EnglishPortugueseSpanish
SÃO PAULO II
Postado por Estela T em fevereiro 13, 2016 Editado em outubro 17, 2017

 

SÃO PAULO II: Dicas de turismo em SÃO PAULO, cidade do Sudeste do Brasil incluindo as zonas Norte e Leste, com sugestões de passeios e etc.

Nota:a cidade foi dividida por regiões conforme definição do site SP-Turismo da Prefeitura da Cidade. Nesta segunda página você encontra sugestões para conhecer nas zonas Leste, Oeste e Norte. Na página São Paulo I você encontra as regiões Centro e Sul e na página São Paulo III você encontra a região da Paulista. São Paulo tem muita, mas muita coisa, portanto, a todo momento as 3 páginas estão sendo alimentadas por novas fotos e mais conteúdo, ou seja, mais destinos para você conhecer!

 


 

 

OESTE

 

Vila Madalena

A Vila Madalena é um bairro bem único em São Paulo. Atrai muita gente em busca de baladas, bares, lojas diferenciadas da moda, restaurantes e galerias de arte. Lógico que tem uns achados fabulosos nas entranhas do bairro, mas não dá para elencar tudo aqui até porque a rotatividade de comércios no bairro é grande. Alguns comparam a Vila Madalena como o SoHo em New York, mas eu acredito que este bairro é único, não tem como comparar com nenhum outro no mundo porque a característica Brasileira moderna é muito presente.

 

Beco do Batman

O Beco do Batman é uma travessa que fica no bairro da Vila Madalena e hoje é conhecida como um ponto turístico do tipo Open Air Graffiti Gallery. Existem walking tours no local, é só procurar no Google que você acha! Mas no geral, como a travessa é pequena e é fácil chegar lá, você consegue fazer a visitação sozinho sem maiores problemas por lá!

O nome do local surgiu porque na década de 1980 existiu uma grafite deste personagem. Alguns estudantes de artes ficaram incentivados a expor algumas expressões artísticas nas paredes e a moda pegou. Hoje a exposição das grafites são coordenadas com a comunidade, sendo os muros disputadíssimos pelos grafiteiros. De tempos em tempos as cores e formas mudam, então, mais um motivo para visitar várias vezes ao longo do ano!

Para visitar o Beco não tem erro: ele fica na Rua Gonçalo Afonso e na Rua Medeiros de Albuquerque (atrás do cemitério da Rua Cardeal Arcoverde). Para quem vai com transporte público, o jeito mais rápido é descer na estação Sumaré da linha verde do metrô e de lá seguir a pé.

O Beco fica na  e fica aberto todos os dias, 24 horas. Para quem quer ver o beco em outros tons à noite vale lembrar que atrás dos muros grafitados há famílias querendo ter uma boa noite de sono, então... faça a visitação em silêncio 😉

Quem quiser saber onde estão os Melhores Murais de Grafite de São Paulo,  clique aqui no link do blog 7 Continents 1 Passport.

Um dos murais mais fotografados do Beco

Muito colorido, atrai muitos turistas nos finais de semana

Há alguns espaços para compras e lanches

 

 

Galeria Choque Cultural

Saindo do Beco do Batman, quase parecendo uma extensão dos muros grafitados, existe a Galeria Choque Cultural.

Com uma proposta voltada majoritariamente por arte urbana, também explora outros temas contemporâneos. Bem moderna e jovem, a galeria é grande, possui um salão expositivo no térreo e um andar superior recheado de obras de arte em todos os cantos.

Vale a pena a visita com calma e tempo.

Informações:
Horário de funcionamento: Não está especificado no site oficial mas deve ser: de Segunda a Sexta das 11h-19h e Sábado das 11h-17h
Endereço: Rua Medeiros de Albuquerque, 250

 

 

Doce de Laura

Em um dia absurdamente quente, após visitar o Beco do Batman, fui caminhando para a rua Aspicuelta e me deparei com este oásis: Doce de Laura. Apesar do nome, saiba que você pode encontrar opções salgadas.

