez a escultura "Atlas" em frente ao prédio Rockefeller Center. Minha vista foi rápida porque o simpático coordenador do local estava fechando as portas mas me deixou tirar mais algumas fotos.

Endereço: 1 W53rd Street / Subway: 5Av /53St (E,M)

 

 

The Morgan Library & Museum

The Morgan Library & Museum existe graças à coleção do banqueiro J. Pierpont Morgan neste lindo edifício de estilo italiano de 1906. Em 1924, o filho de Morgan tornou o local uma instituição pública e, desta forma, tornou pública o acesso à uma das melhores coleções do mundo de manuscritos, gravuras, livros e encadernações de gente como William Blake, John Tenniel (ilustrador de Lewis Carroll para Alice's Wonderland), Wolfgang Amadeus Mozart, J. R. R. Tolkien, etc. Mas esta parte você não pode tirar fotos

Além disso tudo, você tem acesso aos suntuosos Salão Leste, Salão Oeste e a Rotunda. O primeiro é claramente uma Biblioteca ricamente ornada e com muitas prateleiras, mas o salão é pequeno, dificultando as fotografias!  O segundo é um salão com obras de arte da Renascença extremamente escuro, o que também dificultou a execução de algumas boas fotos por lá. E a Rotunda data de 1504, que é a entrada da Biblioteca com colunas de mármore. O piso é lindo e foi inspirado na "Vila Pia" dos jardins do Vaticano.

O dia que eu fui tinha algum evento acontecendo, com uma dupla de violinistas tocando para um punhado de gente bem elegante. O Morgan Library & Museum abriga vários eventos chiques, então, programe bem a sua visita porque provavelmente não será permitida a entrada de visitantes.

Informações:
Horário de funcionamento: Terça a Quinta das 10h30 a 17h, Sexta das 10h30 a 21h, Sábado das 10-18h, Domingo das 11-18h. Fechado Segunda e nos feriados: Dia de Ação de Graça, Natal e Ano Novo. Na véspera de Natal fecha às 16h e na véspera de Ano Novo às 17h
Entrada: US$18
Gratuito às Sextas das 19-21h
Endereço: 225 Madison Avenue
Subway próximo: 5 Avenue (7), Grand Central Terminal, Grand Central-42 Street (S), 42 Street-Bryant Park (B,D,F,M)

 

 

LOVE & HOPE

A escultura LOVE, queridinha dos turistas, fica na esquina da W55th Street com a 6th Avenue. Fácil de achar, mas difícil conseguir tirar boas fotos dela sem muitas pessoas se pendurando na mesma. A escultura de Robert Indiana é icônica e em Setembro/2014, um dos meses que estive lá, houve mais uma novidade do artista, que foi a instalação da escultura HOPE, na esquina da 7th Avenue com a W53rd Street.

 

Rockefeller Center: Top of the Rock

Já começa que é linda a entrada e o que o complexo Rockefeller Center tem a te oferecer é ainda maior! Lá dentro você encontra os escritórios (para quem vai trabalhar) e um tipo de mini mall. Então, depois que você compra os seus ingressos para o Top of the Rock, tem o que se distrair na espera para subir até o "telhado". As opções vão desde guloseimas variadas até a roupas e acessórios. Mas não vá perder a hora, hein?

O ponto alto, para mim, do Rockfeller é  o Top of the Rock, definitivamente! Não é um passeio barato, mas vale a pena! A dica para você aproveitar ao máximo é ir no final do dia que tiver sol e ficar até a noite. Depois que você sobe, pode ficar o quanto tempo desejar. Atente-se aos horários que você for comprar o seu bilhete e não esqueça de chegar com antecedência porque há limite de horário para sua subida, não adiante aparecer na fila do elevador 2 horas depois. Teve um dia que cheguei às 18h (era Agosto e o sol se punha às 20h) e queria subir às 19h, mas os ingressos a serem vendidos eram só para as 20h, então tentei outro dia.

Outro dia, com mais entendimento do funcionamento da coisa, cheguei às 16h30 e comprei meu ingresso para subir às 18h30. Fiquei esperando até as 18h30 em um dos cafés do complexo. A fila é imensa, são vários elevadores operando para o Top e eles sobem numa velocidade incrível. Como os americanos manjam muito bem de pirotecnia e show business, até o teto do elevador é uma atração. O teto é de vidro e você pode ver o fosso do elevador e, ainda tem mais, neste vidro é projetado um video de  algum falatório que eu realmente não entendi nada! Você leva um susto porque as luzes se apagam e daí em diante você fica mais rindo do susto da galera (e do seu próprio) do que ouve ou presta atenção no falatório do vídeo.

Lá em cima há 3 níveis de observação. O terceiro é o mais disputado porque não há vidros de proteção em toda a borda. Então, pegue o seu espaçinho!

Vale lembrar que o Top é muito visitado e vale mais a pena ir lá do que no observatório do Empire States Building porque estando no Top, você simplesmente vê o próprio Empire States.

Outra dica: mesmo no calor, leve pelo menos uma blusinha leve porque faz frio lá em cima. Se estiver friozinho na rua, leve um casaco mais forte e se estiver muito frio na rua, leve o seu casaco mais quente!

