EnglishPortugueseSpanish
BELO HORIZONTE
Postado por Estela T em novembro 2, 2017 Editado em novembro 5, 2017

Belo Horizonte é a capital do estado de Minas Gerais. Uma cidade bem movimentada com um pouco mais de 2,5 milhões de habitantes. Dizem que é conhecida como a "capital dos botecos", mas por enquanto ainda não conhecemos este lado da cidade.

Nós já estivemos na cidade para ir a Ouro Preto. Outra vez para ir a Inhotim e outras vezes em passagens rápidas. Eu, Estela, após uns 3 dias em Piedade de Paraopeba (distrito de Brumadinho), acabei direcionando 01 dia inteiro para finalmente conhecer Belo Horizonte, porém, no dia errado: segunda-feira. Digo dia errado porque para conhecer as opções culturais na cidade, 99,99% estão fechados na segunda-feira.

De toda forma, os passeios que fizemos foram muito legais e deu para ter uma boa noção da cidade!

 

Praça da Liberdade

 

Esta praça é muito interessante. Estive nela por duas ocasiões: em uma noite de domingo e uma manhã de segunda-feira. A noite de domingo me proporcionou conhecer o CCBBB de Belo Horizonte que estava aberto! Estava rolando uma exposição do Erwin Wrum e foi bem legal. O CCBB mineiro fica em um prédio muito lindo e grande. Fiquei impressionada com o tamanho, já que o outro CCBB que conheço é de São Paulo e se for comparar, o de São Paulo cabe dentro do de Belo Horizonte. De toda forma, a visita foi rápida, já que a exposição só ocupava um andar do prédio e o pátio do térreo. Há uma lanchonete e uma espécie de café-bar no térreo, em estilo 'refinado'. Ótima opção para uma pausa. Descrevo mais sobre o CCB logo mais abaixo

Depois seguimos para outros prédios históricos que ficam em volta da praça e infelizmente todos estavam fechados. A praça à noite possui uma boa movimentação. Há vendedores ambulantes de lanches em alguns pontos e muita gente passeando ou fazendo uma caminhada, porém, achei a iluminação pública muito fraca, mal conseguíamos enxergar os detalhes dos prédios.

Entre tantos prédios ecléticos, notamos a marca registrada de Oscar Niemeyer. Existem outros museus que são: Memorial Minas Gerais Vale, Museu das Minas e do Metal, Espaço Conhecimento UFMG, Prédio Verde: Casa do Patrimônio Cultural de Minas Gerais. Um prédio esquisito acaba por causar estranhamento: o prédio de informações  do Circuito Liberdade. Mas lógico, não havia ninguém para nos informar, e não porque era segunda-feira, mas era porque ninguém tinha chegado no horário de abertura do local.

 

Praça da Liberdade, Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil
Praça da Liberdade, Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil

Um caminho de palmeiras que corta a praça

Praça da Liberdade, Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil, Condomínio Niemeyer, Oscar Niemeyer

Um prédio de Oscar Niemeyer

 

CCBB BH - Centro Cultural Banco do Brasil Belo Horizonte

 

O CCBB de Belo Horizonte fica na Praça da Liberdade. Por sorte, ele fica aberto de domingo até 21h e também na segunda feira. Por isso, de todos os prédios da Praça da Liberdade, este foi o único que conhecemos o seu interior. O prédio é muito bonito, foi construído entre 1926 e 1930 para abrigar a Secretaria de Segurança e Assistência Pública, mas que nunca abrigou. Passaram por lá várias entidades e/ou secretarias, mas somente em 2009 que o prédio começou a ser restaurado para, finalmente, abrigar o CCBB em 2013.

O prédio é bem grande se for comparar com o CCBB de São Paulo. Mas é tão grande que isso pode atrapalhar um pouco uma determinada exposição. Na nossa visita, estava rolando a exposição de Erwin Wurm e nos informaram que era apenas esta exposição no dia, localizada no quarto andar (que é o último) e no pátio. Só isso. Ponto final. Outros andares ficam meio que "vazios".