Eu a-do-ro lugares como este. Todo cocote, intimista e com uma vitrine cheia de opções saborosas, daquelas que você tem que cantar "minha mãe mandou eu escolher este daqui...". Como era a minha primeira vez no estabelecimento e eu nunca ouvi ou li a respeito deste lugar, pedi à atendente que me orientasse. Ela me indicou uma torta com nozes pecãs que não era muito doce, o que já me chamou a atenção, sem falar que eu amo nozes pecãs.

A doceria surgiu em 1993 e inicialmente atendia apenas a encomendas. Pelo o que li no site da Doce de Laura, os carros chefes são: pudim de claras, brownie, pecan pie, torta de sorvete e os bolos embrulhados. De opções salgadas você encontra: quiches, empadões e sopas.

Com a minha torta na mesa e meu café, me deliciei. Estava muito boa mesmo! Quero voltar lá e experimentar outras opções. Infelizmente devido ao calor do dia, não consegui ficar lá por muito tempo porque o salão onde ficam as mesas ficam naquilo que já foi a garagem da casa, ou seja, sem chance de instalação de um belo ar condicionado rsrsrsrs

Informações:
Horário de funcionamento: Segunda a Sexta das 10h-19h e Sábado das 10h-17h
Endereço:Rua Aspicuelta, 27

A fachada da doceria

O balcão de quitutes

Minha Pecan Pie e o café

 

 

DOC Galeria

Organizando o itinerário por localização geográfica, perto do Beco do Batman está a DOC Galeria. Conheci esta galeria porque fui atraída pelas belíssimas fotos da mesma quando visitei a SP-Foto (uma feira muito importante sobre o assunto). Dito isso, já deu para sacar que a galeria é dedicada a fotos, não é mesmo? 

Como estava na região, não hesitei em entrar na galeria. Fui recebida por um dos sócios, Fernando, muito simpático, que me explicou sobre várias fotos que estavam lá. Algumas possuem valores muito, mas muito convidativos. Tive que me segurar para não me endividar. As que eu mais gostei possuem uma pegada mais jornalística, que é uma das linhas que a galeria trabalha.

Dando uma olhada com mais calma no site da galeria, fiquei apaixonada por vários trabalhos! São de chorar!

Informações:
Horário de funcionamento: Não encontrei o horário de funcionamento no site da galeria, mas deve ser de Terça a Sexta das 14h-19h e Sábado das 12h-17h.
Endereço:Rua Aspicuelta, 145

Entrada da DOC Galeria

Foto divulgação: DOC Galeria

 

 

Galeria Eduardo Fernandes

A Vila Madalena é um ótimo circuito de galerias de arte. E não poderia deixar de citar a Galeria Eduardo Fernandes. A fachada é bem discreta, você pode até passar batido. Esta é uma das poucas galerias que conheço (senão a única) que você tem que tocar a campainha para entrar. Pois bem, então sabendo da existência da mesma, toque a campainha e entre, porque certamente você será muito bem recebido.

A galeria é pequena, possui apenas um salão expositivo e depois da sala administrativa você encontra o acervo técnico, onde ficam as obras que não estão expostas. No dia que eu fui havia a exposição da artista colombiana Luz Lizarazo.

Eu fui extremamente bem recebida e quase todas as obras do acervo técnico me foram apresentadas. Uma obra mais linda que a outra! Vale a pena assinar a newsletter e ficar por dentro da programação da galeria! 

Informações:
Horário de funcionamento: Terça a Sexta das 10-19h e Sábado das 10-18h
EndereçoRua Harmonia 145

A discreta fachada da galeria

O espaço expositivo

 

 

Galeria Fortes D'Aloia & Gabriel

Esta galeria fica entre a Rua Fradique Coutinho e a Rua Purpurina.  Com nomes de peso em seu roll como Adriana Varejão, Valeska Soares, Ernesto Neto, Iran do Espirito Santo, Valeska Soares, Luiz Zerbini e Rivane Neuenschwander.

