EnglishPortugueseSpanish
Em busca por Caravaggio em Roma
Postado por Estela T em abril 5, 2016 Editado em dezembro 28, 2016

Autoretrato de Caravaggio na tela “Martirio di san Matteo”

Quando o Itinerário de Viagem foi a Roma, pirou na possibilidade de encontrar grande parte do pequeno acervo de pinturas que o grande artista barroco (séculos XVII e XVIII) Caravaggio realizou. Então, fizemos uma busca por Caravaggio em Roma.

Caravaggio realmente transcendeu a arte da época, trazendo a beleza da luz dos ambientes em meio à escuridão, tanto que é chamado de “mestre da luz”. Além disso, ele não se preocupava em retratar os seus personagens tais como eram, ou seja, não trazia uma estética “esperada” se o seu modelo não tinha uma beleza visual, mas o retratava bem como era.

Como Roma possui mais de 900 igrejas, uma boa dica que passamos é você visitá-las conforme algumas expectativas, então, fomos atrás do Caravaggio e acabamos passeando por Roma com um objetivo diferente! Acompanhe abaixo!

 

 

 

Sant’Agostino

Nem precisa falar que esta basílica foi construída em homenagem ao Santo Agostinho, não é? Foi uma das primeiras da era Renascentista de Roma e  bancada pelo cardeal francês Guillaume d’Estouteville. A fachada foi construída em 1483 com travertinos (rochas calcárias) retirados do Colosseu.

A igreja possui obras de arte no interior mas fomos atrás da Madonna di Loreto” de Caravaggio. A obra é linda com expressões nos rostos de cada personagem que mais parece fotografia, e para apreciar a obra foi um pouco difícil porque estava meio lotado de apreciadores.

Informações:
Horário de atendimento:
07h45-12h, retornando das 16h-19h30
Endereço: Piazza di Sant’Agostino, 80

 

 

San Luigi dei Francesi

San Luigi dei Francesi ou Igreja de São Luís dos Franceses, é uma igreja dedicada à Virgem Maria, a São Dênis e a São Luís, rei da France e talvez por causa do último influenciou o nome da igreja.

Além do pintor barroco Domenichino que realizou uma de suas obras-primas no interior da igreja com os afrescos “Histórias de Santa Cecília“, é uma ótima oportunidade de apreciar 3 magníficos quadros de Caravaggio, que são: “Vocacione di san Matteo – O Chamado de Mateus”, “San Matteo e l’ângelo – A Inspiração de São Mateus” e “Martirio di san Matteo– O Martírio de São Mateus”.

 

Informações:

Horário de atendimento: Segunda a Sexta das 09h30-13h, retornando às 14h30-18h30. Sábado das 09h30-12h30, retornando às 14h30-18h30. Domingo das 11h30-13h, retornando às 14h30-18h30. É possível pedir aos membros da comunidade de padres para mostrar-lhe o entorno da igreja.
Endereço: Piazza di San Luigi de’ Francesi

 

 

Santa Maria del Popolo

Basilica Parrocchiale Santa Maria del Popolo também foi uma das primeiras igrejas Renascentistas da cidade, construída em 1472. Como foi patrocinada por famílias ricas da época, possui muita arte importante. Há afrescos de Pinturicchio e uma capela de Raffaello (de 1513) que morreu antes de concluí-la e Bernini a completou com estátuas. Dizem que Bernini é quem projetou a fachada da igreja, mas não tenho certeza disso.

Como se isso já não bastasse para valer a pena visitar a igreja, ainda tem mais: Caravaggio. São duas obras: “Conversione di san Paolo – Conversão de São Paulo” e “Crocifissione di san Pietro – Crucificação de São Pedro”. As duas telas são lindas, grandes e chamam muito a atenção. Não é à toa que Caravaggio era chamado de “mestre da luz”, porque ele era mesmo. Uma pena que as duas telas estão nas paredes laterais da capela, dificultando a visualização das mesmas.

Informações:
Horário de atendimento: 
De Segunda a Quinta das 07h15-12h30, retornando às 16h-19h.  Sexta e Sábado das 7h30-19h. Feriados das 07h30-13h30 retornando às 16h30-19h30
Endereço: Piazza del Popolo, 12

 

Palazzo Barberini

O prédio do Palazzo Barberini foi construído por Maffei Barberini que decidiu construí-lo para sua família quando tornou-se o papa Urbano VIII. Hoje é também conhecido como Galleria Nazionale d’Arte Antica in Palazzo Barberini.

Construída para ser uma típica villa rural, teve as mãos de Bernini e Borromini no projeto final da obra.

Há três quadros de Caravaggio: “San Francesco in meditazione– São Francisco rezando”, “Narciso” e “Giuditta e Oloferne“. A tela “Narciso” é linda demais! E a impressionante Giuditta e Oloferne é fantástica. Ninguém jamais pintou este tema de forma tão fantástica! Só Caravaggio conseguiu!