De toda forma a visita estava mais ou menos concorrida, considerando que era um domingo à noite, eu senti que havia muitos visitantes. O legal do CCBB BH é que o pátio interno é bem grande, o que possibilita a instalação de grandes obras naquele espaço. E foi o que aconteceu nesta exposição (veja foto abaixo)

Informações:
Horário de funcionamento: De Quarta a Segunda das 09h-21h
Endereço: Praça da Liberdade, 450

Centro Cultural Banco do Brasil, Belo Horizonte, CCBB, Minas Gerais, Brasil

Fachada do CCBB BH

Centro Cultural Banco do Brasil, Belo Horizonte, CCBB, Minas Gerais, Brasil

Espaço expositivo

Centro Cultural Banco do Brasil, Belo Horizonte, CCBB, Minas Gerais, Brasil

Escadaria logo após a entrada

Centro Cultural Banco do Brasil, Belo Horizonte, CCBB, Minas Gerais, Brasil

Pátio interno

 

Basílica Nossa Senhora de Lourdes

 

A Basílica Nossa Senhora de Lourdes em estilo neogótica teve sua construção terminada em 1923. Acabamos visitando-a porque quando estávamos andando pela Avenida João Pinheiro rumo ao centro, a ponta desta basílica apareceu no nosso campo de visão e não conseguimos ignorá-la. Ela é toda alegre nas cores e a sua fachada estava sendo restaurada. Dentro da mesma você encontra 3 imagens de Lourdes.

Como quase tudo em Belo Horizonte fecha nas segundas-feiras, as igrejas não são excessão. Ok... ela não estava fechada, mas aproveitaram a segunda-feira para restauração e limpeza. Aliás, na Paróquia Nossa Senhora da Boa Viagem também a encontramos em processo de limpeza, veja mais abaixo o que eu escrevo sobre ela.

Informações:
Endereço: Rua da Bahia, 1596

Basílica de Nossa Senhora de Lourdes, Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil

A fachada da Basílica

Basílica de Nossa Senhora de Lourdes, Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil

Seu interior lembra muito as igrejas francesas

 

Paróquia Nossa Senhora da Boa Viagem

Como eu disse, segunda-feira em Belo Horizonte muita coisa não abre. A Paróquia Nossa Senhora da Boa Viagem estava fechada para limpeza, porém, perguntamos se poderíamos visitá-la e prontamente os funcionários nos permitiram. 

Por fora ela é bem grande e chama a atenção. O local onde ela está sempre foi dedicado a construções religiosas, desde o século XVIII. A construção desta igreja iniciou em 1897 e terminou em 1913. Também em estilo neogótico, me fez lembrar as igrejas francesas, porém, no seu interior há uma interessante forma arquitetônica que me fez lembrar balcões que nunca percebi em igreja nenhuma do mundo!

O nome da igreja é bem peculiar, já que faz alusão à uma imagem protetora de um barco português, esculpida em madeira, chamada de "Nossa Senhora da Boa Viagem". Esta imagem está no altar lateral da direita da catedral e mede pouco mais de meio metro de altura. Apesar da história sobre o barco português, repito que o neogótico só me fez lembrar da França rs.

Informações:
Endereço: Rua Sergipe, 175

Paroquia Nossa Senhora da Boa Viagem, Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil

o altar da Paróquia Nossa Senhora da Boa Viagem

Paroquia Nossa Senhora da Boa Viagem, Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil

Esta paróquia possui uma arquitetura muito interessante

 

Mercado Central

 

Adoro mercados! Sempre que tem um na cidade que visito eu dou um jeito para conhecer! Como em Belo Horizonte o Mercado Central possui muito destaque como ponto turístico, lá fui eu em um dia mega quente. Mas por incrível que pareça, no interior do mercado não é tão quente.

Criado em 1929, ele é um pouco diferente de vários outros mercados que já fui, não é tão grande, mas possui uma variedade bem grande nos itens vendidos. Eu já fui em muitos do tipo, mas este foi o único que vi vendendo peixes ornamentais para aquários e até pássaros. Fiquei com dó.

Das lojas você encontra muitos temperos, frutas secas, panelas de ferro típicas de Minas Gerais, queijos, etc. A variedade de produtos realmente me impressionou! Outro ponto interessante é que o segundo andar do mercado é um estacionamento de carros! Fiquei pasma de saber que aquela laje sobre as nossas cabeças segura tanto peso!

