EnglishPortugueseSpanish
DIÁRIO DE BORDO: Viagem para o Norte e Leste da Europa
Postado por Estela T em agosto 6, 2016 Editado em janeiro 11, 2017

 

ico-01Ico fez uma Viagem para o Norte e Leste da Europa, sendo algumas cidades de países do Leste Europeu e Europa Nórdica em 2016 como Suécia, Finlândia, Estônia, Letônia e Rússia. Na Europa Nórdica ele ficou 4 dias em Estocolmo (Suécia) e depois pegou um cruzeiro de 7 dias para Helsinque (Finlândia), Tallin (Estônia), Riga (Letônia) e São Petersburgo (Rússia). Para esta viagem, Ico levou a sua mãe, Schirley Thomaz. 

Ico Thomaz (foto ao lado, à direita ao lado de sua mãe) é jornalista. Apresentador de TV e comunicador de rádio no Grupo Bandeirantes de Comunicação do Rio Grande do Sul. Tem um programa diário na rádio BandNews FM 99.3 em Porto Alegre.  Nasceu em Venâncio Aires, Rio Grande do Sul, mas vive viajando pelo mundo, que é o que mais gosta de fazer. Morou um ano em New York onde estou jornalismo, cinema e a língua inglesa. É casado com Louise Thomaz e o melhor padrasto do mundo para o menino Eduardo. Ico diz que é feliz e agradece a Deus por tudo.

 

 

 

Como foi a escolha dos destinos

 

"Eu escolhi todo o roteiro desta viagem. Tinha muita vontade de conhecer o Norte e Leste Europeu. Países com vasta história e de 'primeiro mundo'. Também tinha muita curiosidade a respeito da Rússia. 

Ico e sua mãe Schirley Thomaz em noite de gala no cruzeiro

Ico e sua mãe Schirley Thomaz em noite de gala no cruzeiro

Como organizei toda a viagem sozinho, sem auxílio de agência de turismo, fiz ligações para os consulados dos países por onde passei. Perguntei a respeito de vacinas, vistos e etc. Tudo foi muito tranquilo, por todos os 5 países, nenhuma exigência absurda foi feita. Precisaria de visto se fosse permanecer mais de 3 meses nos locais, mas como o cruzeiro tinha parada de poucos dias. Até mesmo na Rússia, onde achei que fosse mais complicado, não foi.  Somente exigiram, em todos lugares, passaporte brasileiro com validade de no mínimo 6 meses. Levei alguns remédios, para gripe e etc. Pesquisei a temperatura de todos países, levei roupas adequadas mas sem exagero. Pesquisei passeios e costumes. Não senti falta de nada, foi tudo perfeito. O navio parava um dia em cada país, porém, na Rússia ele ficou dois dias, então, optei pelo citytour com ônibus. Nunca faço este tipo de passeio (estilo 'turistão'), mas como estava com minha mãe e ela já tem idade, foi a melhor opção. No próprio navio, eles disponibilizavam as opções de passeios nos locais de parada.

Aceitaram em quase todos países o Euro, mas na Suécia eu tive que trocar, pois só aceitavam cartões ou a moeda local, que é a Coroa Sueca. Não consigo mensurar se este tipo de viagem é cara ou não.... tudo depende do estilo de cada viajante. Quando faço viagens sozinho eu vou no estilo mochileiro, mas com minha mãe tive que optar por uma viagem mais aconchegante. Então gastei mais."

 

Sobre os locais visitados

 

Ico Thomaz no Cruzeiro pelo Mar Báltico

Ico Thomaz no Cruzeiro pelo Mar Báltico

"O Norte e Leste Europeu encantam demais em relação à arquitetura e natureza. Tudo é organizado, bem estruturado e preservado. Praças, parques, ruas, trânsito, tudo simplesmente incrível. As pessoas não tem pressa, vivem a vida no seu verdadeiro sentido, com educação, paciência e encanto. Eles não tem o 'calor humano' como dos Brasileiros, mas isso não fez a menor falta (talvez se fosse morar por lá, em um ano sentiria falta, mas por algumas semanas até faz bem este clima mais introspectivo e menos espaçoso que temos). Nas duas semanas que fiquei pelo Norte e Leste Europeu, não escutei uma buzina de carro sequer. Até comentei com minha mãe: 'Será que eles tem buzina no carro?'.

Estocolmo (Suécia) é uma cidade perfeita, com pessoas educadas, bonitas e felizes por conta do verão (entre Julho e Agosto). Helsinque (Finlândia) é pura natureza e tranquilidade. Tallin (Estônia) é histórica e organizada. Riga (Letônia) é histórica e preservada.

São Petersburgo na Rússia é completamente diferente de tudo que conheci nesta viagem. Lá eu ouvi buzina de carro, as pessoas são mais sérias e tem um mau humor divertido. Mas de toda forma, São Petesburgo é incrível, os museus sensacionais, muito ouro e um balé de primeira."

 

O que mais surpreendeu

 

"Em Estocolmo na Suécia indico muito o Museu Vasa.
Barco de Guerra Sueco afundado em 1628, retirado do fundo do mar 333 anos depois e está exposto no museu. Demais (Dá uma olhada no site do museu). Também tem a chamada cidade velha, lá onde tudo começou, incrível passear pelas ruas estreitas e jantar em um restaurante Viking. "

"Em Tallin na Estônia é imperdível não conhecer a cidade antiga. Você vai se sentir dentro do seriado Games of Thrones. Tudo muito lindo e organizado. Depois de um passeio pelo centro histórico, pode fazer uma paradinha pro almoço e se sentir na era Medieval. As pessoas andam pelas ruas com trajes da época. Sensacional. Uma das coisas incríveis, que me chamou muito a atenção é que o transporte público é GRATUITO. Isso sim é respeito com o povo. "

"Em São Petesburgo na Rússia, é obrigatória uma parada no Hermitage Museum. Um dos museus mais lindos que já visitei até hoje. Ouro, ouro e mais ouro. Emociona encontrar toda aquela carga histórica em um mesmo local. Vale passar um dia inteiro visitando-o. Também assisti a um espetáculo de balé, que é bem fácil encontrar. Nada mais propício do que um Lago dos Cisnes do russo Tchaikovsky. Lindo demais.  E é claro, imperdível não beber a Vodka local. Fui em uma degustação em um restaurante de 1816."

"Em Riga na Letônia, como tive apenas um dia, indico um citytour no centro. A cidade é cheia de história com construções de 1100.

Em Helsinque na Finlândia, é natureza acima de tudo. Parques e praças dão todo o toque."

 

 

 

 

 

 

 

 

Impressão final

 

"Foi uma das viagens da minha vida que mais me marcou. Aquela parte da Europa é diferente de tudo que já tinha visto em viagens por outros países europeus.
Eles tem uma segurança e convicção que vivem em um lugar seguro e longe de tudo que pode perturbar a boa relação dos seres humanos. Notei que não fazem questão de sair de lá para nada e nem por nada. A impressão que tive é que o paraíso é lá e eles sabem disso. Mas nada no mundo é comparado ao calor humano do brasileiro, apesar de que, notei que só o calor humano, como temos aqui, não é o suficiente para eles. No fim, eu concordo com os Escandinavos."

 

Todas as fotos são de autoria do entrevistado e cedidas para uso exclusivo do Itinerário de Viagem. Direitos reservados, por favor, respeite!

Deixe seu comentário / Nenhum comentário

Itinerário de Viagem (C) Direitos reservados
desenvolvido por