 

Informações:
Horário de atendimento: 
De Domingo a Sábado das 08h30-19h. Fechado nas Segundas, 25 de Dezembro e 1º de Janeiro
Entrada: € 7,00.
Gratuidade: Desde 2014 a entrada é gratuita no primeiro Domingo de cada mês.
Você pode comprar o ingresso do Palazzo Barberini + Galeria do Palazzo Corsini por €9,00 e o ingresso é válido por 3 dias
Endereço: Via delle Quattro Fontane, 13

 

Musei Capitolini

Museo Capitolini é na verdade  um conjunto de palácios romanos que abriga uma vasta e importantíssima coleção de obras de arte. São três prédios mas só entramos em 2 e ficam no topo da colina Capitolini, em torno da praça redesenhada por Michelangelo em 1536 (mas saiba que foi reconstruída ao longo de 400 anos).

Para se orientar:
Palazzo dei Conservatori: abriga esculturas de mármore e bronze além de pinturas importantes de Caravaggio, Tiziano, Rubens, Van Dyck e Lorenzo Lotto. São três andares: o subsolo (incluindo o corredor para o Palazzo Clementino-Caffarelli), o térreo e o primeiro.
Palazzo Clementino-Caffarelli: acervo  no segundo e terceiro andar, incluindo Caravaggio, sendo: San João Batista (no meio) e A “Buona ventura” (à direita), ambos de Caravaggio. A última é uma das versões da mesma tela feita pelo artista (a outra está no Musée du Louvre, Paris)

Informações:
Horário de funcionamento
: Aberto diariamente das 09h30-19h30. Dias 24 e 31 de Dezembro das 09h30-14h. Fechado nos dias 1º de Janeiro, 1º de Maio e 25 de Dezembro.
Entrada: €11,50
Audioguide: €5
Gratuidade: Todo primeiro Domingo de cada mês.
EndereçoPiazza del Campidoglio 1

 

Museo e Galleria Borghese

Galleria Borghese é local obrigatório para visitar em Roma. Primeiro porque o prédio é lindo, segundo porque abriga coleções riquíssimas, cheia de Bernini e Caravaggio, além de Tiziano, Rubens, Raffaello, Leonardo da Vinci.

Não tem como não se emocionar na sala com 6 quadros de Caravaggio. São: “Bacchino malato” (que dizem que é o autorretrato dele), “Davide con la testa di Golia“, “Madonna dei Palafrenieri“, “San Giovanni Battista“, “San Gerolamo” e “Giovane con canestro di frutta“.

Informações:
Horário de funcionamento: Terça-feira a Domingo das 09h-19h. Última admissão às 17:00 – Há limitação de 360 pessoas no interior e a visita dura apenas 2 horas, sendo estes os horários que cada turma entra: 09.00-11.00 / 11.00-13.00 / 13.00-15.00 / 15.00-17.00 / 17.00-19.00
Visite o depósito – 15h-16h e 16h-17h
Fechado Segunda-feira, 25 de Dezembro de 01 de janeiro
Entrada: € 12
Endereço: Piazzale Scipione Borghese, 5

 

Musei Vaticani (ala Pinacoteca)

Musei Vaticani não fica dentro da Basilica di San Pietro. Você tem que sair da Basilica, sair da piazza, sair dos muros e andar pela rua lá fora. Foi tudo muito confuso mas conseguimos (porque ninguém me falou que o museu ficava do lado de fora). No mapa que vimos, parecia que a Cappella Sistina ficava dentro da Basílica di San Pietro, mas não… ela fica dentro do Musei Vaticani.

Para ver mais Caravaggio, procure a ala Pinacoteca que possui 16 salas com muita pintura e a “Deposizione dalla croce” de Caravaggio.

Informações:
Horário de funcionamento: De Novembro a Fevereiro, está aberto nos dias da semana das 10h-13h45. De Março a Outubro está aberto de Segunda a Sexta das 10-16h45, Sábados das 10h-14h45. Não funciona de Domingo, exceto os últimos Domingos de cada mês)
Entrada: €16
Gratuidade no último Domingo de cada mês das 09h-13h45.
Quem quiser garantir a entrada no Musei, é bom reservar online. Clique aqui para comprar no site oficial deles. Há uma taxa de €4 por compra. Atenção: só dá pra comprar os tickets com 3 meses de antecedência.
O museu possui audioguide.
Dica: a visita pode levar 4 ou 5 horas sem considerar filas.

 

 

Campo de’ Fiori

Para aqueles que como nós, ainda quer ficar mais perto dos passos de Caravaggio, saiba que foi no bairro Campo de’ Fiori que em 1606 Caravaggio matou um homem (alguns dizem que foi porque este homem mexeu com a mulher do Caravaggio, outros dizem que foi porque Caravaggio perdeu um jogo para este homem e ficou com raiva… não sei ao certo o que houve).

O nome do bairro significa “Campo de Flores” e na era medieval e renascentista era um dos lugares mais animados do tipo “inferninho” em Roma, onde muitas pessoas passavam para negociar, comprar e comercializar.

Infelizmente os 7 dias em Roma não foram suficientes para apreciar todas as obras de Caravaggio em Roma. Mas quando voltarmos completaremos o itinerário que inclui o único afresco do artista no Casino dell’Aurora e a Galleria Doria Pamphilj.

 

Todas as fotos e textos são criações do Itinerário de Viagem. Direitos reservados, por favor, respeite!

Deixe seu comentário / Nenhum comentário

Itinerário de Viagem (C) Direitos reservados
desenvolvido por