Este mercado me lembrou um pouco o Grand Bazaar de Istambul. Não tem nada a ver com os produtos, com as cores, as ruelas, o tamanho, não... o clima é que é meio parecido. Então, curti muito!

Endereço: Avenida Augusto de Lima, 744 - Centro
Horário de Funcionamento: 2ª a sáb. das 7h às 18h, dom. e feriados das 7h às 13h

 

Mercado Central, Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil
Mercado Central, Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil
Mercado Central, Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil
Mercado Central, Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil
Mercado Central, Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil
Mercado Central, Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil

 

Restaurante Casa Cheia 👎🏼

Restaurante Casa Cheia, Mercado Central, Belo Horizonte, Minas Gerais, BrasilAcabamos almoçando por lá, no restaurante chamado Casa Cheia. Geralmente costuma lotar, já que é pequeno. Mas tivemos "sorte" e chegamos antes do horário de pico. Meu namorado pediu o 'mexidoido chapado', um dos pratos "premiados" sei lá por quem e custou R$27,90. Eu pedi um prato simples com carne de porco com feijão, salada, fritas, arroz e macarronada (pois é... descobri que em BH o pessoal come arroz com feijão e macarrão!!! Achei esquisito demais). Meu prato custou 19,90.

Estou acostumada a ir a lugares assim e pagar neste preço por pratos que transbordam comida para fora do prato. Quando o prato do meu namorado chegou, fiquei chocada em ver como era pequeno! Parecia prato infantil! Ridículo! O dele parece que estava bom, o meu, quando chegou, era razoável, mas eu acho que, pelo preço, deveria ter o dobro de comida. Meu prato estava completamente sem sabor, sem sal, sem vida. Horrível, não recomendo!

 

 

Restaurante Casa Cheia, Mercado Central, Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil

 

 

Restaurante Casa Cheia, Mercado Central, Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil

 

Lagoa da Pampulha

Esta lagoa fica no bairro da Pampulha, uma área muito conhecida em Belo Horizonte. Primeira vez que andei por lá, percebi uma grande concentração de casas de alto nível, além de ser o bairro que abriga os estádios de futebol mais importantes do estado. Ouvi dizer que o bairro da Pampulha foi considerado o modelo para o projeto de Brasília, o que já faz a gente querer visitá-lo!

O lago é artificial e se não me engano, o projeto dos jardins foram projetados por Roberto Burle Marx e a arquitetura de alguns pontos em volta do lago são de autoria de Oscar Niemeyer. Por falar em Niemeyer, ele projetou a Igreja de São Francisco de Assis em 1943, decorada com azulejos portugueses pintados por Candido Portinari, que escolheu cenas da vida de São Francisco para ilustrar os azulejos. Outras construções de Niemeyer é a Casa do Baile que funcionava com esta função até 1946 e os dois estádios de futebol que eu disse logo acima: o Mineirão e o Mineirinho.

O perímetro da lagoa é de 18km. No começo eu não havia me atentado que era tudo isso, portanto, achei que conseguiria conhecer toda a lagoa a pé. Em um dia extremamente quente que estava, percebi que era impossível tal feito. Porém, se for analisar bem, 18km em qualquer condição climática a pé é um feito para poucos!

Um problema que percebi é que, apesar de eu estar lá em uma segunda-feira e saber que as opções culturais em Belo Horizonte ficam fechadas, não há estrutura para aqueles que caminham pela lagoa. Sendo assim, é impossível achar um café, uma lanchonete, um bar, um restaurante, um banheiro, até um vendedor de coco é quase impossível encontrar. Achei uma pena porque o lugar possui potencial para chamar mais turistas para a região, mas é muito pobre em estrutura.