Além desta galeria, há o espaço chamado de Carpintaria no Rio de Janeiro e também o Galpão que fica na Barra Funda. Aos poucos, quando eu visitar estes outros espaços, vou adicionando aqui no blog!

Informações:
Endereço: Rua Fradique Coutinho, 1500
Horário de atendimento: Terça a Sexta das 10h-19h e Sábados das 10h-18h

Interior da Galeria Fortes D'Aloia & Gabriel

Fachada da Galeria Fortes D'Aloia & Gabriel

 

 

Blau Projects

Esta galeria fica um pouco escondida porque ela fica nos fundos de um terreno. Representando um pouco mais de 10 artistas com destaque a Éder Oliveira, Vítor Mizael e Andrey Zignnatto. As fotos abaixo são da exposição de Renata Cruz.

Informações:
Endereço: Rua Fradique Coutinho, 1464, fundos
Horário de funcionamento: De Terça a Sábado das 11h-19h

Espaço expositivo

Entrada da galeria

 

 

Anexo Millan + Galeria Millan

A Galeria Millan e o Anexo Millan ficam praticamente uma ao lado da oura. Para quem não sabe, é uma das mais importantes galerias de arte contemporânea do Brasil. Os espaços expositivos são maravilhosos e sempre há exposições muito bem executadas. Com 20 artistas no seu roll, alguns são muito admirados por nós como Henrique Oliveira, Rodrigo Andrade, Rodrigo Bivar.

Informações:
Horário de funcionamento: Terça a Sexta das 10-19h e Sábado das 11h-18h
Endereço Galeria Millan: Rua Fradique Coutinho, 1360
Endereço Anexo Millan: Rua Fradique Coutinho, 1360

Fachada do Anexo Millan

Fachada da Galeria Millan

Rodrigo Andrade em exposição

Exposição na Galeria Millan

 

 

Galeria TATO

Em frente à Millan você encontra a Galeria TATO. Apesar de pequena, vale muito a pena entrar e apreciar as exposições sempre muito interessantes. Não deixe de subir no segundo andar e dar uma checada em obras do acervo técnico. Há obras de Mariana Riera que eu estimo muito!

Informações:
Horário de funcionamento: De Segunda a Sábado das 11h-19h
Endereço: Rua Fradique Coutinho, 1399

Fachada da Galeria TATO

Obras do acervo técnico

Exposição passada

 

 

Empanadas Bar

Um dos pontos tradicionais do bairro da Vila Madalena é o Empanadas Bar e que felizmente ainda continua no bairro desde 1980. Aberto por um argentino e um chileno a parte dos conflitos que seus países tinham na época, a sociedade durou 10 anos. Hoje são outros que tocam o lugar, mas as características gerais do local continua as mesmas.

Nos primórdios, muitos estudantes da USP e cineastas acabavam passando por lá. Se você notar, as paredes do Empanadas possui muitos cartazes de filmes e que, com certeza, teve influência de seus antigos frequentadores. Outra influência que decora o lugar são os motivos futebolísticos que parecem estar de conexão com o lugar, mas a gente aceita.

As empanadas são o carro chefe do lugar. Digo que é um lanche, não dá para fazer uma refeição de empanadas até porque eu acho caro... São relativamente pequenas e para uma pessoa pequena como eu, duas empanadas seriam necessárias. Se não me engano, cada uma custa R$6,00 ou R$8,00.

Informações:
Horário de funcionamento: De Segunda a Sábado a partir das 12h e Domingos e feriados a parti das 13h (não há informação de horário de fechamento.... pode ser que seja às 23h)
Endereço: Rua Wisard, 489

O salão

As empanadas

 

 

Confeitaria Marilia Zylbersztajn

Um dia estava lendo sobre algumas das melhores sobremesas da cidade e tomei conhecimento da existência da Confeitaria Marilia Zylbersztajn. O local é pequeno, a fachada pode passar desapercebida, mas quando você entra você sabe que está passando um grande risco de adquirir um novo vício!