Quando eu fui embora da cidade, no começo de Outubro de 2014, um dos pátios do Rockefeller já estava sendo transformado na famosa pista de gelo. Durante o verão, a mesma pista abriga cadeirinhas dos restaurantes térreos do edifício. Eu imaginava que era uma pista de gelo maior, porque eu já vi na TV e quando estive lá, me senti perdida porque não estava reconhecendo aquilo que eu acreditava ser. O mais legal é que eles realmente sabem atrair o público do térreo até o seu último andar!

Informações:
Horário de funcionamento: Vários dias do ano das 13-23h. Cheque no site oficial os horários em feriados.
Endereço: 30 Rockefeller plaza, New York, NY 10112
Subway: 47-50 Sts - Rockefeller Ctr (linhas B, D, F e M) ou 5 Av/53 S (linhas E e M)
Entrada: US$29 

 

Times Square

Aqui é a zona mais doida e aglomerada que você pode encontrar em NY. É gente de todos os tipos, deve ter até extraterrestre entre a multidão! Mas se você tiver um pouco de fobia de aglomeração, esqueça!Se você tinha duvidas em relação ao nome Times Square e desconfiava que tinha algo a ver em relação à redação do The New York Times, saiba que estava certo! A redação ficava nesta região mas hoje está só um pouquinho afastada da Times Square.

Os luminosos de propagandas e de notícias continuam lá, mas sinceramente não sei se alguém passa por lá e dá uma paradinha para acompanhar as informações, porque hoje é uma região claramente povoada por turistas sem pressa e com muita vontade de fazer as malditas selfies.

É engraçado pensar que a Times Square na sua decadência em 1930 já foi abandonada e tinha muita prostituição por lá, além de bordéis. Aliás, um New Yorker me disse que a prostituição na cidade possui sentença penal!
 
 
Enfim, sabendo que todo turista quer ir na Times Square, o comércio resolveu se adaptar a ele: tem todas as lojinhas da moda e insuportavelmente cheias (eu realmente não sei porque turista gosta de muvuca e compra mesmo sabendo que é mais caro e que no bairro ao lado é de 30% a 50% mais barato), aos fast foods básicos para os turistas reporem as energias e é claro, restaurantes beeeeeeeem de turista como o Bumba Gump e o Hard Rock Café. Não fui em nenhum dos dois porque, mesmo sendo algo americano, não consigo me ver em algo de americano para turistas. Gosto de ficar imersa na cultura do nativo, ir nos restaurantes bem regionais e sem muitos turistas por perto...

Mas se você for, não vou julgar, mas cada um é cada um, mas a Times Square é pra quem não tesá com fome, não se importa com filas gigantes, lugares lotados, fila do banheiro, baixa qualidade, empurra-empurra, caos, confusão.

Se tiver sorte, vai ver uns carros lowriders por lá, à noite. Mas como seus motoristas não ficam parados, foi tão rápida a aparição de 2 deles que nem pensei em tirar fotografias. Achei bem bacana ver de perto esta coisa bem americana!

Dica: não dê bolas para as pessoas vestidas de bonecos e JAMAIS tire fotos com eles porque eles vão pedir cachê pela foto. Se você quiser tirar fotos, pergunte o preço antes!

 

Broadway

Para quem não sabe, "Broadway" é o nome de uma avenida que corta praticamente Manhattan inteira. Mas não sei por que, um dia os teatros da cidade meio que ficaram próximos uns dos outros e "Broadway" acabou virando sinônimo da região de teatros existentes próxima à Times Square.
 
 
Muitas pessoas acham que "Broadway" é o nome de um teatro, mas não!
Procure no epicentro da Times Square a TKTS para obter ingressos dos musicais em cartaz. Se você comprar ingressos para o mesmo dia da compra, os preços são mais acessíveis, porém, corre o risco de você e seus acompanhantes sentarem em poltronas distantes!

 

The New York Public Library

The New York Public Library possui mais de 7 milhões de livros. Mas é importante saber que em NY há muitas "New York Public Library", muitas mesmo! São umas 87 filiais (não sei se estão abrindo mais) sendo que só em Manhattan são 39. No The Bronx são 35 e em Staten Island são 13. Então, não se confunda! Esta biblioteca é a do Bryant Park, ou a do Stephen A. Schwarzian Building. O prédio foi projetado para ser uma biblioteca mesmo, em 1897, apesar de parecer um palácio que virou um prédio público posteriormente. Foi inaugurado em 1911 e pelo o que deu para perceber, nem todos os livros couberam lá dentro ao longo dos anos!Quando você entra na Biblioteca, tem a sensação de que foi um palácio mesmo. Mas, como eu disse, nunca foi! O grande salão de leituras estava, infelizmente e amargamente, fechado para reformas e durante os dois meses que estive por á, ele não reabriu. Alguns funcionários não sabiam me precisar quando voltaria a funcionar.

Há salas de periódicos de 128 países, uma pequena exposição sobre símbolos americanos, sala para crianças e até sala de leitura para temas de arquitetura e arte. De primeira, é difícil se localizar e de certa forma, é difícil achar os livros. Talvez pelo fato de o grande salão de leitura estar fechado, foi difícil achar alguma porta com algo que não fosse administrativo.

Deixe seu comentário / Nenhum comentário

Itinerário de Viagem (C) Direitos reservados
desenvolvido por