Casa do baile, Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil, Oscar Niemeyer, Lagoa da Pampulha, Pampulha
Capela Curial de São Francisco de Assis, Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil, Oscar Niemeyer, Lagoa da Pampulha, Pampulha

 

Casa do Baile

Casa do Baile foi inaugurada em 1943 com o objetivo de abrigar um pequeno restaurante, um salão com mesas, pista de dança, cozinhas e banheiros. Para tanto, foi construída uma pequena ilha artificial ligada por uma pequena ponte de concreto com inspiração japonesa. Como na época em que foi concebida a prefeitura da cidade tinha planos de transformar o bairro da Pampulha em um centro de reuniões populares, a encomenda da Casa do Baile foi feita direcionada a estas reuniões e também para entretenimento.

A Casa virou palco de atividades musicais e dançantes frequentada pela sociedade mineira. As propostas do local acaboram mudando e na década de 80 a casa fechou depois de passar um bom tempo sem exercer as suas funções iniciais.

O prédio foi tombado e em 2002 e restaurado sob a coordenação do próprio arquiteto que a projetou, Oscar Niemeyer. A restauração adicionou novos sistemas de climatização e iluminação. Seus jardins também passaram por um processo de revitalização obedecendo à intenção paisagística da proposta original de Burle Marx. Hoje, o local é um Centro de Referência de Arquitetura, Urbanismo e Design. Eventualmente abriga exposições temporárias de arte.

É um local muito fotografado e muitos casais de noivos vão até lá para tirarem fotos para seus álbuns de casamento. Dentro do prédio há um pequeno café e não possui local para estacionar o carro. Do outro lado da rua há uma lanchonete simplória. Aproveite estes pontos caso esteja indo a pé para a Capela Curial de São Francisco de Assis, porque é difícil encontrar outro tipo de estrutura com banheiro e comida no caminho.

Informações:
Horário de funcionamento: Terça, Quinta, Sábado e Domingo das 09h-18h e de Terça das 09h-21h
Endereço: Avenida Otacílio Negrão de Lima, 751

Casa do baile, Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil, Oscar Niemeyer, Lagoa da Pampulha, Pampulha

Sob a ponte de inspiração japonesa

Casa do Baile, Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil, Oscar Niemeyer, Lagoa da Pampulha, Pampulha

Interior da Casa do Baile

Casa do baile, Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil, Oscar Niemeyer, Lagoa da Pampulha, Pampulha

Casal fotografando

Casa do Baile, Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil, Oscar Niemeyer, Lagoa da Pampulha, Pampulha

Casa do Baile visto do outro lado da rua

 

Capela Curial de São Francisco de Assis

A Capela Curial de São Francisco de Assis foi inaugurada em 1943 e o projeto é de Oscar Niemeyer, com azulejos de Candido Portinari. Já repeti este texto aqui nesta página. É tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), pelo Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais -Iepha/MG e pela Gerência do Patrimônio Municipal.

Como qualquer inovação arquitetônica, quando a inauguração ocorreu, as linhas curvas da igreja foi duramente criticada de forma negativa pela opinião pública. As autoridades eclesiásticas não permitiram, por muitos anos, a consagração da capela devido à sua forma inusitada e ao painel de Portinari onde se vê um cachorro representando um lobo junto à São Francisco de Assis. A igreja permaneceu durante catorze anos proibida ao culto. Mas hoje é a queridinha de todos e todo mundo a aceita.

Este é um outro cartão postal da cidade e local onde muitos noivos vão para fotografar.

Informações:
Horário de funcionamento: Terça a Sábado das 09h-17h e Domingo das 09h-14h
Endereço: Rua Dr. Otacílio Negrão de Lima, 3000 - São Luiz / Pampulha

Capela Curial de São Francisco de Assis, Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil, Oscar Niemeyer, Lagoa da Pampulha, Pampulha

Visão de um pequeno mirante

Capela Curial de São Francisco de Assis, Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil, Oscar Niemeyer, Lagoa da Pampulha, Pampulha

Entrada da Capela

Capela Curial de São Francisco de Assis, Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil, Oscar Niemeyer, Lagoa da Pampulha, Pampulha

As costas da Capela

Capela Curial de São Francisco de Assis, Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil, Oscar Niemeyer, Lagoa da Pampulha, Pampulha

Interior da Capela

 

Parque das Mangabeiras

 

O Parque das Mangabeiras é a maior área verde de Belo Horizonte e um dos maiores parques urbanos da América Latina, então reserve um bom tempo para conhece-lo! Localizado na região sul da cidade (Serra do Curral), com mais de mil metros de altura, fica em um dos pontos mais altos de Belo Horizonte. Possui 337 hectares onde vivem 28 espécies de mamíferos, 160 de aves, 20 de répteis e 19 de anfíbios. A vegetação é composta por vegetação típica mineira, e possui 59 nascentes d’água. O projeto paisagístico é assinado por Burle Marx é hoje um local de preservação natural desde 1996. Possui pista de skate, opções para alimentação.