Existem uns docinhos maravilhosos na loja e o café é muito bom também, mas o carro chefe são as tortas doces. E uma das tortas que eu fui em busca era a Romeu e Julieta. Me pareceu ser a mais procurada até porque consegui o último pedaço. O pedaço modesto custa R$12,00 e eu achei muito bom, muito mesmo! Mas como é uma torta inspirada em um clássico brasileiro, com certeza é doce. Não chega a ser melado, mas peça um café (R$5,00) e tome-o sem açúcar para equilibrar o açúcar na boca.

Informações:
Horário de funcionamento: De segunda a sexta das 10h-19h, sábado das 10h-18h, domingo das 11h30-18h e feriados das 11h-18h
Endereço:Rua Fradique Coutinho, 942

Fachada da Confeitaria Marilia Zylbersztajn

Balcão de doces

Torta Romeu e Julieta

 


 

 

 

Instituto Tomie Ohtake

O Instituto Tomie Ohtake fica no bairro de Pinheiros eleva o nome da artista construtivista Tomie Ohtake. Lembro que quando foi construído em 2001, a comunidade reprovou as formas e cores inusitadas. Quando algo fora do padrão surge, é completamente normal o descontentamento da população acontecer em quase todas as cidades do mundo.

No final, todo mundo se acostuma e acaba usufruindo do prédio de forma direta ou indiretamente.

Fachada do prédio

Entrada de visitantes

Espaço expositivo

 

Neste caso, todo mundo pode usufruir diretamente com o instituto, já que ele sempre abriga exposições temporárias de peso (tanto para design, artes plásticas e arquitetura). Além do mais, esta é a missão do instituto.

Tomie era japonesa e em uma visita a seu irmão no Brasil, acabou ficando por aqui devido a guerra. Só mais tarde, com 40 anos, que ela começou a vida de artista e com 50 anos começou a ganhar notoriedade no mercado. Ouvi falar que o atelier dela ficava nesta prédio também, mas isso eu não tenho certeza. Ela faleceu em 2015 com 101 anos e trabalhou até o fim.

O complexo ainda possui restaurante, livraria, teatro, centro de convenções, enfim... muitas opções culturais.

Informações:
Horário de funcionamento: Terça a domingo das 11h-20h
Entrada: Gratuita, porém, há algumas exposições que são pagas. Consulte antes (dica: se a exposição que você quer ir for paga, saiba que de terça é sempre gratuito!)
Endereço: Avenida Brigadeiro Faria Lima, 201. Mas a entrada é pela Rua Coropés, 88

Assista ao vídeo que fizemos lá! Na ocasião apreciamos a exposição de Gaudí!!!

 


 

 

 

 

Parque Villa-Lobos

 
Eu demorei muito tempo para conhecer o parque que homenageia o compositor brasileiro Villa-Lobos. Primeiro porque quando ele foi inaugurado em 2006 as pessoas que foram lá me falavam que era um parque sem árvores. Segundo porque era longe, muito longe pra mim. Geralmente queremos ir a um parque perto de nossas casas, não é mesmo?

E eis que 10 anos após a inauguração do parque eu finalmente o conheci. O local já foi um lixão do CEAGESP, não dá nem pra acreditar, principalmente quando andamos no entorno do bairro do parque. Com certeza a valorização do bairro foi uma mega contribuição da criação do parque.

Com uma área de 732 mil m² possui ciclovia, quadras, campos de futebol, playground, bosque com espécies de Mata Atlântica, aparelhos para ginástica, pista de cooper, tabelas de street basketball, um anfiteatro aberto com 750 lugares, sanitários adaptados para deficientes físicos e lanchonete. Fim de semana é sempre lotado!

As duas coisas que eu acho mais legal neste parque são: o orquidário Ruth Cardoso e a impressionante Biblioteca Parque Villa-Lobos. Digo que é impressionante porque eu nunca imaginei encontrar algo do tipo lá no meio do parque!