Informações:
Horário de Funcionamento: Terça a Domingo e feriados das 08h-17h
Endereço: Avenida José do Patrocínio Pontes, 580 - Mangabeiras


 

 

Mapa dos locais indicados nesta página:

 

Se locomovendo em Belo Horizonte e percepções finais

Na percepção de turista, eu achei um pouco complicado a locomoção por Belo Horizonte. No centro partindo do bairro Savassi até a rodoviária é possível ir a pé, mas tem que ter disposição, sobretudo se o dia estiver muito quente. Lógico que a cidade possui muitos ônibus, mas pesquisar qual pegar dá muita preguiça!

Do aeroporto de CONFINS até o centro, o taxi pode custar entre R$85-120, dependendo do trânsito. O Aeroporto fica muito, mas muito longe. De UBER perto da Pampulha até o aeroporto levamos uns 20 minutos e custou R$54,00 (porém, foi às 08h da manhã de uma terça-feira, porque em outros horários o valor da corrida estava R$64).

Terminal de ônibus, Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil

Terminal de ônibus

Estávamos na região da rodoviária e com vontade de economizar dinheiro, então pegamos o ônibus até a região do Aeroporto da Pampulha. O bilhete é caro, custou R$4,05 para cada, mas pelo menos o ônibus transita por um corredor exclusivo e possui ar condicionado. O trajeto levou cerca de 20 minutos.

O que achei interessante foi usar um dos terminais de ônibus que são diferentes dos habituais pontos de ônibus espalhados na cidade. Os terminais você paga antes de entrar nele, para isso, procuramos a cabine que vendia o bilhete que é um cartão. Depois você se dirige até o terminal e deposita tal cartão na catraca do terminal. O ônibus que pegamos foi o 65 que eu havia pesquisado previamente no Google. Aí é só aguardar ele chegar e embarcar. Neste sistema os ônibus não possuem cobradores.

Geralmente há um funcionário nas catracas dos terminais e eles podem te informar sobre algum destino, caso haja dúvida. Achei tudo bem organizado.

Aliás, achei Belo Horizonte uma cidade bem organizada e limpa! Difícil andar por um centro de uma grande cidade brasileira e não ficar incomodada com a sujeira. Belo Horizonte está de parabéns!

Uma curiosidade bem grande que descobri: em Belo Horizonte não achei tão fácil encontrar locais para beber um bom café. Eu sou paulistana e em São Paulo encontro um café em quase toda esquina! Senti falta. Mas em compensação, encontrei uma iguaria paulista em quase todos os lugares: o pastel. O mais incrível era o preço, que em alguns lugares era de R$1,55 ou R$2,00. OK que era metade do tamanho do de São Paulo, mas considerando que o pastel tradicional paulistano está hoje (2017) R$6,00, achei vantajoso o pastel de BH. Inclusive tinha um lugar que vendia "pastel paulista".

Outra coisa que até vou repetir aqui: em Belo Horizonte o pessoal come arroz + feijão + macarronada. Achei muuuuito diferente (pra não dizer que achei bizarro)!

Como disse no começo da página, ouvi falar que Belo Horizonte é a capital dos botecos. Bom, não vi lá tantos e infelizmente não tive a oportunidade de frequentar um. Mas já digo que os mineiros estão inseridos em um circuito diferente da cerveja. Existe uma produção chamada Backer e, segundo meu namorado, é uma cerveja muito boa. Cara, porém boa. Então, pra quem detesta a cerveja comum brasileira feita de milho, fique atento às cervejas de malte de Minas Gerais. Aliás, existem várias outras marcas boas de cerveja, mas só conhecemos a Backer.

No geral as pessoas são maravilhosas, acolhedoras, simpáticas e ajudam o próximo. Em uma festa na cidade de Casa Branca (distrito de Brumadinho) eu nunca tinha visto tanta gente entrosada cantando junto, todo mundo em harmonia e sem bêbados ou brigas acontecendo. Eu realmente fiquei impressionada com o espírito mineiro, amei muito!

 


 

Hospedagem:

Savassi Hostel: Chegando em BH meio que sem hospedagem, querendo economizar e ficando praticamente no centro, pesquisei e descobri que o bairro Savassi é um dos melhores para este fim e calhou de conhecer este hostel. Foi meio difícil encontrar, já que o meu localizador de endereços no smartphone estava apontando um outro número, mas por sorte o namorado avistou a tímida placa do hostel. Chegando lá foi um mundo novo pra mim: não possui quarto e nem banheiro privativo. São 2 quartos, um feminino e outro misto. Pois é... nunca estive em um hostel com quartos compartilhados!
Como estava com o namorado, decidi ficar no quarto misto que possuía 10 camas. Por sorte eu sempre levo comigo um tapa ouvidos e não tive problemas para dormir com barulho dos outros, porém, acho que não tenho mais idade para não ter minha privacidade e muito menos para aguentar o entra e sai de outros hóspedes. Estava muito cansada para pensar que estava dormindo com um monte de desconhecidos ao meu redor, mas foi tudo tranquilo. Os banheiros eram um tanto esquisitos mas nada grave. A recepcionista da noite era meio sem paciência, acho que estava cansada.O recepcionista da madrugada/manhã era um fofo! O café da manhã era bem raso... parece que de segunda-feira os mantimentos não são repostos e como a casa estava cheia, com certeza muita gente ficou sem forrar o estômago. No fim, o preço não é muito convidativo, já que R$45/pessoa acaba pesando quando é possível pagar R$100,00 em um hotel 4 estrelas nesta mesma cidade....
Endereço: R. Antônio de Albuquerque, 626
Possui recepção 24 horas
Pagamento somente em dinheiro 👎🏼

 

Hotel Conexão Pampulha 👎🏼: Eu realmente não sei como as organizações que mantém ou tiram as estrelas de um hotel fazem as tais inspeções, ou se as fazem, mas... classifico as estrelas de um hotel por coisas muito simples, sendo a primeira a qualidade do papel higiênico. Neste hotel o papel era muito, mas muito ruim, daqueles finos, duros... baratos. Outro ponto que avalio: a coberta não estava suja, mas era encardida... sabe quando aquele tecido branco foi muito usado, lavado por diversas vezes, e depois muito mais usado e acabou ficando velho pra caramba a ponto do encardido não sair mais? Pois é.... era isso! A cama estava muito confortável, o ar condicionado funcionava. O barulho do corredor era insuportável, dava para ouvir as portas abrindo e fechando e toda a conversa de quem passava por ele  (ainda bem que eu estava com tapa ouvidos). Os recepcionistas (exceto o da manhã) não usavam uniforme! Na real nem sei se eram funcionários de lá!

O banheiro era minúsculo até pra mim que sou magra e pequena! Tomar banho foi meio claustrofóbico. O café da manhã estava horrível. Tinha um iogurte de baixíssima qualidade, pães secos e escassos, torta de frango gelada, salgados gelados, salsicha gelada, enfim.... tudo horrível! O salão do café da manhã também era pequeno... enquanto um ia buscar comida gelada, outro tinha que ficar esperando... além disso, haviam pouquíssimas mesas e cadeiras. Pior de tudo! Como ficamos num quarto nos fundos, o WIFI era fraquíssimo, praticamente inexistente! Hotel totalmente fora da realidade de um 4 estrelas.
Endereço: não indico pra ninguém!

 


ATENÇÃO: Algumas informações descritas no site podem mudar, como por exemplo, preços, horários de funcionamento e até mesmo endereços. Consulte sempre antes de ir! Não possuímos vínculos com as empresas, serviços e profissionais mencionados neste site 😉

Deixe seu comentário / Nenhum comentário

Itinerário de Viagem (C) Direitos reservados
desenvolvido por