O acervo da biblioteca é muito interessante e você pode usar o local para ler, pesquisar e também fazer um empréstimo de algum livro. O foco dos temas é a literatura e questões ambientais e todos os meses traz uma opção cultural como leitura de contos de história, mediação de leitura, cursos, oficinas, apresentações de teatro e música, exposição, saraus e até encontro com escritores!

Você encontra livros, HQs, CDs e DVDs, jornais, revistas e muitas outras opções!

Ah, e a arquitetura do lugar é linda, feita pelo arquiteto Décio Tozzi.

Fachada da Biblioteca

Interior da Biblioteca

O Orquidário visto de fora

Como ele é por dentro

Pra ser sincera eu ainda acho o parque Villa-Lobos muito árido... as árvores ainda não estão tão grandes e a procura por uma sombra pode levar uma boa caminhada. Todos os finais de semana que eu fui achei muito cheio, porém as pessoas o mantém limpo, e isso é muito bom!

Confira sempre a programação do parque porque às vezes, nos finais de semana, há shows gratuitos!

Informações:
Horário de funcionamento: 
De Segunda a Segunda das 5h30-19h. No horário de verão, até às 20h.
Endereço: Avenida Professor Fonseca Rodrigues, 2001, Alto de Pinheiros ou Avenida Queiróz Filho, 1.205, Alto de Pinheiros.
A biblioteca funciona de terça a domingo, das 10h-19h

 

 

 

 

Museu da Casa Brasileira

 

Fachada do Museu

O Museu da Casa Brasileira é um museu que traz questões da cultura material da casa brasileira. A proposta é trazer o registro daquilo que é uma casa brasileira, aquela casa que ainda encontramos no interior das grandes cidades, aquela casa dos anos 80. O museu ocupa a residência de  Fábio da Silva Prado e sua esposa, Renata Crespi Prado, é o único museu brasileiro especializado em design e arquitetura brasileira.

O museu proporciona o "Prêmio Design MCB" que premia desde 1986 com o objetivo de incentivar a produção brasileira neste segmento, e o projeto Casas do Brasil que trata do resgate e preservação da memória sobre a diversidade de morar do brasileiro.

Dentro do museu há duas exposições de longa duração: a primeira traz móveis e objetos representativos da casa brasileira desde o século 17 até os dias de hoje e a segunda traz objetos da família Crespi Prado e muitas informações da época.

No dia que fomos também havia a exposição do 30º Prêmio MCB.

Informações:
Horário de funcionamento: Terça a Domingo das 10-18h.
Entrada: R$8,00 (estacionamento é pago)
Gratuidade aos sábados, domingos e feriados
Endereço: Avenida Brigadeiro Faria Lima, 2.705

Lojinha do museu

Mobiliados premiados

Expografia de longa duração com objetos bem brasileiros

Detalhes do 30º Prêmio MCB

Itens de iluminação premiados

Fotos e objetos de plástico de utilidade doméstica

Itens premiados

Expografia de longa duração

o segundo andar, exposição dos objetos da família Crespi

 


 

 

NORTE

Pico do Jaraguá

O Parque Estadual do Jaraguá, mais conhecido como Pico do Jaraguá, eu descobri tardiamente porque eu achava que só se chegava lá em cima através de caminhada e eu, sinceramente, não conseguia me imaginar subindo tudo aquilo a pé. Ele é o ponto mais alto de São Paulo, sendo esta a altitude de 1.135m. O Parque é área de conservação ambiental e lá existem uma reserva indígena, que infelizmente não tive a oportunidade de conhecer.

Para subir até lá você pode ir de carro em uma via asfaltada, mais conhecida como "Estrada Turística do Jaraguá". Mas se quiser ir na raça a pé você pode pegar a "Trilha do Pai Zé" que possui 1450m de extensão.

A estrutura lá em cima não é bonita. Possui uma lanchonete simples e muitas crianças brincando perto dos olhares de seus pais. Possui ainda umas estruturas de concreto que sustentam antenas de televisão (daquelas de emissoras mesmo) e estacionamento.

Mas o ponto chave deste passeio é ver a cidade de São Paulo porque este é o maior mirante da cidade. Você vai ver basicamente a parte oeste da Grande São Paulo. Mas como São Paulo é imensa, você não vai conseguir ver prédios e avenidas como se vê em Paris, por exemplo (quando sobe na Sacré Couer). A dimensão aqui é outra... é gigante! Mas indo para outro lado o seu coração se alegra em ver uma imensa parte verde preservada e que te dá esperança na sobrevivência da humanidade!

Informações:
Horário de funcionamento: Dias e horário de funcionamento: das 7h às 17h. No horário de verão até 18h. Trilhas possuem acesso permitido até 16h, e no horário de verão até 17h. Para a prática de cicloturismo e caminhadas é permitida a entrada às 6h, mediante cadastro na sede administrativa da unidade. O estranho é que o site oficial do Parque não possui informações sobre os dias de funcionamento, mas eu fui de fim de semana.

As antenas do Pico

De um lado parte da Mata Atlântica ainda sobrevivente

Do outro lado a imensidão de concreto da cidade

 


 

 

LESTE

Museu da Imigração

O Museu da Imigração fica no bairro da Mooca no fim de uma rua sem saída que dá para os trilhos do trem. A rua é bem deserta e esquisita, então, se você não estiver de carro, sugiro chegar lá de taxi, porque não recomendo que você ande a pé por lá.

Para mim, até o dia da minha visita, acreditava que o Museu do Imigrante não passava de uma grande acervo sobre os imigrantes. Estava completamente enganada! Após a reformulação de 2014, o então Memorial do Imigrante passou a ser chamado de Museu da Imigração e o que encontrei lá é digno de museu internacional!

Me espantei em saber que, o que vi por lá, é uma exposição temporária de longa duração, mas estou torcendo para que seja uma exposição permanente!

Fomos num sábado de Março/2016 e tivemos a sorte de estarmos no dia de gratuidade na visita. Logo que entramos fomos direto ao pequeno estúdio fotográfico onde você pode tirar fotos sérias com roupas da época que ocorreu os registros de imigrantes. Como estávamos em 2, o valor cobrado foi de R$40. O preço aumenta conforme o número de pessoas, mas não tiramos fotos, vai ficar pra próxima.

Ao lado do pequeno estúdio deu para ver um pouco da linha férrea e a plataforma de embarque e desembarque. É bem interessante o que eu senti, já que eu sei que minha avó passou por lá.

Em frente ao prédio há um jardim muito gostoso que te convida a sentar nos seus banquinhos e observar tudo com muita calma e paz. Há uma lanchonete bem simples no jardim que vale a pena tomar um bom café por lá.

Detalhe do cenário do estúdio de fotografia

Obra "É Isto um Homem?" de Nuno Ramos

A plataforma e a linha do trem

Início da visita

O Museu do Imigrante abarca a história dos milhares de imigrantes que desceram no Porto de Santos e foram até o prédio do museu. Na época além de ser a estação final dos imigrantes, era um complexo completo de assistência a estas pessoas.

O Brasil possui milhares de imigrantes que viajaram para terras brasileiras com o sonho de construir suas vidas nas lavouras de café e na indústria paulista. O museu possui muita interatividade e você aprende como os imigrantes contribuíram e muito para o desenvolvimento da cidade e do país, não apenas contribuições sociais e culturais, mas também na culinária.

Espaço expositivo com cartas de imigrantes ou parentes

Simulação do alojamento

Muitos objetos expostos e fotografias

Mural com vários sobrenomes que passaram por lá

Vídeo contando a rica contribuição dos imigrantes para o estado de São Paulo

Alguns objetos da época

O esquema da "Hospedaria do Imigrante"

Uma câmera

Eu não me canso de afirmar que o museu é fantástico! Espero muito que continue assim. Dependendo do dia e horário, há visitas guiadas gratuitas. Existem mais duas salas de exposições temporárias no piso térreo e vale a pena visitar.

Eu já estou programando a minha volta a este museu que realmente... me deixou de queixo caído!

Informações:
Horário de funcionamento
: de Terça a Sábado das 09h-17h e Domingos das 10h- 17h.
Entrada: R$6,00
Gratuidade aos Sábados
EndereçoRua Visconde de Parnaíba, 1316, Mooca
Para chegar lá você pode pegar o metrô e descer na estação Brás ou estação Bresser-Mooca e seguir de taxi.

 

 

Parque do Carmo

 
O Parque do Carmo ocupa uma área de 1.500.000m² e foi inaugurado em 1976. Possui um estacionamento pequeno e é um tanto difícil para chegar lá. Mas com paciência e persistência você consegue. 

Lá dentro você encontra um Museu do Meio Ambiente, lagos, anfiteatro natural, aparelhos de ginástica, campos de futebol, ciclovia, pista de cooper, playgrounds, quiosques, churrasqueiras, gramado para piquenique, o lindíssimo e altamente disputado Bosque das Cerejeiras, Monumentos à Imigração Japonesa, Viveiro Arthur Etzel, o Bosque da Leitura, etc.

A vegetação predominante é composta por eucaliptais, remanescentes de Mata Atlântica, brejos, além de gramados, cafezal, pomar, bosque de cerejeiras-de-Okinawa e um viveiro de produção de espécies arbustivas.

Um dos grandes eventos mais esperados no Parque do Carmo ocorre no Bosque das Cerejeiras. Todo ano entre Julho e Agosto ocorre o Festival das Cerejeiras. O bosque possui cerca de 4.000 cerejeiras.

A cerejeira é a árvore símbolo do Japão e aqui em São Paulo, a maior colônia de japoneses fora do Japão, tornou-se marca dos descendentes da comunidade nipônica que vive na região da zona leste da cidade.

Assim como no Japão, a chegada das cerejeiras são comemoradas. Lá do outro lado do mundo a florada marca a chegada da Primavera. Como aqui é tudo diferente (no meio do inverno) a tradição de realizar o "hanami" não ficou de fora. "Hanami" é quando os cidadãos sentam sob as cerejeiras para contemplá-las. Há muita comilança também, com diversos piqueniques rolando!

Ainda não presenciamos a comemoração, mas alguns dias antes do Festival passamos por lá e o visual é realmente incrível!

Como eu disse, é um pouquinho complicado chegar no parque, principalmente para quem está longe de Itaquera. Mas vale muito a pena, muito mesmo porque o parque é muito bonito, super grande e o Bosque das Cerejeiras é sensacional!

Informações:
Horário de funcionamento
: Diariamente, das 05h30 às 18h.
Entrada: Gratuito
Estacionamento pequeno e gratuito
Endereço: Avenida Afonso de Sampaio e Souza, 951. Ou Portão 3 - Avenida Osvaldo Pucci, s/nº

Para quem for de ônibus, segue dica das linhas que te levam lá:
2522-10 – Vila Progresso - Shopping C. L. Aricanduva
3027-10 - Vila Minerva - Shopping Aricanduva 
3062-10 – Conj. José Bonifácio – Term. Vila Carrão
Descer na Avenida Afonso de Sampaio e Souza, altura do número 951

 


 

 

Clique na imagem abaixo para abrir o mapa dos locais indicados neste site:

 

 

 

Dicas de Restaurantes

 
Este assunto é complicado numa cidade como São Paulo, já que ela é altamente conhecida por seu cenário gastronômico. Ok.... Eu teria diversos lugares para indicar e talvez isso geraria uma página somente com estas dicas. Mas como eu sei que a lista de dicas vai demorar muito tempo (porque eu terei que voltar a alguns restaurantes para registros fotográficos). Vou começar com alguns (melhor que nada):

Esperem que virá.....

 

 
ATENÇÃO: Algumas informações descritas no site podem mudar, como por exemplo, preços, horários de funcionamento e até mesmo endereços. Consulte sempre antes de ir! Não possuímos vínculos com as empresas, serviços e profissionais mencionados neste site 😉

Deixe seu comentário / Nenhum comentário

Itinerário de Viagem (C) Direitos reservados
desenvolvido por